Exposições

 


Mostra Carioca: a impureza como mito

 

 

O Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura apresenta, de 8 de outubro a 30 de novembro de 2014, a “Mostra Carioca: a impureza como mito”, cerca de 50 obras de artistas que tem o Rio de Janeiro como inspiração de seus trabalhos, em obras pertencentes às coleções do MAM Rio, incluindo as coleções de Gilberto Chateaubriand e Joaquim Paiva, que estão no Museu carioca em regime de comodato. Originária no MAM em 2012, a mostra foi apresentada no Espaço Cultural Casa das Onze Janelas, em Belém e integra a nova área de Circulação de Exposições da seleção pública do programa Petrobras Cultural.

 

Luiz Camillo Osorio e Marta Mestre, curadores do MAM Rio, observam que “a mostra não pretende ‘tematizar’ o Rio, mas revelar o quanto a cidade foi e permanece sendo um espaço ao mesmo tempo caótico e criativo que alimentou uma vontade de arte que combina improvisação e rigor”. “Do final do modernismo, passando pelo concretismo, pelo neoconcretismo, pela pop e pelo conceitualismo, e chegando ao momento contemporâneo, a exposição uma espécie de ‘espírito carioca’ perpassou – consciente ou inconscientemente – a criação artística local, potencializando sua articulação e penetração global”, afirmam os curadores.

 

A exposição terá obras em diferentes técnicas e suportes, como esculturas, instalações, pinturas, desenhos e fotografias. Farão parte da mostra obras emblemáticas, como dois “Metaesquemas”, de 1957, e cinco ”Parangolés”, de Hélio Oiticica. Destes últimos, serão apresentas cópias de exibição, que o público poderá vestir. Também fará parte da mostra a obra “Bicho”, de Lygia Clark, de 1960, feita em alumínio.

 

As obras mais recentes são as serigrafias sobre tecido “Cangaço/Xô choque” e ”Cangaço/todo poder à praia!”, feitas em 2013 pelo coletivo Opavivará (Rio de Janeiro, 2005). Outros trabalhos atuais são as fotografias da série “Objetos para tampar o sol de seus olhos”, de Paulo Nazareth, de 2011.

 

“Os trabalhos foram escolhidos pela sua capacidade de propor imagens reconfiguradas do Rio de Janeiro e da sua vida urbana enquanto espaço de experiência cultural”, ressaltam os curadores.

 

Na mostra, alguns trabalhos são acompanhados de audioguia com informações complementares sobre a trajetória do artista e sobre a obra.

 

 

 

 

MINIBIOGRAFIA DOS ARTISTAS

 

Luiz Alphonsus
Belo Horizonte, MG, Brasil, 1948.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

 

Antonio Manuel
Avelãs de Caminho, Portugal/Brasil, 1947.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.  

 

Felipe Barbosa
Niterói, Rio de Janeiro, Brasil, 1978.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

 

Cabelo
Cachoeiro de Itapemirim, ES, Brasil, 1967.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

 

Marcos Cardoso
Paraty RJ, Brasil, 1960.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

 

Aluísio Carvão
Belém, PA, 1918 - Poços de Caldas MG, Brasil, 2001.

 

Marcos Chaves
Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 1961.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

 

Lygia Clark
Belo Horizonte, MG, 1920 - Rio de Janeiro RJ, Brasil, 1988.

 

Paulo Climachauska
São Paulo, SP, Brasil, 1962.
Vive e trabalha em São Paulo.

 

Raymundo Colares
Grão Mogol, 1944 - Montes Claros MG, Brasil, 1986.

 

Daniela Dacorso
Belo Horizonte, MG, Brasil, 1969.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

 

José Damasceno
Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 1968.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

 

Osmar Dillon
Belém PA, Brasil, 1930.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

 

Iole de Freitas
Belo Horizonte MG, Brasil, 1945.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

 

Rubens Gerchman
Rio de Janeiro, RJ, 1942 - São Paulo, SP, Brasil, 2008

 

Alair Gomes
Valença, 1921 - Rio de Janeiro RJ, Brasil, 1992.

 

Kátia Maciel
Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 1963.      
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.



Lia Menna Barreto
Rio de Janeiro RJ, Brasil, 1959.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

 

Hélio Oiticica
Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 1937 – 1980.

 

Lygia Pape
Nova Friburgo, 1927 - Rio de Janeiro RJ, Brasil, 2004.

 

Glauco Rodrigues
Bagé, RS, 1929 - Rio de Janeiro RJ, Brasil, 2004.



Ione Saldanha
Alegrete, RS, 1919 - Rio de Janeiro RJ, Brasil, 2001.

 

Daniel Senise
Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 1955.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

 

Gustavo Speridião
Rio de Janeiro RJ, Brasil, 1978.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.



Evandro Teixeira

Irajuba, BA, Brasil, 1935.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.



Paula Trope

Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 1962.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

 

Adriana Varejão
Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 1964.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.



Luiz Zerbini
São Paulo SP, Brasil, 1959.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

 

Rochelle Costi
Caxias do Sul, RS, Brasil, 1961.
Vive e trabalha em São Paulo.

