FUNCIONAMENTO DO CENTRO DRAGÃO DO MAR

 

Geral: de segunda a quinta, das 8h às 22h; e de sexta a domingo e feriados, das 8h às 23h. Bilheteria: de terça a domingo, a partir das 14h.
Cinema do Dragão: de terça a domingo, das 14h às 22h.
Museus: de terça a sexta, das 9h às 19h (acesso até as 18h30); sábado, domingo e feriados das 14h às 21h (acesso até as 20h30). Gratuito.
Multigaleria: de terça a domingo, das 14h às 21h (acesso até as 20h30). Gratuito.

 

 

 

OBS.: Às segundas-feiras, o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura não abre cinema, cafés, museus, Multigaleria e bilheterias.

 

 

 

 

 

 

 

   PROGRAMAÇÃO

 

 

 

 

XVI FEIRA DA MÚSICA

 

 

De 1º a 4 de novembro, diversos pontos culturais de Fortaleza receberão a programação da XVI Feira da Música, que destaca-se por ser um espaço de convergência de interesses que, de forma democrática e criativa, estimula a troca de informações e conhecimento, intercâmbio, circulação e geração de negócios para o setor musical. Em 2017, serão 16 atrações que irão reverberar o som da música independente local pela capital cearense através do Teatro Carlos Câmara, Cineteatro São Luiz, Centro Dragão do Mar e Theatro José de Alencar. A curadoria foi realizada pelos músicos e produtores cearenses George Frizzo, Rafael Bandeira e Ivan Ferraro.

 

Novo ciclo

 

A Feira da Música anuncia o novo ciclo, sintonizado com as conquistas e ações realizadas em seus primeiros quinze anos de atuação. O evento volta a olhar para as suas origens, ajustando o foco novamente para a cena local. É hora de reconhecer os avanços que muitas bandas e artistas ganharam, ao longo do primeiro ciclo e voltar os olhares para a nova cena local, revisitando o cenário cearense desta vez com maturidade diferente, novos cenários e oportunidades que devem ser aproveitadas.

 

“Temos agora uma cena reconhecida e conectada, precisamos aproveitar os frutos do trabalho e rentabilizar, valorizar e criar oportunidades, ajudando novos artistas a alcançarem seu potencial”, comenta Ivan Ferraro, idealizador do evento. O objetivo desta edição é renovar o olhar para o cenário local da música, dando espaço para bandas e artistas que ainda não tiveram a chance de mostrar o seu trabalho e redescobrir essa cena que é famosa por sua criatividade, autenticidade e diversidade.

 

A Feira da Música

 

Realizada desde 2002 pela Associação dos Produtores de Cultura do Ceará (PRODISC), a Feira da Música é um espaço de convergência de interesses que de forma democrática e criativa, congrega participantes de todo o território nacional, possibilitando trocas de informações e conhecimento, intercâmbio, circulação e geração de negócios para o setor.

 

A 16ª Feira da Música é realizada com apoio institucional da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult) por meio do Edital Mecenas, tendo a Enel como empresa apoiadora por meio da Lei Estadual de Incentivo a Cultura e apoio do Cineteatro São Luiz, Theatro José de Alencar, Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura e Teatro Carlos Câmara.


PROGRAMAÇÃO NO DRAGÃO DO MAR

Dia 1º | Quarta

 

Abertura

 

++ Cineteatro São Luiz
17h - Orquestra de Sopro de Pindoretama (Foyer)
20h - Abertura da XVI Feira da Música
20h30 - Show com Mário Lúcio e Lorena Nunes, Cainã Cavalcante, Igor Barreto e Nonato Lima
Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia)

 

++ Praça dos Leões
22h às 00h - Forró Regional Asa Branca
00h às 02h - Os Muringas
Gratuito

 

