Atenção:  É obrigatória a apresentação de documento que comprove o parentesco do responsável com a criança menor de 10 (dez) anos de idade no ato de compra do ingresso de qualquer evento/espetáculo do Centro Dragão do Mar. Esta é uma determinação da Justiça do Estado.

 

 

 

 

 

LITERATURA

 

 

 

 

 

Recital e Feira Cordel com a Corda Toda
Tão característica da cultura nordestina, a literatura de cordel tem vez e lugar no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. Todo mês, tem Recital e Feira Cordel com a Corda Toda, realizado em parceria com a AESTROFE – Associação de Escritores, Trovadores e Folheteiros do Estado do Ceará, instituição que congrega boa parte dos poetas populares do nosso estado. A Feira ocorre sempre paralelamente ao recital com os principais expoentes da Literatura de Cordel na atualidade, das 17h às 21h. Os artistas declamarão versos autorais e de vários outros poetas populares.

Dia 21, às 17h, no Espaço Rogaciano Leite Filho. Acesso gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PALESTRAS E DEBATES

 

 

Mesa redonda "Nordeste: matriz cultural do Brasil" [Dia Nacional da Cultura Brasileira]


Dia 5 de novembro é o Dia Nacional da Cultura Brasileira. Num momento em que estão aflorados (e inflamados) os debates em torno dos “papéis” de cada região deste País, o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura aproveita a data e o contexto para promover o debate “Nordeste: matriz cultural do Brasil”, nesta quarta-feira (5), às 19h30, no Teatro Dragão do Mar. Vão compor a mesa: o ator e diretor Sérgio Mamberti, o historiador Frederico Pernambucano de Mello, o fotógrafo Tiago Santana e o presidente do Instituto Dragão, Paulo Linhares. O debate terá mediação do jornalista e diretor institucional do Grupo de Comunicação O POVO, Plínio Bortolotti.

 

A ideia do debate é fortalecer os discursos sobre a importância do Nordeste para o Brasil. A partir da experiência e dos estudos que grandes nomes da cultura trarão à mesa, o público poderá entender um pouco do por que a cultura nordestina é tão original e forte em diferentes linguagens da arte e da cultura: música, cinema, dança, teatro, literatura, artes visuais etc. De onde vem essa força?

 

Os convidados trazem diversidade ao debate. Enquanto o antropólogo cearense Paulo Linhares apresenta o recorte do sertão do gado na antropologia cultural do Nordeste, o historiador recifense Frederico Pernambucano de Mello fala da cultura surgida a partir do cangaço e do açúcar, em Pernambuco. O fotógrafo Tiago Santana, autor da recém-lançada publicação “Céu de Luiz” – em que traz as imagens do sertão que inspirou Luiz Gonzaga – apresenta ao público a força da imagem e da paisagem na construção do imaginário do Brasil.

 

Já Sérgio Mamberti, hoje um dos mais engajados nomes no fomento de políticas públicas culturais no País, deve fazer um panorama atual da cultura nordestina dentro da cultura brasileira. No período de 2003 a 2013, Mamberti atuou no Ministério da Cultura como Secretário da Identidade e da Diversidade Cultural, Presidente da Fundação Nacional de Artes e Secretário de Políticas Culturais.

 

 

Apresentações culturais

Após o debate, atrações tipicamente nordestinas vão embalar o Dia Nacional da Cultura Brasileira, no Centro Dragão do Mar. É uma das atrações: Mestre Zé Pio, que foi diplomado como Mestre da Cultura no ano de 2005 pela Secretaria da Cultura do Estado do Ceará por fazer um importante trabalho social, educativo e cultural. Mestre Zé Pio traz a brincadeira de bumba meu boi, com vaqueiros, capitão índias, reis, rainhas. Sem contar a percussão bem nordestina de tambores, tarol, caixa, pandeiro, violão e as respostas das rimas improvisadas pelo Mestre. Outras atrações serão confirmadas em breve.

 

Dia 5, às 19h30, no Teatro Dragão do Mar. Acesso gratuito.

 

 

 

 

 

Ciclo de conversas GOLPE DE VISTA [fotografia]
O Programa de Educação Tutorial (PET) Pedagogia/UFC e o Laboratório de Pesquisa Digitais e Imagéticas da Faculdade de Educação/UFC iniciam as atividades do “Golpe de Vista”, no próximo dia 4, no Auditório do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.

 

Trata-se de encontros mensais em que convidados e público trocam experiências sobre imagem e artes visuais com ênfase na fotografia e seus desdobramentos. A iniciativa objetiva aprimorar os conhecimentos fotográficos de forma coletiva e fomentar fotopasseios mensais e intervenções no formato fotoclubista.

 

Na terça, dia 4 de novembro, às 19h, será realizado o primeiro ciclo de conversa, sob o tema “Fotografia de Rua”. Os convidados são: Mika Holanda, Deivyson Teixeira e André Bessa. O evento é uma parceria com o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura..

Dia 4, às 19h, no Auditório. Acesso gratuito.

 

 

 

 

 

 

Palestra com David Harvey
Direito à cidade e resistências urbanas

A ADUFC – Sindicato e o LEHAB-DAU-UFC, em parceria com a Editora Boitempo, realizam no próximo dia 17 de novembro, 18h, no Anfiteatro do Dragão do Mar, a conferência “Direito à cidade e resistências urbanas” com o geógrafo e pensador marxista, David Harvey. As inscrições iniciam no dia 1º de novembro e podem ser realizadas pelo site da ADUFC (www.adufc.org), obedecendo ao limite de 450 vagas.

Em inédita visita ao Ceará, Harvey é apontado como um dos marxistas mais influentes da atualidade. O autor britânico é reconhecido internacionalmente por seu trabalho de vanguarda na análise geográfica das dinâmicas do capital. Harvey chega ao Brasil para o lançamento da mais recente obra “Para entender o Capital: Livros II e III”. A conferência será seguida de sessão de autógrafos.

A atividade é uma realização da ADUFC - Sindicato, Laboratório de Estudos da Habitação (LEHAB – UFC) e Editora Boitempo, com apoio do Departamento de Arquitetura e Urbanismo (DAU- UFC), Universidade Federal do Ceará e Instituto Dragão do Mar.

Para auxiliar o diálogo com o autor de obras como “Condição Pós-moderna” e “O enigma do capital: e as crises do capitalismo”, o evento conta com participação de representantes de movimentos sociais de Fortaleza. Os convidados relatarão ao público experiências adquiridas em manifestações como “Ocupe Cocó”, resistência dos moradores do Alto da Paz, movimentos urbanos pelo direito à moradia e mobilidade urbana. Antes da fala dos convidados, o público pode conferir a apresentação do grupo Tambor de Crioula Filhos do Sol.

 

Biografia de David Harvey
Professor de antropologia da pós-graduação da Universidade da Cidade de Nova York (The City University of New York – Cuny) onde lecionou desde 2001, David Harvey também leciona geografia nas universidades Johns Hopkins e Oxford. Sua obra é apontada pelo jornal Independent como uma das mais importantes de não ficção publicadas desde a Segunda Guerra Mundial. 


Dia 17 de novembro, Anfiteatro do Dragão do Mar, das 18h às 21h30. Inscrições: as inscrições serão realizadas através do site da ADUFC (www.adufc.org), de 01.11 até o limite das 450 vagas. Mais informações: www.adufc.org.br ou (85) 3066.1818.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MOSTRA BOM JARDIM

 

 

Promovido pelo Centro Dragão do Mar de Arte em parceria com o Centro Cultural Bom Jardim - dois equipamentos do Instituto Dragão do Mar -, a Mostra Bom Jardim realiza um intercâmbio artístico Bom Jardim-Praia de Iracema. Grupos de teatro, dança, música e demais produtos do Centro Cultural Bom Jardim ocupam os espaços diversos do Dragão do Mar com arte, neste fim de ano. Confira a programação do mês:

 

 

 

 

Espetáculo As Velhacas [teatro]
K'Os coletivo
As Velhacas é uma comédia que faz um recorte da vida de duas velhas amigas que têm um ponto em comum: o vício de dar calotes na praça. Por conta de várias dívidas, reencontram-se e passam a morar juntas para fugir dos cobradores. Seja na praia, na tertúlia seja no bingo, elas sempre aprontam e deixam aquela conta extensa para pagar. Gerusa e Aretusa são "As Velhacas" que se tornaram sucesso entre os cobradores. A peça surpreende o público com tiradas irreverentes e muita comédia do início ao fim.

Dia 4, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 4 e R$ 2 (meia). Classificação: 14 anos.

 

 

 

 

 

Banda Black.CE [show musical]

No início de 2011, a Black.CE foi criada com o intuito de resgatar e até mesmo difundir o Sambarock, sambafunk e o soul, que revelaram e consagraram grandes artistas como Jorge Ben, Wilson Simonal, Tim Maia e os contemporâneos Seu Jorge, Jair Oliveira e Ed Mota. Todos grande influência no estilo da banda.
Dia 4, às 20h, no Espaço Rogaciano Leite Filho. Acesso gratuito.

 

 

 

 

 

Banda #TocaA10 [show musical]

Show Os Periféricos: o som que no move

A Banda #TocaA10 surgiu recentemente na tentativa de reunir a antiga formação que já existia no bairro do Bom Jardim desde 2009 sendo na época O Bom do Vixe! Por um determinado tempo seus integrantes seguiram cada um caminhos diferentes, mas sem deixar de vez o gosto pela boa música e os laços de amizade, causa principal desse reencontro que gerou a #TocaA10. A nova proposta da banda é trabalhar com músicas autorais aliando a releituras da MPB.
Dia 15, às 20h, no Espaço Rogaciano Leite Filho. Acesso gratuito.

