VI Mostra da Cultura Reggae no Ceará

 

A Mostra da Cultura Reggae no Ceará chega à sexta edição ampliando o objetivo de difundir a identidade reggae local. Seu tema central – Encontro Sound System – destaca ainda a comemoração do importante legado que a única equipe de sound system do Ceará vem construindo. O evento integra a Semana Municipal da Cultura e Identidade Reggae, realizada do dia 1º a dia 7 de julho, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura e Rede Cuca. O primeiro dia do Reggart é também o Dia Internacional do Reggae.

 

Abrindo a série de encontros, a primeira equipe de som feminino no Brasil, a Sound Sisters (SP), e a cantora Layla Arruda (SP) irão conduzir uma roda de conversa sobre  "As mulheres no Sound System", no auditório do Dragão do Mar. À noite, uma homenagem aos dez anos do Dub Foundation Sound System” toma conta da Praça Verde. O show traz o intercâmbio entre atrações musicais com renome nacional.

 

 

Investindo na qualificação dos profissionais locais, a mostra realiza dois workshops relacionados à cultura sound system no sábado (2):  “Montando e Operando um Sound System”, com o fundador de uma das principais equipes de Sound System do Brasil (DubVersão), Yellow P; e “Técnicas de gravação, mixagem e produção”, com o músico, produtor musical, técnico de áudio e DJ de Recife, Buguinha Dub.

 

Um encontro histórico para o sound system nacional é a programação preparada para a segunda noite de evento. Reúnem-se para discotecar também, na Praça Verde, Dub Foundation, única equipe de sound system do Ceará; Dubversão, primeiro sound do Brasil e de São Paulo; e Buguinha Dub, músico e DJ que tem se destacado no cenário nordestino e realizado participações com nomes como Racionais MC’s, Nação Zumbi e Cordel do Fogo Encantado.

 

Numa parceria com o Instituto Cuca, através da 2º edição do Edital de Bandas, a mostra chega aos Cucas Jangurussu e Mondubim nos dias 05 e 06 de Julho, respectivamente. Apresentações musicais e feira de artesanato ocuparão os espaços. Já o Cuca Barra recebe dois cursos de formação: Fotografia na Música - Do retrato à fotografias de shows e Doc. Musical.

 

A Mostra de Reggae do Ceará é realizada pelo Coletivo Reggart, com co-produção da Dub Foundation Sound System, apoio do Governo do Estado do Ceará através do Instituto Dragão do Mar, e Prefeitura Municipal de Fortaleza através da Rede Cuca. O evento é integrado à Rede Brasil de Festivais e ao Circuito Nordeste de Festivais.

 

O Reggart

 

Concebido como uma grande mostra com referência central na cultura reggae, o REGGART vem sendo, desde sua primeira edição, em 2011, um dos principais eventos da linguagem no Ceará. Ocupando espaços públicos, ele aborda as relações do reggae com a moda, a culinária, a dança e o audiovisual. Seu objetivo é mostrar a importância do desenvolvimento e mapeamento sócio, econômico e cultural do reggae.


Programação

 

//// Sexta 01/07

 

Abertura da VI Mostra da Cultura Reggae no Ceará e do Encontro Sound System

 

16h30 – Roda de Conversa “As mulheres no Sound System”
Convidadas: Layla Arruda (SP), Sound Sisters (SP) // Mediação: Priscilla Delgado (CE)
Local: Auditório // Gratuito mediante lotação

 

18h – Abertura da Semana Municipal da Cultura e Identidade Reggae Comemoração dos 10 anos da Dub Foundation
Atrações: Dub Foundation (CE), Layla Arruda (SP), Sound Sisters (SP), Dub Moviment (CE), Missigena Sound System e Tapuyo (RN)
Local: Praça Verde // Ingressos: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia)

 

 //// Sábado 02/07

 

10h – Workshop “Sonorização para Sound System”, com Yellow P (SP)
Local: Varanda dos Museus // Gratuito mediante a inscrição

 

14h – Workshop “Técnicas de gravação e mixagem”, com Buguinha (PE)
Local: Varanda dos Museus // Gratuito mediante a inscrição

 

16h30 – Roda de conversa “Sound System: dos primórdios aos dias atuais”
Convidados: Yellow P (SP) e Caio (CE)
Local: Auditório do Dragão do Mar ou Varanda dos Museus // Gratuito mediante lotação

 

19h – Feira do Vinil
Local: Espaço Mix (em frente ao auditório do Dragão do Mar) // Gratuito

 

20h – Reggart no Dragão
Atrações: Dub Foundation (CE), Dub Versão (SP) e Buguinha (PE)
Local: Praça Verde // Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia)

 

Dia 1º de julho de 2016, a partir das 16h30; e dia 2 de julho de 2016, a partir das 10h. Confira programação acima.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Performances [Temporada de Arte Cearense]
"Lutus"
Eric Barbosa, Diego Salvador e Matheus Rocha (Live Images)

 

 

A solenidade da circunstância , a opulência da comitiva só servem para enfatizar o drama da situação. Quanto maior o apego... maior o sofrimento do luto. Rações e interpretações reativas a uma perda significativa, geralmente pela morte de outro ser, perda material, objeto, sentidos e vigor. O luto em diferentes formas de expressão em culturas distintas e atemporais, sem buscas assertivas referenciais de tempo. A perda, aperto no peito, vazio e silêncio no corpo-fala; aliadas aos sentimentos naturais de interpretação, dessa condição. ser/estar vivo. Descamar-se, repartir, romper frestas, criar rupturas através de métodos de fuga.

 

O processo criativo performático apresentado pelos artistas Eric Barbosa e Diego Salvador retrata o luto como representação e seus desdobramentos por fases sensoriais e como cada ser lida com seus processos de luto. O trabalho desenvolvido evolui de acordo com as lembranças apresentadas de cada artista, representando o luto pessoal de cada. Seus estigmas: traumas, dores, figuras, objetos, a simplicitude, o resguardo, o silêncio, pseudo-superações, sons e escutas íntimas em um brado de resignações, expostas como disparador do ato performático dos artistas aqui envolvidos.

 

O processo de pesquisa da performance foi baseado nas obras do pintor russo Ivan Kramskoi (1837-1887). O tipo de pintura que é produzido por Kramskoi algo como realista e que possui uma forte ligação como um profundo observador e intérprete da natureza humana. Nas obras, sua expressão a suas impressões, comedida , rigorosa e simples. Na elaboração da performance a pintura Tristeza Inconsolável serviu como referência, cujo o artista adotou a heroína com as características do retrato de sua esposa SN Kramskaya.

 

Dia 1º de julho de 2016, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Gesto Urbano na Praça


Ações de site-specific e intervenções de arte urbana na Praça Almirante Saldanha, que serão realizadas no mês de julho.

 

Bordado Urbano, nas grades do Dragão do Mar.
Dias 2, 3, 5, 6, 7, 8 e 9 de julho de 2016, às 16h, na Praça Almirante Saldanha. Gratuito.

 

Esculturas Aéreas, com esculturas nos postes da Praça.
Dias 12, 13, 14, 15, 16, 17, 19, 20, 21 e 22 de julho de 2016, às 16h, na Praça Almirante Saldanha. Gratuito.

 

WC Ciclo
Dia 17 de julho de 2016, às 16h, na Praça Almirante Saldanha. Gratuito.

 

CarRUAgem – Ateliê Itinerante, com pintura dos bancos da Praça.
Dia 24 de julho, às 16h, na Praça Almirante Saldanha. Gratuita.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Espetáculo “O Destino a Deus Pertence” [CANCELADO!]
Trupe Tomara Que Não Chova

 

 

Espetáculo teve temporada cancelada, no Teatro Dragão do Mar, por motivos pessoais do grupo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Polifonias [Temporada de Arte Cearense]
Edinho Vilas Boascom show “Retumbantes”

 

 

Retumbante é o show de lançamento do disco homônimo, no qual Edinho Vilas Boas presenteia o público com canções inspiradas marcadas pela universalidade musical. No espetáculo, além de apresentar seu mais recente registro, Edinho Vilas Boas faz releituras de grandes nomes da música cearense, como Duarte Duarte, Rodger Rogério, Fausto Nilo e ainda versões de clássicos da Música Popular Brasileira.

 

Dia 2 de julho de 2016, às 20h, no Anfiteatro. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Teatro Infantil Especial [Temporada de Arte Cearense]
Espetáculo “Veredas”
Grupo Palavras e Passos

 


O espetáculo traz os caminhos do sertão por onde passa o povo nordestino. Gente que carrega sina de luta, força e alegrias, para onde a vida os leva, pelas tortuosas e secas veredas do sertão.

 

Dias 3, 10, 17 e 24 de junho de 2016, às 17h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 6 e R$ 3 (meia). Livre.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Lançamento de Disco [Temporada de Arte Cearense]
Cacique Pequena

 

 

A primeira cacique mulher do Ceará lança o disco "Beleza da Vida – Musicalidade Indígena”, no Dragão do Mar. Cacique Pequena chefia a aldeia dos Jenipapo-Kanindé, no município de Aquiraz (CE).

 

Dia 3 de julho de 2016, às 20h, no Anfiteatro. Ingresso: 1 kg de alimento não-perecível.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Cine Caolho


O Cine Caolho é um cineclube do Coletivo Alumbramento, que se propõe como espaço para a exibição e reflexão sobre a produção audiovisual cearense. Nesta edição, apresenta exibição gratuita e inédita dos filmes "HISTÓRIA DE UMA PENA", de Leonardo Mouramateus, "DO QUE SE FAZ DE CONTA", de Amanda Pontes e Michelline Helena e "DO LADO DE CÁ", de Emerson Déo Cardoso. Depois, tem conversa mediada por Raisa Cristina e texto de Erico Araujo Lima, através da parceria com a Sobrecinema.

 

Dia 4 de julho de 2016, às 19h30, na Sala 2 do Cinema do Dragão-Fundação Joaquim Nabuco. Gratuito com retirada de ingressos 1h antes, na entrada da sala.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Pôr do Som - Música de Câmara no Dragão

 

 

A cada sábado, um grupo destacado da Orquestra Sinfônica da Universidade Estadual do Ceará (Osuece) apresenta-se no Dragão do Mar. Confira a programação deste mês:

 

02/07 – Charles da Flauta – Flautista virtuose nascido na periferia da cidade de São Paulo. Ainda garoto perdeu a mãe e foi criado pelo pai, sempre com muita dificuldade financeira. O talento musical dos garotos era grande. O pai logo reconheceu esta aptidão dos filhos e para sustentar a família formou um grupo de choro que se apresentava nas ruas do centro de São Paulo. Charles na flauta transversal, seu irmão gêmeo Reinaldo tocava pandeiro e violão e Alex, o mais novo, no cavaquinho. Charles, autodidata, logo despontou. Conheceu a fama quando foi convidado a gravar um excepcional disco solo com apenas 14 anos de idade. Nesta época, apresentou-se com desenvoltura em programas de televisão como Faustão, Fantástico, Hebe, Xuxa, Jô Soares, entre outros.

O trabalho deu continuidade por alguns anos, tocou muitas vezes com Raphael Rabello, Dominguinhos e Altamiro Carrilho, seu mestre. Neste tempo áureo, se apresentou na Holanda e foi convidado para estudar música na Alemanha. Charles da Flauta é vencedor de 2 Prêmios “Sharp” de Música, já recebeu Medalha de Honra ao Mérito na Holanda, participou de pelo menos 9 programas do Faustão, 5 Fantástico, Altas horas e etc. Tocou, além de Dominguinhos e Raphael Rabello, com Paulo Moura, Demônios da Garoa, Yamandú Costa, Gilberto Gil, Diogo Nogueira, Conjunto Época de Ouro e muito mais.

 

09/07 – Miquéias dos Santos – Músico, professor, compositor e baixista. Durante a sua carreira artística, acompanhou grandes artistas da música brasileira, como Leny Andrade, Fagner, Waldonys, Amelinha, Margareth Menezes, Dominguinhos, Chico César, entre outros. Lecionou em vários festivais de formação musical, como oFestival de Música da Ibiapaba, Festival de Jazz e Blues de Guaramiranga, Festival Centro Sul e Vale do Salgado (Iguatu). Em 2007, com o quarteto Marimbanda viajou pela Europa em turnê por Briancon, Bordeaux e Bruxelas. Atualmente prepara seu primeiro Cd solo e também um livro voltado para o estudo do contrabaixo.

 

16/07 – Márcio Resende e Carlinhos Patriolino

 

23/07 – Cello no Choro – Trio instrumental recentemente formado, apresenta neste concerto um repertório totalmente voltado à obra de Pixinguinha. O grupo é formado pelo bandolim de Rairton Lima, o violoncelo de Ricardo Monteiro e pelo pandeiro de Luizinho Duarte, um dos grandes nomes da nossa música cearense.

 

30/07 – João Paulo – Solo – Nascido em Fortaleza-CE, João Paulo Moreno iniciou seus estudos musicais aos 17 anos, mas o contato com a música já era muito forte. Levou seus estudos com seriedade ao ingressar o curso técnico em música pelo IFCE, onde recebe orientações até hoje do seu amado mestre Eddy Lincolln (CE). Atualmente, é aluno do curso de licenciatura em música pela Universidade Estadual do Ceará, onde tem aulas com o mestre Marcos Maia (CE). Atua no programa de iniciação artística pelo quarteto de violões Quartzo Verde, dirigido por Daniel Escudeiro (CE) e teve uma grande experiência como bolsista no programa de iniciação a docência- PIBID música (UECE). Por fim, o violonista também é professor de violão na escola especializada em música Hulda Lage.

 

Todo sábado, às 17h, na Arena Dragão do Mar. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Teatro da Terça [Temporada de Arte Cearense]
Espetáculo “Caio & Léo”
Outro Grupo de Teatro

 

 

O espetáculo conta com Ari Areia e Tavares Neto no elenco, interpretando um texto de Rafael Martins, sob direção de Yuri Yamamoto. A trama conta como os dois personagens se conhecem por acaso em um fim de tarde, num píer à beira do mar aberto, e sobre como os dois acabam se envolvendo.

 

Para um deles, no começo, há entraves que impedem um mergulho mais desimpedido... “Até que o vento muda o rumo dessa história”. Léo é fotografo, e Caio é consultor de planejamento. Universos diferentes, com características quase opostas, e permeados por detalhes instigantes que são revelados ao longo da peça e que acabam despertando o interesse e o desejo de um pelo outro.


O espetáculo se propõe a ir além do mero romance, tocando em questões mais profundas. Na verdade, a obra lança mão do acontecimento amoroso entre os personagens para falar sobre tempo, afetividade e sexo. Esses aspectos vão se desenhando no palco e tomando contornos fortes, pelo tesão, sarcasmo e até agressividade dessas duas figuras masculinas que, em cena, também se mostram sensíveis.

