O Museu de Arte Contemporânea do Ceará recebe obras de grandes artistas locais, nacionais e internacionais.

 

 

 

 

Exposição Ela // De Bruno Vilela

 

 

Ocupando todo o piso superior do MAC-CE, a exposição de Bruno Vilela – pela primeira vez em mostra individual em Fortaleza – apresenta treze obras das séries Animattack e Dia de festa é véspera de dia de luto, que fazem referência ao conceito da Anima, da psicologia junguiana, que é a personificação do inconsciente masculino na figura de uma Deusa.


“Essa entidade surge de várias maneiras nos meus quadros: nos olhos enigmáticos num fundo azul; em rostos femininos em que os outros elementos humanos como boca e nariz são suprimidos, reforçando esse olhar; em memórias de infância, através da desconstrução de fotos antigas de simples festas de aniversário”, exemplifica o artista.


A obra Ela, que dá nome à exposição, é fundamental para o entendimento da série. É o aparecimento de uma figura feminina fantasmagórica no meio da natureza. Sem cabeça, as mãos são levadas de modo desesperado ao local onde ela deveria existir. No meio da floresta o homem se funde com a mata e, então, finalmente, Ela, a consciência da existência, toma conta do ser humano que tem medo profundo do que não sabe explicar. “A Mãe Terra, La loba, A bruxa, A Santa, A deusa, Ela, são vários os nomes dados ao sentimento de integração com o cosmos ao longo das eras por diversos povos primitivos, em lendas escritas, tradição oral, pinturas e esculturas”, explica.


Entre as obras expostas, o público poderá conferir um trabalho inédito, feito exclusivamente para o Dragão do Mar: uma pintura na parede, feita com grafite e óleo, numa técnica nova descoberta pelo artista numa recente residência em Lisboa. Além disso, a exposição lança o filme Se Cria Assim, documentário dirigido pelo cineasta Beto Brant sobre o processo criativo de Bruno Vilela.


O filme mostra o processo do artista no ateliê, desde suas técnicas de pintura e desenho até referências de seus misteriosos cadernos – que estarão numa vitrine em exposição –, passando por um dia de fotografia na floresta. Entre entrevistas e depoimentos, o filme é um passeio pela obra e vida do artista pernambucano.

 

Visitação de terça a sexta, das 9h às 19h; e aos sábados, domingos e feriados das 14h às 21h. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

Exposição Interstícios

 

 

A exposição Interstícios ocupará duas salas do andar inferior do MAC-CE, com obras dos artistas Célio Celestino, Cris Soares, Emanuel Oliveira, Haroldo Saboia, Filipe Acácio, Jared Domicio, Marcos Martins, Herbert Rolim e Milena Travassos. Todos trazem em comum as singularidades em torno da ideia de um corpo sensível, aberto à experimentação, a novas rupturas e aos abalos estruturais, desfazendo construções complexas e organizadas para a constituição de outras.


“Cada trabalho ressoa essa experiência por meio de fissuras, dobras, torções, sobreposições, rasgos e fendas. Interstícios que se estruturam tanto como uma espécie de memória do diálogo com o outro, mas também se mostram como zona de inventividade de qual se é possível pensar em outros caminhos poéticos para as obras em questão”, define a curadora da exposição, Ana Cecília Soares.


A jornalista e crítica de arte desenvolve ainda que os artistas entregam-se ao estranhamento de si próprios, deixando-nos índices em forma de fissuras, ranhuras, marcas, sobreposições e atritos de suas trocas sensíveis, afetações recíprocas e deslocamentos existenciais. “Todos, interstícios, configurados como zonas de inventividade que permitem ponderar uma relação particular entre o mundo percebido por cada artista e aquilo que não aparece normalmente no que é”.

 

Visitação de terça a sexta, das 9h às 19h; e aos sábados, domingos e feriados das 14h às 21h. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

Educativo MAC

 

Visitas Educativas
Ação Educativa MAC realiza mediações a partir dos conteúdos das exposições para público espontâneo e agendado. A equipe é formada por Arte Educadores- Universitários multidisciplinares – que desenvolvem ações de mediação com Escolas, Projetos, Universidades, ONGs e demais insti tuições interessadas em visitar o Museu e conhecer mais sobre arte contemporânea.