 

 

 

 

A Arca – Acústico [show musical]

Tributo à banda Legião Urbana
Através da música, num novo show acústico, a banda procura mostrar grandes sucessos da Banda Legião Urbana. A banda natural do Bairro Bom Jardim já toca a bastante tempo, suas canções românticas, protestantes e profundas, levando o público a refletir nos assuntos abordados no evento. Com um repertório compostas pelas mais belas canções de bandas como Legião Urbana, Rosa de Saron, Engenheiros do Hawai, capital inicial e Outras. Na bagagem a banda já traz apresentações no CCBJ, CAIC, Shopping Bom Mix, Hotel Porto da Aldeia, Praça de Santa Cecília, Barraca Atlantes, Clubes dos Correios e Circo Escola do Bom Jardim. No vocal, violões e baixo Alexandre Queiros, Violões e Guitarras Dalton Victor, no teclado e violões Francisco Iran, e convidados.
Dia 22, às 20h, no Espaço Rogaciano Leite Filho. Acesso gratuito.

 

 

 

 

 

OBG - Um Passeio Pela Música Popular Cearense [show musical]

Grupo Phylos
OBG é uma homenagem a autores e interpretes da musica popular cearense, assim como um meio de divulgação a novos artistas. O espetáculo de criação colaborativa entre os estudantes do grupo phylos é costurado em meio a histórias de vida dos autores e suas relações com as músicas apresentadas. Nomes como Marta Aurélia, Acauã Araujo, Mel Mattos, Lídia Maria, Mona Gadelha, Pingo de Fortaleza, Belchior, Paulo Barroso, Viviane Brasil e banda Versos e Canções são retratadas nesta temporada com arranjos de Marcos Paulo Leão, Diêgo de Oliveira, Diego Nery, Berg Menezes e Fb Maciel..
Dia 29, às 20h, no Espaço Rogaciano Leite Filho. Acesso gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CIRCUITO DE MÚSICA ERUDITA

 

 

Sax in Cena
Fundado em julho de 2006, o Sax in Cena é o primeiro quarteto de saxofone profissional do Estado do Ceará. Com repertório variado, entre clássicos da música erudita e popular, passando por gêneros como choro, frevo, jazz, xote, entre outros, o grupo trabalha com a proposta de formação de plateias, procurando despertar nas mais diferentes faixas etárias o interesse pela música.
Dia 9, às 18h, no Auditório. Ingressos: R$ 4 e R$ 2 (meia)

 

 

 

Quarteto Cearense
O Quarteto Cearense é um dos grupos solos da Orquestra de Câmara Eleazar de Carvalho e apresenta, todo mês, repertório que vai do barroco ao contemporâneo.
Dia 23, às 18h, no Auditório. Ingressos R$ 4 e R$ 2 (meia).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MÚSICA

 

 

 

Paula Tesser [show]
Lançamento do álbum Valha // Show de abertura de Oscar
O Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura recebe, no dia 7 de novembro, grande show de lançamento do primeiro disco solo da cantora cearense Paula Tesser. Será a segunda apresentação desde a estreia de sucesso no Sesc Pompeia, em São Paulo, neste início de mês. O show de abertura fica por conta do cantor e compositor cearense Oscar, que promete esquentar o público, logo às 20h, no Anfiteatro do Dragão.

 

O disco VALHA foi gravado em 2013 nos estúdios Navegantes (SP) e Trilha Sonora (Fortaleza), com produção e arranjos de Dustan Gallas. "O disco é fruto de uma relação afetiva que tenho com o Dustan. Nossa ideia era ter compositores cearenses da geração antiga e contemporâneos nossos. A música francesa, na letra de Jacques Prévert, tinha que estar também por fazer parte de um momento importante da minha vida. A diversão está presente em tudo", define Paula.

 

Nascida na França, filha de pais brasileiros, Paula Tesser retornou a Capital em 2007, depois de 15 anos morando em Paris, onde concluiu doutorado em Sociologia sobre o Mangue Beat e Chico Science, na Sorbonne. Nesse período, cantou nos discos "Boss-a-troniq2 2001" e "EDC Passport" (Warner/Amsterdam), "Cannes 2001 – PalmBeach" (Wagram/Paris), "Kinobox/Realejo Quartet 2002" (Independente/Fortaleza) e também compôs e cantou para o cinema francês: "Trois Zéro"(2001) e "Quelqu'un de bien" (2002).

 

Em 2004, gravou em Fortaleza o disco ao vivo "Retrato do vento", em parceria com o cantor e compositor Valdo Aderaldo. Em 2008, gravou a música "Zum Zum", num dueto com o cantor e compositor cearense Fausto Nilo ("Pão e Poesia") e, em 2010, gravou três canções no disco "Cânticos Budistas" de Francisco Casaverde. Em 2010, Paula Tesser acompanhou a cineasta francesa Agnés Varda em sua visita à Escola de Artes Visuais de Fortaleza. O fruto desse encontro é a participação no filme "Agnés Varda De ci, de lá" (2011) cantando "Samba do Metrô" ( Valdo Aderaldo).

 

 

Show de abertura

Após uma temporada intensa de shows de lançamento do álbum Revolução, entre 2012 e 2013, com destaque para o show realizado no Prata da Casa, projeto do SESC Pompeia  em São Paulo, Oscar Arruda em 2014 retorna à experimentação sonora para a concepção de um novo trabalho musical.

 

Para o show no Dragão do Mar, Oscar conta que apresentará músicas inéditas. “Vamos mostrar ao público os primeiros resultados de uma nova experiência musical em construção”. Oscar faz parte da nova geração da música feita no Ceará, apresentando um trabalho original e de qualidade. É um guitarrista ativo na cena local com parcerias com outros artistas e projetos musicais. Em seu trabalho solo, Oscar utiliza-se de recursos analógicos para produção de uma sonoridade com referências estéticas no rock e folk dos anos 1970, agregando elementos da linguagem contemporânea e de seu contexto musical próprio.


Dia 7, às 20h, no Anfiteatro. Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia). Este ingresso dá direito de acesso ao show de Soledad Brandão, no Mambembe, à meia-noite.

 

 

 

 

 

 

 

 

Orquestra Jovem Meu Bem Querer [show]

Maestro: Eder Wagner Aquino Leite

A Fundação Tuboarte (Jaguaribe-CE) iniciou suas atividades na área de educação musical em 2003 com crianças e adolescentes. No ano de 2007, criou-se a primeira turma do Coral, onde foram atendidas cerca de 120 crianças. Em seguida, fundou o Grupo de Flautas com demanda para mais 50 crianças que se iniciaram na musicalização infantil. No ano seguinte, ampliou-se o Grupo de Flautas, transformando-o em um grupo instrumental mais amplo e mais diversificado com a inclusão de novos instrumentos e aumento do número de crianças, adolescentes e jovens atendidos pela Fundação Tubaorte.

 

Foi a partir daí que se viu a possibilidade e a necessidade da criação da primeira orquestra da cidade de Jaguaribe (CE), mediante potencial de musicalidade demonstrado pelos alunos já matriculados. Em janeiro de 2008, a Fundação Tuboarte investiu em uma oficina de instrumentos de corda, realizada na cidade do Crato-CE, onde participaram professores e alunos desta instituição. Esse foi o ponto de partida para a criação e formação da primeira turma da Orquestra Jovem Meu Bem Querer.

 

Daí em diante, a Fundação tem investido em cursos e oficinas para melhorar o nível de execução dos alunos da orquestra, além de ampliar e renovar constantemente o instrumental, proporcionando um número maior de vagas para que mais crianças, adolescentes e jovens possam ingressar no estudo da música. Atualmente, a Orquestra Jovem Meu Bem Querer conta com um grupo de 50 jovens músicos com horários alternados e ensaios coletivos, fazendo apresentações por todo o estado do Ceará.                      


Dia 14, às 19h, no Espaço Rogaciano Leite Filho. Acesso gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

Projeto Duetos [show]

Shows de Claudio Nucci & David Duarte
Mais um show do Projeto Duetos rememora grandes clássicos da música popular brasileira. No próximo sábado, dia 1º de novembro, sobem ao palco do Anfiteatro do Dragão do Mar: o músico cearense David Duarte e paulista Claudio Nucci.

 

CLAUDIO NUCCI // Nasceu em 9 de junho de 1956, (Jundiaí, Estado de São Paulo). Nem uma alma viva no Brasil deixaria de reconhecer o nome de Claudio Nucci, voz, músicas, e belo coração! Sucessos como "Toada", "Sapato Velho" e "Quero Quero" tornou-se parte do songbook MPB e de histórias de vida do povo brasileiro.

 

A carreira de Claudio Nucci é rica em testemunhos irrefutáveis da qualidade musical que perdura os testes de tempo. Apresentado em 1993, com música de Sergio Mendes "Brasileiro", vencedor CD do Grammy de Best World Album de Música; ou como membro do aclamado grupo "Boca Livre". Também em 2003 's Ruben Blades "Mundo" CD, também vencedor do Grammy de Melhor Music Album Mundo, a marca de Nucci é inconfundível.

 

Com o "Boca Livre", ele também visitou os EUA. De volta ao Brasil, Claudio Nucci tem colaborado com grandes nomes da música brasileira, como Chico Buarque e Edu Lobo, "Dança da Meia Lua" e ícones como Milton Nascimento, Nana Caymmi, Guinga, Mario Adnet e muitos mais. Em 1978, juntamente com Zé Renato, Mauricio Maestro e David Tygel, Nucci formou "Boca Livre ", um grupo que ainda hoje é um marco na indústria da música brasileira.

 

Seu primeiro lançamento, o LP auto-intitulado "Boca Livre", incluindo algumas das composições de Claudio, foi firmado um recorde de vendas na época, ultrapassando 110 mil cópias e projetando o grupo para a ribalta da cena musical não por uma temporada, mas agora por quase 30 anos. Claudio Nucci aventurou-se também em uma gravadora solo de sucesso, gravando três álbuns sob EMI-Odeon: "Claudio Nucci", "Volta e Vai" e "Melhor de Três".

 

Estes lançamentos foram seguidos por "Pelo Sim, Pelo Não" e o álbum inesquecível na companhia de Zé Renato. Logo depois, Claudio Nucci e Zé Renato se juntaram a Ricardo Silveira, Marcos Ariel, Zé Nogueira, João Batista e Jurim Moreira para criar mais um sucesso de vendas e crítica: "Banda Zil". O CD foi lançado mundialmente pela Continental e atingiu vendas sem precedentes nos EUA.

