Atenção:  É obrigatória a apresentação de documento que comprove o parentesco do responsável com a criança menor de 10 (dez) anos de idade no ato de compra do ingresso de qualquer evento/espetáculo do Centro Dragão do Mar. Esta é uma determinação da Justiça do Estado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

LITERATURA

 

 

 

 

 


► Recital e Feira Cordel com a Corda Toda

Tão característica da cultura nordestina, a literatura de cordel tem vez e lugar no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. Todo mês, tem Recital e Feira Cordel com a Corda Toda, realizado em parceria com a AESTROFE – Associação de Escritores, Trovadores e Folheteiros do Estado do Ceará, instituição que congrega boa parte dos poetas populares do nosso estado. A Feira ocorre sempre paralelamente ao recital com os principais expoentes da Literatura de Cordel na atualidade, das 17h às 21h. Os artistas declamarão versos autorais e de vários outros poetas populares.
Dia 19 de abril, às 17h, no Espaço Rogaciano Leite Filho. Acesso gratuito.

 

 

 

 

 

 

Lançamento do livro “A Última Fortaleza”
De Neil Armstrong

 

Última Fortaleza: semente de heróis é uma ficção futurista repleta de aventuras alucinantes. Nil e sua turma lançam mão dos aparatos da ciência e se unem ao Guardião (ciborgue ou espécie de semideus) para salvar a “última fortaleza” da hecatombe. Para tanto, colecionam sobressaltos, desafios e muitas peripécias. De pacatos passeios pela serra a viagens interplanetárias, da emoção estática frente aos seriados de TV (na sossegada sala da infância) a perigosas invasões alienígenas que põem à prova a adrenalina, de jovens garotos vocacionados para a ciência a sementes de heróis, o livro é uma viagem vertiginosa. O planeta Terra, transformado em “última fortaleza”, torna-se lugar de resistência em que os seres humanos, auxiliados por heróis, lutam para mantê-lo em órbita.

 

NEIL ARMSTRONG é Mestre em Informática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Trabalhou como pesquisador em vários institutos de Tecnologia do País, como o CENPES (Centro Nacional de Pesquisas da Petrobrás – RJ), CEPEL (Centro de Pesquisa da Eletrobrás), TecGRAF-PUC/RJ, Crab-UFC, entre outros. Atualmente, é membro do grupo de pesquisa GEDAI e do Instituto UFC Virtual. Possui também formação em audiovisual pelo Instituto Dragão do Mar. Roteirista, Produtor e Diretor Cinematográfico, com vários filmes premiados, tanto como roteirista quanto como diretor.  Coordenou grupos de pesquisa na UFC nas áreas de Jogos eletrônicos e Animação Gráfica. Fundou o grupo Lunárticos, que nos últimos anos produziu cerca de 400 minutos de desenho animado para TV e Cinema, entre curtas de ficção científica, séries para TV e inúmeros VTs publicitários sob sua direção. Escreveu contos de ficção científica e, recentemente, teve vários artigos publicados em Jornais locais, mais recentemente no Diário do Nordeste.


 Dia 7, às 19h, no Auditório. Acesso gratuito.

 

 

 

 

 

 

Lançamento do livro “Turismo para cegos” (Cia das Letras)
De Tércia Montenegro

 

A vida de Laila está prestes a se esfacelar. Jovem aluna de artes plásticas, ela tem os planos interrompidos por uma doença degenerativa e incurável que vai lhe custar a visão. Conforme a cegueira avança, tarefas corriqueiras tornam-se desafios e tudo o que lhe era familiar precisa ser explorado e redescoberto. Assim, também há algo de novo no envolvimento com Pierre, um funcionário público aparentemente inexpressivo que irá cuidar de Laila com dedicação.


Quem conta essa história é a atendente de um pet shop: é na loja onde ela trabalha que o casal procura adquirir um cão-guia. Neste surpreendente romance, a escritora Tércia Montenegro tateia os caminhos que afastam e aproximam os indivíduos, revelando, com linguagem poética, um fluxo labiríntico de incertezas e, acima de tudo, a voracidade pelo desconhecido que reveste tantos encontros humanos.


Dia 25, às 19h, no Auditório. Acesso gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FEIRA

 

► Fuxico no Dragão
Música, performances e uma feirinha com vinte jovens expositores em design, moda, produtos terapêuticos e gastronômicos agitam as tardes de domingo do Centro Dragão do Mar. O programa perfeito para jogar longe o marasmo dominical.
Dias 5, 12, 19 e 26 de abril, das 16h às 20h, na Arena Dragão do Mar. Acesso gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CIRCUITO DE MÚSICA ERUDITA

 

 

► Sax in Cena
Fundado em julho de 2006, o Sax in Cena é o primeiro quarteto de saxofone profissional do Estado do Ceará. Com repertório variado, entre clássicos da música erudita e popular, passando por gêneros como choro, frevo, jazz, xote, entre outros, o grupo trabalha com a proposta de formação de plateias, procurando despertar nas mais diferentes faixas etárias o interesse pela música.
Dia 5 de abril, às 18h, no Auditório. Ingressos: R$ 4 e R$ 2 (meia)

 

 

 

