O Museu da Cultura Cearense (MCC) é um museu etnográfico que tem como proposta promover a difusão, a fruição e a apropriação do Patrimônio Cultural do Estado do Ceará, mediante ações museológicas de pesquisa, preservação e comunicação, visando a inclusão e desenvolvimento sociocultural.

O MCC busca tornar-se um espaço inclusivo, de produção de conhecimento por meio da relação entre educação formal, não-formal e informal; e expressar a cultura cearense de forma contextual e reflexiva: seus conflitos, contradições e temporalidades, valorizando a produção cultural dos cearenses, sua criatividade e diferentes formas de ser, estar no mundo, relacionar-se com o meio ambiente e com outros sujeitos sociais.

 

 

 

///// EXPOSIÇÕES

► I Salão Universitário de Artes Visuais do IFCE

O I Salão Universitário de Artes Visuais do IFCE surge a partir da necessidade de um evento cultural que coloque em destaque a produção artística dos estudantes de artes do Ceará, pois é de conhecimento público a grande dificuldade de participar de exposições nos espaços culturais da cidade, para quem está iniciando uma carreira artística. As obras selecionadas no I Salão Universitário de Artes Visuais serão expostas no Museu da Cultura Cearense no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.

As obras inscritas são diversas dentro da linguagem de Artes Visuais e estão sendo analisadas pela Comissão do Salão de seleção e premiação composta por artistas, curadores e especialistas em artes visuais. As inscrições para participar do evento foram realizadas de forma online e restritas a graduandos de Artes Visuais que residem no Estado do Ceará. Foram selecionadas 22 obras ao todo, nas modalidades de pintura, gravura, escultura, instalação e performance.

Eis a relação dos aprovados pertencentes a duas instituições situadas no Cariri em Fortaleza, que possuem em suas matrizes curriculares cursos de arte: Adriano Morais (IFCE - Fortaleza), Anastácia Brito (IFCE - Fortaleza), Coletivo DIABA4 (IFCE - Fortaleza), Francisco Adriano (Faso) (IFCE - Fortaleza), Francisco David (IFCE - Fortaleza), Gustavo Diogénes (IFCE - Fortaleza), Ronaldo Vieira (IFCE - Fortaleza), Henrique Haroldo (IFCE - Fortaleza), Helena Vasconcelos (IFCE - Fortaleza), Isaias Nunes (URCA - Cariri) Ivy Collyer (IFCE - Fortaleza), Jorge Edinay (IFCE - Fortaleza), Magdiel (IFCE - Fortaleza), Nágila Fontenele (IFCE - Fortaleza), Narah Adjane (IFCE - Fortaleza), Natalia Costa (IFCE - Fortaleza), Rogeane Moreira (IFCE - Fortaleza), Sheryda Lopes (IFCE - Fortaleza), Tatiana Tavares (IFCE - Fortaleza), Tércia Montenegro (IFCE - Fortaleza), Williana Maciel (URCA - Cariri), Wladia Raianny (IFCE – Fortaleza).

O 1º Salão Universitário de Artes Visuais do IFCE (SUAV-IFCE) distribuirá um (01) prêmio em dinheiro no valor de R$: 1.000,00 (mil reais) e três (03) certificados de Menção Honrosa indicados pela comissão julgadora. A divulgação dos resultados da premiação e a entrega dos prêmios serão realizadas no dia 12 de setembro de 2017, às 19h, na abertura do Salão.

// Em cartaz de 12 de setembro a 15 de outubro de 2017. Visitação de terça a domingo, das 9h às 19h (acesso até as 18h30) e aos sábados, domingos e feriados, das 14h às 21h (acesso até as 20h30). Acesso gratuito. Classificação etária: Livre.

 

 

 

Exposição Vaqueiros

Exposição lúdica, de caráter didático, percorre o universo do vaqueiro a partir da ocupação do território cearense pela pecuária até a atualidade. Utiliza cenografia, imagens e objetos ligados ao cotidiano do vaqueiro.

 Em cartaz permanentemente, no Piso Inferior do Museu da Cultura Cearense. Visitação de terça a domingo, das 9h às 19h (acesso até as 18h30) e aos sábados, domingos e feriados, das 14h às 21h (acesso até as 20h30). Acesso gratuito. Classificação etária: Livre.