 

Com o grupo vocal "Nós e Voz", Claudio também é destaque no CD "Ê Boi", indicado para o Prêmio Sharp. "Casa da Lua Cheia", outro álbum solo lançado em 2000, é agora reeditado por Verdadeira Azul Music com distribuição mundial, com alguns dos maiores sucessos de Nucci, como "Toada" e "Sapato Velho".

 

 

 

DAVID DUARTE // David Duarte tem sido apontado pela crítica e nos circuitos alternativos como um dos mais legítimos sucessores do “Pessoal do Ceará”, movimento musical que, na década de 1970, revelou vários cearenses para o cenário nacional, dentre os quais a famosa trinca Fagner, Belchior e Ednardo.David Duarte, cantor, compositor, instrumentista e produtor musical, é dono de uma técnica impecável tocando violão e voz marcante.

 

David afirma que não se prende a nenhum estilo musical, estando aberto a todas as tendências que não comprometam a qualidade das mensagens que tenta repassar. Porém, ao ouvi-lo, logo somos levados a fazer uma identificação com o romantismo moderno de Jorge Vercilo, Zeca Baleiro e Lenine, principalmente em "O Que Eu Queria" e "Presente", canções muito presente nas rádios locais.

 

David expressa em seu CD "Dentro do Sonho", lançado em 1997, um repertório que ressalta uma personalidade voltada para elementos rítmicos. Este é o primeiro álbum solo do cantor, compositor e músico cearense David Duarte um dos mais criativos compositores da atual geração que reside em Fortaleza.

 

Já teve criações registradas pelos conterrâneos Kátia Freitas, Rogério Franco,Teti, Daniela Montezuma, Edmar Gonçalves e Marcus Brito entre outros, sendo inclusive os três últimos títulos dos discos deles, "Pela Vida", "Bússola" e "Matiz" respectivamente. Sua estreia é uma prova da renovação que pode ser implementada na música popular brasileira atual e que é elogiada por muita gente boa.

 

David Duarte venceu vários festivais de música na cidade e foi finalista no Festival Canta Nordeste, promovido pela Rede Globo, com a música Código, presente no seu primeiro CD "Dentro do Sonho". Também ganhou prêmio de melhor intérprete masculino, no 4° Prêmio NelSons do Ceará, em 2004.

 

Depois de emplacar o single "O que eu queria" e transformá-lo em um verdadeiro sucesso de execução, ele se concentra no lançamento de seu segundo CD solo Palavra Música. David espera repetir o sucesso do CD "Dentro do Sonho", de 1998, e do CD "Som da Noite", em parceria com Paulo Façanha e Júnior Colares.

 

Dia 1, às 21h, no Anfiteatro. Ingressos: R$ 30 e R$ 15 (meia).

 

 

 

 

 

 

 

 

Festival Ponto.CE [festival cultural]
Um dos principais festivais de cultura do Ceará já tem data certa para acontecer. De 6 a 9 de novembro, será realizada a oitava edição do Festival Ponto.CE, que já se tornou uma tradição e entrou para o calendário cultural do Estado do Ceará. O evento, realizado no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, tem como um dos diferenciais unir, em um só lugar, diversas atrações nas áreas da música, dança e audiovisual, com programação voltada para todos os públicos. Adultos e crianças têm atividades garantidas e gratuitas durante todos os dias do festival.


No total, já passaram pelo evento 813 artistas, entre músicos nacionais e internacionais, bailarinos e expositores. Na última edição, em 2013, houve um total de 357 artistas, que se apresentaram para um público de mais de 11 mil pessoas. Conta com o patrocínio da Coelce e da Oi e com apoio do Governo do Estado do Ceará e do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.

 

De acordo com um dos organizadores do evento, Rafael Bandeira, trata-se de um momento em que as pessoas podem dialogar com diversas linguagens. O público da dança se aproxima da música e do audiovisual e vice-versa. “É uma diversidade de linguagens às quais os participantes terão acesso”. A área audiovisual vai trazer uma web plataforma com diversas informações sobre as edições anteriores, depoimentos de quem já participou, além de pequenos programas.

 

As atrações serão divididas por dia. A programação de dança, realizada no Sesc Iracema, acontecerá quinta, sexta e sábado. Enquanto a musical será sexta e sábado. Já o domingo será reservado para o público infantil, com diversas atividades voltadas para as crianças. O público ainda terá acesso a ciclo de cursos e palestras.

 


MÚSICA
Para cada dia reservado para a música, serão sete bandas. Na sexta-feira, 7 de novembro, sobem ao palco: Amsterdã, Cruz, Facada, Far From Alaska, Matanza, Mukeka di Rato, SOH. Já o sábado será animado por Felipe Cazaux, Gram, Rocca, Síntese, Sulamericana, Supercombo. Uma última atração para este dia está sendo fechada.

 

Já passaram pelo Festival Ponto.CE, bandas como “Cachorro Grande” e “Vanguart”. Em 2008, o evento conseguiu trazer ao Ceará a banda norte-americana “Bad Relligion”, uma das grandes referências do punk rock mundial.

 

 

DANÇA
No dia 6 de novembro começa os espetáculos de dança. Às 19 horas, os visitantes poderão assistir “Pouso”, de Marcelle Louzada, da Minas Gerais. A partir das 21 horas, em início “Homem Torto, de Eduardo Fukusima, de São Paulo.

 

Na sexta-feira, dia 7, o espetáculo começa às 16 horas, com “Bunda”. A ideia é, em uma maca, apenas com a bunda a mostra e um monte de materiais, que vão desde baton e materiais cortantes as pessoas são convidadas a intervir livremente, gerando uma tensão entre espaço de si e do outro. A performance será  em um tempo de 8 horas. Tempo em que se trabalha para o sistema. O sistema faz o que quiser com o seu corpo.

 

Às 21 horas, acontece “Transubstanciações Intempestivas, de São Paulo, com performers de Filipe Espindola e Sara Panamby. Dia 8 de novembro, às 19 horas, finaliza com “Quando a dança é performance?”, de Chrystine Silva, Rio Grande do Norte, e “Paisagem Espinhal”, de André Bezerra, também Rio Grande do Norte.

 

 

INGRESSOS
Ingressos para Festival Ponto.CE 2014 já podem ser adquiridos e custam 1kg de alimento. A troca pode ser feita na Bilheteria do Dragão do Mar, de terça a domingo, das 14h às 20h. Cada pessoa pode adquirir até 5 ingressos.

 

Dias: 6 a 9 de novembro, em vários espaços do Dragão.

 

 

 

 

 


Canoa Blues [festival de blues]
Evento que já entrou no calendário cultural do Estado, o Canoa Blues é esperado todos os anos por cearenses e turistas, que reconhecem no festival uma oportunidade para apreciar o melhor do estilo musical. Em 2014, chegando à sétima edição, o Canoa Blues, que será realizado nas noites dos dias 14 e 15 de novembro, na paradisíaca praia de Canoa Quebrada, traz como atrações Beale Street e Rodrigo Nézio & Duocondé Blues (sexta), Renegados e Big Chico (sábado) e Tres Locos Blues (sábado).


O Canoa Blues realiza ainda um evento de abertura, em Fortaleza, dando oportunidade para mais pessoas conhecerem a essência do festival. No dia 7 de novembro, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, Victor Gueiros e Felipe Cazaux levam o clima de Canoa Quebrada para o Espaço Rogaciano Leite Filho (sob a passarela), a partir das 21h.  


Como em todos os anos, o evento tem uma atenção especial para ações de responsabilidade social. Na edição de 2014, a organização está estimulando que o público faça doação de livros, que serão destinados ao Conselho Comunitário de Canoa Quebrada. As doações serão recolhidas no próprio local. No dia 21 de novembro, às 16 horas, haverá oficina de narrativas de histórias para crianças e adolescentes da comunidade, atendidas pela ONG Canoa Criança.
Todos os shows em Fortaleza e em Canoa Quebrada, assim como as atividades de arte-educação, são inteiramente gratuitos ao público.

 

 

ATRAÇÕES NO DRAGÃO

VICTOR GUEIROS - O guitarrista Victor Gueiros toca e compõe desde os 10 anos de idade. Apontado como uma das principais revelações do blues-rock do Ceará, participou no início de sua carreira de bandas de hard rock, gospel e MPB acústico. Em 2011 iniciou trabalho solo enveredando pelo blues, atuando em casas noturnas e eventos do gênero. Suas principais influências são Joe Bonamassa, Gary Moore, Slash, Eric Clapton, Stevie Ray Vaughan e Eric Gales.   Atualmente, Victor produz seu primeiro álbum, com 13 faixas de blues, rock e baladas, com letras em inglês e pitadas de feras como Slash e Bonamassa, mas, sobretudo, com sua guitarra marcante e a originalidade característica de suas composições.

 

FELIPE CAZAUX - Com um som novo, distinto de qualquer banda no Brasil, Felipe Cazaux está lançando seu terceiro álbum, Never Go Down. A banda denomina o álbum como um som Desert Jam Rock, com influência de blues e outros gêneros. Felipe Cazaux iniciou seus estudos musicais ainda criança, quando fez parte de coral e ganhou seu primeiro violão. Aos 13, com a primeira guitarra, procurou aprender com suas bandas favoritas, passando por influência de Metallica, Nirvana e Pearl Jam durante a adolescência. Ingressou na cena Rock de Fortaleza aos 16 anos, tocando em bandas de Metal até os 18, quando se encantou pelo Blues e se aprofundou no estudo de seus mestres; tendo como forte influência na sua maneira de improvisar o vocabulário fluente de guitarristas como Stevie Ray Vaughan, Eric Clapton e principalmente Jimi Hendrix. Já participou de importantes festivais no País. Agora, volta ao Canoa Blues, nas sessões especiais de Fortaleza.