► Quarteto Cearense
O Quarteto Cearense é um dos grupos solos da Orquestra de Câmara Eleazar de Carvalho e apresenta, todo mês, repertório que vai do barroco ao contemporâneo.
Dia 26 de abril, às 18h, no Auditório. Ingressos R$ 4 e R$ 2 (meia).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MÚSICA

 

► Dia Nacional do Choro – com Projeto Kaya no Choro

 

Comemorado no dia 23 de abril, em homenagem à data de nascimento de Pixinguinha, o Dia Nacional do Choro terá show inédito com grandes nomes cearenses do choro, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. Com direção musical de Carlinhos Patriolino e Fernando Lélis, o Projeto Kaya no Choro apresenta, no dia 23, a partir das 20h30, no Espaço Rogaciano Leite Filho, clássicos do choro tradicional em diálogo com o jazz e a MPB, entre outros gêneros. O acesso ao show é gratuito.


No repertório, a articulação entre clássicos como “Flor Amorosa” (Joaquim Antonio da Silva Callado e Catulo da Paixão Cearense), “Odeon” (Ernesto Nazareth e Vinícius de Moraes) e “Doce de Côco” (Jacob do Bandolim e Hermínio Bello de Carvalho) com a bossa-nova, mas também com clássicos do jazz e dos chorinhos modernos, como dos grupos Pagode Jazz Sardinha’s Club e Aeroporto Galeão, além de músicas autorais de integrantes do projeto.


Resultado de parceria entre o Dragão do Mar e a Koisa & Tao Produções, o show inédito do Kaya no Choro apresentará uma formação diferente dos regionais tradicionais de choro. Unirá ao quinteto formado por Tauí Castro (pandeiro), Clarisse Aires (flauta transversal), Fernando Lélis (saxofone), Carlinhos Patriolino (bandolim) e Alisson Félix (violão/cavaquinho), o groove de Bruno Brasil (baixo) e o swing de Tchelmy Souza (percuteria), proporcionando uma experiência musical única, com um pé na tradição e outro na contemporaneidade.

 

Quem foi Pixinguinha

            Alfredo da Rocha Vianna Júnior – ou Pixinguinha – nasceu em 23 de abril de 1897, no Rio de Janeiro. Desde cedo metido nas rodas de choro na famosa casa da Tia Ciata, dedicou-se à música, virou flautista, saxofonista, compositor e arranjador dos melhores. Deixou um legado de clássicos, arranjos e interpretações louváveis que o transformaram num dos maiores nomes da música brasileira e o maior do choro nacional, responsável por sua popularização. Entre as composições, Carinhoso, Lamento, Rosa, 1 x 0, Ainda Me Recordo, Proezas de Solon, Naquele Tempo, Vou Vivendo, Abraçando Jacaré, Os Oito Batutas, Sofres Porque Queres, Fala Baixinho, Ingênuo.

 

Dia 23 de abril, às 20h30, no Espaço Rogaciano Leite Filho. Acesso gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TEATRO INFANTIL

 

 

 

► Espetáculo “Aladim”
Cia. Cearense de Molecagem – Adaptação e direção: Carri Costa

 

Um dos clássicos inesquecíveis da literatura infantil, envolvendo romance e aventura, Aladim conta a história de um jovem árabe simples, mas muito curioso que se apaixona por uma princesa.

 

Em uma das muitas aventuras de Aladim, ele encontra uma lâmpada em que um irreverente gênio encontra-se aprisionado e ao libertá-lo lhe é permitido a realização de três desejos. Conquistar a sonhadora princesa Jasmin é um dos seus pedidos ao gênio maluco. Mas o cruel feiticeiro Jafa quer pôr as mãos nessa lâmpada mágica e vai usar do bom coração de Aladim para atingir seus planos.

 

Do Livro As Mil e uma Noites, o conto de Aladim é um dos tesouros da literatura mundial e tem encantado gerações. Agora, a Cia Cearense de Molecagem pretende levar o público a um mergulho literário com personagens, elementos cênicos vibrantes, acrobacias, danças, música, muito encantamento e diversão.

 

Dias 25 e 26, às 17h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 40 e R$ 20 (meia). Classificação livre.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TEATRO

 

 

 

 

► Espetáculo “Os Cavaleiros”
Grupo Alumiar Cenas & Cirandas – Direção: Socorro Machado

 

Com um texto feito a partir de figuras fantásticas e reais da nossa Cultura Popular, Os Cavaleiros, do grupo de teatro Alumiar Cenas & Cirandas, estreia no Teatro Dragão do Mar, dia 11 de abril, às 19 horas.

 

Um espetáculo em que uma visão sagrada e profana envolve a vida de uma comunidade de vaqueiros; o folguedo do bumba-meu-boi e os sete pecados capitais são como características da essência humana; e os brinquedos cantados e a religiosidade se entrelaçam como fios nas mãos dos personagens, que apresentam texto rico em torno do grande universo que é a Cultura Popular.

 

Sob a direção geral de Socorro Machado, Os Cavaleiros traz a inclusão para cena teatral. O espetáculo terá a participação de dois atores deficientes visuais, e contará com intérpretes de Libras (Língua Brasileira de Sinais) e áudio-descrição durante as sessões.