 

 

 

 

 

 

11ª Primavera dos Museus

 

De 18 a 24 de setembro, museus de todo o País recebem a programação da 11ª Primavera dos Museus, coordenada pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram). Em todo o Brasil, serão mais de 2,5 mil atividades entre visitas mediadas, palestras, oficinas etc. Confira a programação do Museu da Cultura Cearense (MCC).

 

Dia 18 | Segunda

Mesa-redonda "Na parede da memória: as coleções do Museu da Cultura Cearense"
Os palestrantes conversam sobre o processo de criação e a importância das duas coleções que inauguraram o MCC: “Vaqueiros” e “Admiráveis Belezas do Ceará ou o Desabusado Mundo da Cultura Popular”.

Com
Dodora Guimarães (Curadora e consultora de artes)
Oswald Barroso (Mestre e doutor em Sociologia, professor, poeta, jornalista, folclorista e teatrólogo)
Valéria Laena (Diretora de Museus do Centro Dragão do Mar)

18h30 > Miniauditório do MCC > Gratuito > Livre

 

 

Dia 20 | Quarta

Palestra "Dragão do Mar: o homem e o mito"
Quem foi "Chico da Matilde"? Por que ficou conhecido como "Dragão do Mar"? Qual foi a sua participação na luta contra a escravidão? Essas e outras reflexões procurarão entender a vida, o tempo e os dilemas de Francisco do Nascimento, cearense de Aracati, que esteve na greve do porto de Fortaleza contra o tráfico negreiro e teve o seu nome aclamado Brasil afora.

Com
Gleudson Passos Cardoso (Doutor em História, professor do Curso de História e do Mestrado Acadêmico em História e Cultura - MAHIS da Universidade Estadual do Ceará – UECE).

18h > Miniauditório do MCC > Gratuito > Livre

 

 

Dia 21 | Quinta

Palestra "Consumo Cultural: uma perspectiva a partir do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura e seus museus"
Na perspectiva de compor uma panorâmica e estimular o debate sobre o consumo cultural em Fortaleza, a apresentação pretende articular duas instâncias de enunciação que configuram este fenômeno: 1. as bases conceituais, métricas e instrumentais das sondagens sobre consumo cultural no Brasil; e 2. os indicadores mapeados e extraídos de pesquisas, artigos científicos e matérias de jornais acerca dos impactos do CDMAC na cena cultural da capital cearense.

Com
Kadma Marques (Doutora em Sociologia e professora adjunta do curso de Ciências Sociais da Universidade Estadual do Ceará - UECE)

18h > Miniauditório do MCC > Gratuito > Livre

 

 

Dia 22 | Sexta

Mesa-redonda "O lugar da memória na percepção feminina"
Na 11ª Primavera de Museus, o Projeto Acesso faz aproximação entre museu, memória e grupos excluídos mediante a narrativa de mulheres com deficiência.

Com
Mellina Hernandes Reis (paulista, blogueira do “4 patas pelo mundo”, turismóloga e deficiente visual)
Krystina Lima (cadeirante e ativista das lutas pela acessibilidade no Ceará)
Maria do Socorro Carneiro (dona de casa, mãe de deficiente visual e incentivadora do movimento de museus acessíveis).
Mediação: Ruth Queirós (psicopedagoga e arte educadora)

14h > Sala 2 (térreo) do MCC > Gratuito > Livre

 

 

 

 

 

 

 

 

NÚCLEO DE AÇÃO EDUCATIVA DO MCC

O Museu da Cultura Cearense se caracteriza por ser um museu etnográfico, cuja proposta educativa fundamenta-se nos princípios da Nova Museologia e numa mediação de base freireana, isto é, Ação-Reflexão como norteadores para o seu Projeto Pedagógico. O museu é compreendido como um lugar de reflexão e produção de conhecimento, ao mesmo tempo em que valoriza as vivências e particularidades de seu público.

