Atenção:  É obrigatória a apresentação de documento que comprove o parentesco do responsável com a criança menor de 10 (dez) anos de idade no ato de compra do ingresso de qualquer evento/espetáculo do Centro Dragão do Mar. Esta é uma determinação da Justiça do Estado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

LITERATURA

 

 

 

 

 


Recital e Feira Cordel com a Corda Toda

Tão característica da cultura nordestina, a literatura de cordel tem vez e lugar no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. Todo mês, tem Recital e Feira Cordel com a Corda Toda, realizado em parceria com a AESTROFE – Associação de Escritores, Trovadores e Folheteiros do Estado do Ceará, instituição que congrega boa parte dos poetas populares do nosso estado. A Feira ocorre sempre paralelamente ao recital com os principais expoentes da Literatura de Cordel na atualidade, das 17h às 21h. Os artistas declamarão versos autorais e de vários outros poetas populares.
Dia 8 de março, às 17h, no Espaço Rogaciano Leite Filho. Acesso gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FEIRA

 

Fuxico no Dragão
Música, performances e uma feirinha com vinte jovens expositores em design, moda, produtos terapêuticos e gastronômicos agitam as tardes de domingo do Centro Dragão do Mar. O programa perfeito para jogar longe o marasmo dominical.
Dias 1, 8, 15, 22 e 29 de março, das 16h às 20h, na Arena Dragão do Mar. Acesso gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CIRCUITO DE MÚSICA ERUDITA

 

 

Sax in Cena
Fundado em julho de 2006, o Sax in Cena é o primeiro quarteto de saxofone profissional do Estado do Ceará. Com repertório variado, entre clássicos da música erudita e popular, passando por gêneros como choro, frevo, jazz, xote, entre outros, o grupo trabalha com a proposta de formação de plateias, procurando despertar nas mais diferentes faixas etárias o interesse pela música.
Dia 8 de março, às 18h, no Auditório. Ingressos: R$ 4 e R$ 2 (meia)

 

 

 

Quarteto Cearense
O Quarteto Cearense é um dos grupos solos da Orquestra de Câmara Eleazar de Carvalho e apresenta, todo mês, repertório que vai do barroco ao contemporâneo.
Dia 22 de março, às 18h, no Auditório. Ingressos R$ 4 e R$ 2 (meia).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MÚSICA

 

 

 

Intercâmbio Musical (CE/SP) – Segunda Edição
Shows de Saulo Duarte e A Unidade e Gustavo Portela

 

A segunda edição do projeto Intercâmbio Musical chega ao Dragão do Mar com shows de Saulo Duarte e A Unidade e Gustavo Portela, neste domingo (1º), às 18h, no Anfiteatro. O projeto promove a interação de diferentes artistas cearenses que, hoje, se encontram em momentos distintos de suas carreiras.

O intuito é trazer para o Ceará aqueles que já estão radicados em outras regiões e fazer com que eles troquem experiências com os que ainda residem em Fortaleza e em outros municípios. Além das questões das apresentações musicais, o "Intercâmbio Musical" também oferta oficinas e debates entre os participantes, o que promove, ainda mais, a troca de informações entre artistas cearenses de destaque nacional e o público que os acompanha.

 

A primeira edição do "Intercâmbio Musical (CE/SP)" foi aprovada no VIII Edital de Incentivo às Artes, da SECULT/CE. O projeto foi realizado no mês de maio de 2013 e contou com a participação das bandas Fóssil, Daniel Groove & O Sonso, Transcenda e Artur Araújo. Ao todo, 500 pessoas tiveram acesso gratuito a quatro dias de programação que contaram com shows, cursos, oficinas e palestras, através de uma parceria com a Escola de Música de Sobral e com a Prefeitura do Município.

 

A segunda edição do projeto foi aprovada no VI Edital Mecenas do Ceará e conta com patrocínio da Coca-Cola e com apoio do Governo do Estado do Ceará. As ações acontecerão no período compreendido entre o fim de fevereiro e o início de março. Quatro cidades receberão as atividades do "Intercâmbio Musical": Juazeiro do Norte, Crato, Sobral e Fortaleza. Os artistas confirmados são Saulo Duarte e a Unidade e Gustavo Portela. A parte de formação ficará a cargo do técnico em sonorização Julio Cesar Santana, que apresentará a oficina "Fundamentos do Áudio"; e da arquiteta e fotógrafa Constance Pinheiro com o workshop de "Fotografia de Shows e Espetáculos".

 

Saulo Duarte é paraense e morou muito tempo em Fortaleza -onde conheceu os músicos da banda que o acompanha -antes de se mudar para São Paulo, onde gravou seu primeiro disco "Saulo Duarte e A Unidade", que teve produção de Carlos Eduardo Miranda. O grupo aproveitará a passagem pelo Ceará para fazer os shows de lançamento de seu álbum mais recente, dentro da programação do "Intercâmbio Musical". "Quente" - o segundo disco de Saulo – esteve presente em várias listas de "Melhores do Ano", com destaque para Deezer, Rolling Stone e RockinPress.

 

Após oito anos tocando em bandas como Et Circensis (com quem gravou o álbum "Homônimo", produzido por Fernando Catatau e Régis Damasceno) e Encarne, Gustavo Portela partiu para carreira solo. Seu primeiro trabalho foi "Movimento", disco contemplado no "I Edital para Pessoas com Deficiência Física". Em "Le Son Sur Scène" -seu segundo disco -Gustavo inova e aposta em uma perfeita junção de música e teatro. As músicas não só são tocadas, mas também encenadas de acordo com um roteiro que define a sequência de faixas do disco.

 

Com cenários e figurinos criados especialmente para o espetáculo, "Le Son Sur Scène" foi um dos projetos que mais circularam pelo interior do Ceará em 2014.

 

Dia 1º de março, às 18h, no Anfiteatro. Ingressos: 1 lata de leite em pó (troca na bilheteria do Planetário a partir do dia 24/02).

 

 

 

 

 

 

The Beatles Abbey Road, Luisinho e Banda e Rubber Soul

 

Se você não teve a oportunidade de ver os FabFour no início da carreira, tocando pelos inferninhos de Liverpool e Hamburgo, ou não esteve no auditório de algum Ed Sullivan Show, no auge da Beatlemania, a sua chance de fazer uma viagem aos anos 1960 e ter uma ideia de como era estar cara a cara com os reis do iê – iê – iê é assistindo à performance do grupo BEATLES ABBEY ROAD.