 

Dias 5, 12, 19 e 26 de julho de 2016, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 6 e R$ 3 (meia). Classificação 16 anos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Arena Festejo Ceará Junino

 

 

Os festejos juninos chegam até o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura às quartas-feiras, sempre às 19h, no Espaço Rogaciano Leite Filho, com a programação do "Arena Festejo Ceará Junino", integrando mostra de casamentos juninos e de grupos regionais. Como parte do XVIII Festejo Ceará Junino 2016, promovido pela Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), as apresentações dos grupos são uma ótima opção para quem quer conferir a festa junina de Fortaleza em um só local. A programação tem entrada franca e segue até dia 6 de julho, com 15 quadrilhas juninas no total.

 

"As apresentações especiais dessas quartas-feiras serão uma amostra do que acontece pelo Estado. Convidamos 15 quadrilhas juninas de Fortaleza para fazer parte dessa programação no Dragão do Mar. Esperamos todos vocês nessa linda festa que será montada em três quartas-feiras do mês", destaca Sheila Fernandes, organizadora das mostras, selecionada pela Secult e representante da Associação dos Produtores e Empreendedores Culturais do Estado do Ceará.

 

Circuito de Festivais pelo Ceará

 

O grande circuito de festivais do Ceará Junino começou na última sexta-feira, 17/6, em Senador Pompeu, Missão Velha e Fortaleza, abrindo a sequência de 20 festivais de quadrilhas apoiados pela Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), com eventos seguindo em todas as regiões do Estado, até o mês de julho. Todos os festivais foram selecionados através do Edital Ceará Junino 2016, previsto na legislação estadual como ferramenta da política cultural do Estado, contribuindo para valorizar as manifestações tradicionais da sociedade e para democratizar o acesso da população aos bens e serviços artísticos e culturais.

 

Ao final do circuito de 20 festivais, haverá uma etapa final, o Campeonato Estadual dos Festejos do Ceará Junino, realizada de 14 a 17 de julho, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, em Fortaleza, reunindo as quadrilhas vencedoras de cada festival.

 

 
Edital Ceará Junino 2016

 

Através do Edital Ceará Junino 2016 foram selecionados projetos e ações, de todo o Ceará, que têm por objetivo identificar, difundir e estimular as tradições regionais cearenses voltadas para os festejos juninos do Estado. Com o edital, o Governo do Estado, por meio da Secretaria da Cultura, investe R$ 2,6 milhões no fomento a grupos juninos, festivais regionais e para a realização do Campeonato Estadual dos festejos do Ceará Junino.

 

A Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult) apoia, através do Edital Ceará Junino 2016, 100 quadrilhas tradicionais, 20 festivais juninos e a culminância das festividades, o Campeonato Estadual Festejo Ceará Junino.

 

Dia 6 de julho de 2016, às 19h, no Espaço Rogaciano Leite Filho. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Teatro da Terça Especial [Temporada de Arte Cearense]
Espetáculo “Pedro, que Horas São?”
Coletivo Paralelo

 

 

O Coletivo Paralelo apresenta “Pedro, que horas são?”, uma releitura caricaturada do indivíduo contemporâneo, pós-moderno, desprovido de si mesmo, entregue ao estereótipo do sucesso. O espetáculo é um grito de socorro por todos aqueles que se afundam diariamente nos grilhões da engessada rotina, que adoecem sem querer na incessante busca pelo primeiro lugar, que, ludibriados pelo princípio da competição predatória, levantam todas as manhãs a fim de conquistar uma vida melhor, mas pagam um preço à altura do próprio esforço: a omissão da liberdade em troca de uma suposta qualidade de vida.

 

Dias 6, 13, 20 e 27 de julho de 2016, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 6 e R$ 3 (meia). Classificação livre.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Quinta com Dança Experimental [Temporada de Arte Cearense]
Espetáculo “Domina a ti”
Julia Jardim

 

 

É uma pesquisa original de dança com malabares que utiliza materiais circenses como extensão do próprio corpo e movimento. A artista propõe a desconstrução da técnica a partir da ressignificação dos objetos trazidos em cena, os quais podem ser associados às emoções humanas que frequentemente nos levam e dominam, mas que, em momentos de vontade e lucidez podem ser dominadas por nós. É interpretado pela artista Julia Jardim, com duração aproximadamente de 10 minutos.

 

+

 

Quinta com Dança [Temporada de Arte Cearense]
Espetáculo “Felizes Para Sempre”
Clarissa Costa e Jhon Morais

 

 

Como nos apresentamos diante da sensação de felicidade eterna ao conhecer o amor de nossas vidas? E como nos mostramos depois que o eterno acaba? Os intérpretes Clarissa Costa e Jhon Morais, movidos por questões relacionadas ao amor, com pitadas de ironia e bom humor, passeiam por entre técnicas de dança de salão, gestos e vocabulários da Língua Brasileira de Sinais em nuances efêmeras e por alguns factíveis modos de se comportar em um relacionamento amoroso. Por uma tentativa de ir do céu ao inferno em uma dança.

 

Dias 7, 14, 21 e 28 de julho de 2016, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. Livre.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Batalha do Dragão

 

 

Projeto mensal realizado com o objetivo de promover batalhas de rimas, eventos tradicionais do hip hop, em que mestres de cerimônia (MCs) duelam através das rimas de improviso, com o objetivo de superar o adversário, até que vença o melhor. A participação é gratuita, mas as vagas para competir são limitadas.

 

Mediador: Erivan Produtos do Morro
DJ: Robson Além da Ideia
Grupo convidado: Ernany RVM, com participação de Isabel Gueixa. Ernany RVM utiliza o rap como instrumento de transformação, informação e conscientização de jovens. Nascido na Bahia, atualmente reside em Fortaleza, onde desenvolve seu projeto solo ao lado da cantora Isabel Gueixa. Em suas composições, trabalha a valorização da identidade negra e trata dos problemas existentes nas comunidades periféricas, abordando temas como redução da maioridade penal e consciência de classe. Lançou, recentemente, “Na Terra Preta é Que Nascem as Árvores com os Melhores Frutos”, um disco de raiz black que resgata clássicos da MPB, da Soul Music e do Funky. Representa assim o movimento negro dentro do hip hop cearense, carregando afirmação de identidade, consciência negra, muita musicalidade e ideologia.

 

Programação
18h – Abertura das inscrições
18h30 – Apresentação Ernany RM, com participação de Isabel Gueixa
19h – Início da Batalha
21h – Intervalo com apresentações diversas
21h20 – Retorno da Batalha
21h30 – Anúncio do vencedor da Batalha do Dragão e foto oficial do campeão com a crew toda reunida.

 

Premiação
1º lugar – 4 beats e 4 gravações no estúdio Produtos do Morro – Produções de Rap + 1 boné e uma camisa da Bronx
2º lugar – 1 beat e 1 gravação no estúdio Produtos do Morro – Produções de Rap + 1 boné da Bronx
3º lugar – Um boné da Bronx

 

Dia 8 de julho de 2016, às 18h, no Espaço Patativa do Assaré. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dragão Instrumental [Temporada de Arte Cearense]
Expresso 5 – “Jazz em Movimento”

 

 

Formado por jovens e talentosos músicos cearenses, o Expresso 5 é um quinteto que nasceu com o intuito de trazer a música instrumental e o  jazz para perto de seu público. No show “Jazz em Movimento”, o grupo apresenta standards do jazz dos anos 1950/60, quando nomes como Jazz Messengers, Miles Davis, Max Roach, Sonny Rollins, Freddie Hubbard, entre outros, marcaram um dos principais movimentos da música afro-americana, o Hard Bop. O Expresso 5 é formado por Hugo D'Leon (trompete), Thiago Rocha (sax tenor/flauta), Hermano Faltz (guitarra), Iury Batista (contrabaixo) e André Benedecti (bateria).

 

Dias 8 e 15 de julho de 2016, às 19h, no Auditório. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Festival Afônico

 

A primeira edição do Festival Afônico apresenta dois dias de programação de música instrumental e experimental.

 

Dia 8 – Sexta-feira

 

1. LILT (foto)
2. Chinfrapala
3. Eric Barbosa – Quatro Homens e Uma Jangada

 

Dia 9 – Sábado

 

1. Maquinas
2. Kalouv (PE)
3. Astronauta Marinho (foto)

 

Dias 8 e 9 de julho de 2016, às 20h, no Anfiteatro. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Quinta com Dança Especial [Temporada de Arte Cearense]
 Espetáculo “Locomoção”

 

 

Mostra de trabalhos dos alunos da V turma do Curso Técnico em Dança do Porto Iracema das Artes e convidados, com apresentações curtas de estilos variados: Jazz, Hip Hop, Balé Clássico, Dança de Salão, Danças Populares, Dança/Teatro, Performances e outras possibilidades.

 

Dias 8, 15, 22 e 29 de julho de 2016, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos:  R$ 6 e R$ 3 (meia). Classificação Livre.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fuxico no Dragão
No domingo, Especial Encontro de Vinis

 


Especialmente nas férias de julho, o Fuxico no Dragão será realizado aos sábados e domingos do mês. O Fuxico apresenta atrações artísticas e uma feirinha com expositores de produtos criativos em moda, gastronomia e design. No domingo, além da feira, tem programação especial com o Encontro de Vinis, que traz a música dos vinis de Alan Morais, She Loves e Canuto Lion.

 

Dias 9 e 10 de julho de 2016, das 16h às 20h, na Arena Dragão do Mar. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Teatro Infantil [Temporada de Arte Cearense]
Espetáculo “As Aventuras de João Sortudo”
Cia Prisma de Artes

 

 

Adaptação de um conto popular que se utiliza de uma linguagem repleta de ludicidade, fantasia e musicalidade para contar a história de João Sortudo, um jovem rapaz da mais pura inocência que, após sete anos trabalhando em uma fazenda, é mandado de volta à casa de sua mãe. Durante o caminho, ele passa por diversas situações que lhe trazem bons aprendizados. Um espetáculo leve e capaz de tocar de forma sensível e divertida qualquer público, de qualquer idade.

 

Dias 9, 16, 23 e 30 de julho de 2016, às 17h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 6 e R$ 3 (meia). Classificação Livre.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Festival Cifras Beat – Sétima Edição

 

O Festival Cifras Beat está na sua sétima edição. Ele é realizado pela Escola de Música Bateras Beat Fortaleza , que faz parte de uma rede de Escolas de Música que que existe no Brasil desde 1992, e aqui em Fortaleza, desde 2008. No Festival Cifras Beat, os alunos da Escola fazem apresentações nas quais mostram ao público seu desenvolvimento musical e para muitos o resultado de uma verdadeira superação. Durante o evento alunos com Necessidades Especiais também se apresentarão. É um momento de arte, troca de experiências, superação e muita alegria.

 

Dia 9 de julho de 2016, às 19h, no Auditório. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Espetáculo "Meire Love"
Grupo Bagaceira de Teatro

 

 

O Grupo Bagaceira comprou a ideia de encenar o primeiro texto de Suzy Élida Lins e deu muito certo. Meire Love estreou em 2006, no palco do Cine Teatro São Luiz. Nesses dez anos de trajetória, já se apresentou em mais de 30 cidades em 11 estados brasileiros e de importantes festivais como Festival Internacional de São José do Rio Preto e Festival Latino Americano da Bahia.



Três meninas de aproximadamente doze anos vivem pelas ruas próximas à orla. Pedem dinheiro no sinal, falam palavrões, descem até a praia, mergulham no mar e se drogam. Brincam como crianças e trocam ameaças como adultos. Ao mesmo tempo que se esforçam para vender o corpo e ganhar algum trocado, elas sonham com um gringo apaixonado que as leve daquele lugar.



A direção (dividida entre Yuri Yamamoto e a autora) prima por uma cena enxuta, com foco nos atores. Afora os atributos estéticos, a peça toca na temática da exploração sexual, problema recorrente em cidades litorâneas.

 

Ficha Técnica
Texto:
Suzy Élida
Direção: Suzy Élida e Yuri Yamamoto
Elenco: Rafael Martins, Rogério Mesquita e Yuri Yamamoto
Cenário e figurinos: Yuri Yamamoto
Iluminação: Ricardo Guilherme, Paula Yemanjá e Rogério Mesquita
Operação de luz e som: Tatiana Amorim e Samya de Lavor
Produção: Rogério Mesquita

 

Dias 9 e 10 de julho de 2016, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia). 16 anos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Brincando e Pintando no Dragão do Mar
Brincadeiras e atividades infantis orientadas por monitores e ainda mais circo e teatro para a criançada. Confira:

 

+

 

Espetáculo "Suspiros & Burbujas"
Grupo Companhia Laguz
Cria na rua uma atmosfera mágica, um encontro espontâneo do público que se aproxima pelo encantamento do palhaço, da palhaça, das bolhas gigantes e da singela música feita pelo acordeon, escaleta e buzinas. Os artistas utilizam as técnicas da acrobacia de dupla, malabares e música ao vivo tendo como base a linguagem da palhaçaria.

 

+

 

Espetáculo "A Bruxa e a Natureza"
Grupo Calu Maravilha
Em uma floresta encantada, os animais vivem em repleta harmonia com a natureza. Todos trabalham e se divertem. O sapo vive a cantarolar na lagoa junto com a família de patos, e as araras passeiam livremente pelo céu da floresta. Mas toda esta paz está com os dias contatados, pois, não muito longe dali, a invejosa bruxa Nocréia planeja acabar com toda felicidade dos animais. Com os óculos mágicos, a malvada aprisiona os pobres animais da floresta, roubando deles toda a alegria e liberdade. Nocréia então começa a espalhar o terror pela floresta sempre fazendo maldades e ameaçando de bruxarias os animais. O que ela não esperava era a chegada das crianças que, com muita coragem, descobrem o segredo da
bruxa e destroem os óculos do poder.

 

Dia 10 de julho de 2016, das 16h às 20h, na Praça Verde. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Performances [Temporada de Arte Cearense]
Pedras Portuguesas – Pedras que se deslocam
Ana Carla de Souza / William Pereira Monte / Honório Felix

 

 

Espaços públicos, experiências, afetos, percepções, cidades.