Ancorado na tríade: pesquisa, conservação e comunicação, é um lugar de debate, sem contudo, perder o encanto e a ludicidade. O MCC valoriza a pluralidade, como elemento enriquecedor para a mediação no espaço expositivo. Essa é uma das razões pela qual o Núcleo Educativo é composto por uma equipe de profissionais e estagiários com formação multidisciplinar.

O Projeto Educativo do MCC fundamenta-se também na metodologia da Pesquisa-Ação, que segundo René Barbier, trata-se de uma atividade que compreende e elucida a práxis pelos próprios atores sociais que constituem o grupo, com ou sem especialistas em ciências humanas e sociais práticas, objetivando o avanço dessa práxis.

O Museu da Cultura Cearense buscará desenvolver, no decorrer de suas ações educativas, atividades pedagógicas que contemplem a diversidade de público e fomentem a construção e execução de um Projeto Pedagógico colaborativo, com o intuito de fortalecer a mediação cultural e social através da dialogicidade, bem como dos objetos-sígnos que compõem suas exposições.

 

Mediações

O termo mediação, no universo museal, define o conjunto de práticas que são realizadas, geralmente pela área pedagógica, para promover ações educativas a partir das coleções expostas. Uma visita mediada propõe metodologias nas quais o público possa contribuir com suas próprias experiências e referências sócio-culturais na “leitura” das obras e dos conjuntos que formam as mostras.

Classificando as visitas pelo tempo de duração, o Núcleo Educativo do MCC promove as seguintes mediações:

 Mediação simples: mediação rápida, mais orientadora, destinada ao público não agendado e espontâneo. Duração de até 15 a 20 min. O visitante deve solicitar aos educadores do museu esta mediação.

 Mediação ampliada: mediação problematizadora, formadora, que instiga o visitante a refletir de forma crítica sobre a exposição. Duração de até 01h30min. Direcionada principalmente a grupos previamente agendados, pois precisa de planejamento.

 Mediação com oficina: mediação mais prolongada, pois além de ter como ponto central a reflexão, nesta visita atividades de arte-educação são vivenciadas. Por exemplo: teatro de fantoche, desenho, contação de história, roda de conversa e oficinas de acordo com a exposição em cartaz. Duração de até 2hs. Deve ser agendada com mínimo de 15 dias de antecedência para preparação.


AGENDAMENTOS

Escolas, universidades, ONG’s, companhias de turismo e demais grupos devem agendar previamente a visita aos museus. O agendamento pode ser feito de segunda a sexta, das 9h às 17 h.
  Contato: (85) 3488-8621 E-mail: agendamentomuseus@gmail.com. 

 

 

 

 

 

NÚCLEO DE PESQUISA, CULTURA E MEMÓRIA - NPCM

O Núcleo de Pesquisa, Cultura e Memória objetiva a realização de pesquisas a partir da observação, análise e interpretação do patrimônio cultural do Estado do Ceará. Visa fortalecer a produção de conhecimento no âmbito do museu. A pesquisa garante vitalidade ao MCC, agrega sentido ao acervo, cria base de informação para os usuários, formula conceitos e proposições para as exposições, estimula a reflexão e produção de interpretações do mundo e da sociedade.

Atua ainda na documentação, aquisição de acervos, processamento técnico de documentos (fontes escritas, orais, iconográficas e áudios-visuais) e publicação, por meio do projeto editorial da Coleção Museu da Cultura Cearense – Série Cotidiano e Trabalho/ Série Memória e Oralidade. O NPCM atua em parceria com os demais núcleos do MCC, compreendendo a indissociabilidade entre pesquisa e educação.

 

 

PROJETO COMIDA CEARÁ

Foto: Maurício Albano

O Projeto Comida Ceará, uma das principais pesquisas desenvolvidas atualmente, consiste em um trabalho continuado de pesquisa etnográfica das práticas alimentares das diversas regiões do Ceará. Realiza uma leitura complexa e dinâmica dos sistemas alimentares cearenses, sua diversidade e tradição inventiva. O Projeto tem como eixo estimular a interpretação dos significados possíveis que a alimentação assume na vida local e documentar acervos, valorizando e divulgando esse patrimônio, através de ações como exposições e publicações.