 

Eles se apresentam dia 7 de março, na Praça Verde do Dragão. O show começa às 21h com as apresentações de abertura do Luisinho e Banda e banda cover cearense dos Beatles, a Rubber Soul. Ingressos à venda na bilheteria do Dragão.

 

Mais uma banda de Beatles Cover? Até pode ser, afinal elas existem aos montes por aí e algumas são realmente muito boas. Mas assistindo a uma apresentação do ABBEY ROAD você vai entender como e porque o grupo consegue se destacar, recriando a atmosfera da época com seus terninhos de tecido inglês, suas botinhas confeccionadas por Mr. Green - o mesmo artesão que fabricava para os Beatles - anéis, pulseiras, relógios, instrumentos raros e, principalmente, competência musical. Destacam-se também pelo fiel comportamento no palco. Trejeitos, tiques e manias dos garotos de Liverpool completam o quadro.

 

BEATLES ABBEY ROAD é um espetáculo cênico musical que descreve com fidelidade toda trajetória da maior banda de todos os tempos, THE BEATLES. Não foi por acaso que a cidade natal dos rapazes ingleses se rendeu ao talento dos rapazes de São Paulo. O sonho pode ter acabado, mas a Beatlemania não tem fim. Mais de 2 milhões de pessoas em todo Brasil e no exterior já assistiram e constataram porque o ABBEY ROAD foi considerado na Inglaterra, por três anos consecutivos, como a melhor banda Beatles do mundo. Completando 20 anos de estrada, ABBEY ROAD se tornou a banda "Beatles Official Brazil". Conhecendo este trabalho, afirmou George Martin, o famoso produtor dos 4 cabeludos, "não é cover, é Beatles! Em algum lugar do presente, você ainda pode curtir o passado".

 

 

Como tudo começou

O que começou em 1981, com um simples encontro de beatlemaníacos e a apresentação de apenas cinco bandas na cidade natal dos reis do iê-iê-iê, Liverpool, virou um mega-festival de grupos cover de John, Paul, George e Ringo: a International Beatles Week (maior festival Beatle do mundo).

 

Se engana quem acha que é um concurso. O evento não passa de uma desculpa para que milhares de fãs dos rapazes ingleses espalhados pelo mundo se encontrem e revivam a magia dos anos 1960, quando os Beatles ainda tocavam pelos pubs da cidade. E foi nesse cenário que o ABBEY ROAD viveu, sem dúvida, o melhor momento da carreira.

 

Especialmente convidados pela organização da Beatle Week, a banda ABBEY ROAD fez um roteiro bem diferente dos outros 400 grupos inscritos. Assim que o avião pousou em solo inglês, os paulistanos foram levados direto para Londres com uma missão: abrir oficialmente o festival internacional com uma apresentação fechada para a imprensa dentro dos estúdios EMI-Abbey Road, onde os próprios Beatles gravaram vários discos. Aliás, o ABBEY ROAD também acabou gravando por lá, o show de abertura virou um CD ao vivo, cortesia da casa. Pra quem pode, claro.

 

Depois, foi só cumprir a agenda oficial: Adelphi Hotel, sede da convenção; Quarry Bank, ex-colégio de John Lennon onde surgiu o embrião dos Beatles; Chevasse Park, praça onde está oYellow Submarine; o classudo Royal Court Theater, maior teatro de Liverpool e, é claro, o lendário Cavern Club, onde os Fab Four subiram ao palco mais de 200 vezes.

 

A mini-turnê inglesa dos rapazes de São Paulo terminou como começou, em grande estilo: mais de 100 mil pessoas pararam o trânsito na Victoria Street para assistir ao último show do ABBEY ROAD. Ao todo, foram 11 apresentações na Inglaterra. E não é exagero algum dizer aqui que os brasileiros conquistaram, além do respeito das outras bandas que participaram da festa, o carinho do povo de Liverpool e muitos fãs de todos os cantos do mundo. O que mais poderia acontecer? Um city tour pelos pontos mais frequentados pelos Beatles. Detalhe: o passeio foi a bordo do ônibus original usado em Magical Mystery Tour, guiado pelo mesmo motorista que participou do filme.

 

 

Dia 7 de março, às 21h, na Praça Verde.
Ingressos: Pista (1º lote) R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia) // Front Stage (1º lote) R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia). Vendas: bilheteria do Dragão do Mar (funcionamento de terça a domingo, das 14h às 20h); Casas dos Relojoeiros do Shopping Benfica, North Shopping, Iguatemi e da Rua Pedro Pereira Facundo (Centro).

 

 

 

 

 

 

 

Johnny Hooker
Show "Eu vou fazer uma macumba pra te amarrar, maldito!
"


Johnny Hooker traz o seu amor de volta (ou tira ele para sempre da sua vida) em apenas 11 canções contidas no aguardado álbum de estreia "Eu vou fazer uma macumba pra te amarrar, maldito!". É da fossa à superação, do ódio ao amor (e vice-versa), do samba, carimbó e rock ao frevo, que revela um misto de referências brasileiras, que faz com que Johnny Hooker seja mencionado pelos críticos de arte como um dos artistas mais inovadores da atual geração brasileira. Ele é Bowie, mas também é Caetano Veloso. É Madonna, mas também é Gal Costa, e talvez até um pouco de Alcione.


"Macumba", em sua primeira canção que dá o nome ao disco, já anuncia nas primeiras frases a relação de dualidade das paixões arrebatadoras inerentes a todo ser humano. O samba, com distorções, que rege a modernidade com fúria ao clamar pelos orixás para a amarração do maldito amor.


"Volta e Alma Sebosa", segunda e terceira canções do disco, respectivamente, seguem pelo caminho do brega noir. Aquele que fala das esquinas e reflete as ruas do bairro do Recife. Fala dos lamentos nos bares da rua da Aurora e sobre o amor (não correspondido) e, por fim, se consagra como bom pernambucano ao chamá-lo de Alma Sebosa! As duas músicas ganharam destaque nacional ao despontarem na trilha sonora das telas do cinema e da televisão. "Volta" fez parte do premiado longa "Tatuagem", do diretor Hilton Lacerda, e contou com a participação no videoclipe do ator Irandhir Santos. Já "Alma Sebosa", ganhou um clipe dirigido por Giovanna Machline e participação especial de Zélia Duncan, Chandelly Braz, Jesuíta Barbosa,Luis Miranda e Julia Konrad, além de um dos maiores nomes do cinema nacional, Luiz Carlos Vasconcelos.