 

Dia 7, às 21h, no Espaço Rogaciano Leite Filho. Acesso gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

Choro e Jazz Jericoacoara [festival]
Em sua 6ª edição o Festival Choro Jazz chega consolidado aos palcos do circuito musical nacional e internacional, e novamente se apresenta em Fortaleza, pelo terceiro ano consecutivo, antes de seguir para a bela e paradisíaca praia de Jericoacoara com sua já tradicional semana musical, incluindo a presença de alguns dos mais renomados músicos do mundo. O Festival, é totalmente gratuito, acontece de 27 a 29 de novembro, no Anfiteatro do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, em Fortaleza, e de 2 a 7 de dezembro, na Praça Principal de Jericoacoara.

 

Com direção artística do produtor musical Capucho, o 6º Festival Choro Jazz é apresentado pela Petrobras e pelo Ministério da Cultura; com o patrocínio do Banco do Brasil e do Banco do Nordeste, por meio do programa de incentivo a cultura do governo federal e conta ainda com apoio cultural da Prefeitura de Jijoca de Jericoacoara, Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura e Secretaria de Turismo do Ceará; o projeto é uma realização da Capucho Produções e do Governo Federal.

 

Virão ao Estado nomes consagrados da música brasileira, como João Donato, a parceria instrumental do Duo Fel; o talentoso quarteto de François de Lima; Márcio Bahia com seu exímio quinteto, e músicos prestigiados internacionalmente, a exemplo do Mario Liginha Trio; de Portugal. Serão ao todo mais de 20 atrações, uma programação* completa com espetáculos, exposições e oficinas, nas cidades de Fortaleza – Anfiteatro do Centro Cultural Dragão do Mar e Jijoca de Jericoacoara – Praça Principal.

 

O projeto proporciona um panorama que transita entre as diversas regiões do Brasil e suas origens musicais por meio de uma programação que contempla representantes de diferentes estados, além de promover o intercambio cultural com convidados internacionais que são referência no meio. Desta forma, o Festival Choro Jazz fomenta a composição de uma partitura rara e fecunda a ser percorrida pelo público durante intensos dias repletos dessa atmosfera musical.

 

A aproximação dos gêneros musicais que batizam o festival provoca a troca entre músicos e estilos proporcionando a experimentação sonora da audácia, virtuosismo e improvisação, de forma graciosa e principalmente maliciosa. O público é presenteado com um panorama musical cheio de nuances, estilos e sotaques diversificados. Um repertório que raramente é incluído nas temporadas de shows tradicionais.

 

Após os shows na capital cearense, o festival atravessa as dunas e chega a Jericoacoara que será mais uma vez palco do Festival. Uma das mais famosas praias do mundo, esse pequeno paraíso está localizado a 300 km de Fortaleza. Jeri, como é carinhosamente chamada por seus admiradores, integra o Parque Nacional de Jericoacoara – IBAMA, repleta de dunas, belas formações rochosas, praias desertas e exuberantes lagoas de águas cristalinas. Destinos concorridos nos principais roteiros de turismo. As cidades de Fortaleza e Jijoca de Jericoacoara recebem anualmente milhares de turistas oriundos de todos os cantos do planeta, atraídos pela beleza natural.

 

Aliada às apresentações musicais, o Festival Choro Jazz oferece ainda, gratuitamente, uma consistente programação pedagógica com ênfase na música instrumental, sua riqueza e multiplicidade de formas.

 

O Festival compreende, portanto, um conjunto de vivências artísticas e um território propício para novas criações, em busca da extensão da produção de conhecimento e ambiência para o fluxo de informação, compromissado com a valorização e democratização da cultura.

 

Proposta didática – O programa segue a linha das edições anteriores e conta novamente com a parceria do renomado Festival de Imersão Educacional da Música Brasileira, California Brazil Camp, que chancela as oficinas. As atividades voltadas a músicos, estudantes de música e apreciadores da música têm vagas limitadas. São oferecidas oficinas de composição, choro, canto, piano, violão, clarinete, sopros, percussão, bateria e prática de conjunto, tudo isso gratuitamente. As inscrições já estão abertas e todas as informações estão disponíveis no site do festival: www.chorojazz.com.



Escola Choro Jazz Jericoacoara – Desde 2009, o Festival Choro Jazz - Jericoacoara, firmando seu compromisso com a democratização musical, oferece ao público de todas as faixas etárias algo muito além dos shows e atrações, por meio de oficinas musicais de diversos instrumentos ministradas por exímios profissionais, criteriosamente escolhidos, oferecendo o melhor em termos de aprendizado. Sendo assim, ao longo de suas três bem sucedidas edições, o projeto, que já é uma referência, fundou a Escola Choro Jazz Jericoacoara no dia 16 de janeiro de 2012.

 

European Forum of Worldwide Music Festivals – Em 2012, o Festival Choro Jazz foi convidado a ser membro, como único representante brasileiro, do EFWMF – European Forum of Worldwide Music Festivals, a mais renomada associação internacional que reúne apenas a elite dos festivais de música em todo o mundo.

 

Programação do 6° Festival Choro Jazz, no Anfiteatro do Dragão do Mar (GRATUITO):

27/11
10h – Workshop Duo Taufic
20h – Duo Taufic
21h – Jorge Cardoso

28/11
10h – Workshop Duo Fel
20h – Duofel
21h – Quarteto Só Alegria

29/11
10h – Workshop Quarteto Só Alegria
20h – Miramari – Andre Mehmari e Gabriele Mirabassi
21h – Ricardo Silveira Quarteto

 

 

 

 

 

 

 

Show Histórias de Luz – Calé Alencar & Pingo de Fortaleza
100 anos sem Dragão do Mar e 130 anos da Abolição no Ceará em Livro e CD
O show Histórias de Luz, com os artistas Calé Alencar & Pingo de Fortaleza acontecerá no dia 20 de novembro de 2014, Dia Nacional da Consciência Negra, às 20 horas, no Teatro do Centro Dragão do Mar de Arte & Cultura. Por ocasião do show, será lançado o projeto Histórias de Luz – 100 Anos sem Dragão do Mar e 130 da Abolição no Ceará, composto de livro e CD, abordando através das linguagens da literatura, artes visuais e música a figura do líder abolicionista Francisco José do Nascimento, o Dragão do Mar, e o acontecimento da abolição no Ceará, além de temas correlatos a estes segmentos.


Parceiros de muitas andanças, o caminhar compartilhando de Calé Alencar & Pingo de Fortaleza tem início pelo fato de ambos serem nascidos sob o mesmo sol de Fortaleza, e pelo exercício do diálogo mantido em suas respectivas carreiras artísticas, entre casos e ocasos com os quais, ao longo das trajetórias individuais e coletivas, a vida os presenteou com momentos de parceria e partilha. A união dos dois artistas já resultou em outros projetos, a exemplo do CD Dragão Vivo, em parceria com o cantor e compositor Dilson Pinheiro, lançado no ano de 2000.


O projeto Histórias de Luz – 100 Anos sem Dragão do Mar e 130 da Abolição no Ceará, organizado por Calé Alencar e Pingo de Fortaleza, resultou em livro com textos assinados por Alex Ratts, Descartes Gadelha, Francisco Pinheiro, Gilmar de Carvalho, Guaracy Rodrigues, Hilário Ferreira, Ivaldo Paixão e Zé Melancia, além de um texto assinado pelos próprios organizadores, que dialogam com as ilustrações de Descartes Gadelha e as canções de Calé, Pingo e os parceiros Alan Mendonça, Carlos Pitta, Henrique Beltrão, Descartes Gadelha e Dilson Pinheiro, gravadas no CD que acompanha o livro.


Assim, textos canções e desenhos destas Histórias de Luz do livro e CD dialogam não só em torno do Dragão do Mar e da temática da libertação dos escravizados no Ceará, mas vão mais além e refletem sobre nós mesmos e a presença do negro em nossa terra com suas lutas, sua (in)visibilidade, suas irmandades e comunidades, seus entrelaçamentos e casamentos, suas festas, figuras históricas, movimentos, formas de viver e de se organizar, suas magias, paixões e sobre a produção artística que tudo isso inspira e faz criar, porque estas Histórias de Luz são também as nossas histórias aqui (re)cantadas e (re)desenhadas pelas luzes de todos que se agruparam para sua construção.


O CD Histórias de Luz, produzido por Calé Alencar e Pingo de Fortaleza, contou com a direção musical de Edmundo Júnior e Luizinho Duarte, a participação dos músicos Adelson Viana, Cristiano Pinho, Felipe Cazaux, Heriberto Porto, Marcus Vinnie e Pantico Rocha, além da participação dos músicos da banda Donaleda, do Quarteto Cearense de Cordas e do Trio de Metais.


No show de lançamento, que ocorre no próximo dia 20 de novembro, Dia Nacional da Consciência Negra, às 20 horas, no Teatro do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, Calé Alencar e Pingo de Fortaleza estarão acompanhados dos músicos Luizinho Duarte, Edmundo Júnior, Marcus Vinnie, Descartes Gadelha e Kadu Lopes, entre outros.


O projeto Histórias de Luz – 100 Anos sem Dragão do Mar e 130 da Abolição no Ceará é uma realização da Associação Cultural Solidariedade e Arte – Solar em parceria com a Casa da Memória Equatorial, contando com o apoio da Secretaria de Cultura do Estado do Ceará e da Coelce, por meio da Lei de Incentivo à Cultura do Estado do Ceará (Lei do Mecenato). O show de lançamento é uma iniciativa do Centro Dragão do Mar de Arte & Cultura e da Ceppir – Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para a Promoção da Igualdade Racial, com entrada franqueada ao público.


Dia 20, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. Acesso gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TEATRO

 

 

 

 

X Festival de Teatro de Fortaleza
Comemorando duas décadas de realização, a 10ª edição do Festival de Teatro de Fortaleza acontece do dia 10 ao dia 29 de novembro, com a mostra de espetáculos teatrais, simpósio, ações de fortalecimento das sedes de cinco grupos de teatro e a exposição Teatro e Memória. Parte desta programação será realizada no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.