Desde 2008, a pesquisa de campo, realizada em 100 localidades de 63 municípios do Estado, gerou um amplo acervo de 48 mil fotografias, 1.524 objetos e 330h de registros orais em 698 entrevistas que revela o universo plural da comida cearense e das intensas trocas e sentidos que a entremeiam. A partir desses materiais diversos produtos e ações serão realizados, com destaque para uma exposição de longa duração. Tais ações objetivam a publicidade dos conhecimentos e acervos adquiridos, incentivando a reflexão sobre os sistemas alimentares cearenses e sua relação com diversos setores, entre os quais, educativo, econômico, turístico e cultural.

 

Foto: Maurício Albano

 


Foto: Maurício Albano

 


Foto: Maurício Albano

 

 

Diálogo Cultural

Seguindo uma diretriz do MCC, a de tornar o museu um espaço de aprendizagem, reflexão e debate, foi criado o projeto Diálogo Cultural, no qual é estimulada a discussão de temas diversos, relacionados às questões da cultura e suas relações com o espaço do museu. Trata-se de um encontro descontraído e dinâmico, aberto para o público em geral, em que convidados e pessoas da equipe do MCC conversam com os presentes sobre um tema específico. Esta ação é fruto do trabalho conjunto dos diversos Núcleos do MCC, sendo o planejamento e execução compartilhados pelos NPCM e NAE.

 

 

 

 

 

NÚCLEO DE MEDIAÇÃO SOCIOCULTURAL

O Núcleo de Mediação Sociocultural tem a proposta de ser o elo fundamental de aproximação do MCC com a sociedade, atuando de forma participativa para promover a inclusão das populações distanciadas do acesso aos museus a partir das seguintes ações:

 

PROJETO ACESSO


Foto: Éden Barbosa

 

O Projeto Acesso do Museu da Cultura Cearense, do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, iniciou suas atividades no ano de 2006, em parceria com representantes de instituições locais, com a proposta de fortalecer processos identitários e vínculos culturais das pessoas com deficiência, e colaborar na construção de espaços inclusivos no âmbito museológico e cultural. As ações do Projeto Acesso são centradas na pesquisa, educação, mediação sociocultural e comunicação.

No campo da pesquisa, o propósito é desenvolver estudos continuados com enfoque na promoção da acessibilidade aos museus e espaços culturais e identificar necessidades, expectativas, percepções, experiências e criatividades a partir de uma escuta ativa e atenta à riqueza de contribuições que o público alvo do projeto pode trazer aos museus, uma ação iniciada com a realização do estudo do público visitante com deficiência visual da exposição “Na ponta dos Dedos”, em 2009, em parceria com o Observatório de Museus e Centros Culturais.

No âmbito da educação e mediação sociocultural, o objetivo é criar ambientes educativos com atenção às necessidades do público alvo, mediante o planejamento de mediações para as exposições do Museu da Cultura Cearense; a criação de distintos recursos expositivos, novas tecnologias, linguagens e instrumentos de acessibilidade; a formação do público-alvo e dos educadores dos museus, com destaque para o programa "Museus em suas mãos", o qual tem o propósito de promover atividades antes, durante e depois da visita ao museu para alunos (as) de escolas e instituições que atendem pessoas com deficiência, atividades estas construídas em conjunto com professores (as), além de cursos, oficinas, projetos e atividades variadas relacionadas ao âmbito museológico.

Na área de comunicação, realiza-se a socialização das experiências do projeto no âmbito acadêmico, museológico e cultural, contribuindo para o compartilhamento de pesquisas realizadas, ideias e conhecimentos sobre acessibilidade aos museus.

 

 

Programação do Projeto Acesso

 

OFICINA DE AUDIODESCRIÇÃO EM MUSEUS

No mês de julho de 2017, a equipe do Projeto Acesso ministrará oficina, na Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira - UNILAB, sobre Audiodescrição. A utilização da audiodescrição como recurso é indispensável para que as pessoas com deficiência visual possam ter mais autonomia e acesso às obras de arte. Será realizada uma oficina com duração de três horas, com apresentação dos trabalhos realizados pelo MCC e pelo MAC para fomentar o uso da técnica nos espaços museais e conscientizar as pessoas da importância desta ferramenta.
Público: 100 pessoas inscritas