"Chega de Lágrimas" - O SKA toma uma nova forma na versão da Johnny Hooker. Se, em alguns momentos, o estilo lembra cenas de surf e reggae, na performática voz do cantor ele ganha um contexto intenso e se funde com referências espanholas. Solos de guitarra com fuzz e gritos de "Eu vou meter", transformam a música num final apoteótico, triunfante e de forte conotação sexual, não muito habitual nas música do estilo.


Conhecida dos fãs, "Amor Marginal" ganha uma roupagem diferente do blues de quando foi gravado a sua primeira versão com a participação de Rafael Mascarenhas, filho da atriz Cissa Guimarães, após o grupo vencer o reality show "Geleia do Rock", produzido e exibido pela Multishow. Versão essa que faz parte da trilha sonora da novela "Babilônia", da Rede Globo, e é tema da personagem da atriz Camila Pitanga.

 

"Segunda Chance" - Dos amores que voltam a clamar pelos deuses e imploram pra que levem sua dor para bem longe. "Segunda chance" possui o ritmo do samba e uma atmosfera portishead. É a cadência levada a cada nota num ritmo que carrega o peso de alguém que implora por uma oportunidade de mudar o passado e que cresce a cada minuto orquestrada e explorada pelos instrumentos até o final.

 

O interlúdio é aquele momento de divisão. Aquele que separa o boyzinho entre as pontes que cortam o acidente geográfico chamado Recife. É do Paço Alfândega até as ruas engarrafadas da Conde da Boa Vista que ele caminha diariamente com a esperança que cresceu em sua cabeça de um dia ser feliz com todas suas escolhas. É o momento que divide Macumba. Que caminha para sua reta final com a esperança quase divina de ter um bom fim.


"Boato" é o que dizem por ai, e em alguns casos difama. Boato é o axé em sua melhor forma e o carimbó
unidos pelo suingue. O desejo de dançar se transforma na música mais "pra frente" do álbum, onde Hooker afronta e assume a personalidade do sofrimento de uma jovem lésbica condenada pela sociedade carregados sobre ritmadas garrafas de cerveja e cigarros. Boato é o suor do carnaval e todo profanidade de ser chamada de Satanás!

 

"Você ainda pensa?" é uma das últimas músicas compostas para o álbum e o início para a finalização da saga do amor de carnaval de Johnny Hooker, que começa no sábado e termina na quarta-feira de cinzas, mas não sem antes entrar num frevo rasgado pernambucano e cheio de referências das ladeiras de Olinda até desandar e entregar seu corpo num "Desbunde Geral".

 

Dia 29, às 19h, no Anfiteatro. Ingressos: R$ 60 e R$ 30 (meia).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TEATRO

 

 

 

 

O Aniversário do Palhaço [teatro infantil]
Grupo Vemart - Texto: Waldemar Sillas – Direção: Cláudia Valéria

 

Com uma linguagem simples e de fácil assimilação para a criançada, o espetáculo conta a história do palhaço Pirulito, uma figura tão distraída que não se lembra nem de seu próprio aniversário. A diversão acontece ao lado de seus amigos Ventarola e Chico Espoleta, que resolvem fazer uma festa surpresa
para o aniversário do amigo. Depois de tudo preparado, lembram que para a festa ser completa tem que ter bolo, mas, no circo, a única pessoa que sabe fazer isso é o próprio aniversariante.

 

Começa então uma grande confusão, pois Ventarola e Chico Espoleta vão convencer o aniversariante a fazer o seu próprio bolo. A plateia participa ativamente, inclusive dando sugestões para a receita.

 

Um espetáculo para prender a atenção da criançada, provocando gargalhadas e reações espontâneas com esta animadíssima história de faz de conta. Aborda temas como a importância da amizade, o trabalho em equipe, respeito mútuo, justiça, diálogo e solidariedade.

 

Dia 1, às 17h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 40 e R$ 20 (meia). Classificação livre

 

 

 

 

 

 

 

 

Espetáculo O Bichinho da Maçã [teatro infantil]
Grupo Vemart - Direção: Cláudia Valéria

 

“O Bichinho de Maçã” é mais uma fantástica história de Ziraldo, que vem encantando crianças, adolescentes e adultos há décadas. O livro foi publicado em 1982 e foram muitas edições nesses 33 anos de encantamento, e hoje é mais um clássico dentro das centenas de obras do autor.

 

O espetáculo conta a linda e divertida história do simpático Bichinho que nasceu e cresceu dentro de uma maçã e adorava contar anedotas para todos os animais, dando mais alegria à floresta. O bichinho adorava inventar as mais incríveis histórias do mundo e, mesmo morando numa maçã, ele era muito feliz, porque também fazia quem estava ao seu redor feliz.

 

Dias 7, 8, 14, 15, 21 e 22, às 17h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 40 e R$ 20 (meia). Classificação livre.

 

 

 

 

 

 

 

 

Ilusionista Andrew - Você acredita no impossível? [show de mágica]

 

Você Acredita no Impossível? Esse é o tema do espetáculo de ilusionismo que já está em cartaz em Fortaleza há 3 anos seguidos. O ilusionista Andrew traz um show único e inovador, com mágicas pouco vistas pelo público, carregadas de muito humor e muita interação.

 

Dias 6 e 7, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 30 e R$ 15 (meia). Classificação: 10 anos.

 

 

 

 

 

 

Espetáculo "Vagabundos"

 

A proposta de VAGABUNDOS nasce dentro uma disciplina do curso de Licenciatura em Teatro da Universidade Federal do Ceará em 2013 e ganha vida para além dos muros institucionais, abrindo espaço a atores advindos de outras instâncias e grupos, formando um elenco composto de 24 pessoas e mais de 24.000 narrações.