 

Paulo Nazareth
Governador Valadares MG, Brasil, 1977.
Vive e trabalha em Belo Horizonte.

 

Thomaz Farkas
Budapeste, Hungria, 1924 – São Paulo, 2011.

 

 

 

Abertura: 8 de outubro 2014. Exposição: Até 30 de novembro de 2014. De terça a sexta, das 9h às 19h (acesso até às 18h30); sSábado, domingo e feriado, das 14h às 21h (acesso até às 20h30).

 

 


 

 

 

 

Educativo MAC

 

Oficinas Educativas
Todos os sábados do mês de abril o Educativo do Mac- CE oferece oficinas que discutem temas presentes na Exposição Coleção Itaú de Fotografia Brasileira. A programação semanal detalhada será divulgada nas redes sociais do Dragão do Mar.

 

Visitas Educativas
Ação Educativa MAC realiza mediações a partir dos conteúdos das exposições para público espontâneo e agendado. A equipe é formada por Arte Educadores- Universitários multidisciplinares – que desenvolvem ações de mediação com Escolas, Projetos, Universidades, ONGs e demais instituições interessadas em visitar o Museu e conhecer mais sobre arte contemporânea.

 

Visitas mediadas para grupos agendados: os educadores propõem para cada grupo, atividades e informações sobre a produção em arte contemporânea e o diálogo entre as obras da mostra.

 

Visitas de orientação para público espontâneo: Todos os fins de semana, às 17h, acontecem ações de mediação com os educadores, tendo como ponto de partida a recepção.

 

Informações
Educativomac@dragaodomar.org.br
85 3488 8622

 

 

 

 

 

 

Biblioteca de Artes Visuais Leonilson

 

Instalação Waléria Américo

Espaço especializado em artes visuais com cerca de dois mil livros nas áreas de Fotografia, Design, Museologia, História da Arte, Arquitetura e Urbanismo, Moda e Arte Contemporânea.

Serviço gratuito, de terça à sexta, das 9h às 18h.




Estrutura

O MAC conta com trezes salas climatizadas e equipadas com câmeras de segurança. Todos as salas são equipadas com termostato para controle de temperatura e umidade relativa do ar. Tudo dentro dos padrões internacionais exigidos pela nova museologia. O sistema de iluminação - projetado pelo designer Peter Gasper, foi elaborado com equipamentos e padrões técnicos atualizados segundo normas luminotécnicas .

Algumas exposições do MAC também podem ser visualizadas na parte de fora do museu, como viabiliza o projeto Painel Giratório, que convida artistas para delinear peças na rampa giratória do Centro Dragão do Mar.

 

MAC Educativo

No setor educativo do MAC são desenvolvidas estratégias de comunicação entre museu, público e arte contemporânea. O setor orienta, através de monitores, a visita do público às salas, estimula a interpretação e auxilia na formação de um novo olhar sobre a arte. Grupos de escolas públicas e privadas também recebem instruções sobre as obras expostas. Os monitores, estudantes de Arte, Filosofia, Ciências Sociais e Letras, convidam o espectador a desafiar o seu próprio olhar.

O agendamento dos museus do CDMAC pode ser feito de segunda a sexta, das 13h às 18h, pelo telefone 3488.8604.

 

 

Acervo

O MAC intensificou sua campanha de ampliação do acervo, coletando doações e adquirindo peças significativas. Atualmente, conta com mais de mil obras em seu acervo, permitindo, além de pesquisas, a realização de exposições temáticas. As peças são de autoria de artistas plásticos brasileiros e estrangeiros. Também estão sob a guarda do MAC peças da Pinacoteca do Estado e do acervo do pintor Antônio Bandeira.

Profissionais especializados realizam todo um trabalho de acondicionamento, manutenção preventiva e curativa, embalagem e desembalagem de obras em trânsito e documentação de cada peça. Isto confere ao MAC grande importância nacional.

 

Informações técnicas e acessos:

 Área total de 700m²
 Treze salões são equipados com sistemas de iluminação, som e segurança.
 Climatização - 13 máquinas Split de 7,5 TR sendo 10 com controle de umidade regulada na faixa de 45% a 60% de UR (Unidade relativa do ar) e mais uma máquina Split de 5 TR.
 Reserva Técnica - 350m² de área total. É equipada com 04 máquinas SELF de 7,5 TR com controle de umidade para a faixa de 45% a 60% UR (umidade relativa do ar).
 O acesso ao MAC pode ser feito pela entrada principal do Dragão do Mar (Avenida Castelo Branco), pela passarela vermelha ou pelo elevador panorâmico.

 

Informações: 85.3488.8622 / 8624.

 

Catalogação e Conservação de Acervo do MAC patrocinada pelo Petrobras Cultural.

CENTRO DRAGÃO DO MAR DE ARTE E CULTURA

Rua Dragão do Mar 81, Praia de Iracema - CEP: 60060-390 - Fortaleza/CE - CNPJ: 02.455.125/0001-31
Informações gerais: 55 (85) 3488 8600 / 55 (85) 3488 8608