 

GRUPO DE ESTUDOS ACESSIBILIDADE A MUSEUS

Em julho de 2017, começam oficialmente as atividades do Grupo de Estudo Acessibilidade a Museus, formado por profissionais integrantes do Projeto Acesso (MCC e MAC), ação do Núcleo de Mediação Sociocultural do Museu da Cultura Cearense. O projeto tem como objetivo desenvolver estudos e pesquisas no campo da Acessibilidade aos museus para favorecer a inclusão de pessoas com diversidade de acesso nestes espaços; aprimorar a formação de equipe do Projeto Acesso para atuação no setor de acessibilidade aos museus; promover a socialização de conhecimento por intermédio da participação de pesquisadores convidados que atuam neste campo especifico ou em áreas afins; contribuir para o fomento de estudos e pesquisas inclusivas nos museus; identificar pesquisas, estudos e ações desenvolvidas em museus, órgãos, entidades e instituições de ensino públicas e privadas. As atividades acontecem quinzenalmente no Museu da Cultura Cearense.
Contatos: (85) 3488.8621 ou projetoacesso@gmail.com

 

 

Programa “O Museu em suas Mãos”

Professores (as) de escolas e instituições que atendem pessoas com deficiência são convidados (as) a participar da construção de ações educativas para as exposições temporárias. Cada professor (a) realiza atividades nas escolas, preparando os alunos (as) para a visita à exposição e estimulando a produção de materiais para serem expostos no Museu. Assim o grupo formado por professore (as) e alunos (as), durante a visita à exposição, tem a oportunidade de vivenciar uma autêntica experiência museológica, apreciar a própria criação e perceber a capacidade do museu para favorecer o protagonismo, o auto-reconhecimento e o reconhecimento do outro (a). 

 

 

Formação de educadores de museus


Foto: Éden Barbosa

 

São oferecidos cursos, palestras, seminários e oficinas periodicamente (curso de LIBRAS, Áudio-descrição, Orientação e Mobilidade, entre outros) aos educadores dos museus do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura e ao público.

 

 


Exposições Acessíveis


Foto: Marina Cavalcante

As exposições temporárias apresentam textos e legendas em Braille, tinta e LIBRAS; maquetes táteis, obras e objetos táteis, áudio-descrição de vídeos e de exposição, cadeira de rodas, rampas, e educadores para acompanhamento do público.

 

 


VAQUEIROS


Foto: Marina Cavalcante

O Projeto Acesso do Museu da Cultura Cearense disponibiliza um conjunto de recursos acessíveis tais quais: réplicas de alguns objetos da exposição; imagens táteis; mediações acessíveis; textos didáticos disponíveis para pessoas com baixa visão, em Braille e em voz sintetizada; vídeo em Libras; audiodescrição; educadores capacitados para receber e orientar o público.

 

 

 

Projeto museu e cidadania cultural

 

Exposição "Mucuripe no Mar das Memórias"       


Foto: Marina Cavalcante

                  
Curso de capacitação para jovens lideranças das comunidades localizadas nas proximidades do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, com o objetivo de promover a inclusão dos coletivos distanciados do acesso aos bens culturais. A partir de visitas a museus e espaços culturais, práticas de pesquisa sobre o patrimônio da comunidade e produção de exposições na comunidade onde vivem, os alunos e alunas compreendem o patrimônio cultural e natural como um resultado de práticas sociais e culturais de múltiplos e diferentes agentes socioculturais, além de incorporar sentimentos de pertencimento e reconhecimento do outro (a), adquirir novos conhecimentos e experiências e participar do mercado de trabalho museológico. Até o momento foram realizados três cursos para 80 jovens moradores das comunidades do Poço da Draga, Arraial Moura Brasil e Mucuripe.

 

 

 

 

 

 

Projeto Museu Vai à Escola


Foto: Éden Barbosa

 


O Projeto Museu Vai à Escola iniciado em 2010, tem o intuito de aproximar do MCC as escolas do entorno do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. Primeiro, o Núcleo Educativo visita as instituições escolares, levando a peça “Um Dragão Chamado Chico”, de autoria da artista e ex – educadora do MCC, Josélia Pereira, para as crianças entre os 4 e 10 anos. Para as demais faixas etárias o encontro se efetiva por meio de um diálogo sobre as exposições do MCC e também mediante minicursos e oficinas sobre o patrimônio cultural por este representado. Posteriormente, as escolas visitadas são convidadas a conhecer o Museu da Cultura Cearense – MCC.