 

Movidos pelos desesperos que nos rondam os quais insistimos em considerar fracos, pela juventude que pulsa em nossos sonhos e pela força dos gigantes da mitologia que são os inimigos dos deuses supremos, decidimos ensaiar estas cenas que tecem uma dramaturgia composta pelos elementos de um presente-passado-futuro desinteressados na ordem crescente dos números.

 

Aqui, certamente não seremos nós dois, mas só um mesmo, não daremos conta de ser o discurso do mundo, nem mesmo a exibição violenta dos  seus gestos, pode ser que nessa busca de manifestação política, artística e viril, encontremos gritos de um incêndio que não estará satisfeito em queimar registros de nascimento, apagar nossos nomes. Talvez, se nos for dado a sorte  do bom discurso, consigamos, depois de tudo, dizer para um o homem  que ELE NUNCA conseguirá amar se não existir outro homem.   

 

Hoje, enlouquecidos com um amontoado de coisas, fedidos como viajantes pobres, desejamos uma pausa para encher o pulmão de ar , ou uma observação com o pensamento , ou um ir embora rapidamente.


 

SINOPSE:

Uma coleção de histórias transformada numa coleção de gestos, misturada a uma lista de músicas composta por um coletivo de bombas, exposto numa rua sem começo e sem fim. Uma multidão de amores que vai e volta num espiral, muitos gritos, muitos sustos, muitos saltos, muitos mundos.

 

 

FICHA TÉCNICA:
Direção: Andréia Pires

 

| Elenco: Acauã Pessoa, Amanda Freires, Felipe Bira, Gabriela Santos, Gabriella Ribeiro, Gabriela Jardim, Gabriel Mota, Geane Albuquerque, Getúlio Cavalcante, Gil Rodriguêz, Israel Diogo, Karen Cristini, Karla Fonseca, Leonardo William, Leuise Furtado, Löe, Lucas Duarte, Marcos Paulo, Michell Barros, Michelle Gandolphi, Nataly Barbosa, Pedro Matheus, Rodrigo Ferrera, Sérgio Cavalcanti. | Textos: Grupo | Orientação de figurinos: Rodrigo Ferrera | Trilha: Andréia Pires | Iluminação: Paulo Victor Aires | Registro audiovisual e técnica: Victor Costa Lopes | Projeto gráfico: Getúlio Cavalcante | Produção: Andréia Pires, Getúlio Cavalcanti, Eli Sousa, Michell Barros, | Técnica: Pedro Henrique

 

 

Dias 21 e 22, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. Acesso gratuito. Duração: 60 minutos. Classificação Livre.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DANÇA

 

Espetáculo Jardim do Oriente
Studio de Dança Aisha Fahd

 

Com o tema “Jardim do Oriente”, o Festival deste ano do Studio de Dança Aisha Fahd vai representar as flores. O espetáculo conta com bailarinas solistas (as borboletas) e coreografias de grupo que recebem nomes de  várias flores, em especial, a Flor de Lótus que, segundo algumas literaturas clássicas das culturas asiáticas, simboliza elegância, beleza, perfeição, pureza e graça, atributos esses associados às qualidades femininas. É justamente no Dia da Mulher, 8 de março, que será realizada essa linda homenagem às mulheres no Teatro Dragão do Mar. O festival terá a participação especial da bailarina paulista Aysha Almeé.

 

Dia 8, às 19h30, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 40 e R$ 20 (meia).  Classificação livre.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SEMINÁRIOS, DEBATES

 

 

 

 

Ciclo de conversas "Golpe de Vista" [fotografia]

 

O tema do Golpe De Vista deste mês é "Fotografia de Bolso". Fotografia com dispositivos portáteis e suas manipulações. Celulares, Smartphones, câmeras Gopro e outros dispositivos. Os convidados são Alex Costa, Felipe Camilo e Julio Cesar Santana, o Pepeu.

 

Já a dinâmica "Cartas Abertas" falará sobre manipulação digital em imagens e criação de mídias com o designer do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, o artista visual Samuel Tomé.

 

O Golpe de Vista é um projeto de encontros mensais, em que convidados e o público presente trocam experiências sobre imagem e artes visuais com ênfase na fotografia e seus desdobramentos. A iniciativa objetiva aprimorar os conhecimentos fotográficos de forma coletiva e fomentar fotopasseios mensais e intervenções no formato fotoclubista.

 

A ação é promovida pelo Programa de Educação Tutorial (PET) Pedagogia/UFC e o Laboratório de Pesquisa Digitais e Imagéticas da Faculdade de Educação/UFC, que retomam as atividades do “Golpe de Vista” de 2015, incluindo ações formativas como oficinas e cursos de caráter mensal.

 

O acesso é gratuito e conta com o apoio do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.

 

Dia 4 de março, às 19h, no Auditório. Acesso gratuito.

 

 

 

 

 

Oficina de Fotografia de Bolso

 

O objetivo é mostrar dicas pra compor melhores imagens com dispositivos portáteis como: celulares, iphones, ipads e outros dispositivos. Facilitador: Éden Barbosa.

 

Dia 7 de março, às 14h, no Museu de Arte Contemporânea do Ceará (MAC-CE). Acesso gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Seminário III INTERFACES

 

Em 2015, a terceira edição do Seminário INTERFACES, realizado pelo Mestrado Acadêmico em Políticas Públicas e Sociedade – MAPPS/UECE, traz como proposta fomentar a leitura crítica e o debate acadêmico em torno do livro Sobre O Estado do sociólogo francês Pierre Bourdieu. Traduzido recentemente no Brasil, este livro póstumo será alvo de ampla partilha de apropriações disciplinares, por meio de um ciclo de oito mesas redondas com acadêmicos brasileiros e franceses, os quais se interessem pela questão do Estado e, mais especificamente pela perspectiva sociológica bourdieusiana.

 

O Seminário será realizado em um circuito de lugares, com periodicidade quinzenal, a partir do dia 05 março. Da abertura, no Auditório da Livraria Cultura, o III INTERFACES percorrerá os auditórios do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (dia 18 de março), do Centro de Humanidades da UECE, do Centro Cultural BNB, da Reitoria da UECE, encerrando suas atividades em junho, mais uma vez na Livraria Cultura.

 

Cada um dos encontros previstos debaterá três dentre as 23 sessões que compõem o livro do intelectual francês que foi professor do Collège de France.