++ Programa Ceará Música - Painéis
Eixo 01 - Regulamentação e Legislação com André Brayner - Instituto Dragão do Mar(mediador); Leonardo Salazar (PE), Vice-presidente da Fundação de Cultura e Turismo de Caruaru; Paulo Maranhão, Advogado; Karel Guerra, Sindicato dos Músicos Profissionais do Ceará; e Amaudson Ximenes (CE), Fórum de Música do Ceará.
Das 14h às 16h > Auditório > Gratuito

 

Eixo 02 - Memória com Alênio Carlos (mediador); Miguel Angelo, Nirez (CE); e George Frizzo, Músico e Produtor.
Das 16h às 18h > Auditório > Gratuito

 



Dia 2 | Quinta

 

++ Programa Ceará Música - Painéis

 

Eixo 03 - Produção com Camila Rodrigues, Instituto Dragão do Mar (mediadora); Pena Schmidt (SP), Curador; e Ivan Ferraro, Feira da Música.
Das 9h às 11h > Auditório > Gratuito

 

Eixo 04 - Circulação com Márcio Caetano, Instituto Dragão do Mar (mediador); Paulo André (PE), Festival Abril Pro Rock; Anderson Foca (RN), Festival DoSol; Denor Sousa, Produtor Musical; e Orlângelo Leal, Banda Dona Zefinha.
Das 11h às 13h > Auditório > Gratuito

 

 

 

Dia 3 | Sexta

 

++ Programa Ceará Música - Painéis

 

Eixo 05 - Distribuição com Juarez Sampaio, Loja Desafinados (mediador); Izabel Marigo (SP), Gerente de Negócios ONERPM; e Eric Barbosa, Músico.
Das 9h às 11h > Auditório > Gratuito

 

Eixo 06 - Difusão e Comunicação com Henriette de Salvi (mediadora); Bernardo Rua (MG), Studio Sol; Cyro Thomaz, Sistema Jangadeiro; Guga de Castro, Rádio Beach Park; e Adriano Muniz, Presidente da TVC.
Das 11h às 13h > Auditório > Gratuito

 



Dia 4 | Sábado

 

++ Programa Ceará Música - Painéis

 

Eixo 07 - Formação com Mona Gadelha, Porto Iracema (mediadora); Inti Queiroz (SP), Produtora Cultural; Luiz Helenio (RJ), Iatec; e Paulo Victor, Quitanda das Artes.
Das 14h às 16h > Auditório > Gratuito

 

18h - Fundação Raimundo Fagner (Passarela)
19h - Orquestra Sanfônica Essência - Tapera das Artes (Passarela)
20h - Luthieria Cata Vento - Tapera das Artes (Passarela)
21h às 22h - Casa de Velho
22h30 às 00h - Show Ottomatopeia - OTTO (PE)
Praça Verde > Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia). À venda na bilheteria do Dragão, das 14h às 20h.

 


Dias 1º, 2, 3 e 4 de novembro de 2017, no Auditório e Praça Verde.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PROGRAMA ECOAR - TRAJETOS DE CRIAÇÃO
DANÇA-DOURO

Grupo Nós de Dança

 

Passeia pelo território afetivo de histórias pessoais, de memórias coletivas e de personagens míticos de um rio cheio de marcas físicas, mas também espirituais. Dança-Douro nos fala de um tempo em que a cidade teima em ditar o curso do rio e esquece que um rio é, por si só, senhor do seu caminho. Um rio é casa/morada de forças femininas, entidades/essências donas da vida, dos nascimentos, de corpos que se formam e se constroem para dar razão de ser ao mundo.

 

O sufixo DOURO diz sobre um lugar de feitura, de experiência e de movimentos. Nos propomos dançar às margens do rio, do Acaraú, que nos banha os olhos e travessias e acaricia imaginários sobre o tempo, sobre as águas, sobre o castigo imposto pela e sobre a própria cidade em que vivemos. Sobral, é cidade abrigo e desabrigo de um rio chamado Acaraú.