 

O grupo cearense de teatro Alumiar Cenas & Cirandas, com 15 anos de existência, é composto por pesquisadores e estudiosos da cultura popular, arte-educadores, pedagogos e comunicadores que têm como filosofia o Teatro Pedagógico, visando à transformação do indivíduo a partir da educação.

 

Dias 11 e 12, às 19h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia). Classificação etária: 9 anos.

 

 

 

 

 

 

 

 

► Bando de Pássaros Gordos
Direção: Andréia Pires

 

Entre um encontro de degustação e o ensaio de uma banda fantástica, seis atores inventam um mundo de impulsos. Um mundo em que cada palavra dita, cada olhar, tem apenas um significado, cada toque não tem passado nem futuro, cada beijo é um beijo desconhecido. Motivados pelo livro " Os sonhos de Einstein" de Alain Lightman, a peça existe  num tempo surreal.

 

Ficha técnica:
Elenco | Getúlio Cavalcante, Bruna Pessoa, Thiago Andrade, Gabriela Ribeiro, Leonardo William e Felipe Bira
Texto | Produção Colaborativa
Trilha Sonora | Pepeu
Figurinos | Filipe Alexandre e Isac Bento
Publicidade | Getúlio Cavalcante
Iluminação | Andréia Pires
Técnica | audiovisual. Pedro Henrique
Preparação Vocal | Ari Sousa
Produção Executiva | Michel Barros
Produção de Cena | Marcos Paulo
Fotografia | Nanda Siebra

 

Dias 18, 19, 24, 25 e 26, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia). Classificação livre.

 

 

 

 

 

 

 

 

► Gênero em Cena [Curta O Gênero]

 

A partir deste ano, o Curta o Gênero, que está em sua 4ª edição, inclui mais uma ação que integra expressão artística com compromisso político no campo das relações de gênero e sexualidades, o "Gênero em Cena". De 7 a 10 de abril, apresentam-se no Teatro Dragão do Mar quatro espetáculos cênicos gratuitos, sendo dois cearenses, um gaúcho e um carioca. Todas as peças transitam e nos convidam a entrar nos delicados universos das sexualidades, identidades, violências e desigualdades que se constroem a partir do machismo, do racismo e das homolesbotransfobias.  

 

O Gênero em Cena começa com BR Trans (CE), direção de Jezebel de Carli e produção de Silvero Pereira, que traz a cartografia artística e social do "universo Trans" no Brasil, por meio de um paralelo entre a pesquisa e a vivência no dia-a-dia das travestis e transformistas do Nordeste ao Sul. O segundo dia é com a peça Maieutica (CE), do grupo Parafernália Poética, que questiona o papel da mulher compreendido, social e historicamente, como apêndice do homem. Pela primeira vez em Fortaleza, o terceiro dia apresenta Borboletas de Sol de Asas Magoadas (RS), da diretora Evelyn Ligocki, que realiza uma visita ao cotidiano das travestis, onde pretende desmistificar e romper preconceitos. E para finalizar a semana, a peça Sete Ventos (RJ), da diretora Débora Almeida, que convida a plateia para uma conversa sobre mulheres negras e o mito de Iansã.

 

Na semana seguinte, o Curta o Gênero continua sua programação na Casa Amarela Eusélio Oliveira, com o IV Seminário Internacional Gênero, Cultura e Mudança, a IV Mostra Internacional Audiovisual, o III Encontro Gênero nos Pontos e o Encontro Latinoamericano Gênero e Cultura, na tarde no dia 18 volta ao Dragão do Mar com as Mostras Paralelas de Cinema e a Festa de Encerramento.

 

Sobre o Curta o Gênero    
O projeto Curta O Gênero é realizado desde 2012 pela ONG Fábrica de Imagens - ações educativas em cidadania e gênero, com apoio institucional da Secretaria de Cultura do Estado (Secult) e Coelce e o patrocínio dos Correios e da Petrobras. Traz na bagagem uma proposta para multilinguagens, com o debate e a difusão de obras comprometidas com a denúncia das desigualdades de gênero, construção ou invenção de outras representações baseadas na equidade de gênero e na afirmação da diversidade sexual. Através de simpósios temáticos, mostras audiovisuais, rodas de conversa, exposição fotográfica, apresentações teatrais (Gênero em Cena) e musicais, feiras artísticas e de livros.

 

Dias 7, 8, 9 e 10 de abril, às 19h, no Teatro Dragão do Mar. Acesso gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DANÇA

 

 

 

 

► Festival Corpo Arte – Body Art Festival 2015

Com a ideia de se criar em Fortaleza mais uma opção para os artísticos corpos cênicos contemporâneos da cidade, realiza-se de 14 a 18 de abril, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, o Festival Corpo Arte – Body Art Festival 2015. Ocupando ainda outras locais da cidade, serão mais de dez atrações gratuitas com grupos de todo o Brasil.

 

Entre os destaques da programação, está o espetáculo de abertura InstHabilidade, do Grupo de Dança Primeiro Ato, de Belo Horizonte (MG). Depois de 15 anos sem se apresentar em solo cearense, o grupo ganha o palco do Teatro Dragão do Mar, no dia 14 de abril, às 21h. E faz uma segunda apresentação, “Pequenos Atos de Rua”, no dia 15, às 16h, na Praça do Ferreira.