 

Assim, o Seminário INTERFACES reafirma sua importância junto à sociedade cearense realizando um evento de interesse público, no qual o poder político e as relações de dominação estatal são abordados de forma criativa, rigorosa, crítica e dialogada.

 

III Seminário INTERFACES: O Estado na Obra de Pierre Bourdieu
Sessão no Auditório do CDMAC: 18 de março – 14h
Inscrições pelo Sistema de Eventos da UECE – período: 20/02 a 01/04.
Livro: Sobre o Estado (autor: Pierre Bourdieu).

 

 

 

 

 

 

 

 

Dia da Arte - "Por que a arte é necessária?"

Realização: Organização Internacional Nova Acrópole

 

Para nos ajudar a entender "Por que a arte é necessária?", a Organização Internacional Nova Acrópole promove em março, o Dia da Arte. A data comemorada anualmente pela Nova Acrópole em todas as suas sedes pelo país irá celebrar e relembrar os valores da arte clássica. Em Fortaleza, o evento acontecerá no sábado, dia 28 de março, das 14h às 21h, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.

 

De acordo com a diretora da Nova Acrópole Fortaleza, Kelly Aguiar, a arte sempre teve uma função pedagógica de fazer o homem se relacionar com a beleza. "Ao ver algo belo, o ser humano se inspira e se organiza internamente. Os pintores renascentistas por exemplo, tinham toda uma preocupação em imprimir em suas obras, a busca pela beleza e gerar no expectador uma experiência de contemplação mais profunda", explica.

 

A programação gratuita contará exposições, vídeo comentado, audição musical, palestra e uma noite de apresentações artísticas. Todas as atividades são gratuitas e abertas à comunidade. Para fazer inscrição, basta acessar o site www.acropole.org.br. As vagas são limitadas.

 

 

 

Programação Dia da Arte - Dia 28 de março

 

14h - Abertura das Exposições "Mythos", de Alex Oliver e "Silenciosa Beleza", de Juliana Limeira
15h - Filme comentado "Mestre da Vida", com a prof. Kelly Aguiar, diretora da Nova Acrópole Fortaleza
18h - Audição Musical - Apreciação Musical comemorativa aos 330 anos de J.S. Bach, com o prof. Leandro Botelho

20h - Palestra "Por que a Arte é necessária?", com a prof. Lúcia Helena Galvão, vice-diretora da Nova Acrópole Brasil
21h - Apresentação Musical


 

 

Sobre a programação

 

1) Exposição Mythos: 21 a 29/03

A exposição de obras do desenhista e escultor Alex Oliver irá apresentar a sua 'leitura' dos mitos que marcaram o imaginário humano e inspiraram o homem no conhecimento de si mesmo e da natureza.

 

Sobre o artista: Alex Oliver é um artista brasileiro de 42 anos, natural de Fortaleza/CE. Seu trabalho já foi reconhecido internacionalmente apresentando palestra na Gnomon School e também trabalhando como character modeler na Blizzard Entertainment. Alex é desenhista e escultor. Atualmente ministra workshops em diversas cidades brasileiras e também está à frente de estúdio próprio (especializado em esculturas figurativas), em Fortaleza. Seu trabalho como modelador, tanto de escultura tradicional como digital é realmente impressionante. O estudo da anatomia humana, inclusive, é um dos diferenciais do artista.


 

2) Exposição "Silenciosa Beleza" 21 a 29/03

Na mostra entitulada "Silenciosa Beleza" a artista brasiliense Juliana Limeira expõe uma série de recentes obras, entre elas desenhos e pinturas em óleo e pastel seco inspiradas na beleza da Natureza e da figura humana. O desenho e a pintura comunicam sem palavras, sem som, sem movimento. Formas, luzes, sombras, tons e cores conjugadas numa harmonia aprendida com a Natureza geram a imagem que vai tingir os olhos e falar aos sentimentos. Elementos a princípio abstratos e subjetivos como tonalidade, cor, volume, profundidade, ganham poder e significado quando unidos por uma idéia objetiva, a imagem figurativa (seja de natureza ou do ser humano), e assim, passam a ter vida própria, reproduzem com intensidade um momento, um lugar, um instante de beleza.

 

Quando estamos diante da Beleza algo silencia em nós. Uma bela obra de arte tem o poder de nos fazer parar, observar novamente, apreciar a vida e as belezas que constantemente nos rodeiam e constantemente nos convidam a um momento de contemplação, a um momento de silêncio.

 

Sobre a artista: Juliana Limeira nasceu em Brasília em 1978. Aos 13 anos começou a fazer curso de desenho e aos 15 anos ganhou o primeiro lugar em um concurso de desenho com viagem-prêmio para os Estados Unidos.

 

Formou-se em Artes Plásticas pela Universidade de Brasília em 2002. Participou de vários salões e exposições em Brasília e no Brasil, e duas mostras em Nova Iorque, EUA em 2012 e 2013. Em outubro de 2014 ganhou o 1o lugar no Salão de Arte de Catanduva, SP. Tem obras em coleções particulares no Brasil, EUA, França e Inglaterra.

 

Seu trabalho nas artes visuais são desenhos e pinturas a óleo, paisagens naturais e urbanas, figuras humanas e cenas da vida que expressam a beleza. Amante da filosofia, Juliana Limeira procura investigar o sentido e o mistério da vida através das artes, inspirando-se nas artes figurativas e realistas de vários períodos, especialmente o clássico, o renascentista, o neoclássico e o impressionista.

 

Nos últimos cinco anos, Juliana Limeira vem aperfeiçoando o seu trabalho através de cursos nos EUA com os grandes artistas de arte figurativa da atualidade, como Daniel Gerhartz, Jeremy Lipking, Scott Burdick, Quang Ho, Joseph McGurl, Scott Christensen, Frank Serrano, Mary Whyte, David Leffel, Nancy Guzik, Morgan Westling, dentre outros.

 

 

 

3) O Mestre da Vida

O filme conta a história de John Talia (Trevor Morgan), um talentoso e problemático estudante de artes de 18 anos que quer se tornar um grande artista. Ao conhecer Nicoli Seroff (Armin Mueller-Stahl), um genial pintor, ele insiste para que o velho mestre o ensine a pintar. Mas Seroff não só desistiu da arte, mas também da vida e quer ficar em paz.