 


Dia 10 de julho de 2016, às 17h, na Arena Dragão do Mar e Praça Almirante Saldanha. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Performances [Temporada de Arte Cearense]
O Lixo também ergue muros: CORPOENTORNO
Artur Dória

 

 

Um processo que denomino de “mistura caminhante”. Retalhos de imagens experimentais que entortam e embaçam a vista; sentido mais valia. O quê|quem será esse que caminha entre passantes, tão afoitos por se divertir? Ele se avoluma em resquícios, partes indecifráveis de um entorno desaparecido, que só oferece as margens a uma cidade escancaradamente desovada. Zona morta? É na experiência íntima deste choque que um híbrido é gerado. Um corpo-muro que se desloca em direções indistintas, não anunciadas. Também um corpo-resto ou corpo-entulho, formado por aquilo que fora praticado em caminhada, foto, vídeo, texto, coleta, conversa. Práticas que foram se afirmando. Caminhada corajosa, enveredando por horários vazios, experimentando sensações hostis. O corpo, neste entremeio, se veste destes restos que agora se assentam maleáveis na pele deste caminhante, explorador experimental.

 

O corpo, em transmutação, torna-se um conjunto estranho. Espaço sensível que vive das estranhezas urbanas, que só vê a movimentação quando anoitece em dia de festa, em horários, por assim dizer, turísticos. A cidade ali está em falta, barrada de sua ocorrência. Mas ao invés de entrar, nesta que sublinho como zona de segurança, eu quero sair; eu vou sair. Saiu. O corpo - não mais o meu, despossuído - é esse fora|dentro que se oferece ao mundo, um entrecruzamento de sensações que são aterradas de qualquer convicção. Este corpo estranho é este que invade e desestabiliza a paciência dos que não querem se envolver. É um imã provocador porque quer saber o que muitos outros esqueceram que sabiam. Corpo que faz proximidade com aquilo que é desagradável ou se faz imperceptível aos sentidos em outros horários do dia. O corpo, caminhando vestido destes dejetos que entopem e atravessam estes espaços, é uma lembrança, um souvenir que reverbera, em um esforço exaustivo, uma vontade aguerrida de resistir ao esquecimento.

 

Dia 10 de julho de 2016, às 17h, na Passarela do Dragão do Mar. Gratuito. Livre.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sax in Cena [Circuito de Música Erudita]

 


           
Primeiro quarteto de saxofones profissional do Ceará, o grupo Sax in Cena apresenta obras de compositores franceses e peças de Alberto Nepomuceno.

 

Dia 10 de julho de 2016, às 18h, no Auditório. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Noite das Estrelas

 


Todos os meses, sempre nas noites de Quarto Crescente Lunar, o planetário disponibiliza telescópios ao público em geral para observação astronômica de Crateras da Lua, Planetas, Nebulosas etc.

 

Dias 12 e 13 de julho de 2016, às 19h, em frente ao Planetário. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

Golpe de Vista #21
Tema: É Tudo Rock'n'Roll! Fotografia e rock em Fortaleza

 

Foto Yago Albuquerque

 

Cartas Abertas, com Marcio F. Benevides
Graduado em Publicidade e mestre em Sociologia, Marcio F. Benevides fala sobre os movimentos rock da cidade de Fortaleza, algo único que gera imagens e movimentos dentro do âmbito afetivo (no sentido de afetar e ser afetado), estético e sociocultural do rock local para o nacional e internacional.

 

Conversa Fotografia e rock em Fortaleza
O Golpe de Vista deste mês apresenta discute o tema "É Tudo Rock'n'Roll! Fotografia e rock em Fortaleza", aproveitando como gancho o Dia Mundial do Rock, no dia 13 de julho.

 

Sobre os convidados

 

Rubens Rodrigues
Graduado em Educação Física pela UFC, Professor da rede municipal de Fortaleza. Atua como Fotógrafo de eventos atuando em casamentos, aniversários e ensaios. Ativo na cena rock foi através dos eventos do Casarão Cultural que expressou sua admiração e estilo de retratar o underground e suas bandas. Pai da Beatriz e da Gabriela, suas principais modelos. É um dos colaboradores do Golpe de Vista.

 

Gandhi Guimarães
Fotógrafo aficionado por música e cinema, atua em diversos coletivos na cidade de Fortaleza, onde possui profundo envolvimento com a cena musical. Formado em realização em audiovisual pela Escola Vila das Artes, trabalhou na direção de fotografia de curtas metragens e videoclipes. É membro fundador do Coletivo Arquivo Underground e colaborador de revistas e jornais.

 

Yago Albuquerque
O jovem fotografo de 23 anos é formado em Audiovisual e Novas Mídias pela UNIFOR. Fotógrafo, cinegrafista e editor de vídeo freelancer. Atua há 4 anos no cenário underground do metal de Fortaleza, sendo um de seus grandes ativistas e registrando a atual memória das novas bandas e novos artistas, tendo feito parte da produção de 2 videoclipes de bandas locais.

 

Dia 13 de julho de 2016, às 19h, no Auditório. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Festejo Ceará Junino

 

 

Iniciado no último dia 17 de junho, o grande circuito de festivais do Ceará Junino se encerra com o Campeonato Estadual dos Festejos do Ceará Junino, de 14 a 17 de julho, a partir das 19h, na Praça Verde do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. O campeonato reúne as quadrilhas juninas vencedoras de cada um dos vinte festivais regionais. O acesso é gratuito.

 

O Festejo Ceará Junino começou no dia 17/6, em Senador Pompeu, Missão Velha e Fortaleza, abrindo a sequência de 20 festivais de quadrilhas apoiados pela Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), com eventos seguindo em todas as regiões do Estado, até o mês de julho. Todos os festivais foram selecionados através do Edital Ceará Junino 2016, previsto na legislação estadual como ferramenta da política cultural do Estado, contribuindo para valorizar as manifestações tradicionais da sociedade e para democratizar o acesso da população aos bens e serviços artísticos e culturais.

 

Através do edital, foram selecionados projetos e ações, de todo o Ceará, que têm por objetivo identificar, difundir e estimular as tradições regionais cearenses voltadas para os festejos juninos do Estado. Pelo edital, o Governo do Estado, por meio da Secretaria da Cultura, está investindo R$ 2,6 milhões no apoio a 100 quadrilhas juninas e aos 20 festivais regionais, que seguiram até dia 3 de julho.

 

Cumprindo as diretrizes de descentralização e democratização do acesso aos bens e ações culturais, de valorização da cultura cearense e das tradições populares, a Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult) apoia os festivais integrantes do Ceará Junino 2016. O edital contou com 317 projetos inscritos, sendo 58 projetos de quadrilhas infantis, 180 de quadrilhas adultas, 77 de festivais e dois para o Campeonato Estadual Festejo Ceará Junino. Cada uma das 100 quadrilhas recebe do Governo do Estado até R$ 18.100,00 em apoio. Cada um dos 20 festivais de quadrilhas juninas é contemplado com investimento de até R$ 22.300,00 em cada um.

 

 

Arena Festejo Ceará Junino

 

Antes da final do Campeonato Estadual na Praça Verde, no entanto, o Dragão do Mar e a Secult realizaram um "esquenta", todas as quartas-feiras de 22 de junho a 6 de julho, às 19h, no Espaço Rogaciano Leite Filho. É a Arena Festejo Ceará Junino, integrando mostra de casamentos juninos e de grupos regionais. Como parte do XVIII Festejo Ceará Junino 2016, as apresentações dos grupos são uma ótima opção para quem quer conferir a festa junina de Fortaleza em um só local. A programação tem entrada franca, com apresentação de 15 quadrilhas juninas no total. 

 


Força do movimento junino cearense

 

 

“O movimento junino é extremamente forte no Ceará, movimentando a economia, gerando emprego e renda, motivando centenas de quadrilhas e dezenas de milhares de brincantes. A política cultural do Estado do Ceará reconhece e impulsiona esse movimento, através de ferramentas como o Edital Ceará Junino, que apoia quadrilhas e festivais em todo o Estado, valoriza essa expressão nas diferentes cidades e promove o grande encontro na culminância desse calendário, com o Campeonato Estadual Festejo Ceará Junino”, destaca o secretário Fabiano dos Santos.

 

“A construção desse processo foi coletiva, desde o debate sobre o edital, e seguirá sendo feita a muitas mãos, agora, com a realização dos festivais e com as apresentações das quadrilhas. O público de todas as regiões do Ceará está convidado a assistir às apresentações, participar dos festivais e do grande campeonato estadual, vivenciando e valorizando cada vez mais a tradição e as novidades dos nossos festejos juninos”, complementa o secretário.


Novidades no edital

 

O Edital Ceará Junino 2016 foi lançado após debate entre os representantes do movimento junino e a equipe da Secult, com participação do secretário da Cultura, Fabiano dos Santos Piúba, e da secretária adjunta, Suzete Nunes. Como novidades no edital, surgidas a partir desse debate, os critérios de avaliação dos projetos foram revisados e a participação dos proponentes se tornou mais simples e prática.

 

Também houve avanços quanto a um maior detalhamento do regulamento dos festivais regionais e do Campeonato Estadual Festejo Ceará Junino, com a inclusão, no edital, de sugestões apresentadas pelos representantes do setor.

 

Programação do Campeonato Estadual

 

14 de Julho (Quinta-feira)
• 19h às 20h45min - Atração Musical: Kbras da Peste
• 21h às 21h35min - Quadrilha Junina Fiapo de Trapo (Cascavel)
• 22h às 22h35min - Quadrilha Estação Junina (Fortaleza)
• 23h às 23h35min - Coração do Ceará (Quixadá)
• 00h às 00h35min - Junina Babaçu (Fortaleza)

 

15 de Julho (Sexta-feira)
• 18h às 18h35min - Apresentação da Quadrilha Junina Infantil Cumpade Chico (Fortaleza)
• 19h às 19h35min - Apresentação da Quadrilha Balão Junino Infantil (Caucaia)
• 20h às 20h35min - Apresentação da Quadrilha Junina Estrelinha (São João do Jaguaribe)
• 21h às 21h35min - Santa Teresinha (Caucaia)
• 22h às 22h35min - Flor de Mandacaru (Cariré)
• 23h às 23h35min - Arraiá da Liberdade (Redenção)
• 00h às 00h35min - Quadrilha São João de Ipu (Ipu)

 

16 de Julho (Sábado)
• 19h às 19h35min - Coração Junino (Independência)
• 20h às 20h35min - Nação Nordestina (Juazeiro do Norte)
• 21h às 21h35min - Associação Cultural Arraiá Sol Nascente (Iguatu)
• 22h às 22h35min - Junina Streytho de Canindé (Canindé)
• 23h às 23h35min - Quadrilha Filhos do Sertão (Fortaleza)
• 00h às 00h35min - Quadrilha Filhos do Sertão (Limoeiro do Norte)

 

17 de Julho (Domingo)
• 18h às 18h35min - Quadrilha Estrela Junina (Uruoca)
• 19h às 19h35min - Agremiação Junina Arraiá Asa Branca (Campos Sales)
• 20h às 20h35min - Quadrilha do Gil (Juazeiro do Norte)
• 21h às 21h35min - Quadrilha Flor do Mandacaru (Tauá)
• 22h às 22h35min - Ceará Junino (Fortaleza)
• 23h às 23h35min - Cia. Junina Arraiá da Roça (Tejuçuoca)
• 00h às 00h35min - Arraiá do Mago Véi (Pacajus)
• 01h às 02h - Atração Musical: Cacimba de Aluá

 

De 14 a 17 de julho de 2016, às 19h, na Praça Verde do Dragão. Acesso gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

VII Tribos, Berimbaus e Tambores (TBT)
Realização: Centro Cultural Capoeira Água de Beber (CECAB)

 

 

Nesta quinta-feira (14), a partir das 19 horas, o auditório do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura recebe o VII Tribos, Berimbaus e Tambores (TBT), realizado pelo Centro Cultural Capoeira Água de Beber (CECAB), que este ano traz como temática a influência afro-indígena em nossa cultura. Na ocasião, ocorre a mesa “Capoeira, Educação e Cultura”. Depois, no Espaço Rogaciano Leite Filho, será realizada a oficina do Mestre Negoativo (BH) e a Feira Tribos, fortalecendo a economia solidária dentro da capoeira.

 

O evento teve início no último domingo (10) e segue até o próximo (17). Em 2016, nove cidades do Ceará (Fortaleza, Cascavel, Itapipoca, Parajuru, Itaitinga, Boa Viagem, Caucaia, Paraipaba e Acarape) estão desenvolvendo atividades do TBT.

 

"Este evento é a culminância dos trabalhos desenvolvidos pelo CECAB, como o projeto Eu, Você, a Escola e a Capoeira (EVEC), o Tambores de Dandara, o Curso de Qualificação. Ele é uma mostra dos trabalhos que a gente realiza diariamente. A inovação neste ano, tanto é o desenvolvimento das atividades simultaneamente nas cidades do Estado, como a feira de artesanato estimulando algo que acreditamos muito, que é a economia solidária dentro da capoeira", afirmou o fundador do CECAB, Robério Batista, Mestre Ratto.

A comemoração dos 14 anos do CEACB, oficinas, rodas, batizado, troca de cordas, mesa redonda, debate e exibição de documentário fazem parte da programação do TBT.

 

Sobre o tema do TBT

 

Atualmente, há leis que asseguram a obrigatoriedade do ensino da cultura e história afro-brasileira, africana e indígena nas escolas. A lei 10.639 foi sancionada em 2003 e institui o ensino da cultura e história afro-brasileiras e africanas e a lei 11.645 complementa a lei 10.639, ao acrescentar o ensino da cultura e história indígenas.

 

Ambas alteram a lei 9.394 que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. O que percebe-se é que a capoeira tem sido instrumento para a efetivação destas leis.


Sobre Mestre Negoativo

 

Ramon Lopes Gonçalves, Mestre Negoativo, é o mestre convidado desde ano do VIII Tribos, Berimbaus e Tambores. Mestre Negoativo fundou, em 1990, o grupo de capoeira Porto de Minas. Também é fundador dos Projetos de Arte e Cidadania nas comunidades periféricas de Belo Horizonte: Bloco Afro Porto de Minas/Burunga e o Kilombola.

 

O Projeto Kilombola tem como princípio o resgate da cultura afro-universal: a pesquisa de ritmos de matriz africana, especialmente os tambores de minas (congado), berimbau (arco musical) e ritmos estrangeiros de origem negra, como o reggae, o rap, o funk e o soul, e um coral afro, o apoio na educação social de crianças e adolescentes moradores da periferia.

 

Impossível falar de Mestre Negoativo, sem falar da banda Berimbrown. A banda foi fundada por ele (voz, berimbau e congas), em 1996.

 

Dia 14 de julho de 2016, às 19h, no Auditório e no Espaço Rogaciano Leite Filho. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Leituras no Dragão [Temporada de Arte Cearense]
Um Lugar Entre o Mar e o Sertão II
Edivaldo Batista, Maria Isabel Viana, Sarah Marques e Sol Moufer

 


"Em algum lugar entre o mar e o sertão" foi uma ação desenvolvida pelas artistas Maria Isabel Viana e Sol Moufer pelo interior do Ceará, em 2013. Uma iniciativa patrocinada pelo Programa de Cultura do Banco do Nordeste e do Banco Nacional de Desenvolvimento (BNB-BNDES).  