 

Foram selecionados 15 grupos que deverão se apresentar em 11 teatros da Capital. Guiada pela temática “Teatro e Memória”, a 10ª edição do festival busca discutir a importância do evento para a cidade, debatendo e encenando o fazer teatral que permeou as nove edições anteriores. O objetivo do Festival de Teatro de Fortaleza é valorizar a diversidade teatral local, descentralizando os espaços de difusão e contribuindo com a formação de artistas e do público em geral.

 

“O Festival de Teatro, na sua edição 2014, tem como objetivo recuperar a memória das edições anteriores e conectá­la à cena teatral da cidade em seus mais diversos aspectos, incluindo aqui os processos de formação, de difusão e fomento durante o período que vai da sua primeira edição até as edições dos últimos anos. Dessa forma, espera­se consolidá­lo no calendário cultural da cidade e, mais ainda, promover uma relação direta com a cena atual e os movimentos de teatro em Fortaleza", destaca o coordenador de Ação e Criação da Secultfor, Lenildo Gomes. O X Festival de Teatro de Fortaleza é promovido pela Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secultfor, com produção da Cia. Prisma de Artes e co­produção do grupo Pavilhão da Magnólia.

 

 

Programação no Dragão do Mar

 

“Frei Titto: vida, paixão e morte”
Grupo Formosura de Teatro
Autor: Ricardo Guilherme / Direção: Graça Freitas
Atores: Leonardo Costa, Maria Vitória / Willian Mendonça e Ricardo Guilherme / Direção Musical e Execução: Rami Freitas / Iluminação: a direção 
Escrita no fim da década de 1980 e encenada originalmente em 1992. O trabalho é uma espécie de “reportagem teatral” que documenta a vida de Tito da infância à morte, sempre ao lado da irmã Nildes de Alencar Lima, figura presente na vida do frade. O pano de fundo do espetáculo é a Ditadura Militar e a resistência dos padres dominicanos diante das intempéries daquele obscuro capítulo da história brasileira. Uma leitura dramática feita por Ricardo Guilherme costura as nuances e os momentos da peça e contextualiza o espectador dentro a vida de Tito e da história do País.

Dia 25, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. Acesso gratuito. Classificação: 14 anos

 

 

Prometemos Não Chorar – Um Musical de Classe!
Direção: Glauver Souza – Roteiro: Bruno do Vale, Glauver Souza e Vanessa Pinheiro 

Os 13 atores em cena contam a história de três irmãs, Perfídia, Carol e Diana. Elas perdem o pai misteriosamente e têm a herança roubada pela madrasta e sua filha, vendo-se obrigadas a trabalhar num clube local. A histórica começa a mudar quando Carol descobre, acidentalmente, o que realmente aconteceu com seu pai e acaba sendo sequestrada pela madrasta. Assim, começa uma corrida contra o tempo para encontrar a irmã perdida. Clássicos da música brega, tocados e cantados ao vivo, com cenários e figurinos que remetem ao antigo teatro de revista de Walter Clark, embalam o espetáculo.

Dia 27, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. Acesso gratuito. Classificação: 12 anos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Espetáculo Made in Ceará [teatro adulto]
Com Edmilson Filho (Cine Holliúdi)
Imaginem as diferenças culturais entre brasileiros e americanos. Agora, imaginem estas diferenças do ponto de vista do humor cearense, através do olhar criativo e particular de um cearense naturalizado americano. É neste contexto que se insere o espetáculo "Made in Ceará", monólogo protagonizado por Edmilson Filho, premiado ator de cinema, que iniciou sua carreira como humorista. Tocando em assuntos diversos, o ator leva o público a uma viagem fascinante de lembranças e comparações sobre as realidades dos dois países de uma forma engraçada e original.

 

Da diferença entre um mero diálogo em uma fila da Disney nos EUA e uma fila em um terminal de ônibus qualquer no Ceará a assuntos mais complexos, como as formas de abordagens das professoras infantis aos pais dos alunos, o espetáculo discorre com muito humor e um olhar único e inédito do contraste cultural que, ao contrário do que muitos imaginam, diferenciam drasticamente Brasil e EUA.

 

Se os EUA tem no Super-Homem, Homem-Aranha, dentre outros, suas referências de histórias de super-heróis, no Brasil temos o Saci-Pererê. Em compensação, quando o Saci resolve lutar, todo chute é uma "voadora".



Sem perder a autoestima diante das dificuldades sofridas para a adaptação em um país "estranho" e sem falar a língua, o exemplo do Saci reflete o olhar observador e bem humorado de Edmilson, que a partir de tais observações começou a criar um paralelo entre as duas culturas, resgatando memórias de infância e unindo-as às novas experiências que transitam por temas como as relações familiares, inseguranças, sexualidade, festas, consumo de bebidas, linguagens e expressões corporais, dentre vários outros temas divertidos e até mesmo insólitos.

 

O espetáculo MADE IN CEARÁ não é só humor, mas um brinde a nossa cearensidade. As sutilezas da vida passam ali, mostrando especificidades nossas que só um cearense entende de verdade. A comparação ao povo americano nos faz pensar o quanto somos diferentes, mas o quanto somos de verdade, o quanto somos a nata do lixo, o luxo da aldeia, somos do Ceará, como diz Ednardo em Terral.

 

Carregamos na bagagem um palavreado só nosso, repleto de afetações, transgressões, mas que representa o que há de mais importante em um povo: a sua cultura. Dizer “o cão comendo mariola”, “menino amofinado”, “Aí dentro” é tão legítimo quanto um “Oh my God” dos americanos, e não nos faz grosseiros ou rudes, pelo contrário, nos faz gente, gente com toda a intensidade da palavra. Edmilson incorpora o cearense feliz e realizado que traz na pele as sentenças de um povo de bem com a vida. Por ser cidadão americano e presenciar as especificidades desse povo, consegue como ninguém retratar o seu dia a dia. Comparar as várias situações do cotidiano desses povos (cearenses e americanos) é no mínimo inusitado, pois quem os conhece sabe que há uma cratera entre os dois. Mas aí é que está o grande charme de MADE IN CEARÁ, mostrar que as diferenças muitas vezes aproximam e que apesar de tão diferentes sempre há uma intersecção. O humor consegue deixá-los em um único patamar: povos diferentes, sem superioridade nem inferioridade.

 

Edmilson consegue ser engraçado não só pelo texto, mas pela apresentação corporal. Os gestos, a fisionomia, os trejeitos dão equilíbrio ao que um ator precisa em cena. O palco é dele e de mais ninguém.


Dias 15, 16, 21, 22, 23, 28, 29 e 30, às 22h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 60 e R$ 30 (meia). Classificação livre.

 

 

 

 

 

 

 

 

Espetáculo "Em construção"
Cia. Plural de Artes Cênicas – Direção e concepção: Tonico Lacerda Cruz
O espetáculo propõe ao espectador e aos próprios artistas a desconstrução da história do ser humano, a partir de questionamentos acerca de si mesmo e da proposta de negação do seu natural sentimento de auto-suficiência. O ser humano, absolutamente perfeito, mas permanentemente em construção é o mote para que a história do ser humano seja desconstruída para ser reconstruída a partir de outras óticas, por cinco personagens clownescos.

 

A dialética corporal apresentada utiliza o tripé: humor, emoção e reflexão, para fazer ressignificar a história de cada um, propondo outros pontos de vista acerca de temas como: sociedade, autosuficiência, violência, tolerância, gênero, relacionamentos e família. Todos nós podemos criar e/ou recriar a própria vida, sempre. O como, depende apenas de cada um. Cinco artistas apresentam quadros que são costurados entre eles pelos próprios espectadores, a partir da proposta de não texto verbalizado, já que as letras das músicas, utilizadas como pano de fundo, provocam a reflexão de cada um. Este espetáculo é fruto de pesquisa por três anos em mímica e teatro físico e leva para o palco as linguagens entrelaçadas da mímica, do teatro físico, do circo e da dança. A trilha sonora tem músicas de Pingo de Fortaleza, Gen Rosso, J. Lima, Lenine, Teatro Mágico e Lindomar Castilho.


Dias 14, 15 e 16, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia). Classificação livre.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

OFFF FORTALEZA 2014 – FESTIVAL DE DESIGN E ARTE DIGITAL

Um dos maiores eventos internacionais de design e artes digitais acontece pela primeira vez no Brasil e aporta em Fortaleza, entre 11 e 13 de novembro, no Teatro do Centro Dragão do Mar. O OFFF Fortaleza 2014 reunirá designers e representantes dos mais renomados escritórios internacionais de design, para um encontro com profissionais e estudantes que estarão frente a frente com os maiores nomes do setor, vindos da Espanha, Inglaterra, Estados Unidos.

 

De 11 a 13 de novembro o Brasil receberá pela primeira vez uma edição do OFFF – Festival de Design e Arte Digital, evento mundialmente reconhecido por reunir alguns dos mais consagrados nomes do setor no plano internacional. Fortaleza será a cidade-sede do encontro, com debates e palestras acontecendo no Teatro do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, tendo como público-alvo profissionais e estudantes do Ceará e de vários outros estados, interessados em ampliar seus conhecimentos com um intercâmbio com grandes mestres do design mundial.

 

O OFFF nasceu em Barcelona, Espanha, há mais de uma década, como um encontro para celebrar a criação contemporânea, o design e a arte digital, já com a proposta de realizar conferências e oficinas reunindo os mais aclamados nomes do design e da tecnologia. Desde então, o OFFF se tornou uma referência mundial, sendo realizado em cidades como Nova York, Paris, Lisboa, Madri, Cidade do México, Istambul e Lisboa. Agora, o festival chega pela primeira vez ao Brasil, tendo Fortaleza como cidade-sede, em uma realização da Anima Cult e da Tupi Comunicação, com produção executiva da Usina 2. O festival conta com apoio institucional do Governo da Espanha, da Ação Cultural Espanhola, da Associação Brasileira de Empresas de Design (ABEDesign) e do Instituto Dragão do Mar.