 

No entanto, Seroff convida John para passar uma temporada em sua casa da Pensilvânia. Juntos, eles dão um ao outro um precioso presente: o estudante aprende a ver o mundo através dos olhos do talentoso mestre e o mestre aprende a ver a vida através dos olhos da inocência novamente.

 

Baseado em fatos reais, "O Mestre da Vida" fala sobre a troca de experiências e seus aprendizados, o amor (seja por seus sonhos ou pelas pessoas) e, de uma forma muito sutil, dos estereótipos que povoam o senso comum. Com uma bela fotografia e diálogos imperdíveis, o filme mostra como a atenção aos detalhes do que nos cerca é mais necessária do que a técnica.

 

 

 

4) J.S. Bach

Johann Sebastian Bach (Eisenach, 31 de março de 1685 — Leipzig, 28 de julho de 1750) foi um compositor, cantor, cravista, maestro, organista, professor, violinista e violista oriundo do Sacro Império Romano-Germânico, atual Alemanha.

 

Nascido numa família de longa tradição musical, cedo mostrou possuir talento e logo tornou-se um músico completo. Estudante incansável, adquiriu um vasto conhecimento da música europeia de sua época e das gerações anteriores. Desempenhou vários cargos em cortes e igrejas alemãs, mas suas funções mais destacadas foram a de Kantor da Igreja de São Tomás e Diretor Musical da cidade de Leipzig, onde desenvolveu a parte final e mais importante de sua carreira.

 

Absorvendo inicialmente o grande repertório de música contrapontística germânica como base de seu estilo, recebeu mais tarde a influência italiana e francesa, através das quais sua obra se enriqueceu e transformou, realizando uma síntese original de uma multiplicidade de tendências. Praticou quase todos os gêneros musicais conhecidos em seu tempo, com a notável exceção da ópera, embora suas cantatas maduras revelem bastante influência desta que foi uma das formas mais populares do período Barroco.

 

Sua habilidade ao órgão e ao cravo foi amplamente reconhecida enquanto viveu e se tornou legendária, sendo considerado o maior virtuose de sua geração e um especialista na construção de órgãos. Também tinha grandes qualidades como maestro, cantor, professor e violinista, mas como compositor seu mérito só recebeu aprovação limitada e nunca foi exatamente popular, ainda que vários críticos que o conheceram o louvassem como grande.

 

A maior parte de sua música caiu no esquecimento após sua morte, mas sua recuperação iniciou no século XIX e desde então seu prestígio não cessou de crescer. Na apreciação contemporânea Bach é tido como o maior nome da música barroca, e muitos o vêem como o maior compositor de todos os tempos, deixando muitas obras que constituem a consumação de seu gênero. Entre suas peças mais conhecidas e importantes estão os Concertos de Brandenburgo, o Cravo Bem-Temperado, as Sonatas e Partitas para violino solo, a Missa em Si Menor, a Tocata e Fuga em Ré Menor, a Paixão segundo São Mateus, a Oferenda Musical, a Arte da Fuga e várias de suas cantatas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PLANETÁRIO RUBENS DE AZEVEDO


Foto: Marina Cavalcante

 

O Planetário Rubens de Azevedo é um espaço de entretenimento e formação pedagógica através de caráter transdisciplinar em Astronomia. Ingressos: R$ 8 e R$ 4 (meia).

Sessões:

O ABC do Sistema Solar
Em uma nave imaginária crianças fazem uma viagem pelo Sistema Solar. Durante a viagem elas aprendem sobre a mitologia das constelações e as lendas astronômicas. 30min.

Nos Limites do Oceano Cósmico
Usando o poder da nossa imaginação, viajaremos pelo espaço a uma velocidade próxima a da luz até o limite do universo visível, e com a ajuda do planetário, veremos de perto a nossa galáxia e grupos de galáxias muito distante de nós. Será que o universo tem fim? O que vemos no céu é uma ilusão? Você verá que o universo está em expansão e novas estrelas estão surgindo a todo instante.

Explorando o Universo
Venha se aventurar numa fascinante viagem pelo universo, e com Galileu conheceremos os segredos do céu e suas descobertas científicas para o progresso da ciência. 40min.

Origens da Vida
Mergulhando no desconhecido, e a partir das profundezas do oceano, descobriremos as origens da vida em nosso planeta. Através do tempo e espaço viajaremos até o nascimento das primeiras estrelas. 30min.

 

Sessões às quintas e sextas-feiras:

18h - Explorando o Universo
19h - Nos Limites do Oceano Cósmico
20h - Origens da Vida


Sessões aos sábados e domingos:

17h - ABC do Sistema Solar
18h - Explorando o Universo
19h - Nos Limites do Oceano Cósmico
20h - Origens da Vida

 


Noite das Estrelas

O projeto NOITE DAS ESTRELAS funciona há 8 anos no Planetário Rubens de Azevedo e já recebeu milhares de pessoas entre turistas e público local. Todos os meses, sempre nas noites de Quarto Crescente Lunar, o planetário disponibiliza telescópios ao público em geral para observação astronômica: Crateras da Lua, Planetas, Nebulosas, etc. A participação é gratuita, sempre a partir das 19h. Basta chegar no planetário e entrar na fila. Atenção: se o céu estiver nublado, não haverá observação astronômica, podendo haver também interrupção do programa, entre 19h e 21h, se as condições não estiverem favoráveis à continuação da atividade.

Dias 26 e 27 de março, às 19h, em frente ao Planetário. Acesso gratuito.

 

Atenção:  É obrigatória a apresentação de documento que comprove o parentesco do responsável com a criança menor de 10 (dez) anos de idade no ato de compra do ingresso de qualquer evento/espetáculo do Centro Dragão do Mar. Esta é uma determinação da Justiça do Estado.

 

 

 

 

 


CINEMA DO DRAGÃO - FUNDAÇÃO JOAQUIM NABUCO

 

A programação regular do Cinema do Dragão - Fundação é definida semanalmente, numa parceria entre a Fundação Joaquim Nabuco e a curadoria adjunta (Salomão Santana e Pedro Azevedo) e pode ser consultada na página do cinema neste site ou no blog www.cinemadodragao.com.br.