 

Formação de professores
As ações museológicas devem ser pensadas de forma integradas e compartilhadas entre escola e museu, tendo em vista o antes, o durante e depois da visita.  Assim sendo, a “Ação Reflexão” torna-se mais rica de significados, tanto para o MCC, quanto para a Escola.


Considerando a diversidade do público visitante o MCC pensou em diferentes tipos de mediações. Contudo, o nosso foco central é o público escolar, para o qual o Núcleo Educativo ampliará suas ações didático-pedagógicas, por meio do Projeto de Formação de Professores para visita ao museu.


O foco do projeto serão, inicialmente, os professores das escolas com visita agendada para o MCC. Os mesmo serão convidados a conhecer e discutir previamente as exposições e a proposta de mediação para sua turma, fortalecendo, deste modo, a relação museu-escola.

 

 

 

 

 

NÚCLEO DE DOCUMENTAÇÃO E CONSERVAÇÃO



O Núcleo de Documentação e Acervo possui um Banco de Dados sobre as coleções do MCC, sistematizado a partir do programa Donato, cedido pelo Museu Nacional de Belas Artes. Criado a partir de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Governo Federal e Governo do Estado do Ceará, a ação é um instrumento importante para a preservação e o desenvolvimento de práticas museológicas dirigidas às atuais e futuras gerações, possibilitando o acesso participativo a um acervo referencial do patrimônio material e imaterial do povo cearense, com suas práticas, expressões, conhecimentos, técnicas, objetos, artefatos e lugares, comunidades, grupos, e indivíduos.


O MCC opera com dois tipos de acervos: o INSTITUCIONAL (acervo objetual, iconográfico, oral, etc.) e OPERACIONAL (estruturas, monumentos, equipamentos, etc.) e utiliza técnicas conservacionistas para salvaguardar o acervo e o espaço físico do MCC de modo a garantir a preservação de 5.630 objetos, 1.150 fotografias em papel, 48.000 imagens digitais, 330h de acervo oral, 5.000 cromos, 1.150 fotografias em papel, 10.000 folhetos de cordel.

 

 

 

CONTATOS

- Núcleo de Ação Educativa
Horário de funcionamento: segunda a sexta-feira de 9h as 12h e 14h às 17h30
Contato: (85) 3488.8621
E-mail: educativomcc@dragaodomar.org.br 

- Projeto de Mediação Sociocultural
Horário de funcionamento: segunda a sexta-feira de 9h as 12h e 14h às 17h30
Contato: (85) 3488.8621/3488.8611
E-mail: mediacaoculturalmcc@dragaodomar.org.br 

- Núcleo de Pesquisa, Cultura e Memória.
Horário de funcionamento: segunda a sexta-feira de 14h às 17h30
Contato: (85) 3488.8621/3488.1945 

- Núcleo de Documentação e Conservação
Horário de funcionamento: segunda a sexta-feira de 9h as 12h e 14h às 17h30
Contato: (85) 3488.8621

 HORÁRIO DE VISITAÇÃO

Visitação de terça a sexta, das 9h às 19h; e aos sábados, domingos e feriados das 14h às 21h. Gratuito.
O Museu está localizado no piso térreo, na entrada principal (Avenida Presidente Castelo Branco) do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (Rua Dragão do Mar, 81 – Praia de Iracema). Outras informações: (85) 3488.8621/3488.8611 ou mcc@dragãodomar.org.br

 

Catalogação do Acervo do Museu é patrocinada pelo BNDES/Governo Federal.

CENTRO DRAGÃO DO MAR DE ARTE E CULTURA

Rua Dragão do Mar 81, Praia de Iracema - CEP: 60060-390 - Fortaleza/CE - CNPJ: 02.455.125/0001-31
Informações gerais: 55 (85) 3488 8600 / 55 (85) 3488 8608