 

O projeto percorreu as cidades de Canindé (no assentamento São Paulo) e Icapuí (na comunidade de Retiro Grande), situadas, respectivamente, no sertão e litoral cearense, desenvolvendo vivências e oficinas de criação literária para mulheres acima de 40 anos. As vivências produziram uma coletânea de 12 contos inspirados em memórias locais e reminiscências das participantes. Os contos, todos de autoria das próprias mulheres, foram doados às escolas das respectivas cidades.

 

Nessa nova etapa, o projeto visa a leitura dramatizada desses contos, no projeto "Leituras no Dragão", como forma de trazer ao público a poesia extraída dessas mulheres-autoras, capaz de sensibilizar e iniciar nossos sentidos em direção a uma mirada íntima, a partir de suas vidas, cotidianos e paisagens emocionais.

 

FICHA TÉCNICA
Idealização: Maria Isabel Viana e Sol Moufer
Contadores: Edivaldo Batista e Sol Moufer
Vídeo: Maria Isabel Viana e Sarah Marques
Arte e designer: Paloma Fraga
Coordenação de produção: Entranhamentos produções
Produção: CASA GIRA MUNDO
Fotos: Maria Isabel Viana

 

Dias 14 e 21 de julho de 2016, às 19h, na Arena Dragão do Mar. Classificação Livre. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dragão das Letras
Com Nathan Matos e Camila Araújo

 

 

Dragão das Letras é um programa voltado para o debate entre as/os fazedores/as do universo do livro, leitura e literatura, e também na divulgação da cena literária Cearense. Nesta edição, confira a conversa “O livro físico é ultrapassado? Os percursos da edição literária”. Com as seguintes participações:


>> Nathan Matos, editor e criador do portal LiteraturaBR; doutorando em Literatura na Universidade Federal de Minas Gerais, um dos criadores da Editora Substânsia e  da Editora Moinhos, Editor da Revista Substânsia.
>> Camila Araújo. Revisora e Tradutora, faz mestrado em Tradução pela Universidade Federal do Ceará. Uma das criadoras da Editora Moinhos (MG).

 

Dia 15 de julho de 2016, das 16h às 20h, na Arena Dragão do Mar. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Johnny Hooker [show]

 


O vencedor do Prêmio da Música Brasileira Johnny Hooker retorna ao palco do Anfiteatro do Dragão do Mar com a turnê do álbum "Eu Vou Fazer Uma Macumba pra Te Amarrar, Maldito!", eleito pela revista Rolling Stone como um dos melhores do ano.

 

Dias 15 e 16 de julho de 2016, às 22h30, no Anfiteatro. Ingressos | 1º Lote: R$ 80 e R$ 40 (meia). 18 anos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Notas – Uma Comédia de Relacionamentos
Com Edmilson Filho – Direção: Halder Gomes

 

 

Edmilson Filho está de volta aos palcos. O astro de Cine Holliúdy, depois do sucesso do seu show “Made In Ceara”, volta com a comédia Notas – Uma Comédia de Relacionamentos, baseada na sua série de postagens "Notas Sobre Elas", sucesso nas redes sociais. Em 70 minutos de show, ele vai mostrar a sua visão sobre o universo feminino e particularidades. A abertura fica por conta de comediantes diversos.

 

Dias 15, 16, 22, 23, 29, 30 de julho de 2016, às 22h; e dias 17, 24 e 31 de julho de 2016, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 60 e R$ 30 (meia). 14 anos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fuxico no Dragão + Performance EXPURGO


Especialmente nestas férias, o Fuxico no Dragão é realizado aos sábados e domingos, apresentando atrações artísticas e uma feirinha com expositores de produtos criativos em moda, gastronomia e design. Neste sábado (16), às 18h30, confira a performance EXPURGO, do Outro Grupo de Teatro. Um ato poético-profético, um grito pela abertura de todas as janelas e de mais janelas do que todas as janelas que há no mundo. Um provocar, um vômito, um extravaso, um manifesto contra estes que aí estão atravancando o caminho. Sangue, suor, lágrima, cuspe, escarro: Expurgo, s.m. Liberação de impurezas. Afastamento (de um ou vários indivíduos) de uma coletividade, por questões políticas, doutrinárias etc. O mesmo que expurgação.

 

Dia 16 de julho, das 16h às 20h, na Arena Dragão do Mar. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

Feira Índice

 


A Feira Índice é um espaço para um mercado alternativo do Livro, Leitura e Literatura do Ceará. Reunindo Editoras, Sebos, Coletivos, Escritores, a feira é um ponto de venda e fruição de diversas publicações em diversos suportes. Além dos expositores, terá um palco onde acontecerão sessões de Jam Poesia, reunindo compositores e poetas cearenses, fazendo fluir versos e letras, uma mostra vida e dinâmica do que está sendo produzido no atual cenário da poesia cearense.

 

Convidadas/dos JAM Poesia: Casa de Velho + Simone Brichta + Raul Ávila de Agrela

 

Casa de Velho
Casa de Velho é um projeto musical iniciado em 2015. Plínio Câmara e Mateus Mesmo, autores do projeto, propõem, através de suas músicas, uma paisagem sonora quente e aberta, buscando na sua musicalidade reconhecer vários estilos, do rock’n’roll à música popular brasileira, investigando nessas matrizes o alimento para a criação de uma estética sonora que traduza as questões levantadas nas composições.

 

A poética das letras trabalha a relação das questões sociais com o íntimo do indivíduo e como ele subjetiva esses conflitos, desde paixões, passagem temporal, consumir, estar, ocupar, viver, até a percepção de nossa existência na cidade e nas relações com o mundo. A banda hoje é composta por Mateus Mesmo (Voz/violão), Plínio Câmara (Guitarra/Violão/voz), Marcus Au Coelho (Baixo) e Rami Freitas (Bateria/direção musical). Passeando entre os mais variados ritmos, a música da Casa de Velho carrega em si uma forte interpretação, pois cria um ambiente sonoro que capta/transmite com clareza climas e sentimentos. Não só nas músicas, mas a performance teatral que Mateus Mesmo exercita ao interpretar as canções também propõe ao público visualizar ainda mais o conteúdo transmitido nas letras. Permitindo, desse modo, uma proximidade entre público e obra. A experiência musical da Casa de Velho busca, em seu processo de criação, possibilidades mais orgânicas, dando originalidade à composição do projeto.

 

Simone Brichta
Poeta e Educadora. Participou do Programa Literatura em Revista do Centro Cultural Banco do Nordeste, em 2011 e 2012.  Menção Honrosa no 2° Concurso Literário Pague Menos Poesia. Publicação no IV Prêmio Canon de Poesia – 2011; no II Concurso de Poesia Amigos do Livro Flipoços – 2011 e Antologia Viagens Poéticas – 2011.  Em 2° lugar entre Os cem melhores poemas do prêmio TOC 140 – 2011. Participou do blog que virou livro @microcontos. Publicação na revista cultural Novitas, novembro de 2010. Algumas Publicações: Antologia do II Concurso de Poesia Amigos do Livro: Flipoços 2011. – São Paulo: Scortecci, 2011. ISBN 978- 853662242-2 . Antologia do IV Prêmio Literário Canon de Poesia 2011. - São Paulo: Scortecci, 2011. ISBN 978-85- 366-2404- 4. Microcontos José Luiz Godfarb. – Rio de Janeiro: Blog. Books, 2010. ISBN 978856296203-5. Mestre em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará (UFC).


Raul Ávila de Agrela
Historiador e poeta do O livro da ilha O (Editora Penalux, 2013); do livrozine O hífen e outros poemas e o inédito Nu dilúvio.

 

Adriano Dri Cartapácio 
Pirata baila-dor; bartender-e-garçom risivelmente certificado e desempregado. "Destruidora MexXxmo".

 

Expositores
Editora Substânsia
Editora Moinhos
Brechó Literário Rimbaund
Poeira Virtual
A Literação
Meu esquetibuqi
Escambau
Templo da Poesia
Academia Afrocearense de Letras
Abraço Literário

 

Dia 16 de julho de 2016, das 16h às 20h, na Arena Dragão do Mar. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Espetáculo "Diário de Um Louco"
Paulo Ess

 

 

Com texto do autor ucraniano Nikolai Gogol, o monólogo narra as peripécias do funcionário público Antonino Barnabé, em seus delírios e devaneios apaixonados pela filha do diretor de sua repartição. Ao observar sua apaixonada, vê que a cachorrinha dela, na porta da loja, dialoga com outro cachorro, dando margem à mente criadora de Antonino, que, por vezes, passa a ouvir e ver coisas que ainda ninguém viu nem ouviu. Ele decide então perseguir esse animal, para descobrir o que eles pensam.

 

A partir desses delírios, Antonino cria para si um mundo povoado de reis, na tentativa de superar a medíocre existência. Toda a peça é narrada por esse personagem. Os questionamentos sobre a burocracia, o funcionalismo público e o poder são vistos pela ótica do mais frágil, o que ambiciona tanto ser alguém. Com a decepção de ser visto ridiculamente por sua amada, ele embarca em uma realidade paralela. Em seus devaneios, sonha que governa o país, manda e desmanda em seus súditos. Mas, na verdade, ele está internado em um hospício, onde sofre fortes torturas e humilhações. Ao escrever seu Diário, Antonino mistura o real, o fantástico, o normal, o patológico e o delírio.

 

Dias 16 e 30 de julho de 2016, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia). 12 anos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Brincando e Pintando no Dragão do Mar
Brincadeiras e atividades infantis orientadas por monitores e ainda mais um espetáculo teatral para a criançada. Confira:

 

+

 

Espetáculo "Miralu e a Luneta Encantada"
Grupo Bandeira das Artes

 


Miralu era uma menina parecida com qualquer menina que existe por aí. Igualzinha, mas DIFERENTE. Ela tinha um amigo muito querido e uma família aparentemente legal. Um primo que era metido a Super-Herói, uma tia que fazia tudo pra ela e um tio que trabalhava muito para que todos na família tivessem uma vida boa. Miralu bem que tentava ajudar todos eles, mas eles não deixavam porque ela era DIFERENTE. Até que um dia Miralu desejou não ser mais DIFERENTE.



O espetáculo aborda a deficiência visual em uma encantadora história de superação e descoberta de novas possibilidades. Num passe de mágica, a nossa protagonista segue em busca de realizar o seu maior desejo. O que ela não sabia era que nem tudo é o que parece, mas que tudo pode estar ao alcance do coração. A montagem propõe uma viagem emocionante pelo campo fértil da imaginação das crianças, resgatando um mundo de singelas brincadeiras e de interação e socialização entre todas elas sem qualquer distinção.

 

Dia 17 de julho de 2016, das 16h às 20h, na Praça Verde. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fuxico no Dragão – Especial Bicicletas
Atrações artísticas e uma feirinha com vinte expositores de produtos criativos agitam as tardes de domingo. Nesta edição, tem o bate-papo “Um Passeio sobre a Bike” e ainda Dj Nego Célio com o Ciclo Disco.

 

Dia 17 de julho de 2016, das 16h às 20h, na Arena Dragão do Mar. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Cidadão Instigado [show]

 

 

Em 2015, fez 19 anos desde que um grupo de jovens músicos se reuniu em uma garagem na Varjota, bairro de Fortaleza cruzado pela linha do trem que leva até as velas do porto do Mucuripe. Ali, congregados ao redor das canções de Fernando Catatau, nascia o Cidadão Instigado. No dia 17 de julho, o grupo apresenta o show do novo disco, Fortaleza, no Anfiteatro do Dragão do Mar. Já o Cinema do Dragão-Fundação recebe, na mesma data, às 18h, o curta Guardo tudo nas lembranças que é pra nunca desistir. Com direção de Ivo Lopes Araújo, o filme apresenta uma colagem de fragmentos do processo de feitura do álbum Fortaleza.

 

Desde aquele distante ano de 1996, os integrantes desta banda ganharam o mundo como músicos, artistas e produtores: Clayton Martin, Dustan Gallas, Fernando Catatau, Regis Damasceno, Rian Batista e Yury Kalil - nomes tarimbados no meio musical. Juntando todos os lugares por onde os 6 integrantes passaram, temos nomes como Arnaldo Antunes, Céu, Otto, Vanessa da Matta, Karina Buhr, Júpiter Apple... Mas, é quando tocando juntos, no Cidadão Instigado, que acontece algo único - uma sonoridade específica que ganhou críticos e admiradores e que pode ser escutada em discos como “O ciclo da decadência” (2002), “Cidadão Instigado e o método túfo de experiência” (2005) e, o mais recente, “Uhuu” (2009).

 

Os percursos que fizeram individualmente, assim como em conjunto, acumulam bagagem, que, unificada, é decantada em “Fortaleza”, novo disco da banda (2015). Enquanto olhavam pela janela, vendo esta longa estrada de 19 anos se desenrolar, mudanças radicais aconteceram na paisagem. O que estava lá não está mais, o que havia deixou de ser. Essa longa estrada os traz de volta à garagem, agora pesados da bagagem, mas despidos de artifícios.

 

“Fortaleza” é um disco cru, um nervo exposto pela carne rasgada que carrega a descrença, o espanto, de quem volta para casa do exílio e encontra a paisagem familiar transmutada. Canções diretas, riffs precisos, poesia livre e questões pessoais. Apesar de certa agressividade, inerente ao rock’n’roll, as canções e interpretações não perdem uma entrega e uma vulnerabilidade que aproximam o ouvinte e que são marca registrada da banda.

 

O disco, que resgata influências iniciais, fala sobre como as coisas nunca mudam apesar de mudarem sempre. Mais velhos, mais cansados, mas não mais cínicos, os garotos de 1996 voltam para a garagem para renovar seus votos de amor ao lugar de onde partiram. Por “lugar” não designamos um ponto no espaço, mas um ponto no tempo. Não é nostalgia, é quase saudade – é um olhar para trás de banda de olho.

 

Dia 17 de julho de 2016, às 19h, no Anfiteatro. Ingressos: R$ 60 e R$ 30 (meia) | Filme, às 18h, no Cinema do Dragão-Fundação. Ingressos: R$ 6 e R$ 3 (meia).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Debate com Ginga
Realização: Grupo Capoeira Brasil

 


O Debate com Ginga proporciona discussões de temáticas relacionadas à capoeira.