 

Informações: 3219.5899
www.dragaodomar.org.br
programacaocinema@dragaodomar.org.br
Twitter: @cinemadodragao
Facebook: Cinema do Dragão-Fundação


Ingressos na Bilheteria do Cinema do Dragão -Fundação R$ 12,00 (inteira) e R$ 6,00 (meia). A bilheteria funciona de terça a domingo, das 14 às 22h.

 

 

Agilize a sua entrada! Ao comprar ingresso através do site ingresso.com, imprima o comprovante/ingresso de compra e dirija-se diretamente à entrada do Cinema do Dragão, sem necessitar fazer a troca na bilheteria. É mais prático e rápido. Experimente.

 

 

Também têm direito à meia da meia-entrada, no valor de R$ 3,00, estudantes da Escola Porto Iracema das Artes e da Escola de Artes Thomaz Pompeu Sobrinho e alunos de audiovisual do Centro Cultural Bom Jardim, da UFC, UNIFOR e da Vila das Artes, mediante apresentação de comprovante de matrícula.

 

 

 

 

 

 

 

MÚLTIPLAS LINGUAGENS

 


Sahaja Yoga
O A prática permite que a pessoa se identifique com o seu verdadeiro ser, abandonando os hábitos negativos para a evolução espiritual.
Todas as sextas, às 16h, no Bosque da Praça Verde. Acesso gratuito.

 

Encontro Cearense de Malabares
O encontro reúne jovens iniciantes e profissionais que exercem a prática dos malabares.
Todos os sábados, às 17h, na Praça Almirante Saldanha. Acesso gratuito.

 

5º Grupo Escoteiro do Ar Pinto Martins
De acordo com a faixa etária dos participantes, o grupo define as atividades de escoteirismo.
Todos os sábados, das 14h às 17h, no Bosque da Praça Verde. Acesso gratuito.

 

Feira Dragão Arte
Feira de artesanato fruto da parceria com Sebrae-CE e Siara-CE.
Todas as sextas, sábados e domingos, das 17h às 22h, ao lado do Espelho D'Água. Acesso gratuito.

 

Brincando e Pintando no Dragão do Mar
Brincadeiras e atividades infantis para todas as idades orientadas por monitores.
Todos os domingos, das 16h às 19h, na Praça Verde. Acesso gratuito.

 

Planeta Hip Hop
Grupos promovem exibições de dança e música hip hop.
Todos os sábados, às 19h, na Arena Dragão do Mar.


 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MUSEU DA CULTURA CEARENSE – MCC

 


O Museu da Cultura Cearense é um museu etnográfico que tem como proposta promover a difusão, a fruição e a apropriação do Patrimônio Cultural do Estado do Ceará, aplicando ações museológicas de pesquisa, preservação e comunicação, visando à inclusão e ao desenvolvimento sociocultural.

 

 

Exposições

 

 

 

Exposição "Ulrike Ottinger - Retrospectiva"  

 

 

A exposição de Ulrike Ottinger fica em cartaz, no Museu da Cultura Cearense, até dia 8 de março, quando será encerrada com programação especial. Aproveitando a data do Dia Internacional da Mulher, será exibido o filme Debaixo da neve (Unter Schnee; Dir.: Ulrike Ottinger, colorido, 108 min, 2010/2011), no mini-auditório do Museu.

 

A mostra é uma exposição itinerante do Goethe-Institut, idealizada pela própria artista, em colaboração com Kristina Jaspers, curadora da Deutsche inemathek de Berlim; e Barbara Honrath, à época encarregada da direção do setor de artes plásticas, na matriz do Goethe-Institut, em Munique.  Chegou ao Dragão do Mar sob a parceria Casa de Cultura Alemã da Universidade Federal do Ceará (UFC).

 

Por meio de 53 fotografias, a mostra apresenta o trabalho cinematográfico e fotográfico da cineasta e artista alemã contemporânea Ulrike Ottinger.

 

A obra perpassa por diversas disciplinas, desde o surrealismo até a etnologia, da ficção ao documentário. As imagens são divididas nas séries Arquitetura, Theatrum Sacrum, Mongólia, O Cotidiano, Em Frente e Feira. Ao contemplar as fotografias, enxerga-se o íntimo do outro e no outro, o próximo. O olhar de Ulrike Ottinger, entretanto, jamais pretende ser objetivo, tanto que sua subjetividade permanece perceptível em todas as imagens. Assim, registra terror e beleza, alegria e melancolia.

 

As fotografias de Ulrike Ottinger nascem quase sempre em estreita relação com a sua produção cinematográfica. As múltiplas facetas da sua obra se caracterizam por uma linguagem visual própria e muito criativa. Ottinger joga com os nossos padrões de percepção, presumindo que algumas imagens nos fazem pensar que foram elaboradas como extravagâncias inventadas.

 

O mundo natural e  artificial confluem imperceptivelmente em suas fotografias. A realidade e a ficção se convertem um em outro, da mesma maneira que a fotografia e o cinema.  Viajar, filmar e fotografar são as principais atividades de Ulrike Ottinger quando sai ao encontro de pessoas desconhecidas. Das suas imagens não emana uma postura fria e distante, mas sempre uma atitude respeitosa para com as pessoas e situações que ela captura com a sua câmara.

 

 
Sinopse do filme de encerramento
Na província japonesa de Echigo, o inverno é intenso. Por mais mágica que a paisagem invernal possa parecer, a vida na neve é árdua para os habitantes da região. Ulrike Ottinger observa o modo de vida nos dias atuais, e simultaneamente envia dois atores para uma viagem ao passado da região. Debaixo da neve é um documentário realista sobre uma região e igualmente uma exploração de seus mitos.

 

 

Biografia
Ulrike Ottinger nasceu em 1942, em Constança. De 1961 a 1969, viveu como pintora e fotógrafa em Paris, onde também redigiu o seu primeiro roteiro “Die mongolische Doppelschublade" (A gaveta dupla mongol). Em 1969, voltou à Alemanha e em colaboração com o curso de cinema da Universität Konstanz fundou o clube cinematográfico Visuell, que dirigiu até 1972.

 

O primero filme LAOKOON & SÖHNE. DIE GESCHICHTE DER VERWANDLUNG DER ESMERALDA DEL RIO (Laokoon & Filhos. A História da modificação da Esmeralda del Rio), com Tabea Blumenschein como protagonista, nasce nos anos de 1971 até 1973. Como em todos os seus filmes, Ulrike Ottinger era responsável pela direção, câmara, roteiro e produção.