 

“O público do OFFF é formado por pessoas que querem se aperfeiçoar, evoluir em seus conhecimentos sobre design e cultura digital, por profissionais e estudantes desses setores, que encontram no festival uma oportunidade única de aprender e de interagir com os maiores nomes internacionais do design”, destaca a produtora cultural Glícia Gadelha, integrante da Comissão Organizadora do OFFF Fortaleza 2014.

 

“A realização de um evento do porte do OFFF, em Fortaleza, é um reforço à presença da cidade no mapa da economia criativa mundial, com um festival que reúne artistas e profissionais do design, de altíssima qualificação, vindo pela primeira vez ao Brasil, em sua grande maioria, para apresentar seu trabalho e, mais do que isso, dialogar com designers do Ceará e de outros estados”, aponta Glícia, uma das responsáveis pelo desafio de trazer o OFFF a Fortaleza, em parceria com a Usina 2 e com o organizador nacional, o produtor cultural Túlio Pinheiro, que conheceu o OFFF em Barcelona e integrou a equipe de produção do evento na Europa.

 

“Morando em Barcelona, em 2010, conheci o OFFF diretamente na cidade onde o festival nasceu. Participei da produção do evento e me aproximei dos realizadores internacionais do festival”, destaca Túlio. “Diante desse canal direto com os organizadores, quando voltei pra Fortaleza, há três anos, vi quase como uma obrigação o desafio de trazer o festival pra cá, trazendo os grandes nomes do design mundial e contribuindo para que o trabalho dos designers cearenses passe a ter maior visibilidade também no circuito internacional”, aponta.

 

Os idealizadores do OFFF, relata Túlio, viram com entusiasmo a proposta de realizar uma primeira edição no Brasil e a escolha por Fortaleza. “Todos ficaram muito felizes com a ideia, assim como os artistas que estamos trazendo para o OFFF Fortaleza estão entusiasmados em vir ao Brasil, trocar conhecimentos com os designers daqui e conhecer mais sobre o Ceará e o País”, ressalta.

 

“A escolha pelo Centro Dragão do Mar também foi um modo de inserir o festival em um espaço multicultural e em um equipamento que procura criar pontes no exterior para a divulgação da nossa produção. Incluímos designers cearenses no festival e temos certeza de que esse intercâmbio será muito enriquecedor”, completa.

 

 

Interação e aprendizado
O formato do OFFF Fortaleza, destacam os organizadores, privilegiará a interação, a troca de ideias e experiências, de um modo espontâneo e informal. “Mais do que se deslumbrar com o que vai ser mostrado pelos grandes artistas internacionais do design, os participantes terão a oportunidade de interagir, dialogar, aprender, em uma atmosfera informal, de troca de ideias. Esse é um diferencial do festival”, enfatiza Túlio Pinheiro.


“Esse nível de interação com grandes artistas certamente vai repercutir na produção de design e artes visuais no Ceará. A partir das trocas que vão acontecer no OFFF, temos certeza de que muitas coisas novas e diferentes vão aparecer, contribuindo para a nossa cena”, avalia o organizador nacional.

 

 

Oportunidade única
Os organizadores do OFFF destacam ainda a oportunidade, trazida pelo festival, de profissionais, estudantes e artistas cearenses conviverem e aprenderem diretamente com integrantes de estúdios de design como o Cake e o The Mill (Inglaterra), Lo Siento (Espanha) e o multinacional Mucho, além dos premiados designers brasileiros dos escritórios Lobo e Polegar Opositor.

 

“Todos que ficam sabendo que vai acontecer em Fortaleza um festival de design e artes visuais, trazendo esses nomes, ficam imediatamente entusiasmados. Esses profissionais que estão vindo para o OFFF Fortaleza são aqueles que a gente acompanha pela Internet, pelos portais de design, são as nossas referências, mas que estão distantes da gente”, pontua. “Pela primeira vez, vamos ter a oportunidade de trocar experiências com essas pessoas e conhecer mais sobre como elas trabalham, como chegam a resultados tão incríveis, que chamam a atenção do mundo”.

 

 

Programação e convidados
O OFFF Fortaleza 2014 tem sua programação distribuída entre os dias 11, 12 e 13 de novembro, com as conferências e os showcases no Teatro do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. A abertura oficial acontece na terça-feira, 11/11, às 19h30, com uma solenidade seguida, logo de início, de uma das maiores atrações do festival: a conferência com representantes do escritório de design The Mill (EUA e Inglaterra).

 

Na quarta-feira, 12/11, as atividades do OFFF Fortaleza têm início às 16h, com o designer Rafa Soto. Às 17h a oportunidade é de trocar conhecimentos e experiências com o idealizador e fundador do OFFF, Hector Ayuso, pela primeira vez realizando uma palestra, em 15 anos de festival, para privilégio do público cearense. Os criativos integrantes do Polegar Opositor compartilham sua vivência com os participantes do festival a partir das 18h30. Às 19h é a vez dos espanhóis do Lo Siento. Os designers norte-americanos Anton & Irene fecham a noite, dialogando com o público a partir das 20h.

 

Já na quinta-feira, 13/11, os integrantes do multinacional Mucho abrem os trabalhos do último dia de OFFF Fortaleza, a partir das 16h. Às 17h é a vez dos integrantes do escritório paulistano Lobo, um dos mais aclamados do País. A designer norte-americana Sara Blake encontra o público cearense a partir das 18h30. Fechando a programação do festival, a partir das 19h30, outra das atrações mais esperadas do evento: os britânicos do Cake, um dos mais influentes estúdios de design de todo o mundo.

 

 

Ingressos à venda
O OFFF Fortaleza 2014 tem vagas limitadas, de acordo com a capacidade do Teatro do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. As conferências contarão com tradução simultânea. As vagas serão preenchidas em ordem de demanda e a venda de ingressos já começou, através do site www.bilheteriavirtual.com. O site também mantém um quiosque de vendas no Shopping Del Paseo (Av. Santos Dumont, 3131, 3º piso).

 

No primeiro lote, os ingressos para os dias 12 e 13/11 custam R$ 80,00 (com meia entrada a R$ 40,00), para cada dia. Já a solenidade de abertura e a primeira conferência, no dia 11/11, com os aclamados integrantes do estúdio de design The Mill (EUA e Inglaterra) terá entrada franca, com ingressos distribuídos a partir das 10h da manhã do mesmo dia, na bilheteria do Centro Dragão do Mar (um ingresso por CPF).

 

De 11 a 13 de novembro, no Teatro Dragão. Ingressos: www.bilheteriavirtual.com. Informações e contatos: www.offffortaleza.com e www.facebook.com/OfffFortaleza.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

VI Encontro Nietzsche-Schopenhauer

Estão abertas as inscrições para apresentação de comunicações orais e participação em minicursos, conferências e mesas-redondas do VI Encontro Nietzsche-Schopenhauer, no período de 26 a 28 de novembro de 2014, no Auditório do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura e nas dependências da Faculdade Católica de Fortaleza (FCF), em Fortaleza/CE.

 

Consolidado no calendário cultural da Região Nordeste, bem como no cenário filosófico nacional, o Encontro Nietzsche-Schopenhauer, organizado anualmente pelo Apoena: Grupo de Estudos Schopenhauer-Nietzsche, faz parte dos principais eventos de caráter filosófico realizados em Fortaleza, prestando importante contribuição para expansão da discussão filosófica brasileira para além do eixo tradicional da produção científica e cultural do País. Neste ano, o Encontro Nietzsche-Schopenhaue terá como fio condutor das discussões o tema Filosofia, Política e Tecnologias da Informação, contando com a participação dos seguintes conferencistas:

 

Conferencistas: Daniel Lins (UNICAMP), Emiliano Aquino (UECE), Giuseppe Mario Cocco (UFRJ), Henrique Antoun (UFRJ), Homero Lima (UFPE), Miguel Angel de Barrenechea (UniRio), Rogério da Costa Santos (PUC-SP), Sérgio Amadeu da Silveira (UFABC), Sylvio Gadelha (UFC), Tarcísio Pequeno (UFC/UNIFOR).

No que diz respeito às atividades do VI Encontro Nietzsche-Schopenhauer, serão realizados dois minicursos: Minicurso 1: Da “república ideal” de Platão à “grande política” de Nietzsche: de utopias e “des-utopias”, ministrado pelo Prof. Dr. Miguel Angel de Barrenechea (UniRio). // Minicurso 2: “Entre Bárbaros e Civilizados: o Andarilho e o Desconfiado, ou um diálogo imaginário entre Cabeza de Vaca e Montaigne”, ministrado pelo Prof. Dr. Ruy de Carvalho e Prof. Ms. Fabien Lins.

Os minicursos, com 4h de duração, serão realizados no dia 28/11, de 8h às 12h, nas dependências do Porto Iracema das Artes.

 

Já quanto às comunicações, que abordarão diversas temáticas, ocorrerão também nas salas do Porto Iracema das Artes, no dia 27/11, de 9h às 12h. Cada comunicação terá o tempo máximo de 30 minutos, sendo 20 para apresentação e 10 para questionamentos.


Dias 26, 27 e 28, das 14h às 21h, no Auditório. Acesso mediante inscrições inscrição@apoenafilosofia.org

 

 

 

 

 

 

 

 

III Festival Internacional de Folclore do Ceará

O Festival promove o intercâmbio e a disseminação da sabedoria popular cultural entre os povos fortalecendo a cultura popular e cultivando a identidade cultural, simbolizada pela integração e qualidade artística dos grupos presentes ao evento. Trata-se de um evento que trabalha: formação, difusão das manifestações populares, formação, entretenimento e social. Oferecendo e na programação oficinas, vivência, seminário, intercâmbio, aula-show e apresentações de Danças Populares envolvendo Grupos Folclóricos de Projeção Nacionais e Internacionais.
Dias 21, 22 e 23 de novembro, a partir das 18h30, na Praça Verde. Acesso livre.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DANÇA

 

 

 

BIENAL DE DANÇA / DE PAR EM PAR 2014

 

No próximo dia 24 de outubro, tem início a Bienal Internacional de Dança do Ceará / De Par Em Par cuja programação, em Fortaleza, inclui grandes espetáculos e festas no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. O evento chega à 4ª edição, consolidada como um importante espaço de difusão de distintas manifestações da dança cênica. Será uma rica e diversificada programação, inteiramente gratuita, distribuída em dois programas, Encontro Terceira Margem e CirculaDança, passando por 11 cidades do Ceará. Confira a programação e aproveite cada passo.