 

Dias 18, 19, 20, 21, 22 e 23 de julho de 2016, às 19h, no Auditório. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Abertura da exposição “Faz de Conta Que Morri”
Artista: Ivan Ferraro

 

 

A exposição é uma retrospectiva da obra de Ivan Ferraro, com trabalhos produzidos nos anos de 1996 a 2016, entre as cidades de Fortaleza e Berlim, na Alemanha. São 89 peças, entre pinturas, desenhos, colagens, fotogramas e objetos em diversos meios e materiais que subvertem espaço e tempo em verdadeira celebração da vida em soluções imaginárias.

 

Inspirado em poema de Mário Quintana, o título da exposição nos remete a ver a obra como legado de um famoso desconhecido: o artista. Como leituras de universos distintos e diversos, invocado com o desconhecido, vivenciando materiais e cores como um contendor, o conflito é a constante no artista. O velho, o luxo, o feio, o novo, o lixo, o belo. São muitos fora do retrato, dentro da cidade, com identidade e sem nome.

 

Abre a mostra uma performance com atores, músicos e objetos re-animados.

 

Abertura dia 21 de julho, às 20h, na Multigaleria. Em cartaz até dia 21 agosto de 2016. Visitação de terça a domingo, das 14h às 21h (com acesso até as 20h30). Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Festival Ceará Pra Curtir
Realização: Sistema Jangadeiro

 

 

As Férias no Dragão apresentam a primeira edição do Festival Ceará Pra Curtir, de 22 a 24 de julho, na Praça Verde do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (CDMAC). Serão três dias intensos de programação musical gratuita com shows de Selvagens à Procura de Lei e Casa Maré, no dia 22; Beto Barbosa e Cacimba de Aluá, no dia 23; e, para encerrar, Orquestra Contemporânea de Olinda e Bloco Luxo da Aldeia, no dia 24. O festival se inicia sempre a partir das 19h e o acesso é sujeito à lotação do espaço.

 

Realizado pelo Sistema Jangadeiro, Centro Dragão do Mar e Secretaria do Turismo do Estado, o Ceará Pra Curtir traz duas atrações musicais por noite para agitar as férias de cearenses e turistas. “Aproveitamos esse período das férias de julho para oferecer uma programação de curtição, animada, como o próprio nome do festival já entrega. Do rock ao frevo, da lambada ao forró, selecionamos atrações para não deixar ninguém parado”, adianta o diretor de Ação Cultural do Dragão do Mar, João Wilson Damasceno.

 

Atrações

 

Na sexta-feira (22), a partir das 19h, duas bandas cearenses abrem o festival, na Praça Verde. A primeira é a Casa Maré cujas canções autorais têm influências diversas, como bossa-nova, samba, frevo, mangue beat, música latina, reggae e ska. Em seguida, sobem ao palco os meninos dos Selvagens à Procura de Lei, com o show do último álbum gravado, o Praieiro. Radicado em São Paulo, o grupo cearense é uma das mais recentes revelações do rock brasileiro e agora segue em turnê pelo País.

 

No sábado (23), é dia de bailar ao som do forró e da lambada. A Cacimba de Aluá vai fazer o povo todo arrastar as sandálias com um autêntico forró pé-de-serra. Sob a tradição da sanfona, zabumba e do triângulo, vão transformar em festa a poesia do cancioneiro popular. Na sequência, tem show de Beto Barbosa, entoando as lambadas que marcaram as décadas de 1980 e 1990, no Brasil, a exemplo de Preta e Adocica. Com trinta anos de estrada, Beto Barbosa tem 12 milhões de discos vendidos. Recentemente, emplacou mais um sucesso, o forró Acelera, que, junto das famosas lambadas do cantor, também vai compor o repertório do show, em Fortaleza.

 

Para encerrar a maratona, no domingo (24), o Ceará Pra Curtir vai transformar a Praça Verde num verdadeiro Carnaval. Tradição entre os foliões da cidade, o Bloco Luxo da Aldeia tocará os grandes sucessos carnavalescos da música cearense. No repertório, frevos, sambas, marchinhas e maracatus de compositores como Fausto Nilo, Lauro Maia, Luis Assunção, Ednardo, Paulo Gomes, Marcus Dias, dentre outros, além de composições próprias. 

 

Depois do carnaval do Ceará, é a vez de o carnaval de Pernambuco marcar sua presença forte, neste domingo de festival. A Orquestra Contemporânea de Olinda (OCO) apresenta o dançante e envolvente disco Bomfim, que trazem si a essência da cidade pernambucana: os moradores, os candomblés e seus afoxés, os cocos de umbigada, do Pneu e da Xambá, das loas de maracatu da Tabajara, todas, figuras fantásticas de um carnaval reconhecido no mundo todo. Os sete músicos pernambucanos, de performance sempre surpreendente no palco, vivem, se alimentam dessa Olinda transbordante de arte e autorreferências, ao mesmo tempo cosmopolita, transitando lado a lado com o que vem de fora. E, prometem, não vão deixar ninguém quieto no salão. 

 

PROGRAMAÇÃO

Dia 22 | Sexta-feira
Casa Maré
Selvagens à Procura de Lei

Dia 23 | Sábado
Cacimba de Aluá
Beto Barbosa

Dia 24 | Domingo
Bloco Luxo da Aldeia
Orquestra Contemporânea de Olinda

 

De 22 a 24 de julho de 2016, às 19h, na Praça Verde. Acesso gratuito e sujeito à lotação do espaço. Classificação etária: 18 anos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sandra de Sá e Mona Gadelha [Projeto Duetos]

 


O Projeto Duetos apresenta mais uma edição de MPB cearense e nacional, no Dragão do Mar. Nesta edição, tem única apresentação da cantora Sandra de Sá, com show de abertura por conta da cearense Mona Gadelha.

 

Dia 23 de julho de 2016, às 21h, no Anfiteatro. Ingressos: R$ 50 e R$ 25 (meia).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

I Festival das Culturas da Unilab (Itinerante)
Realização: Unilab

 

Idealizado como um espaço de integração para a arte e o universo de expressões culturais que envolvem os sete países de língua portuguesa da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), o Festival das Culturas articula música, poesia, artes cênicas, fotografia, literatura e as inúmeras expressões da imagem para trabalhar a pluralidade como tema. O evento é itinerante e passará em Fortaleza, no dia 24 de julho de 2016, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.

 

Sua marca é a conexão entre o regional e o internacional e as várias formas de diálogo e inspiração nascidas nesse contato. Pensando a riqueza e a diversidade de expressões da África e do Timor-Leste em seu enlace com as regiões do Maciço de Baturité, no Ceará, e o Recôncavo Baiano, na Bahia, o Festival busca apresentar a UNILAB como um eixo integrador de experiências artísticas.

 

Durante quatro dias, as cidades de Redenção, Acarape e São Francisco do Conde vão experimentar, com vivacidade, os conteúdos culturais de cinco países africanos e um país asiático em suas trocas com o Brasil e o Nordeste. A singularidade deste evento no cenário nacional e no mundo da Cooperação Sul-Sul é o maior elemento incentivador para sua criação e apresentação. O Festival das Culturas é fruto de uma intensa e proveitosa convivência entre diferentes realidades sociais abrigadas na UNILAB. Contar essa história é dividir com essas cidades e estados o prazer e a alegria de reunir sete mundos de culturas em uma única festa.

 

Programação

 

PAPO DAS CULTURAS – Debate com professores da Unilab e Universidade Politécnica de Moçambique
Local: Auditório do Dragão do Mar // Horário: 15h // Gratuito

 

Profa. Doutora Irene Mendes
Directora da Escola Superior de Gestão, Ciências e Tecnologias ESGCT e Professora Universitária. Irene Mendes é Doutorada em Linguística, na especialidade de Lexicologia pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade da Universidade Nova de Lisboa com o tema de tese: Da Neologia ao Dicionário ao Dicionário. O caso do Português de Moçambique. Tem colaborado em várias áreas e na Universidade Politécnica, ocupou vários cargos de Direção.

 

Mestre Aurélio Ginja
Chefe de Gabinete do Atendimento ao Estudante na Escola Superior de Gestão, Ciências e Tecnologias– ESGCT e Professor Universitário. Aurélio Ginja é Mestre em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais – Belo Horizonte – Brasil. Intervém diretamente em projetos sociais a nível da Universidade. Ocupou vários cargos de direção.

 

Lica. Beatriz Langa
Presidente da Comissão Instaladora da Unidade da Politécnica na cidade de Nacala – Nampula. Beatriz Langa é Licenciada em Planificação Administração e Gestão da Educação pela Universidade Pedagógica de Maputo.

 

 

BRINCANDO E PINTANDO NO DRAGÃO COM TIMOR LESTE
Local: Arena Dragão do Mar // Horário: das 16h às 19h // Gratuito

 

 

SHOW ARTÍSTICO CULTURAL – Conexões Brasil/ África/ Timor
Local: Espaço Rogaciano Leite Filho // Horário: das 18h30 às 21h // Gratuito

 

> Apresentações artísticas e culturas danças e músicas dos estudantes de Timor da Unilab // Timor-Leste, oficialmente chamado de República Democrática de Timor-Leste, é um dos países mais jovens do mundo e ocupa a parte oriental da ilha de Timor, no Sudeste Asiático. Conhecido no passado como Timor Português, foi uma colônia portuguesa até 28 de novembro de 1975. As línguas oficiais são tétum e português, enquanto o indonésio e a língua inglesa são consideradas línguas de trabalho pela atual constituição de Timor-Leste. Devido à recente ocupação indonésia, a maioria da população compreende a língua indonésia e apenas uma minoria o português.

 

> A Tuna Académica foi a primeira actividade a entrar em funcionamento. A Tuna Académica constituiu-se, rapidamente, num grupo de referência junto da sociedade moçambicana e impulsionou o surgimento de grupos corais das outras Instituições de Ensino Superior (IES). Composição da Tuna Académica: 1. Geraldo Manuel Muiambo - Tenor 2. Délcio Mazuze - Baixo, Bateria, Precursão e Timbila 3. Dálio Paulo José Chichava - Baixo 4. Mendes Alexandre Ubisse - Tenor e Guitarra 5. Gedeão Alexandre Jossias - Mestre (Toca e canta) Actividades a desenvolver: Canto e Dança tradicional, Marrabenta - Stewart Sukuma com o tema Caranguejo, Xigubo: Va navhela, Tufo: Ali Faqui com o tema Ki na Xicuro, Macuaela: África – Moçambique. 4.

 

> O grupo de Teatro Whaluty é um colectivo de cinco atores, estudantes da Universidade Politécnica. O grupo se apresenta para a comunidade académica e leva aos palcos vários assuntos sociais. Composição do grupo: Alberto Cristóvão Manave, Gerquina Arlete Segredo e Agy Ussene Agy.

 

> A BANDA CV é um grupo musical que foi fundado no ano de 2009 por Félix Namagôa (guitarrista e compositor) e por Merali Sidi (baixista e compositor) na Universidade Politécnica em Maputo. A nível da Universidade Politécnica a Banda CV tem participado em numerosos eventos tais como: graduações, palestras, jantares. Porque a Banda CV ganhou bastante solidez participou, em 2013 e em 2014, no Festival Tropical Zouk, o maior festival de Moçambique, tendo oportunidade de partilhar o palco com grandes nomes da música internacional como a Banda Kassav, Tanya St Val, Bonga. Em 2014 a Banda CV venceu o concurso musical Elite Voice, que é um concurso para grupos emergentes. Participar neste concurso foi uma escola para a Banda CV, pois foi uma oportunidade ímpar para agregar valor à produção do grupo.

 

Neste momento, a Banda CV está a trabalhar na mobilização de recursos financeiros para a gravação do seu primeiro disco de originais. Esta é uma das formas que a Banda CV tem para partilhar a sua música não só com os moçambicanos, que são o público natural, mas com o mundo. A linha musical da Banda CV combina os ritmos nacionais como a marrabenta e o pandza com os ritmos antilhanos, nomeadamente o Zouk. Estes rítmos têm muitos elementos em comum, desde a guitarra à percursão. Razão pela qual o grupo decidiu unir o útil ao agradável para trazer alegria ao povo moçambicano e ao Mundo. Composição da Banda CV: Félix João Namagôa, Merali Sulemane Sidi, Faruck Ekson José Mandlaze, Carmaly Sulemane Sidi, Manuel Jorge e Inildo José Custodio. Actividades a desenvolver: Apresentação de temas próprios e populares (Elisa, Mahengane-António Marcus, Nós somos cantores-Mussa Rodrigues e Felismina-Stewart).

 

Dia 24 de julho de 2016, a partir das 16h, no Auditório, Anfiteatro e Arena Dragão do Mar. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Brincando e Pintando no Dragão do Mar
Brincadeiras e atividades infantis orientadas por monitores e ainda mais dois espetáculos para a criançada. Confira:

 

+

 

Espetáculo "Miralu e a Luneta Encantada"
Grupo Bandeira das Artes
Miralu era uma menina parecida com qualquer menina que existe por aí. Igualzinha, mas DIFERENTE. Ela tinha um amigo muito querido e uma família aparentemente legal. Um primo que era metido a Super-Herói, uma tia que fazia tudo pra ela e um tio que trabalhava muito para que todos na família tivessem uma vida boa. Miralu bem que tentava ajudar todos eles, mas eles não deixavam porque ela era DIFERENTE. Até que um dia Miralu desejou não ser mais DIFERENTE.



O espetáculo aborda a deficiência visual em uma encantadora história de superação e descoberta de novas possibilidades. Num passe de mágica, a nossa protagonista segue em busca de realizar o seu maior desejo. O que ela não sabia era que nem tudo é o que parece, mas que tudo pode estar ao alcance do coração. A montagem propõe uma viagem emocionante pelo campo fértil da imaginação das crianças, resgatando um mundo de singelas brincadeiras e de interação e socialização entre todas elas sem qualquer distinção.

 

+

 

I Festival das Culturas da Unilab (Itinerante)
O festival apresenta brincadeiras típicas das crianças de Guiné Bissau e Timor Leste.

 

Dia 24 de julho de 2016, das 16h às 20h, na Arena Dragão do Mar. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fuxico no Dragão + Feira Cordel com a Corda Toda

 

 

Atrações artística e uma feirinha com expositores de produtos criativos agitam as tardes de domingo. Nesta edição, o Fuxico une-se à Feira Cordel com a Corda Toda, trazendo recitais e feirinha com clássicos e novos escritores da literatura de cordel.


Dia 24 de julho de 2016, das 16h às 20h, na Arena Dragão do Mar. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Quarteto Cearense [Circuito de Música Erudita]

 

 

O Quarteto é um dos grupos da Orquestra de Câmara Eleazar de Carvalho e apresentará repertório que vai do barroco ao contemporâneo.