 

“Nos apresentamos como um evento democrático de ampla participação popular dos nossos artistas que desenvolvem a prática do “Corpo”, como expressão artística, seja no teatro, dança seja na performance, e que contribuem assim para a difusão cultural e construção da memória da arte contemporânea do Ceará”, conclui Paulo Lima.

 

 

 

PROGRAMAÇÃO

 

Dia 14 – Terça-feira

 

15h | Teatro São José (Centro) | Livre
Espetáculo "Carona"
Em Dois Companhia de Dança (CE) – Performers: Felipe Araújo e Emanuel Santos
Uma história sobre pistas, aviões e navios. Um duo de dança que acontece no espaço da rua, entre os carros e pedestres.

 



21h | Teatro Dragão do Mar | Livre
Espetáculo "InstHabilidade"
Grupo de Dança Primeiro Ato (MG) – Concepção e Direção coreográfica: Alex Dias e Suely Machado
O espetáculo é inspirado na condição de estar vivo, de "cair e levantar", movimentos naturais da vida. A habilidade de lidar com a instabilidade e a instabilidade presente em nossas habilidades, que gera desequilíbrio, ação e vida.

 

O movimento serve de metáfora para a instabilidade enquanto terreno constante de experimentações e pesquisa. A partir desse pensamento, a montagem propõe habitar o lugar de busca no processo homem-mundo, através da jornada entre a inspiração, a fantasia e as quedas na realidade.

 

 

 

Dia 15 – Quarta-feira

16h | Praça do Ferreira | Livre
Pequenos Atos de Rua
Grupo de Dança Primeiro Ato (MG) – Concepção, encenação e direção coreográfica: Suely Machado
Em espaços públicos da cidade, inspirados em contos e no realismo fantástico, a cena cotidiana é matéria prima para quadros que se movem e transformam o cenário urbano em ambientes de sonho e possibilidades.



O trabalho dos oito bailarinos envolvidos na criação e no desenvolvimento do trabalho busca aproximar o público na identificação e na transcendência dos movimentos.

 


18h | Teatro Dragão do Mar | Livre
Espetáculo "Galinhas-Mulheres-Galinhas"
Companhia Ponto (CE)
Performers: Tatiana Valente, Maurileni Moreira, Tayana Tavares
Em quê circunstâncias o corpo do Outro pode ser erguido e isto simbolizar uma violência das partes? Em quê caminhos nos deixamos influenciar pelos gritos dos opressores e nos silenciarmos aceitando-nos como vítimas? O que fazer para que tomemos as rédeas do corpo e faça dele o que bem quiser, sem medo, sem culpa, sem regras, respeitando a mim e minhas vontades?

 

Deixar visível as feridas de todas as agressões físicas, verbais, morais que as mulheres sofrem no dia-a-dia, seja na rua com cantadas sexistas, seja em casa com olhares reprovativos, seja num relacionamento com as privações do quê pode e do quê não pode fazer em busca de ser uma 'mulher direita'. GALINHAS é um soco no estômago.


21h | Teatro Dragão do Mar | Livre
Espetáculo "Dança Burra II"
Marcelo Gabriel (MG)
O primeiro espetáculo de Marcelo Gabriel, o solo Dança Burra (1987), que deu nome à Companhia de Dança Burra, iniciou sua pesquisa em quedas. Estabelecendo um diálogo entre artes plásticas, dança e teatro, criava uma instalação cênica que foi apresentada em coletivas e salões de arte, tendo recebido uma referência especial no XX Salão Nacional do Museu de Arte de Belo Horizonte em 1988.



Dança Burra II aprofunda a análise, tendo como fundamento a construção de signos de poder e dominação, tendo sua estrutura no discurso e influência no corpo da linguagem. Sintoma cronificado pelo adestramento do gesto, seu reflexo no comportamento, normatizando o desejo em um corpo social amputado.

 

 

 

Dia 16 – Quinta-feira

15h | Percurso do Passeio Público à Praça do Ferreira | Livre
Espetáculo "Ele"
Rodrigo Caffer (SP)
Concepção e arte geral: Rodrigo Caffer

Conta-se que havia, em Shangrilá, um elefante que passeava nas costas de um homem... ou seria um homem que passeava à sombra de um elefante? O prêmio para esse esforço era o acesso a um jardim suspenso. Criação em dança que considera os vãos da arquitetura, o que se infla, o que está pleno de possibilidades, o que se expõe e as reformas, perspectivas e relações que esse espaço contempla.

 

 

Espetáculo "PontoAR"
Companhia Ponto (CE)
Performers: Tatiana Valente, Maurileni Moreira, Tayana Tavares
PontoAr remete à ideia da repugnância. Não para aqueles atos que reportam a instintos, mas de tudo aquilo que lhe monta a capa da "boa sociedade", das ações, pequenas corrupções e abusos que se constroem no escuro. A mulher que bebeu demais e está rodeada de amigos que desejam outro fim para sua trajetória.

 

A menina que sorri para o transeunte, que lhe rouba o pirulito de suas mãos. A bailarina que se vê obrigada a sentar no sofá e deixar sua sapatilha estendida no cabide da porta, que se tranca para seus ideais. Ar nem sempre é sopro de vida.