 

Sobre o programa

 

Ecoar - Trajetos de Criação, idealizado em parceria com a Bienal Internacional de Dança do Ceará, é uma proposta de intercâmbio, de experimentação e de criação. Já algum tempo, de distintas maneiras, a Bienal vem apoiando grupos cearenses em seus processos de produção. No ano passado, criou-se o Percursos Criativos, ação por meio da qual companhias locais tem a oportunidade de trabalhar com coreógrafos de outros contextos.

 

Trata-se de uma ação que promove a mobilidade artística, o compartilhamento de experiências e a construção de cumplicidades estéticas, resultando em ricos processos de intercâmbios artísticos e na produção de repertórios coreográficos.

 

Dias 2 e 3 de novembro de 2017, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 6,00 (inteira) e R$ 3,00 (meia). Livre.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

XI FESTIVAL PONTO.CE [música]

 


Vanguart

 

O Ponto.CE acontece nos dias 3, 4, 5, 10 e 18 de novembro​ ​em​ ​Fortaleza​ ​com 31​ ​shows​ ​e​ ​três​ ​palcos:​ ​Anfiteatro​ ​do​ ​Dragão​ ​do​ ​Mar,​ ​Let's​ ​Go​ ​e​ ​Biruta Nunca na história do Ponto.CE o festival teve tantas edições especiais e mobilização dos fãs pelas redes sociais. Neste ano, o Ponto.CE rolou em Pacatuba, Quixadá, Sobral, no Theatro José de Alencar e, toda quinta-feira, anunciava para o público uma grande atração do festival em novembro.

 

Foram semanas de suspense, mas também de muitas comemorações. A galera ficou animada com as confirmações dos shows de bandas como Accept, Planet Hemp, Ego Kill Talent, Korzus, Devotos, Vanguart, Vivendo do Ócio e Far From Alaska.

 

Depois do line-up divulgado, com a programação de datas e locais completa, mais nomes foram adicionados: Supercombo (ES), Cartolas (RS), Daniel Peixoto e Gabrielle Gomes (esta escolhida por votação popular em enquete com participação de quase 6 mil pessoas).

 

São no total 31 shows e três palcos, em um formato que funcionou muito bem no ano passado e, este ano, se repete. No primeiro fim de semana, dos dias 3, 4 e 5, as apresentações começam no Anfiteatro do Dragão do Mar e, quando terminam, começam as do Let's Go. Os dias 10 e 18 são na barraca Biruta.

 

A entrada para cada dia é vendida separadamente, e todas já podem ser compradas nas lojas Kangaço e Pranchão e pelo site Ingressando.com.br. A censura do festival é de 16 anos.

 

 

PROGRAMAÇÃO NO DRAGÃO DO MAR

 

 

Dia 3 | Sexta
Vanguart (MT)
Mafalda Morfina (CE)
Lutherking (Pacatuba)
Procurando Kalu (Sobral)

 

 

Dia 4 | Sábado
Dot Legacy (França)
Trampa (DF)
Devotos (PE)
Neto Inácio & Alma Perdida (Quixadá)

 

 

Dia 5 | Domingo
Far From Alaska (RN)
Medulla (RJ)
Nafandus (CE)
Projeto Rivera (CE)

 

Dias 3, 4 e 5 de novembro, às 19h, no Anfiteatro Dragão do Mar. Classificação etária: 16 anos. Ingressos 1º lote: Pista R$ 60,00 e R$ 30,00 (meia) | Inteira Social R$ 40,00 + 2kg de alimento | Passaporte 3 dias R$ 70,00.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TEMPORADA DE ARTE CEARENSE – PROGRAMA TEATRO INFANTIL
OS BRINQUEDOS NO REINO DA GRAMÁTICA [teatro]

Cia. Camarim de Teatro

 

 

O Reino da Gramática está de pernas para o ar. Um rei louco, um cowboy inteligente e um porco faminto por palavras estão envolvidos nesta fantástica e atraente história vivida por brinquedos que lutam contra o analfabetismo. Conseguirá o povo libertar as palavras que estão em posse de um rei analfabeto? A gramática será um país onde novamente o prazer da leitura se tornará um hábito saudável para todos? Saiba destas e de outras respostas neste espetáculo onde os brinquedos têm vida e o maior tesouro é o saber.