 

Dia 24 de julho de 2016, às 18h, no Auditório. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Daniel Groove

 

 

Daniel Groove sobe aos palcos em um show cheio de novidades e performances vibrantes. O compositor e intérprete cearense apresenta seu primeiro disco solo “Giramundo”, lançado em 2013. Nos seus mais de 15 anos de música brasileira, Groove coleciona participações em festivais e shows pelas cinco regiões do país. Seu álbum traz vários ritmos, rock, brega e MPB, e é composto por canções que são verdadeiras crônicas da vida. O show de lançamento de “Giramundo” já passou por diversas cidades e o álbum tem recebido elogios de público e de crítica, sendo citado em algumas das principais listas de melhores discos.

 

Produzido por Saulo Duarte no estúdio Cambuci Roots, “Giramundo” contou com uma extensa lista de participações: Diogo Soares (Los Porongas), Marcelo Callado (Do Amor/ Caetano Veloso), Rian Batista (Cidadão Instigado), Nevilton, Danislau Também (Porcas Borboletas), Bruno Souto (Volver), Beto Gibbs (A Unidade), Reginaldo Lincoln e David Dafré (Vanguart), Victor Bluhm e Vitor Colares (Fóssil), Guilherme Almeida (Pública) e das colaborações de João Eduardo Vasconcelos e João Leão.

 

O músico iniciou sua trajetória em Fortaleza, onde dividiu o palco com O Rappa, Nação Zumbi, Los Hermanos, Pato Fú e Titãs. Entre 2011 e 2012 ganhou destaque no mapa Oi Novo Som e em outras publicações como revelação musical da região nordeste.

 

A silhueta imponente de Groove esconde notas e poesia capazes de revelar, na voz suave de um homenzarrão, um dos artistas mais talentosos da geração. Atualmente, ele é um dos  organizadores da Festa Odara e atua como diretor musical e compositor de trilhas originais para peças teatrais.

 

Dia 24 de julho de 2016, às 20h, no Anfiteatro. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tango na Praça

 

 

Venha trocar ideias e dançar junto de admiradores do tango argentino. O projeto mensal traz a prática do tango ao alcance de todos.

 

Dia 27 de junho de 2016, das 19h às 21h, na Arena Dragão do Mar. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dragão Blues


O projeto mensal apresenta grandes nomes do blues cearense e convidados de outros estados.

 

Dia 29 de junho de 2016, às 19h30, no Espaço Rogaciano Leite Filho. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Festa Tributo Brasileiríssimos


Nesta 2ª edição, confira uma noite especial com os Alfazemas (Cover dos Mamonas Assassinas), Banda CODA (Cover oficial do Legião Urbana no Ceará) e Engenho Hawaiano (Cover do Engenheiros do Hawaii). Com idealização da Astron Produções em parceria com a renomada página do facebook “Brasileiríssimos” – que conta com mais de 7,5 milhões de curtidas e promete sempre uma grande divulgação nas redes sociais, o evento acontecerá pela segunda vez na cidade de Fortaleza.

 

Dia 29 de julho de 2016, às 19h, no Anfiteatro. Ingressos 1º lote: R$ 50 e R$ 25 (meia) | Ingressos 2º lote: R$ 60 e R$ 30 (meia). 16 anos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Palco Vida & Arte

 


Em parceria com o Centro Dragão do Mar, o Grupo de Comunicação O POVO apresenta o Palco Vida & Arte com brincadeiras infantis, Trajetos Urbanos e shows do Grupo Formosura, Gustavo Portela, Projeto Rivera, Tulipa Ruiz e Marcelo Jeneci. Em breve, mais informações.

 

Dia 30 de julho de 2016, a partir das 15h, na Praça Verde. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ForCaos 2016

 

 

O ForCaos é um encontro cultural-musical que reúne grupos musicais de diferentes matizes do rock do estado do Ceará e diferentes regiões do Brasil, acontecendo na segunda quinzena de julho. O evento incorpora música, debates, oficinas sócio-educativas, mostras audiovisuais, esportes radicais e feira de economia criativa, capitaneado pela Associação Cultural Cearense do Rock.



A 16ª edição do ForCaos acontece em quatro locais da cidade de Fortaleza, iniciando-se na Vila das Artes passando pelo Centro de Treinamento do Planalto Pici, Teatro José de Alencar (Espaço Boca Rica) e Anfiteatro do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. Além de 17 apresentações musicais, estão previstas oficinas de formação, debates, lançamento de livros, uma ação de grafite, feira de economia criativa, exposição do cartunista Guabiras e uma competição de BMX. A entrada é gratuita em todos os locais.



Programação

 

O evento se inicia Vila das Artes com 4 (quatro) apresentações musicais de grupos sediados em Fortaleza e região metropolitana, cujo processo de seleção encontra-se em execução. Além disso, estão previstas duas oficinas de formação (audiovisual e design voltado para confecção de capas de CDs, LPs e DVDs). Além do mais, acontecerá uma Feira de Economia Criativa com artistas, empreendedores e grupos musicais.



No dia 24 de julho, além de 3 (três) apresentações musicais de grupos sediados em Fortaleza e região metropolitana, está prevista uma ação de grafite (integrantes do Festival Concreto) nos muros Centro de Treinamento de Bicicross do Planalto Pici.

 

Outra ação é uma competição de BMX, com integrantes da Escolinha de Bicicross Pici e pilotos de Fortaleza, Eusébio, Quixadá, Quixeramobin, Sobral e Ipu. A ação acontece em parceria com  Associação Cearense de Bicicross e Bicicletada do ForCaos.
No dia 29 de julho, estão previstas 4 (quatro) apresentações musicais de grupos sediados em Fortaleza e região metropolitana, uma feira de economia criativa com artistas, empreendedores e grupos musicais. Além de uma exposição do cartunista Guabiras, criador do Kaótico, mascote do ForCaos no espaço Ramos Cotoco. As ações acontecem no Palco Theatro José de Alencar – Espaço Boca Rica.

 

O ForCaos se encerra no dia 30 de julho no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, através da apresentação de 8 (oito) grupos musicais sediados em Fortaleza, região metropolitana e nordestina, além da atração da noite os gaúchos do Rebbaeliun. A tarde é dedicada ao metal extremo que na ocasião terá lançamento de duas pesquisas de doutorado sobre o heavy metal e suas vertentes seguidas de debate com os autores/pesquisadores e coquetel de lançamento.

 

18h – Criokar
Criokar significa “uma câmara isotérmica que facilita a conservação de um cadáver a partir da aplicação de nitrogênio liquido”, hoje, utilizado apenas como processo de criogenia; gravidez artificial ou experiência de clonagem. Palavra tirada de um livro intitulado “Ciências Proibidas”, com conteúdo impróprio para menores de 18 anos, por tratar de vudu, magia negra, experiências cientificas mal sucedidas e acontecimentos inexplicáveis ou sobrenaturais.

 

A palavra Criokar, a partir de outubro de 1994, ganha novo sentido, não no campo cientifico, mas musical. Uma banda foi formada com apenas três integrantes: Cleiton Martins (cocalista e guitarrista), Paulo Ricardo (baixo) e Adriano Bandeira (bateria) e, com essa formação, gravaram um único trabalho, intitulado “Revolt”, na época, cantado em inglês e em formato de fita cassete.

 

Em 1997, por motivos pessoais, Adriano (baterista) deixa a banda, dando lugar para Clerton Holanda, antes baterista da banda “Cerberus” de Fortaleza. Clerton deu novo segmento e corpo nas músicas, introduzindo mais velocidade e agressividade. Com essa formação, a banda participou de grandes eventos dentro e fora da cidade de Fortaleza: Forcaos e Brasil 500 anos fazem parte do curriculum da banda, ambos realizados pela ACR (Associação Cearense do Rock). A formação se firmou até 2001, após esse período, a banda viveu momento de declive, com a saída de Clerton Holanda, ficando mais uma vez sem baterista e fora dos palcos de 2001 a 2006.

 

O ano 2007 ficou marcado como o ano de retorno da banda. Cleiton Martins e Paulo Ricardo resolvem retomar o nome e a vontade de seguir em frente. Convidaram Alan Rogério que, em seguida, deu lugar ao batera Sula. Nessa nova fase, entra o guitarrista Taumaturgo Moura e a banda transforma-se num quarteto, com duas guitarras. A Criokar considera essa a sua melhor fase, com mais maturidade e experiência, principalmente nas músicas, e com muita agressividade e letras que retratam conflitos pessoais e sociais.

 

Em 2015, Sula deixa a bateria e depois de uma breve passagem de Biel Silva, Vicente Ferreira assume o lugar. Ainda em 2015, o grupo lança DVD com show realizado no Forcaos 2015. Hoje, encontra-se em fase de criação de novas músicas para serem gravadas ainda neste ano.

 

18h50 – Banda Lavage
Para a banda Lavage, o mundo começou em março de 2003, há mais de 10 anos, a partir de uma reunião de amigos. O punk rock clássico é o ponto de partida para a estética da Lavage, baseada no trabalho de bandas como Ramones, The Clash e Sex Pistols. A formação do grupo mudou bastante, mas a escalação atual é a seguinte: Bruno Andrade (vocais), Everardo Maia e Glênio Mesquita (guitarras), Rafael Maia (baixo) e Rogério Ramos (bateria). A banda tem cinco álbuns e seis clipes gravados, além de participações em diversos festivais de rock no Ceará e demais estados brasileiros.

 

19h45 – Ankerkeria
A banda de Death Metal foi formada em meados de 2010, em Fortaleza, por Joice Lopes (vocalista) e Deivde Souza (baterista). Atualmente, a banda conta com: Joice Lopes, no vocal; Arthur Tenório, na bateria; Ícaro Cavalcante, no baixo; e Mateus Martines, na guitarra. Com influências de bandas como Behemoth, Cannibal Corpse, Morbid Angel, Blood Red Throne, entre outras, a banda mostra, em suas letras, o tema religioso. Em março de 2016, o grupo lançou o videoclipe "Blessed Be Thy Shame", que chamou atenção pela produção e simbologia. Atualmente, está em produção de novo EP, fazendo shows para divulgar o clipe.

 

20h20 – In No Sense
A banda In No Sense surgiu no ano de 2010, formada por Danilo Paranhos, vocalista e guitarrista; Jeferson Veríssimo, no baixo; e Vicente Ferreira, na bateria. Nesse mesmo período, a banda decidiu acrescentar outro guitarrista, ganhando a presença de Paulo Narley. Em 2011, é anunciada a saída de Paulo Narley, sendo substituído por Matheus Ferreira nas guitarras, permanecendo com a mesma formação durante três anos. Em 2013, Danilo Paranhos deixa a banda, que passa a adotar uma nova formação com a entrada de mais um integrante, passando a quinteto, com Jeferson Verríssimo indo para o vocal e ainda Ricardo Guilherme (baixo), Matheus Ferreira (vocal e guitarra), Matheus Gurgel (guitarra) e Vicente Ferreira (bateria). Em 2014, Matheus Gurgel cede lugar para Lucas Arruda (guitarra), permanecendo nessa formação até os dias atuais.

 

21h – Betrayal
A banda começou suas atividades em janeiro de 2003, tendo como proposta tocar Thrash Metal de forma extremamente agressiva, direta e veloz, se mantendo sempre fiel a essas raízes. A banda tem a seguinte formação: Wolney Mendes (vocal/guitarra), Franzé Mendes (guitarra/vocal), Fabiano Sousa (baixo/vocal) e Sula Cavalcante (bateria).

 

Em 2005, gravam o CD demo “HUMAN DESTRUCTION” (lançado no segundo semestre), com cinco faixas destruidoras que renderam ótimos comentários em zines, webzines, revistas de grande circulação como Roadie Crew e Rock Brigade, trabalho lançado em conjunto com a Gallery Productions na figura de Emidio Filho.

 

Desde então, a Betrayal vem se apresentado em vários lugares, tocando ao lado de bandas como Torture Squad (em Mossoró-RN 2005), Violator (em Mossoró-RN e Fortaleza-CE, 2005 e 2007), Desaster “Alemanha” (em Fortaleza-CE, 2008) e participação em coletâneas como: Underground Attack e Coletânea acr vol. 2.

 

Banda filiada à Associação Cultural Cearense do Rock (ACR), vem desenvolvendo seu trabalho e participando de eventos importantes como o FESTIVAL BNB DO ROCK CORDEL e no show de comemoração de 10 anos do FORCAOS, evento de grande importância do cenário underground nacional realizado em Fortaleza. Atualmente, a Betrayal concentra-se em seus ensaios para gravar o seu álbum debut que virá com o mais puro e agressivo thrash metal assim fortalecendo cada vez mais a cena do metal nacional. Thrash never dies!


21h45 – Inner Demons Rise (Pernambuco)
http://innerdemonsrise.blogspot.com.br/

 

22h20 – Rebaelliun (Rio Grande do Sul)
O Rebaelliun foi formado em 1998, em Porto Alegre/RS. Provenientes de outras bandas de Death Metal que estiveram na ativa desde o início da década de 90 no underground brasileiro, a banda teve uma trajetória rápida, porém marcante: seis meses após sua formação, gravaram sua Promo-Tape 98 e viajaram pra Europa pra divulgar sua música. A estada durou três meses e rendeu cerca de vinte shows ao grupo, que voltou ao Brasil, com um contrato embaixo do braço, uma parceria com o selo holandês Hammerheart Records.

 

Durante pouco mais de três anos, a banda teve uma carreira intensa: lançou 2 EPs, 2 álbuns, fez 4 turnês na Europa, uma turnê brasileira e ganhou o respeito de toda cena de música extrema em diversos países. Tocou com ícones como Cannibal Corpse, Deicide, Vader e Behemoth em turnês que atingiram 15 países europeus, estabelecendo-se como uma das bandas mais extremas e velozes de sua geração, mas acabou tendo um fim precoce, quando os integrantes se separaram no início de 2002.

 

Em 2015, a última formação resolveu reativar a banda, gerando uma expectativa no underground mundial. Novamente trabalhando com a gravadora Hammerheart Records, a banda relança todo seu catálogo, produz um disco novo a ser lançado em Maio de 2016, chamado The Hell’s Decrees e, a partir do mesmo mês, volta pra estrada, já com shows marcados no Brasil e Europa.

 

Dia 30 de julho de 2016, às 18h, no Anfiteatro. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Brincando e Pintando no Dragão do Mar
Brincadeiras e atividades infantis orientadas por monitores e ainda mais dois espetáculos para a criançada. Confira:

 

+

 

Espetáculo "A Cobra Caninana"
Grupo Calu Maravilha
Uma enorme cobra mora na floresta onde vivem várias crianças e animais. Juliana e Pedrinho conseguem escapar da cobra e resolvem pedir ajuda ao valente Guarda Florestal. Mas ele leva uma enorme carreira da cobra e consegue escapar. Os meninos pensam que estão livres da perversa, mas para a surpresa de todos a cobra volta a atacar os animais, que fogem apavorados. Para a salvação de todos, aparece o Professor Sabidão que ensina aos meninos como pegar a cobra e salvar todos os animais que foram engolidos pela danada.