 

Surpresa? De onde vem? O que vem? Respirares de epifanias femininas. Coletivo desconjuntado que carrega em suas memórias narrações de invasões ao seu corpo. De tudo isto, PontoAr é um salto para o escuro.

 

 

 

 

20h | Teatro Dragão do Mar | Livre
Espetáculo "Palafitas"
Grupo Fuzuê (CE)
Performers: Edmar Cândido, Eric Vinícius
É uma proposição de equilíbrio entre dois corpos, ora sobre mãos e pés, ora reconstruindo formas de estar no outro. A sustentação do corpo sobreposto se da pela busca de eixos estáveis, remetendo a imagem dos casebres lacustres que conhecemos por palafitas que se erguem em lagos e regiões pantanosas como estratégia de se habitar um espaço. O conceito de morada aqui cria a subjetividade da proteção, uma maneira de habitar os terrenos não estáveis da condição humana.

 

 

 

21h | Teatro Dragão do Mar | Livre
Espetáculo "A Cor Cinza das Coisas"
Experimentus Cia. de Dança (CE)
Coreografia e Direção: Paulo Lima
Bailarinos intérpretes: Aline Rodrigues, Edson Odorico e Lucas Linon
Inspirado na filosofia de Schopenhauer, que postula que o mundo não é mais que a representação, o prazer é apenas a supressão momentânea da dor, esta por sua vez, é a única realidade verdadeira.

 

 

 

Dia 17 – Sexta-feira



10h | Percurso a partir da Praça da Estação | Livre
Espetáculo "Avestruz Ciborgue"
Paola Rettore (MG)
Performer: Paola Rettore

A obra realiza interferências urbanas, porém em campo aberto de significações a partir da construção de sete roupas-esculturas pré-performance, pré-personagem e pós-persona, trabalhadas como objetos, como construção de adereços superpostos ao corpo ou mesmo como uma extensão do corpo, dando à escultura um lugar, uma posição, uma referência.

 

 

14h | Fachada do Prédio Cine São Luiz / Pça. Do Ferreira
Espetáculo "Arranha Céu"
Teatro Base (SP)
Performer: Paola Rettore

O enredo é ambientado no século XXII, numa cidade grandiosa, mecânica e lotada com imensas estruturas arquitetônicas rodeadas por um fluxo constante de pessoas, automóveis, aviões, motos, helicópteros e outros veículos voadores que compõem uma sinfonia incomum, uma cacofonia de sensações, medos, fobias e individualidades.
Os habitantes dos Arranha Céus se adaptaram as transformações ocorridas nas novas cidades-sistemas criados e gerenciados pelo governo central e conseguem viver em um mundo vertical. Explorando o isolamento, a efemeridade e a conexão das relações, a peça conta histórias de pessoas sem nome que vivem num mundo estranho, mecânico e vertical.

 


16h | Auditório do Dragão do Mar | Livre
Diálogos com PAOLA RETTORE e LEONEL BRUM
Tema: Impressões de um CORPO pela CIDADE

 


 

Dia 18 – Sábado

17h30 | Museu de Arte Contemporânea do Ceará (MAC-CE) | Livre
Projeto Estudo para Lugar Nenhum
Vera Sala (SP)
Concepção/Execução: Vera Sala – Arquiteturas/Luz: Hideki Matsuka

 

(?)........
errâncias derivas
corpo esvaziado descontinuado sem fim sem onde(?)
vertigem
onde(?)sem tempo sem começos sem ir impossível tempo impossível corpo
onde(?) apenas corpo
(vera sala)
corpofendaabismofissura........... ausência
ausência

 

 

 

 

 

 

► Festival Dança em Movimento 2015

 


DANÇA EM MOVIMENTO 2015, tem a função de despertar o desejo de vivenciar a arte nas suas mais variadas formas, desde o artista com seu bailado e pantomima, mas principalmente na plateia que o prestigia.  Nesse palco de emoção, cada movimento nos levará a uma esfera inusitada de realizações, permitindo-nos transpor barreiras e criar novas vertentes. Ao final, teremos resgatado a perspectiva da Arte: o verdadeiro encontro do homem consigo mesmo.

 


 Dias 22 e 23, às 19h30, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 30 (meia) e R$ 15 (meia) + 1kg de alimento não perecível.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SEMINÁRIOS, DEBATES

 

 

►Debate com Ginga


Em mais uma edição do Debate com Ginga, uma discussão pertinente a quem trabalha com o fortalecimento das classes artísticas e movimentos sociais: COMUNICAÇÃO E CULTURA POPULAR. Os convidados são Helena Martins (jornalista e integrante do Coletivo Intervozes) e João Carlos (supervisor de Comunicação Popular no Cuca). Durante o debate, será lançado o vídeo institucional do Espaço Cultural Viva Capoeira Viva, realizado por Bárbara George, Gleydson Moreira, Luana Barros, Roberta Souza e William Santos.

 

Dia 1, às 19h, no Auditório. Acesso gratuito.