 

Visitas mediadas para grupos agendados: os educadores propõem para cada grupo, atividades e informações sobre a produção em arte contemporânea e o diálogo entre as obras da mostra.

 

Visitas de orientação para público espontâneo: Todos os fins de semana, às 17h, acontecem ações de mediação com os educadores, tendo como ponto de partida a recepção.

 

Informações
Educativomac@dragaodomar.org.br
85 3488 8622

 

 

 

O agendamento dos museus do CDMAC pode ser feito de segunda a sexta, das 9h às 17h.

Contato: (85) 3488.8621
E-mail: agendamento@dragaodomar.org.br

 

 

 

Biblioteca de Artes Visuais Leonilson

 

Instalação Waléria Américo

Espaço especializado em artes visuais com cerca de dois mil livros nas áreas de Fotografia, Design, Museologia, História da Arte, Arquitetura e Urbanismo, Moda e Arte Contemporânea.

Serviço gratuito, de terça à sexta, das 9h às 18h.




Estrutura

O MAC conta com trezes salas climatizadas e equipadas com câmeras de segurança. Todos as salas são equipadas com termostato para controle de temperatura e umidade relativa do ar. Tudo dentro dos padrões internacionais exigidos pela nova museologia. O sistema de iluminação - projetado pelo designer Peter Gasper, foi elaborado com equipamentos e padrões técnicos atualizados segundo normas luminotécnicas .

Algumas exposições do MAC também podem ser visualizadas na parte de fora do museu, como viabiliza o projeto Painel Giratório, que convida artistas para delinear peças na rampa giratória do Centro Dragão do Mar.

 

MAC Educativo

No setor educativo do MAC são desenvolvidas estratégias de comunicação entre museu, público e arte contemporânea. O setor orienta, através de monitores, a visita do público às salas, estimula a interpretação e auxilia na formação de um novo olhar sobre a arte. Grupos de escolas públicas e privadas também recebem instruções sobre as obras expostas. Os monitores, estudantes de Arte, Filosofia, Ciências Sociais e Letras, convidam o espectador a desafiar o seu próprio olhar.

O agendamento dos museus do CDMAC pode ser feito de segunda a sexta, das 13h às 18h, pelo telefone 3488.8604.

 

 

Acervo

O MAC intensificou sua campanha de ampliação do acervo, coletando doações e adquirindo peças significativas. Atualmente, conta com mais de mil obras em seu acervo, permitindo, além de pesquisas, a realização de exposições temáticas. As peças são de autoria de artistas plásticos brasileiros e estrangeiros. Também estão sob a guarda do MAC peças da Pinacoteca do Estado e do acervo do pintor Antônio Bandeira.

Profissionais especializados realizam todo um trabalho de acondicionamento, manutenção preventiva e curativa, embalagem e desembalagem de obras em trânsito e documentação de cada peça. Isto confere ao MAC grande importância nacional.

 

Informações técnicas e acessos:

 Área total de 700m²
 Treze salões são equipados com sistemas de iluminação, som e segurança.
 Climatização - 13 máquinas Split de 7,5 TR sendo 10 com controle de umidade regulada na faixa de 45% a 60% de UR (Unidade relativa do ar) e mais uma máquina Split de 5 TR.
 Reserva Técnica - 350m² de área total. É equipada com 04 máquinas SELF de 7,5 TR com controle de umidade para a faixa de 45% a 60% UR (umidade relativa do ar).
 O acesso ao MAC pode ser feito pela entrada principal do Dragão do Mar (Avenida Castelo Branco), pela passarela vermelha ou pelo elevador panorâmico.

 

Informações: 85.3488.8622 / 8624.

 

Catalogação e Conservação de Acervo do MAC patrocinada pelo Petrobras Cultural.

CENTRO DRAGÃO DO MAR DE ARTE E CULTURA

Rua Dragão do Mar 81, Praia de Iracema - CEP: 60060-390 - Fortaleza/CE - CNPJ: 02.455.125/0001-31
Informações gerais: 55 (85) 3488 8600 / 55 (85) 3488 8608