 

+

 

Espetáculo "O Casimiro contra-ataca ou como o mosquito se deu mal"
Direção: Cláudio Magalhães
Teatro de bonecos alerta as pessoas com relação à prevenção, ao combate e enfrentamento das doenças causadas pelo mosquito aedes aegypti.

 

Dia 31 de julho de 2016, das 16h às 20h, na Praça Verde. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

Fuxico no Dragão

 

Atrações artísticas e uma feirinha com vinte expositores de produtos criativos agitam as tardes de domingo. Na edição de domingo, tem ainda duas apresentações artísticas: Ferreira Jr & Assaré (Temporada de Arte Cearense) e o show Cambada. Confira:

 

Ferreira Jr & Assaré

 


Ferreira Junior & Assaré surgiu em Fortaleza em 2008. Inicialmente, levava o nome “Assaré Band” até o ano de 2011, quando incorporou o nome do idealizador e fundador do grupo: o saxofonista e arranjador Ferreira Junior. Com proposta inovadora, arranjos elaborados e raízes firmes, leva a tradição para o palco, mas não abre mão da liberdade.

 

Com formação de big band tradicional, une o melhor da cultura nordestina e brasileira, dando uma nova roupagem e inserindo ritmos como o das bandas Cabaçais do Cariri, do Maracatu, Côco de Embolada, Repente, Caboclinho, Bumba-meu-boi e vários outros, resgatando os nossos sons sem deturpar a essência popular e com a liberdade da improvisação. Tudo isso sob a batuta de Ferreira Junior, que acumula as funções de saxofonista, arranjador e diretor musical.

 

Ferreira atua à frente dos vinte músicos que compõem o grupo, com seus naipes de saxofones, trombones, trompetes, além de flauta, clarinete, guitarra, contrabaixo, piano, bateria e percussão. O grupo propõe, além do resgate rítmico, uma incorporação dos mestres regionais ao universo da big band, interagindo em participações com cantadores, repentistas, poetas, rabequeiros e tantos outros artistas da nossa Cultura.

 

Ferreira Junior & Assaré acumula apresentações em diversos espaços culturais do Estado, sendo as de maior relevância: a IX Feira da Música, III Mostra Petrúcio Maia, Conservatório Alberto Nepomuceno, TV O Povo e a Primeira Edição do Ceará Instrumental, atualmente conclui a gravação do Primeiro CD autoral e a pré-produção do DVD.


Às 17h, na Arena Dragão do Mar. Gratuito.

 

+


Cambada

 

 


O show é um intercâmbio musical entre os artistas cearenses Daniel Medina, Daniel Groove, Marta Aurélia, Gustavo Portela, Danilo Guilherme, Orlângelo Leal e Alcio. O encontro reúne gerações de artistas, que juntos somam na diversidade de estilos, referências e experiências sonoras particulares. Os sete intérpretes/criadores, radicados em lugares distintos do Brasil, apresentam ao público temas contemporâneos inéditos e canções conhecidas.


Às 18h30, na Arena Dragão do Mar. Gratuito.

 

Dia 31 de julho de 2016, das 16h às 20h, na Arena Dragão do Mar. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Encontro Cearense de Malabares

 

 

Evento destinado à prática livre de malabarismo e outras modalidades circenses, com empréstimo gratuito de equipamentos e monitores para ensinarem, além de um show de malabarismo com fogo. Para os admiradores e aprendizes das artes circenses, é uma oportunidade de experimentação, aprendizagem e treino. Para os praticantes–amadores e profissionais, é uma oportunidade de prática coletiva, compartilhamento de técnicas e novos conhecimentos.

 

Dia 31 de julho, das 17h às 20h, no Espaço Patativa do Assaré. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CantArte


Projeto que tem o objetivo de oferecer música de vários estilos diferentes e aproximar a população da arte de cantar.  Nesta edição, confira apresentação que executa repertório da música erudita à popular, passando pela música clássica. Os artistas são os alunos profissionais e amadores da Escola de Canto Maninha Motta.

 

O CanArte faz interseção também com o Projeto Vivência, ao levar ao palco as crianças atendidas pelo programa social. O projeto solidário acolhe crianças de 4 a 12 anos do bairro Vicente Pinzon, as quais recebem orientação gratuita na Escola de Canto Maninha Motta, uma vez por semana. Desde a sua criação, em 2014, o projeto já atendeu cerca de 500 crianças carentes.

 

Dia 31 de julho de 2016, às 17h, no Auditório. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Rock Concert 2016
Orquestra Eleazar de Carvalho

 


 

Com novos arranjos, novas releituras e um repertório com versões inéditas, a Orquestra Eleazar de Carvalho vai executar o melhor dos clássicos do Rock'n'Roll internacional. Com direção artística de Arthur Barbosa, o Rock Concert trará versões de canções Beatles, Iron Maiden, Kansas, Metallica, U2, Led Zeppelin, System of a Down, Pink Floyd, AC/DC entre outros grandes nomes do rock mundial.

 

​A ORQUESTRA

 

A Orquestra Eleazar de Carvalho – Orcec dedica-se à formação de plateia para a música de concerto desde sua fundação, em 22 de dezembro de 1996. Referencial da música de concerto no Estado do Ceará, ela desenvolve um trabalho artístico de expressiva qualidade e elevado nível técnico. Nascida como um projeto do Governo do Estado do Ceará, viabilizado por meio da Secretaria da Cultura do Estado (Secult-CE), a ORCEC foi reconhecida como projeto de Utilidade Pública pelo decreto nº 26.482 de 21 de dezembro de 2001.

 

Atualmente, a orquestra é uma associação sem fins lucrativos, mantida com recursos mistos: públicos e privados, sendo totalmente independente do Governo do Estado. O repertório da Orquestra Eleazar de Carvalho abrange obras dos períodos barroco, clássico e romântico, bem como peças de compositores modernos e contemporâneos. Sua programação artística já contou com a presença de diversos regentes convidados e mais de cem solistas entre músicos nacionais e do exterior.

 

Dia 31 de julho de 2016, às 19h, no Anfiteatro. Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia). Livre.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TODA SEMANA NO DRAGÃO

 

 

Feira Dragão Arte
Feira de artesanato fruto da parceria com Sebrae-CE e Siara-CE.
Sempre de sexta a domingo, das 17h às 22h, ao lado do Espelho D'Água. Acesso gratuito.

 

 

Planeta Hip Hop
Grupos promovem exibições de dança e música hip hop.
Todos os sábados, às 19h, na Arena Dragão do Mar. Gratuito.

 

 

Fuxico no Dragão
Atrações artísticas e uma feirinha com vinte expositores de produtos criativos agitam as tardes de domingo. Ao longo deste mês de março, a feirinha ganha reforços entre as atrações. Confira a cada domingo, na programação geral.
Todos sábados e domingos, das 16h às 20h, na Arena Dragão do Mar. Gratuito

 

 

Pôr do Som – Música de Câmara no Dragão
A cada sábado, um grupo destacado da Orquestra Sinfônica da Universidade Estadual do Ceará (Osuece) apresenta-se no Dragão do Mar.
Todos os sábados, às 17h, na Arena Dragão do Mar. Gratuito.

 

 

Brincando e Pintando no Dragão do Mar
Brincadeiras e atividades infantis orientadas por monitores animam a criançada na Praça Verde. Especialmente neste mês, por ocasião do Mês do Circo e do Teatro no Dragão, o projeto terá uma série de atrações extras. Confira a cada domingo, na programação geral.
Todos os domingos, das 16h às 20h, na Praça Verde. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

PLANETÁRIO RUBENS DE AZEVEDO



Foto: Marina Cavalcante

 

O Planetário Rubens de Azevedo é um espaço de entretenimento e formação pedagógica através de caráter transdisciplinar em Astronomia. Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia).

 

 

Sessões

O ABC do Sistema Solar
Três crianças estão observando as estrelas quando percebem uma "estrela cadente" e logo uma delas faz um pedido: o desejo de fazer uma viagem até a Lua. De repente, as crianças são teletransportadas para uma nave espacial chamada "Observador". Após superar o medo inicial, elas fazem uma rica viagem pelo Sistema Solar visitando os planetas. Durante a viagem, elas são teletransportadas para Marte e também Vênus, e passam por dentro dos anéis de Saturno. No final, fazem uma perigosa aproximação do Sol.

 

Nos Limites do Oceano Cósmico
Uma sessão surpreendente, além de rica em animações com imagens digitais projetadas em toda a cúpula do planetário. A sessão faz uma alusão às perigosas viagens marítimas de antigamente, onde velejar até a "borda do mundo" era algo temido e perigoso. Mas os corajosos Colombo e Magalhães fizeram a tal viagem e descobriram que a Terra é redonda. A apresentação leva o visitante a uma viagem no tempo e espaço até os limites do Universo, descobrindo sua estrutura e também a nossa própria gênese. É uma fascinante viagem através de impressionantes efeitos especiais em animações de imagens digitais.

 

Sessões às quintas e sextas-feiras, aos sábados e domingos:
18h - O ABC do Sistema Solar - sessão infanto-juvenil
19h - Nos Limites do Oceano Cósmico - sessão juvenil-adulto

 

Atenção:  É obrigatória a apresentação de documento que comprove o parentesco do responsável com a criança menor de 10 (dez) anos de idade no ato de compra do ingresso de qualquer evento/espetáculo do Centro Dragão do Mar. Esta é uma determinação da Justiça do Estado.

 

 

 

 

 

 


CINEMA DO DRAGÃO - FUNDAÇÃO JOAQUIM NABUCO

 

A programação regular do Cinema do Dragão - Fundação é definida semanalmente, numa parceria entre a Fundação Joaquim Nabuco e a curadoria adjunta (Salomão Santana e Pedro Azevedo) e pode ser consultada na página www.dragaodomar.org.br.

 

Informações: 3219.5899
www.dragaodomar.org.br
programacaocinema@dragaodomar.org.br
Twitter: @cinemadodragao
Facebook: Cinema do Dragão-Fundação


Ingressos na Bilheteria do Cinema do Dragão -Fundação R$ 12,00 (inteira) e R$ 6,00 (meia). A bilheteria funciona de terça a domingo, das 14 às 22h.

 

 

Agilize a sua entrada! Ao comprar ingresso através do site ingresso.com, imprima o comprovante/ingresso de compra e dirija-se diretamente à entrada do Cinema do Dragão, sem necessitar fazer a troca na bilheteria. É mais prático e rápido. Experimente.

 

 

Também têm direito à meia da meia-entrada, no valor de R$ 3,00, estudantes da Escola Porto Iracema das Artes e da Escola de Artes Thomaz Pompeu Sobrinho e alunos de audiovisual do Centro Cultural Bom Jardim, da UFC, UNIFOR e da Vila das Artes, mediante apresentação de comprovante de matrícula.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MULTIGALERIA

 

 

Mostra Ponto de Cultura [Temporada de Arte Cearense]
Patrimônios – O Material, o Imaterial, o Humano e o Natural do Ceará

 

 

A exposição coletiva é composta por 120 trabalhos (óleo sobre tela - 1,20 x 0,80 e 0,50 x 0,40) que exemplificam um conjunto de elementos do patrimônio cultural cearense, nos seus mais diversos aspectos material, imaterial, humano e natural. Os trabalhos da exposição são frutos de uma sequência de oficinas na área de artes visuais, realizadas nos últimos anos pela Associação Cultural Solidariedade e Arte – SOLAR, com monitoria do artista Vlamir de Sousa. As telas são assinadas por mais de 70 participantes, alguns iniciantes no campo das artes visuais e outros com experiências significativas nesse segmento artístico.

 

A exposição aborda, no campo do universo do Patrimônio Material, telas ilustrando as mais significativas e importantes edificações da cidade de Fortaleza, tais como o Theatro José de Alencar, a edificação do Instituto Histórico, a Igreja do Rosário, entre outros tantos. No que tange ao segmento Imaterial, o patrimônio cearense está simbolizado na exposição através de telas que representam a manifestação cultural do Maracatu presente no Estado do Ceará e seus diversos grupos e características.

 

A exposição Patrimônios também procura exemplificar o homem cearense e seus traços através de telas de retratos de pessoas integrantes da Comunidade Quilombola de Alto Alegre (Horizonte) e do povo Tapeba (Caucaia). Por fim, o Patrimônio Natural do Ceará está presente na exposição por meio de trabalhos paisagísticos que retratam a natureza do litoral (Morro Branco), das serras (Guaramiranga) e do sertão cearense (Quixadá). Além de sua grande beleza e diversidade estética, esta exposição tem como propósito desenvolver um trabalho de educação em relação ao patrimônio cultural cearense e suas mais diversas características.

 

Em cartaz até dia 14 de julho. Visitação de terça a domingo, das 14h às 21h (acesso até as 20h30). Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

Abertura da exposição “Faz de Conta Que Morri”
Artista: Ivan Ferraro

 

Exposição retrospectiva da obra de Ivan Ferraro, com trabalhos produzidos entre Fortaleza e Berlim, de 1996 a 2016. São pinturas, desenhos, colagens, fotogramas, reliefs e objetos em diversos meios e materiais que subvertem o espaço e o tempo celebrando a vida com a ciência das soluções imaginárias. Inspirado em um poema de Mário Quintana, o título da exposição nos remete a ver a obra como legado de um famoso desconhecido: O Artista.

 

Na abertura da exposição, uma performances com atores, músicos e objetos re-animados apresentam o universo criativo da obra na perspectiva de um contendor. Ivan Ferraro, artista visual, músico, produtor, assina a exposição.

 

Abertura dia 21 de julho, às 19h, na Multigaleria. Em cartaz até dia 21 agosto de 2016. Visitação de terça a domingo, das 14h às 21h (com acesso até as 20h30). Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MUSEU DA CULTURA CEARENSE – MCC

 


O Museu da Cultura Cearense é um museu etnográfico que tem como proposta promover a difusão, a fruição e a apropriação do Patrimônio Cultural do Estado do Ceará, aplicando ações museológicas de pesquisa, preservação e comunicação, visando à inclusão e ao desenvolvimento sociocultural.

 

 

 

Exposição O Sertão Alegre de Babinski: Figuração e Oralidade no Ceará

 

 

Maciej Antani Babinski (Varsóvia, 1931) é uma lenda viva da arte brasileira. Viva o Ceará que o acolheu e agora desfruta da boa arte produzida por este pintor, gravador e aquarelista que se agiganta ao falar do périplo que percorreu até chegar a Várzea Alegre, onde além de uma família sertaneja ele encontrou o imaginário que o fez pintor.