 

 

 

 

 

Golpe de Vista [ciclo mensal de conversas sobre fotografia]

 

No Golpe de Vista deste mês, o tema é o "devir do mentir na fotografia", com a participação dos professores Wendel Alves de Medeiros (IFCE) e Fernando Maia da Cunha (UFC/FANOR). A ideia é discutir como a fotografia mente, engana e ilude. Suas manipulações, processos e construções. Desde experimentos com a luz no analógico, o photoshop no digital e a mistura disso com outras linguagens: a pintura, o desenho e gravura. Tudo com a intenção de propiciar aos participantes essa coisa do devir na imagem. Algo que consequentemente leva ao ilusório, ao ficcional.

 

A dinâmica "Cartas Abertas" contará com a participação internacional de Antonello Veneri que vêm desenvolvendo o projeto "Vida extra-ordinárias", acompanhando e narrando, por meio de imagens, histórias de moradores de rua nas maiores cidades brasileiras.

 

O Golpe de Vista trata-se de encontros mensais onde convidados e o público presente trocam experiências sobre imagem e artes visuais com ênfase na fotografia e seus desdobramentos. A iniciativa objetiva aprimorar os conhecimentos fotográficos de forma coletiva e fomentar fotopasseios mensais e intervenções no formato fotoclubista.

 

A ação é promovida pelo Programa de Educação Tutorial (PET) Pedagogia/UFC e o Laboratório de Pesquisa Digitais e Imagéticas da Faculdade de Educação/UFC que retomam as atividades do "Golpe de Vista" de 2015 incluindo ações formativas como oficinas e cursos de caráter mensal.

 

O acesso é gratuito e conta com o apoio do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.

 

OFICINA: Apps para Edição de Fotos em Smartphones com Éden Barbosa. Sábado, 18/4, 14h no MAC do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.

 

 

Dia 8, às 19h, no Auditório do Dragão. Acesso gratuito.

 

 

 

 

 

 

Feira da Fotografia Fortaleza


No dia 11 de abril, o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura recebe a segunda edição da Feira da Fotografia Fortaleza. Atuante desde 2012, a Feira saiu dos Mercados dos Pinhões para o Dragão, trazendo uma edição de estreia temática sobre fotos de Carnaval. Nesta edição de abril, a partir das 14h, haverá projeção e exposição de fotografias de Religiosidade e sobre os índios.

 

Das 15h às 16h, a Feira oferece uma oficina de revelação em Preto e Branco, com Éden Barbosa. Das 16h às 17h, tem palestra com o fotógrafo Zé Albano, que contará sobre sua trajetória de 50 anos de fotografia.

 

Para completar, vários sorteios de livros e outros detalhes mais completam  comemoração do terceiro ano de existência da Feira.

 

O principal objetivo da feira desde o início, em 2012, foi de agregar fotógrafos, amantes da fotografia e artistas que têm a imagem como suporte de seu trabalho e assim trocarem ideias entre si e alavancarem esta arte. De abril de 2012 até agora, já foram realizadas 21 edições da feira, já consolidada como um grande espaço de discussão da fotografia cearense. Além da exposição e da feira em que se comercializa tudo relacionado à fotografia, há ainda palestras e workshops.

 

Dia 11, das 14h às 18h, na Arena Dragão do Mar. Acesso gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MULTIGALERIA

 

 

 

 

Abertura da exposição “Fortaleza – Cores da cidade”
Fortaleza há de ser cantada! A barra, o dragão, o passeio; o bode, a praça, a ponte; os poetas, os profetas, os renegados. Como destacar da obnubilação citadina cada elemento senão pela cor, pelo traço, pelo verso? Mira, olha, enxerga, Fortaleza! Espia a beleza que aqui fez morada.

 

Somente representações poéticas podem restaurar a ternura que eventualmente se perdeu no caos do dia-a-dia. Os embates, as desproporções, os extravios que descarrilam a metrópole não podem abafar a cidade, seus personagens, suas histórias. Precisamos elaborar retratos que inspirem a construção de um reduto que se respeite, se preserve. As cores da cidade devem ganhar as telas para que as enxerguemos.

 

Os artistas plásticos Carlos Macedo, Cláudio César, Fernando França, João Marcelo Pereira, Lia Sanders, Mano Alencar e Vando Figueirêdo aproveitam o ensejo do aniversário de Fortaleza para louvar nossa aldeia. Resgatando paisagens e personagens, a exposição Fortaleza – Cores da Cidade oferece novos tons a cenários já invisíveis de tão familiares.

 

Fruto do anseio de redescobrir o encanto da capital, o projeto vem abalar nossa concepção do espaço urbano. São cerca de trinta telas com a temática, quatro a cinco de cada artista.

 

Fortaleza dispõe de uma cena cultural e artística própria, cujo reduto e resistência o Dragão do Mar tão bem sintetiza. Não há lugar melhor que o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura para apresentar à cidade seus mais novos retratos.

 

Em cartaz de 2 a 26 de abril de 2015, na Multigaleria. Visitação: terça a sexta, das 9h às 19h (com acesso até as 18h30); sábados, domingos e feriados, das 14h às 21h (com acesso até as 20h30). Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PLANETÁRIO RUBENS DE AZEVEDO


Foto: Marina Cavalcante

 

O Planetário Rubens de Azevedo é um espaço de entretenimento e formação pedagógica através de caráter transdisciplinar em Astronomia. Ingressos: R$ 8 e R$ 4 (meia).