 

Desde 1973, vive em Berlim. Para os seus trabalhos cinematográficos, ela recebeu muitos prêmios, por exemplo, em 1989, o Deutscher Filmpreis (Prêmio Alemão de Cinema)  para o filme Joana d’Arc of Mongolia.  Ulrike Ottinger trabalha também como diretora para teatro e ópera.

 

Os seus filmes e a sua obra fotográfica foram exibidos em várias retrospectivas e exposições, entre outros, na Bienal de Veneza em 1980; em 1980 e 1982, na Cinemathèque Française, Paria; em 2000 e 2004, no Witte de With Center for Contemporary Art, Rotterdam; no Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofia, Barcelona, e na ArtPace Foundation for Contemporary Art, San Antonio; como também no Salzburger Kunstverein, Salzburgo, Áustria.

 

 

Em cartaz até dia 8 de março de 2015. Visitação: terça a sexta, das 9h às 19h (com acesso até as 18h30); sábados, domingos e feriados, das 14h às 21h (com acesso até as 20h30). Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Vaqueiros [Sala 4]

Foto: Marina Cavalcante

Exposição lúdica, de caráter didático, percorre o universo do vaqueiro a partir da ocupação do território cearense pela pecuária até a atualidade. Utiliza cenografia, imagens e objetos ligados ao cotidiano do vaqueiro.

 

Visitação de terça a sexta, das 9h às 19h; e aos sábados, domingos e feriados das 14h às 21h. Gratuito.

 

 

 

 

 

Agendamento de grupos para visitas às exposições

Núcleo de Ação Educativa

Partindo das especificidades de um museu etnográfico, o Núcleo de Ação Educativa do MCC objetiva formar educadores para atender ao público agendado e espontâneo. Composto por uma equipe multidisciplinar, realiza mediações com as mais variadas temáticas relacionadas à cultura popular trazidas pelas suas exposições.

Mediações
Os educadores do MCC proporcionam três tipos de mediações aos seus visitantes:

  • Mediação simples: mediação rápida, mais orientadora, destinada ao público não agendado e espontâneo. Duração de até 20 min.
  • Mediação ampliada: mediação problematizadora, formadora, que instiga o visitante a refletir de forma crítica sobre a exposição. Duração de até 01h30min.
  • Mediação com oficina: mediação mais prolongada, pois além de ter como ponto central a reflexão, nesta visita atividades de arte-educação são vivenciadas. Por exemplo: teatro de fantoche, desenho, contação de história, roda de conversa e oficinas de acordo com a exposição em cartaz. Duração de até 2hs.

 

O agendamento dos museus do CDMAC pode ser feito de segunda a sexta, das 13h às 18h.
Contato: (85)3488.8604
E-mail: agendamento@dragaodomar.org.br

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA – MAC

 

 

Exposição Corpo da Obra

 

 

O Museu de Arte Contemporânea do Ceará (MAC-CE) apresenta a exposição Corpo da obra e evidencia eixos temáticos que compõem o seu acervo. Uma ação constante na atual política curatorial do Museu é a de proporcionar a visibilidade e o acesso das obras que compõem sua coleção, através de mostras que provoquem reflexão e dinamizem a relação público/obra. Uma dinâmica efetiva dentro dessa metodologia são as oficinas preparadas pela ação educativa do MAC-CE, que potencializam questões conceituais ao estimular percepções e instigar o olhar crítico do participante.

 


A parte de um todo, um pequeno território versus a geografia de uma totalidade, membros de um corpo, o corpo da obra. Metáforas de muitos corpos, corpo que não é corpo, a reinvenção do corpo, fragmentos ou ausência. Nesse contexto, nos apropriamos de diversas linhas e caminhos para apresentar fragmentos da coleção, alguma parte de um todo, alguns caminhos de uma estrada, alguns afluentes de um rio. O conjunto não discute apenas questões relacionadas à poética do corpo, se bifurca por outras searas. O corpo aqui é apenas o alicerce, o estopim para o novo instante.

 


Corpo da obra ocupa o andar superior do MAC-CE e divide-se em quatro partes, em conjuntos que se conectam ediscutem eixos importantes que compõem o acervo do museu. Em Seres ou Coisas, o caráter mágico, os ambientes pós-apocalípticos, sombrios e misteriosos ativam potencialidades além do real; em Método e Construção, articulam-se relações entre o tempo e o espaço, na arquitetura e geometrização da forma; Escritas e Sujeitos ativam processos subjetivos, fluxos narrativos por onde emerge a palavra e a instância do confidencial; já em Corpo da Obra, o corpo é o elo entre a participação, a ausência e o limite.

 


Dessa forma, construímos um corpo articulável entre seres, geometrias e  subjetividades. Um corpo-acervo, um corpo-coleção.

 

 

Em cartaz até abril de 2015. Visitação: terça a sexta, das 9h às 19h (com acesso até as 18h30); sábados, domingos e feriados, das 14h às 21h (com acesso até as 20h30). Gratuito.

 

 

 

 

 

Ações Educativas

Mediação a partir dos conteúdos das exposições para público espontâneo e agendado. A equipe é formada por Arte Educadores - universitários multidisciplinares - que desenvolvem ações de mediação com Escolas, Projetos, Universidades, ONGs e demais instituições interessadas em visitar o Museu e conhecer mais sobre Arte Contemporânea.

 

O agendamento dos museus do CDMAC pode ser feito de segunda a sexta, das 13h às 18h.

 

Biblioteca de Artes Visuais Leonilson

Espaço especializado em artes visuais com cerca de dois mil livros nas áreas de Fotografia, Design, Museologia, História da Arte, Arquitetura e Urbanismo, Moda e Arte Contemporânea.

Serviço gratuito, de terça a sexta, das 9h às 18h.

 

 

 

 

 


 



 


 

 

 

CENTRO DRAGÃO DO MAR DE ARTE E CULTURA

Rua Dragão do Mar 81, Praia de Iracema - CEP: 60060-390 - Fortaleza/CE - CNPJ: 02.455.125/0001-31
Informações gerais: 55 (85) 3488 8600 / 55 (85) 3488 8608