 

A noite de abertura, em 24 de outubro, será uma ocasião especial de comemoração, realizada em colaboração com o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, parceiro de longas datas da Bienal. Em palco montado na Praça Verde do CDMAC, a presença luxuosa do Ballet do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, que volta ao Festival depois de 17 anos, tendo participado uma única vez, por ocasião da primeira edição da Bienal de Dança, em 1997. Pela primeira vez, o mais antigo e renomado corpo de baile do Brasil estará se apresentando ao ar livre em Fortaleza, acessível a todo o público desejoso de vê-lo ao vivo.

 


O Ballet do Theatro Municipal do Rio de Janeiro traz um repertório concebido especialmente para a ocasião: L'Après Midi d'un Faune, de Vaslav Nijisnky, Spectre de la Rose, de Michel Fokine, e A Noite de Walpurgis, uma adaptação da obra do coreógrafo soviético Leonid Lavrovsky. Enquanto as emblemáticas obras de Fokine e Nijinsky completam mais de um século de existência e são hoje consideradas pérolas do patrimônio coreográfico ocidental, o trabalho de Lavrovsky, mesmo tendo sido forjado no contexto do regime soviético, compõe um interessante diálogo com as obras anteriores.

 


Os ingressos para a programação de abertura da Bienal De Par Em Par 2014 serão distribuídos a partir de terça-feira, dia 21 de outubro, na bilheteria do Planetário do Centro Dragão do Mar. A distribuição acontecerá das 14h às 20h até o dia 24 ou até esgotar a capacidade. Serão entregues no máximo 2 (dois) ingressos por pessoa.  Informações: 3488-8600.

 

 

 

Artistas e companhias de dança
Ao longo de um mês inteiro de programação, a Bienal De Par Em Par apresenta artistas e companhias internacionais. São eles: David Mambouch / Maguy Marin e Fabrice Ramalingom (França), Fatou Cissé (Senegal), Cia. As Palavras – Cláudio Bernardo (Bélgica – Brasil),  Marina Sarmiento (Argentina), Gilles Jobin (Suíça) e o espetáculo Good Boys, que será apresentado pelo bailarino Mathieu Doze em homenagem ao coreógrafo Alain Buffard (França), falecido em 2013.  

Do Brasil, além do Ballet do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, participam Ivaldo Mendonça (PE), Lia Rodrigues (RJ), Procura-se Cia de Dança (RN) Denise Stutz (RJ) e Companhia Gira Dança (RN). A cena local se faz presente por meio de criadores como Rosa Primo, Andréia Pires, Vitor Mac-Dowell, Silvia Moura, Gerson Moreno e Alysson Amâncio, Anália Timbó e Fran Teixeira, entre outros.

“Se de um lado interessa-nos promover o acesso da população a grande obras do patrimônio coreográfico nacional e internacional, alegra-nos constatar que tais repertórios seguem sendo capazes de mexer com a sensibilidade das plateias, provocando sempre a produção de sentidos atualizados dessas obras”, diz David Linhares, diretor da Bienal. 

 

 


Parceiros da Bienal
Nessa edição, assim como em anos anteriores, a Bienal conta com o apoio de várias instituições culturais que contribuem de forma decisiva para o sucesso do evento. Entre estas, estão: Secretaria de Cultura de Paracuru, Sobral, Crato, Trairi, Pacajus e São Gonçalo do Amarante, graduações em dança do Instituto de Cultura e Arte da UFC, Escola Pública de Dança da Vila das Artes, CUCAs, Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, Porto Iracema das Artes, Theatro José de Alencar, Jornal O Povo e Rádio Beach Park. Patrocínio: Petrobras e Correios. Co-patrocínio: Funarte e Caixa Econômica.

 

 

Bienal Internacional de Dança do Ceará / De Par Em Par 2014
De 24 de outubro a 23 de novembro em Fortaleza e outras cidades cearenses. Informações: 85-3268.3034 e www.bienaldedanca.com.

 

 

Programação Bienal de Dança em novembro - CDMAC

 

01/Nov


Alafia
Alysson Amancio
19h > Espaço Rogaciano Leite Filho > Acesso gratuito

 

My Pogo
 Cie R.A.M.a Fabrice Ramalingom (França)
21h > Teatro Dragão do Mar > Acesso gratuito

 

e-SPAÇO LISO 2.0
Topocríticas Portáteis – MiniMídias LabNômade
22h > Espaço Rogaciano Leite Filho > Acesso gratuito

 

 

02/nov

Encontro Oposto
Ivaldo Mendonça
19h > Teatro Dragão do Mar > Acesso gratuito

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PLANETÁRIO RUBENS DE AZEVEDO


Foto: Marina Cavalcante

 

O Planetário Rubens de Azevedo é um espaço de entretenimento e formação pedagógica através de caráter transdisciplinar em Astronomia.

Sessões:

O ABC do Sistema Solar
Em uma nave imaginária crianças fazem uma viagem pelo Sistema Solar. Durante a viagem elas aprendem sobre a mitologia das constelações e as lendas astronômicas. 30min.

Nos Limites do Oceano Cósmico
Usando o poder da nossa imaginação, viajaremos pelo espaço a uma velocidade próxima a da luz até o limite do universo visível, e com a ajuda do planetário, veremos de perto a nossa galáxia e grupos de galáxias muito distante de nós. Será que o universo tem fim? O que vemos no céu é uma ilusão? Você verá que o universo está em expansão e novas estrelas estão surgindo a todo instante.

Explorando o Universo
Venha se aventurar numa fascinante viagem pelo universo, e com Galileu conheceremos os segredos do céu e suas descobertas científicas para o progresso da ciência. 40min.

Origens da Vida
Mergulhando no desconhecido, e a partir das profundezas do oceano, descobriremos as origens da vida em nosso planeta. Através do tempo e espaço viajaremos até o nascimento das primeiras estrelas. 30min.

 

Sessões às quintas e sextas-feiras:

18h - Explorando o Universo
19h - Nos Limites do Oceano Cósmico
20h - Origens da Vida


Sessões aos sábados e domingos:

17h - ABC do Sistema Solar
18h - Explorando o Universo
19h - Nos Limites do Oceano Cósmico
20h - Origens da Vida

 


Noite das Estrelas

O projeto NOITE DAS ESTRELAS funciona há 8 anos no Planetário Rubens de Azevedo e já recebeu milhares de pessoas entre turistas e público local. Todos os meses, sempre nas noites de Quarto Crescente Lunar, o planetário disponibiliza telescópios ao público em geral para observação astronômica: Crateras da Lua, Planetas, Nebulosas, etc. A participação é gratuita, sempre a partir das 19h. Basta chegar no planetário e entrar na fila. Atenção: se o céu estiver nublado, não haverá observação astronômica, podendo haver também interrupção do programa, entre 19h e 21h, se as condições não estiverem favoráveis à continuação da atividade.

Dias 1 e 2 de novembro, às 19h, em frente ao Planetário. Acesso gratuito.

 

Atenção:  É obrigatória a apresentação de documento que comprove o parentesco do responsável com a criança menor de 10 (dez) anos de idade no ato de compra do ingresso de qualquer evento/espetáculo do Centro Dragão do Mar. Esta é uma determinação da Justiça do Estado.

 

 

 

 

 


CINEMA DO DRAGÃO - FUNDAÇÃO JOAQUIM NABUCO

 

A programação regular do Cinema do Dragão - Fundação é definida semanalmente, numa parceria entre a Fundação Joaquim Nabuco e a curadoria adjunta (Salomão Santana e Pedro Azevedo) e pode ser consultada na página do cinema neste site ou no blog www.cinemadodragao.com.br.

 

Informações: 3219.5899
www.dragaodomar.org.br
programacaocinema@dragaodomar.org.br
Twitter: @cinemadodragao
Facebook: Cinema do Dragão-Fundação


Ingressos na Bilheteria do Cinema do Dragão -Fundação R$ 12,00 (inteira) e R$ 6,00 (meia). A bilheteria funciona de terça a domingo, das 14 às 22h.

 

 

Agilize a sua entrada! Ao comprar ingresso através do site ingresso.com, imprima o comprovante/ingresso de compra e dirija-se diretamente à entrada do Cinema do Dragão, sem necessitar fazer a troca na bilheteria. É mais prático e rápido. Experimente.

 

 

Também têm direito à meia da meia-entrada, no valor de R$ 3,00, estudantes da Escola Porto Iracema das Artes e da Escola de Artes Thomaz Pompeu Sobrinho e alunos de audiovisual do Centro Cultural Bom Jardim, da UFC, UNIFOR e da Vila das Artes, mediante apresentação de comprovante de matrícula.

 

 

 

 

 

 

 

MÚLTIPLAS LINGUAGENS

 


Sahaja Yoga
O A prática permite que a pessoa se identifique com o seu verdadeiro ser, abandonando os hábitos negativos para a evolução espiritual.
Todas as sextas, às 16h, no Bosque da Praça Verde. Acesso gratuito.

 

Encontro Cearense de Malabares
O encontro reúne jovens iniciantes e profissionais que exercem a prática dos malabares.
Todos os sábados, às 17h, na Praça Almirante Saldanha. Acesso gratuito.

 

5º Grupo Escoteiro do Ar Pinto Martins
De acordo com a faixa etária dos participantes, o grupo define as atividades de escoteirismo.
Todos os sábados, das 14h às 17h, no Bosque da Praça Verde. Acesso gratuito.

 

Feira Dragão Arte
Feira de artesanato fruto da parceria com Sebrae-CE e Siara-CE.
Todas as sextas, sábados e domingos, das 17h às 22h, ao lado do Espelho D'Água. Acesso gratuito.

 

Brincando e Pintando no Dragão do Mar
Brincadeiras e atividades infantis para todas as idades orientadas por monitores.
Todos os domingos, das 16h às 19h, na Praça Verde. Acesso gratuito.