Sessões:

O ABC do Sistema Solar
Em uma nave imaginária crianças fazem uma viagem pelo Sistema Solar. Durante a viagem elas aprendem sobre a mitologia das constelações e as lendas astronômicas. 30min.

Nos Limites do Oceano Cósmico
Usando o poder da nossa imaginação, viajaremos pelo espaço a uma velocidade próxima a da luz até o limite do universo visível, e com a ajuda do planetário, veremos de perto a nossa galáxia e grupos de galáxias muito distante de nós. Será que o universo tem fim? O que vemos no céu é uma ilusão? Você verá que o universo está em expansão e novas estrelas estão surgindo a todo instante.

Explorando o Universo
Venha se aventurar numa fascinante viagem pelo universo, e com Galileu conheceremos os segredos do céu e suas descobertas científicas para o progresso da ciência. 40min.

Origens da Vida
Mergulhando no desconhecido, e a partir das profundezas do oceano, descobriremos as origens da vida em nosso planeta. Através do tempo e espaço viajaremos até o nascimento das primeiras estrelas. 30min.

 

Sessões às quintas e sextas-feiras:

18h - Explorando o Universo
19h - Nos Limites do Oceano Cósmico
20h - Origens da Vida


Sessões aos sábados e domingos:

17h - ABC do Sistema Solar
18h - Explorando o Universo
19h - Nos Limites do Oceano Cósmico
20h - Origens da Vida

 


► Noite das Estrelas

O projeto NOITE DAS ESTRELAS funciona há 8 anos no Planetário Rubens de Azevedo e já recebeu milhares de pessoas entre turistas e público local. Todos os meses, sempre nas noites de Quarto Crescente Lunar, o planetário disponibiliza telescópios ao público em geral para observação astronômica: Crateras da Lua, Planetas, Nebulosas, etc. A participação é gratuita, sempre a partir das 19h. Basta chegar no planetário e entrar na fila. Atenção: se o céu estiver nublado, não haverá observação astronômica, podendo haver também interrupção do programa, entre 19h e 21h, se as condições não estiverem favoráveis à continuação da atividade.

Dias 24 e 25 de abril, às 19h, em frente ao Planetário. Acesso gratuito.

 

Atenção:  É obrigatória a apresentação de documento que comprove o parentesco do responsável com a criança menor de 10 (dez) anos de idade no ato de compra do ingresso de qualquer evento/espetáculo do Centro Dragão do Mar. Esta é uma determinação da Justiça do Estado.

 

 

 

 

 


CINEMA DO DRAGÃO - FUNDAÇÃO JOAQUIM NABUCO

 

A programação regular do Cinema do Dragão - Fundação é definida semanalmente, numa parceria entre a Fundação Joaquim Nabuco e a curadoria adjunta (Salomão Santana e Pedro Azevedo) e pode ser consultada na página do cinema neste site ou no blog www.cinemadodragao.com.br.

 

Informações: 3219.5899
www.dragaodomar.org.br
programacaocinema@dragaodomar.org.br
Twitter: @cinemadodragao
Facebook: Cinema do Dragão-Fundação


Ingressos na Bilheteria do Cinema do Dragão -Fundação R$ 12,00 (inteira) e R$ 6,00 (meia). A bilheteria funciona de terça a domingo, das 14 às 22h.

 

 

Agilize a sua entrada! Ao comprar ingresso através do site ingresso.com, imprima o comprovante/ingresso de compra e dirija-se diretamente à entrada do Cinema do Dragão, sem necessitar fazer a troca na bilheteria. É mais prático e rápido. Experimente.

 

 

Também têm direito à meia da meia-entrada, no valor de R$ 3,00, estudantes da Escola Porto Iracema das Artes e da Escola de Artes Thomaz Pompeu Sobrinho e alunos de audiovisual do Centro Cultural Bom Jardim, da UFC, UNIFOR e da Vila das Artes, mediante apresentação de comprovante de matrícula.

 

 

 

 

 

 

 

MÚLTIPLAS LINGUAGENS

 


 

Encontro Cearense de Malabares
O encontro reúne jovens iniciantes e profissionais que exercem a prática dos malabares.
Dia 25, às 17h, na Praça Almirante Saldanha. Acesso gratuito.

 

5º Grupo Escoteiro do Ar Pinto Martins
De acordo com a faixa etária dos participantes, o grupo define as atividades de escoteirismo.
Todos os sábados, das 14h às 17h, no Bosque da Praça Verde. Acesso gratuito.

 

Feira Dragão Arte
Feira de artesanato fruto da parceria com Sebrae-CE e Siara-CE.
Todas as sextas, sábados e domingos, das 17h às 22h, ao lado do Espelho D'Água. Acesso gratuito.

 

Brincando e Pintando no Dragão do Mar
Brincadeiras e atividades infantis para todas as idades orientadas por monitores.
Todos os domingos, das 16h às 19h, na Praça Verde. Acesso gratuito.

 

Planeta Hip Hop
Grupos promovem exibições de dança e música hip hop.
Todos os sábados, às 19h, na Arena Dragão do Mar.


 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MUSEU DA CULTURA CEARENSE – MCC

 


O Museu da Cultura Cearense é um museu etnográfico que tem como proposta promover a difusão, a fruição e a apropriação do Patrimônio Cultural do Estado do Ceará, aplicando ações museológicas de pesquisa, preservação e comunicação, visando à inclusão e ao desenvolvimento sociocultural.