 

Com curadoria de Dodora Guimarães, a exposição “O Sertão Alegre de Babinski: Figuração e Oralidade no Ceará” celebra a vida e a arte deste artista que, aos 85 anos, se reinventa a cada novo dia.

 

O artista que conviveu com Oswaldo Goeldi, Augusto Rodrigues e Darel Valença Lins, nos primeiros anos vividos no Brasil, no Rio, e anos mais tarde em São Paulo, com Wesley Duke Lee e Evandro Carlos Jardim, dentre outros expoentes da história da arte brasileira, há 25 anos deixou-se encantar por Lidia, e com ela fincou âncora no Sítio Exu, a poucos quilômetros do centro de Várzea Alegre.

 

 

Babinski abriu o seu ateliê para a nova paisagem e a nova figuração do entorno. A este sinal verde, uma corrente migratória humana adentrou, se fazendo presente, impondo-lhe cores novas e ardentes, e exigindo-lhe espaços em crescente expansão. O grafista cedeu ao canto da sereia sertaneja. As dezenove pinturas que deságuam na nova exposição foram todas produzidas após as suas últimas exposições em Fortaleza, no Sobrado Dr. José Lourenço, e em São Paulo, no Museu AfroBrasil, em 2012.  Marcadamente cearenses, são também as 31 gravuras realizadas na técnica da água forte, no seu belo e exemplar ateliê instalado no Sítio Exu.

 

Para Babinski, “essa exposição é um agradecimento ao ‘novo de sempre’ que encontrou na natureza e no povo do sertão cearense, que fez seu trabalho se desenvolver gradualmente através de um sentido mais humano. É de certa forma o meu agradecimento ao Ceará e ao Brasil, que me tornaram talvez um pouco mais uno e claro”.

 

O artista, gentilmente, ainda agradece à equipe que viabilizou a mostra: “Também devo agradecer o apoio integral das pessoas que trabalharam para botá-la na parede. Obrigado”, diz.

 

No Piso Superior do Museu da Cultura Cearense. Visitação de terça a sexta, das 9h às 19h (acesso até as 18h30); e aos sábados, domingos e feriados das 14h às 21h (acesso até as 20h30). Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

Exposição Vaqueiros

 

Foto: Marina Cavalcante

 

 

Exposição lúdica, de caráter didático, percorre o universo do vaqueiro a partir da ocupação do território cearense pela pecuária até a atualidade. Utiliza cenografia, imagens e objetos ligados ao cotidiano do vaqueiro.

 

Visitação de terça a sexta, das 9h às 19h (acesso até as 18h30); e aos sábados, domingos e feriados das 14h às 21h (acesso até as 20h30). Gratuito.

 

 

 

 

 

 

Agendamento de grupos para visitas às exposições

 

Núcleo de Ação Educativa

 

Partindo das especificidades de um museu etnográfico, o Núcleo de Ação Educativa do MCC objetiva formar educadores para atender ao público agendado e espontâneo. Composto por uma equipe multidisciplinar, realiza mediações com as mais variadas temáticas relacionadas à cultura popular trazidas pelas suas exposições.

 

Mediações
Os educadores do MCC proporcionam três tipos de mediações aos seus visitantes:

 

  • Mediação simples: mediação rápida, mais orientadora, destinada ao público não agendado e espontâneo. Duração de até 20 min.
  • Mediação ampliada: mediação problematizadora, formadora, que instiga o visitante a refletir de forma crítica sobre a exposição. Duração de até 01h30min.
  • Mediação com oficina: mediação mais prolongada, pois além de ter como ponto central a reflexão, nesta visita atividades de arte-educação são vivenciadas. Por exemplo: teatro de fantoche, desenho, contação de história, roda de conversa e oficinas de acordo com a exposição em cartaz. Duração de até 2 horas.

 

 

O agendamento dos museus do CDMAC pode ser feito de segunda a sexta, das 9h às 17h.
Contato: (85)3488.8621
E-mail: agendamentomuseus@gmail.com

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Proposta de Acessibilidade para a exposição A Palavra e o Traço

 

A proposta de acessibilidade da exposição "A palavra e o traço" apresenta ao público experiências de percepção e exploração das narrativas e dimensão multissensorial da obra de Fausto Nilo (palavras, traços, volumes, formas, imagens, cores, áudios, sons, melodias), com a utilização dos seguintes recursos metodológicos: mediações acessíveis, oficinas de sensibilidade, intérprete de Libras nos dias de terça-feira e quarta-feira (14h às 17h), maquete tátil, mapas táteis, desenhos táteis, textos em Braille, audiodescrição, vídeos com janelas de Libras, dentre outros.

 


// Programação Educativa

As oficinas educativas são realizadas mediante prévio agendamento e apresentadas após a mediação com equipe do projeto Acesso na exposição.

 

Oficina "Praça do Ferreira: Você se Lembra?"
A oficina suscita reflexões sobre as principais mudanças e fatos históricos relacionados com o surgimento da Praça do Ferreira até os dias atuais, com destaque para o desenho arquitetônico do arquiteto Fausto Nilo.
Público: Alunos da Sociedade de Assistência aos Cegos (SAC) e Associação dos Cegos do Estado do Ceará (ACEC) e grupos agendados
Quando: de acordo com agendamento de grupos

 

Museu em suas mãos: Rimas e Retas
As atividades envolvem o professor e acontecem no ambiente escolar antes, durante e depois da visita à exposição, com o intuito de provocar a descoberta simbólica e afetiva que Fausto Nilo expressa na sua lírica e nos desenhos arquitetônicos.
Quando: Mensalmente
Público: alunos da Educação de Jovens e Adultos da ACEC

 

Agendamento para visita de grupos: de segunda à sexta, das 9h às 17h. Contatos: (85) 3488-8621 ou agendamento@dragaodomar.org.br

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA DO CEARÁ – MAC

 

 

Filmes e Vídeos de Artistas na Coleção Itaú Cultural

 

 

De 23 de junho a 28 de agosto, o Itaú Cultural e o Museu de Arte Contemporânea do Ceará – Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura exibem a exposição itinerante Filmes e Vídeos de Artistas na Coleção Itaú Cultural, com 18 obras nacionais representativas de videoarte que perpassam os últimos 40 anos do gênero no Brasil. Com curadoria de Roberto Moreira S. Cruz, os trabalhos compõem um recorte deste acervo do instituto e trazem a Fortaleza cinco obras recém adquiridas: a video-performance inédita Ordinário, realizado em 2013, por Berna Reale, mais dois trabalhos de Paulo Bruscky, um de Paulo França e mais um de Letícia Parente.

 

Esta obra de Berna representa um marco em sua carreira, pois foi uma das que apresentou na 56ª Bienal de Veneza, cuja participação a projetou como uma das maiores artistas do Brasil na atualidade. Além de Ordinário, o Centro Dragão do Mar recebe com exclusividade nesta itinerância, outras quatro aquisições recentes do Itaú Cultural: Registros (Meu Cérebro Desenha Assim) de 1979 e Xeroperformance (xerofilme), de 1980 realizadas por Paulo Bruscky; After a deep sleep (Getting Out), de 1985, com autoria de Rafael França e Marca Registrada, de 1975, assinada por Letícia Ramos.

 

Marca registrada, obra de Letícia Parente

 

Antes de Fortaleza, Filmes e Vídeos de Artistas na Coleção Itaú Cultural passou por Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Belém (PA), Recife (PE), Curitiba (PR), Porto Alegre (RS) e no próprio instituto em São Paulo. Para cada uma destas cidades, o curador Roberto Cruz preparou um recorte diferente e o Ceará é a primeira itinerância fora de São Paulo a receber as novas obras da coleção.

 

A exposição

 

Filmes e Vídeos de Artistas na Coleção Itaú Cultural ocupa os dois principais salões do o Museu de Arte Contemporânea do Ceará – Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, os pisos superior e inferior. No primeiro, há produções que resgatam a importância da produção pioneira de audiovisual, trazendo à tona a força inventiva de filmes e vídeos históricos do acervo. Neste espaço estão trabalhos das décadas de 1970 e 1980, em VHS, Super 8, 16 mm e portapack, recuperados e remasterizados, de Nelson Leirner, Letícia Parente, Regina Silveira, Rubens Gerchman e Anna Bella Geiger. “Os próprios autores haviam esquecido de grande parte desse material, como Homenagem a Steinberg – Variações sobre um tema de Steinberg: As Máscaras Nº 1, de Leirner, que estava perdida em sua casa, e fizemos o restauro e a remasterizacão”, conta Roberto Cruz.

 

 

Passagens nº1, de Anna Bella Geiger

 

Conforme explica o curador, essa foi uma fase difícil para os artistas por não existir um mercado que pudesse dar visibilidade a este tipo de produção, em primeiro lugar. Também porque o cenário cultural brasileiro estava fortemente submetido à censura imposta pelo regime militar. “Os filmes e vídeos mais originais e inventivos, realizados neste contexto, permaneceram durante muito tempo desconhecidos do público e praticamente abandonados nas gavetas dos estúdios e ateliês dos próprios artistas.” A década de 1970 foi determinante para a produção audiovisual no Brasil e no mundo. Foi a partir deste período que, pela primeira vez, a arte contemporânea se aproximou do campo do cinema e do vídeo e assim, artistas visuais passaram a transitar por estas áreas com obras experimentais.

 

Ainda no piso superior, a exposição segue com obras mais atuais, como Planeta Fóssil, que é uma projeção de 2009, de Thiago Rocha Pitta, além das duas obras recém-adquiridas para a coleção de autoria de Paulo Bruscky, Registros (Meu Cérebro Desenha Assim) e Xeroperformance (Xerofilme). 

 

A segunda parte da mostra, instalada em todo o piso inferior joga o foco em obras contemporâneas realizadas a partir de 1990 até os dias atuais por uma nova geração de artistas. Esses trabalham com o audiovisual, têm inserção no mercado e o usam como suporte para criar sons, imagens e linguagens muito particulares.

 

 

Cinema, de Eder Santos

 

“Nesse caso, selecionamos os trabalhos com base na sua representação antológica e na forte questão mercadológica que representam atualmente”, conta o curador. Nesta categoria e por apresentarem modos originais de trabalhar a imagem em movimento, destacam-se criações de Eder Santos, Cao Guimarães, Brígida Baltar, Thiago Rocha Pitta, Rivane Neuenschwander, Gisela Motta e Leandro Lima, Sara Ramo, Luiz Roque, além dos trabalhos novos de Berna Reale e de Rafael França.

 

Roberto Cruz é consultor da Coleção de Filmes e Vídeos do Itaú Cultural e assinou a curadoria de Cinema Sim: narrativas e projeções (Itaú Cultural, 2008); Fluxus 2011 (Oi Futuro - BH); Fluxus Black and White (Oi Futuro - BH, 2012) Coleção Itaú Cultural de Filmes e Vídeos (em São Paulo e itinerâncias).

 

Coleção
A Coleção Itaú Cultural de Filmes e Vídeos de Artistas começou a ser formada em maio de 2011, com o seminário Filme, Vídeos e Arte: Compartilhando Experiências. O encontro aconteceu no Itaú Cultural e representantes de centros culturais e galerias, colecionadores e especialistas debateram sobre melhores práticas voltadas para constituição de acervos e das metodologias de conservação e difusão de obras de arte audiovisuais. A partir disto, o instituto passou a organizar o acervo consciente da importância dessa produção pioneira no país, e, fundamentalmente, de sua conservação, valorização, preservação e difusão. A iniciativa é inédita no Brasil onde não se tem notícia de outras instituições culturais que possuam esse tipo de coleção, que traz ao observador a força inventiva destas imagens.  Atualmente,  o acervo de videoarte do instituto possui 20 obras:

 

1.         Partida (2005), de Alberto Bittar
2.         Passagens #I, (1974), de Anna Bella Geiger
3.         Ordinário (2013), de Berna Reale
4.         Coletas, (1998 /2005), de Brígida Baltar
5.         El Pintor Tira el Cine a la Basura (2008), de Cao Guimarães
6.         Memória – Cristaleira (2001), de Eder Santos 
7.         Cinema (2009), de Eder Santos          
8.         Amoahiki – Árvores do Canto Xamânico (2010), de Gisela Motta e Leandro Lima
9.         Marca Registrada (1975), de Letícia Parente
10.       Mar (2008), de Letícia Ramos          
11.       Projeção 0 e 1 (2012), de Luiz Roque
12.       Homenagem a Steinberg – Variações Sobre um Tema de Steinberg: As Máscaras Nº 1 (1975), de Nelson Leirner
13.       Registros (Meu Cérebro Desenha Assim) (1979), de Paulo Bruscky
14.       Xeroperformance (xerofilme), (1980), de Paulo Bruscky
15.       After a deep sleep (getting out), (1985), de Rafael França
16.       A arte de Desenhar (1980), de Regina Silveira
17.       Sunday (2010), de Rivane Neuenschwander e Sergio Neuenschwander
18.       Triunfo Hermético (1972), de Rubens Gerchman
19.       Translado (2008), de Sara Ramo
20.       Planeta Fóssil (2009), de Thiago Rocha Pitta            

                                   

Em cartaz até dia 28 de agosto, no MAC-CE. Visitação: de terça a sexta, das 9h às 19h (com acesso até as 18h30); e aos sábados, domingos e feriados, das 14h às 21h (acesso até as 20h30). Gratuito. Livre.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ações Educativas

Mediação a partir dos conteúdos das exposições para público espontâneo e agendado. A equipe é formada por Arte Educadores - universitários multidisciplinares - que desenvolvem ações de mediação com Escolas, Projetos, Universidades, ONGs e demais instituições interessadas em visitar o Museu e conhecer mais sobre Arte Contemporânea.

 

O agendamento dos museus do CDMAC pode ser feito de segunda a sexta, das 9h às 17h.
Contato: (85)3488.8621
E-mail: agendamentomuseus@gmail.com

 

 

 

 

Biblioteca de Artes Visuais Leonilson

Espaço especializado em artes visuais com cerca de dois mil livros nas áreas de Fotografia, Design, Museologia, História da Arte, Arquitetura e Urbanismo, Moda e Arte Contemporânea.

Serviço gratuito, de terça a sexta, das 9h às 18h.

CENTRO DRAGÃO DO MAR DE ARTE E CULTURA

Rua Dragão do Mar 81, Praia de Iracema - CEP: 60060-390 - Fortaleza/CE - CNPJ: 02.455.125/0001-31
Informações gerais: 55 (85) 3488 8600 / 55 (85) 3488 8608