PROGRAMAÇÃO
PROGRAMAÇÃO
Notícias
Dragão do Mar lança exposição fotográfica e partilha de processo que celebram a história da comunidade Poço da Draga na próxima segunda-feira (14)
Fruto de pesquisa acadêmica do artista e pesquisador Felipe Camilo, coproduzida pelo documentarista Álvaro Graça Júnior, projeto combina tradição oral e fotografia, a partir de álbuns e memórias da comunidade que há 115 anos resiste ao apagamento.
10/06/21 às 20h04

     Circunvizinho ao Centro Dragão do Mar, o Poço da Draga foi fundado há 115 anos, completados no último dia 26 de maio. Em homenagem à comunidade, o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, gerido pelo Instituto Dragão do Mar, lançará na próxima segunda-feira (14), a partir das 15h, no site do Dragão (www.dragaodomar.org.br), a exposição fotográfica "Poço 115 - um álbum imaginário para a comunidade visível", coprodução de Álvaro Graça Jr., documentarista e morador do local, e Felipe Camilo, artista e pesquisador. A mostra será acompanhada de partilha de processo no YouTube do Dragão (youtube.com/dragaodomarcentro), na qual os autores compartilharão suas vivências e memórias no Poço da Draga, além de exibir fotos e relatos de moradores da comunidade, coletados ao longo de quatro anos. A fala será acessível em Libras.

     A exposição contará com quatro séries fotográficas: Poço 115 (2020-2021), Resenha do Brasileirinho (2020-2021), Poço Acquario (2019) e Sobrepontes (2021). Em breve transformado em fotolivro, o conjunto de séries contou com a colaboração das fotógrafas Ivoneide Gois e Dayane Araújo.

     O projeto surgiu da investigação para a elaboração da tese acadêmica de Felipe, intitulada "Comunidade Visível: Narradores de Imagens e Memórias do Poço da Draga" (PPGS/UFC 2017-2021) e que, ao juntar-se à colaboração de Álvaro Graça Júnior, resultou numa poética combinação entre a narrativa oral e a fotografia. Um potente encontro que, segundo Camilo, poderia ser relacionado aos esforços biográficos e a uma política de defesa do território, numa tentativa de conservar e transmitir a memória de um povo majoritariamente negro.

 

Sobre os autores


Álvaro Graça Júnior é morador do Poço da Draga e Realizador audiovisual com foco em cinematografia e direção de documentários, atua no ramo há mais de 10 anos. Colabora também com curtas e longas-metragem de Ficção e Vídeo-Dança. Sua produção já foi apreciada em Festivais como o CineCeará e o Festival de jovens realizadores de audiovisual do MERCOSUL. Atualmente é cinegrafista do programa UFC TV.
 

Felipe Camilo é negro. Cearense. Nordestino. Brasileiro. Artista Visual com enfoque em fotografia e cinema. Dedica-se ao documental e à experimentação. Pesquisador [e atualmente professor] pela Universidade Federal do Ceará com bolsa CAPES, desenvolve tese nas áreas de antropologia, imagem, memória, negritude e cidade. Atuando como realizador/documentarista, é ganhador do Prêmio de melhor roteiro no Cine Ceará 2017 e aquisição Canal Brasil de melhor curta com 'Memórias do Subsolo ou o Homem que cavou até encontrar uma redoma'. O filme esteve na programação de diversos festivais brasileiros de cinema. Realiza desde 2015 o 'Projeto Perecível' de imagens reveladas com a clorofila de folhas relacionando-se por meio de retratos, ruínas e seu álbum de família à história e geografia da capital onde nasceu - Fortaleza/Ce. Agregando relatos e haicais, o projeto circula desde o começo de 2018 como fotolivro e em exposição tanto no Ceará como em eventos nacionais e internacionais como a bienal Fotográfica Bogotá 2019, o Encontro da Anpocs - Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais 2018 e a Mostra de Fotografia Etnográfica da RAM 2017 - Reunião de Antropologia do Mercosul na Argentina. Circulou também no nordeste do país nos Centros Culturais BNB e na Bienal Internacional do Livro do Ceará 2020. Realizou intervenções urbanas com monóculos e lambe-lambe no 'Festival Concreto de Arte Urbana' 2016 e 2018, no Festival Maloca Dragão 2017 e no '68º Salão de Abril Sequestrado 2017'. Teve também obras expostas no Centro Dragão do Mar, na mostra Sesc Cariri e nos "Encontros de Agosto". Com apoio da Secult/Ceará, dirigiu entre 2018-2020 a 2ª Ed. do projeto-documentário "Mapadoc - Cartografias da Cultura Cearense" que teve como resultado o longa Oestemar.

 

Serviço: Na Rede com Dragão apresenta a exposição fotográfica e a partilha de processo "Poço 115 - Um álbum imaginário para a comunidade visível", de Felipe Camilo e Álvaro Graça Júnior
Data: 14 de junho de 2021 (segunda-feira)

Horário: 15h
Exposição fotográfica: Site do Dragão (www.dragaodomar.org.br)
Partilha de processo: Youtube do Dragão (youtube.com/dragaodomarcentro). Acessível em Libras
Acesso gratuito e livre

 


 

PARCEIROS