 

Planeta Hip Hop
Grupos promovem exibições de dança e música hip hop.
Todos os sábados, às 19h, na Arena Dragão do Mar.


 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MUSEU DA CULTURA CEARENSE – MCC

 


O Museu da Cultura Cearense é um museu etnográfico que tem como proposta promover a difusão, a fruição e a apropriação do Patrimônio Cultural do Estado do Ceará, aplicando ações museológicas de pesquisa, preservação e comunicação, visando à inclusão e ao desenvolvimento sociocultural.

 

 

Exposições

 

 

 

Pedra de Toque

 

 

Articulando a tentativa de uma reativação da memória coletiva por meio de questões ligadas ao espaço público através da técnica da ciclogravura - um trabalho típico da cultura cearense -, a exposição Pedra de Toque reúne trabalhos em diferentes linguagens com o propósito de colocar em perspectiva diferentes noções de valoração, propondo um deslocamento-devaneio sobre diversos espaços da cidade, seja em termos afetivos, financeiros, sociais ou de sua mera e indizível experimentação física.

Pedra de toque é um material lítico escuro, rico em compostos silicosos, usado para testar ligas de metais preciosos. Conhecido há muito tempo, o teste da pedra de toque, ao permitir mais precisão na identificação do ouro, da prata e suas ligas, foi uma revolução que contribuiu para a disseminação do uso desses metais, expandindo seu comércio e uso como unidades monetárias e de reserva de valor.  

 

 

Em cartaz: até 23 de novembro. Visitação: terça a sexta, das 9h às 19h (com acesso até as 18h30); sábados, domingos e feriados, das 14h às 21h (com acesso até as 20h30). Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

Vaqueiros [Sala 4]

Foto: Marina Cavalcante

Exposição lúdica, de caráter didático, percorre o universo do vaqueiro a partir da ocupação do território cearense pela pecuária até a atualidade. Utiliza cenografia, imagens e objetos ligados ao cotidiano do vaqueiro.

 

Visitação de terça a sexta, das 9h às 19h; e aos sábados, domingos e feriados das 14h às 21h. Gratuito.

 

 

 

 

 

Agendamento de grupos para visitas às exposições

Núcleo de Ação Educativa

Partindo das especificidades de um museu etnográfico, o Núcleo de Ação Educativa do MCC objetiva formar educadores para atender ao público agendado e espontâneo. Composto por uma equipe multidisciplinar, realiza mediações com as mais variadas temáticas relacionadas à cultura popular trazidas pelas suas exposições.

Mediações
Os educadores do MCC proporcionam três tipos de mediações aos seus visitantes:

  • Mediação simples: mediação rápida, mais orientadora, destinada ao público não agendado e espontâneo. Duração de até 20 min.
  • Mediação ampliada: mediação problematizadora, formadora, que instiga o visitante a refletir de forma crítica sobre a exposição. Duração de até 01h30min.
  • Mediação com oficina: mediação mais prolongada, pois além de ter como ponto central a reflexão, nesta visita atividades de arte-educação são vivenciadas. Por exemplo: teatro de fantoche, desenho, contação de história, roda de conversa e oficinas de acordo com a exposição em cartaz. Duração de até 2hs.

 

O agendamento dos museus do CDMAC pode ser feito de segunda a sexta, das 13h às 18h.
Contato: (85)3488.8604
E-mail: agendamento@dragaodomar.org.br

 

 

 

 

 

 

MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA – MAC

 

 


Exposição

 



 

 

Mostra Carioca: a impureza como mito

 

 

O Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura apresenta, de 8 de outubro a 30 de novembro de 2014, a “Mostra Carioca: a impureza como mito”, cerca de 50 obras de artistas que tem o Rio de Janeiro como inspiração de seus trabalhos, em obras pertencentes às coleções do MAM Rio, incluindo as coleções de Gilberto Chateaubriand e Joaquim Paiva, que estão no Museu carioca em regime de comodato. Originária no MAM em 2012, a mostra foi apresentada no Espaço Cultural Casa das Onze Janelas, em Belém e integra a nova área de Circulação de Exposições da seleção pública do programa Petrobras Cultural.

 

Luiz Camillo Osorio e Marta Mestre, curadores do MAM Rio, observam que “a mostra não pretende ‘tematizar’ o Rio, mas revelar o quanto a cidade foi e permanece sendo um espaço ao mesmo tempo caótico e criativo que alimentou uma vontade de arte que combina improvisação e rigor”. “Do final do modernismo, passando pelo concretismo, pelo neoconcretismo, pela pop e pelo conceitualismo, e chegando ao momento contemporâneo, a exposição uma espécie de ‘espírito carioca’ perpassou – consciente ou inconscientemente – a criação artística local, potencializando sua articulação e penetração global”, afirmam os curadores.

 

A exposição terá obras em diferentes técnicas e suportes, como esculturas, instalações, pinturas, desenhos e fotografias. Farão parte da mostra obras emblemáticas, como dois “Metaesquemas”, de 1957, e cinco ”Parangolés”, de Hélio Oiticica. Destes últimos, serão apresentas cópias de exibição, que o público poderá vestir. Também fará parte da mostra a obra “Bicho”, de Lygia Clark, de 1960, feita em alumínio.

 

As obras mais recentes são as serigrafias sobre tecido “Cangaço/Xô choque” e ”Cangaço/todo poder à praia!”, feitas em 2013 pelo coletivo Opavivará (Rio de Janeiro, 2005). Outros trabalhos atuais são as fotografias da série “Objetos para tampar o sol de seus olhos”, de Paulo Nazareth, de 2011.

 

“Os trabalhos foram escolhidos pela sua capacidade de propor imagens reconfiguradas do Rio de Janeiro e da sua vida urbana enquanto espaço de experiência cultural”, ressaltam os curadores.

 

Na mostra, alguns trabalhos são acompanhados de audioguia com informações complementares sobre a trajetória do artista e sobre a obra.

 

 

 

 

MINIBIOGRAFIA DOS ARTISTAS

 

Luiz Alphonsus
Belo Horizonte, MG, Brasil, 1948.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

 

Antonio Manuel
Avelãs de Caminho, Portugal/Brasil, 1947.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.  

 

Felipe Barbosa
Niterói, Rio de Janeiro, Brasil, 1978.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

 

Cabelo
Cachoeiro de Itapemirim, ES, Brasil, 1967.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

 

Marcos Cardoso
Paraty RJ, Brasil, 1960.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

 

Aluísio Carvão
Belém, PA, 1918 - Poços de Caldas MG, Brasil, 2001.

 

Marcos Chaves
Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 1961.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

 

Lygia Clark
Belo Horizonte, MG, 1920 - Rio de Janeiro RJ, Brasil, 1988.

 

Paulo Climachauska
São Paulo, SP, Brasil, 1962.
Vive e trabalha em São Paulo.

 

Raymundo Colares
Grão Mogol, 1944 - Montes Claros MG, Brasil, 1986.

 

Daniela Dacorso
Belo Horizonte, MG, Brasil, 1969.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

 

José Damasceno
Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 1968.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

 

Osmar Dillon
Belém PA, Brasil, 1930.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

 

Iole de Freitas
Belo Horizonte MG, Brasil, 1945.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

 

Rubens Gerchman
Rio de Janeiro, RJ, 1942 - São Paulo, SP, Brasil, 2008

 

Alair Gomes
Valença, 1921 - Rio de Janeiro RJ, Brasil, 1992.

 

Kátia Maciel
Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 1963.      
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.



Lia Menna Barreto
Rio de Janeiro RJ, Brasil, 1959.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

 

Hélio Oiticica
Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 1937 – 1980.

 

Lygia Pape
Nova Friburgo, 1927 - Rio de Janeiro RJ, Brasil, 2004.

 

Glauco Rodrigues
Bagé, RS, 1929 - Rio de Janeiro RJ, Brasil, 2004.



Ione Saldanha
Alegrete, RS, 1919 - Rio de Janeiro RJ, Brasil, 2001.

 

Daniel Senise
Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 1955.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

 

Gustavo Speridião
Rio de Janeiro RJ, Brasil, 1978.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.



Evandro Teixeira

Irajuba, BA, Brasil, 1935.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.



Paula Trope

Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 1962.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

 

Adriana Varejão
Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 1964.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.



Luiz Zerbini
São Paulo SP, Brasil, 1959.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

 

Rochelle Costi
Caxias do Sul, RS, Brasil, 1961.
Vive e trabalha em São Paulo.

 

Paulo Nazareth
Governador Valadares MG, Brasil, 1977.
Vive e trabalha em Belo Horizonte.

 

Thomaz Farkas
Budapeste, Hungria, 1924 – São Paulo, 2011.

 

 

 

Em cartaz até 30 de novembro de 2014. De terça a sexta, das 9h às 19h (acesso até às 18h30); sábado, domingo e feriado, das 14h às 21h (acesso até às 20h30).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ações Educativas

Mediação a partir dos conteúdos das exposições para público espontâneo e agendado. A equipe é formada por Arte Educadores - universitários multidisciplinares - que desenvolvem ações de mediação com Escolas, Projetos, Universidades, ONGs e demais instituições interessadas em visitar o Museu e conhecer mais sobre Arte Contemporânea.

 

O agendamento dos museus do CDMAC pode ser feito de segunda a sexta, das 13h às 18h.

 

Biblioteca de Artes Visuais Leonilson

Espaço especializado em artes visuais com cerca de dois mil livros nas áreas de Fotografia, Design, Museologia, História da Arte, Arquitetura e Urbanismo, Moda e Arte Contemporânea.

Serviço gratuito, de terça a sexta, das 9h às 18h.

 

 

 

 

 


 



 


 

 

 

CENTRO DRAGÃO DO MAR DE ARTE E CULTURA

Rua Dragão do Mar 81, Praia de Iracema - CEP: 60060-390 - Fortaleza/CE - CNPJ: 02.455.125/0001-31
Informações gerais: 55 (85) 3488 8600 / 55 (85) 3488 8608