 

 

Vaqueiros [Sala 4]

Foto: Marina Cavalcante

Exposição lúdica, de caráter didático, percorre o universo do vaqueiro a partir da ocupação do território cearense pela pecuária até a atualidade. Utiliza cenografia, imagens e objetos ligados ao cotidiano do vaqueiro.

 

Visitação de terça a sexta, das 9h às 19h; e aos sábados, domingos e feriados das 14h às 21h. Gratuito.

 

 

 

 

 

Agendamento de grupos para visitas às exposições

Núcleo de Ação Educativa

Partindo das especificidades de um museu etnográfico, o Núcleo de Ação Educativa do MCC objetiva formar educadores para atender ao público agendado e espontâneo. Composto por uma equipe multidisciplinar, realiza mediações com as mais variadas temáticas relacionadas à cultura popular trazidas pelas suas exposições.

Mediações
Os educadores do MCC proporcionam três tipos de mediações aos seus visitantes:

  • Mediação simples: mediação rápida, mais orientadora, destinada ao público não agendado e espontâneo. Duração de até 20 min.
  • Mediação ampliada: mediação problematizadora, formadora, que instiga o visitante a refletir de forma crítica sobre a exposição. Duração de até 01h30min.
  • Mediação com oficina: mediação mais prolongada, pois além de ter como ponto central a reflexão, nesta visita atividades de arte-educação são vivenciadas. Por exemplo: teatro de fantoche, desenho, contação de história, roda de conversa e oficinas de acordo com a exposição em cartaz. Duração de até 2hs.

 

O agendamento dos museus do CDMAC pode ser feito de segunda a sexta, das 13h às 18h.
Contato: (85)3488.8604
E-mail: agendamento@dragaodomar.org.br

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA – MAC

 

 

Exposição Corpo da Obra

 

 

O Museu de Arte Contemporânea do Ceará (MAC-CE) apresenta a exposição Corpo da obra e evidencia eixos temáticos que compõem o seu acervo. Uma ação constante na atual política curatorial do Museu é a de proporcionar a visibilidade e o acesso das obras que compõem sua coleção, através de mostras que provoquem reflexão e dinamizem a relação público/obra. Uma dinâmica efetiva dentro dessa metodologia são as oficinas preparadas pela ação educativa do MAC-CE, que potencializam questões conceituais ao estimular percepções e instigar o olhar crítico do participante.

 


A parte de um todo, um pequeno território versus a geografia de uma totalidade, membros de um corpo, o corpo da obra. Metáforas de muitos corpos, corpo que não é corpo, a reinvenção do corpo, fragmentos ou ausência. Nesse contexto, nos apropriamos de diversas linhas e caminhos para apresentar fragmentos da coleção, alguma parte de um todo, alguns caminhos de uma estrada, alguns afluentes de um rio. O conjunto não discute apenas questões relacionadas à poética do corpo, se bifurca por outras searas. O corpo aqui é apenas o alicerce, o estopim para o novo instante.

 


Corpo da obra ocupa o andar superior do MAC-CE e divide-se em quatro partes, em conjuntos que se conectam ediscutem eixos importantes que compõem o acervo do museu. Em Seres ou Coisas, o caráter mágico, os ambientes pós-apocalípticos, sombrios e misteriosos ativam potencialidades além do real; em Método e Construção, articulam-se relações entre o tempo e o espaço, na arquitetura e geometrização da forma; Escritas e Sujeitos ativam processos subjetivos, fluxos narrativos por onde emerge a palavra e a instância do confidencial; já em Corpo da Obra, o corpo é o elo entre a participação, a ausência e o limite.

 


Dessa forma, construímos um corpo articulável entre seres, geometrias e  subjetividades. Um corpo-acervo, um corpo-coleção.

 

 

Em cartaz até abril de 2015. Visitação: terça a sexta, das 9h às 19h (com acesso até as 18h30); sábados, domingos e feriados, das 14h às 21h (com acesso até as 20h30). Gratuito.

 

 

 

 

 

Ações Educativas

Mediação a partir dos conteúdos das exposições para público espontâneo e agendado. A equipe é formada por Arte Educadores - universitários multidisciplinares - que desenvolvem ações de mediação com Escolas, Projetos, Universidades, ONGs e demais instituições interessadas em visitar o Museu e conhecer mais sobre Arte Contemporânea.

 

O agendamento dos museus do CDMAC pode ser feito de segunda a sexta, das 13h às 18h.

 

Biblioteca de Artes Visuais Leonilson

Espaço especializado em artes visuais com cerca de dois mil livros nas áreas de Fotografia, Design, Museologia, História da Arte, Arquitetura e Urbanismo, Moda e Arte Contemporânea.

Serviço gratuito, de terça a sexta, das 9h às 18h.

 

 

 

 

 


 



 


 

 

 

CENTRO DRAGÃO DO MAR DE ARTE E CULTURA

Rua Dragão do Mar 81, Praia de Iracema - CEP: 60060-390 - Fortaleza/CE - CNPJ: 02.455.125/0001-31
Informações gerais: 55 (85) 3488 8600 / 55 (85) 3488 8608