 

Dias 4, 5, 11 e 12 de novembro de 2017, às 17h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia). Classificação etário: Livre. Duração: 60 minutos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TEMPORADA DE ARTE CEARENSE
EXPOSIÇÃO VOCÊ MERECEU

Marília Oliveira

 

 

A partir das rasuras e destroços de uma vingança, elaborar um processo de catarse. Abordando a autonomia sobre o próprio corpo e a divulgação online de conteúdo íntimo sem permissão, a exposição Você Mereceu, de autoria da fotógrafa e educadora Marília Oliveira, tem lançamento marcado para o dia 4 de novembro, às 19 horas, na Multigaleria do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. Composta por fotografias, textos e uma série de objetos, a obra sugere profunda imersão na narrativa proposta pela artista.

 

Para a autora da exposição, transformar as memórias de uma violação em obra artística e partilhá-la com espectadores é partir do autobiográfico para discutir a narrativa de outras mulheres. “Contar a história de um corpo destruído por uma vingança traz a necessidade de deslocar a fotografia para um sentido relacional”, explica Marília, fazendo referência aos diversos materiais que preenchem as três salas da Multigaleria.

 

No espaço das salas, a artista costura o sensível a partir de fotografias íntimas do próprio corpo clicadas por outra pessoa, imagens de casas em demolição, objetos quebrados, lingeries rasgadas e bilhetes escritos à mão. São pedaços do vivido que se sobrepõem a variadas materialidades e formam um só corpo. “Essa obra é um eterno jogo entre a tentativa de autonomia e como isso volta como pedras que derrubam a todas nós, mulheres”, pontua Marília.

 

Selecionada pelos Editais Culturais 2016/2017, do Instituto Dragão do Mar, que compõem a Temporada de Arte Cearense (TAC), a exposição Você Mereceu tem classificação indicativa de 18 anos.

 


Pornografia de vingança

 

Para Marília, a exposição reflete acerca de clichês que se abatem sobre o corpo das mulheres em forma de amarra. “Essa também é uma história de como a autonomia é negada à mulher. A autonomia de sair de relações, de expor o corpo quando quiser, para quem quiser, no contexto que quiser e isso não ser usado contra ela depois”, enfatiza. Uma das práticas questionadas pela artista é a chamada “pornografia de vingança”, termo que evidencia a violação de privacidade a partir da gravação ou compartilhamento de conteúdo íntimo sem autorização.

 

Você Mereceu reorganiza as reminiscências de uma violência na tentativa de subverter uma prática de dominação. “Essa história é minha e de outras mulheres, que ainda que não vivenciem a exposição de suas fotos íntimas, lidam com uma série de vinganças e implosões e desapropriações de seus corpos, memórias e trajetórias”, sublinha Marília.


Marília Oliveira

 

Educadora, fotógrafa e mestranda em Comunicação pela Universidade Federal do Ceará. Membro fundadora do Descoletivo, coletivo de fotógrafos que realiza ações de intervenção urbana. Ex-diretora do IFOTO – Instituto de Fotografia do Ceará. Junto ao Descoletivo, integrou a mostra coletiva de cearenses no festival “Encontros da Imagem”, em Braga, Portugal. Participou, nos últimos 4 anos, da mostra coletiva “Encontros de Agosto”, na capital cearense. Em 2015, contemplada pelo Centro Cultural dos Correios, realizou a exposição Afetos Urbanos em parceria com Régis Amora, do Descoletivo, com lançamento de livro homônimo. Em 2016, lançou a publicação “Séries sobre o sutil”, contemplada pelo edital do Instituto Bela Vista em parceria com a SECULTFOR. Teve a obra “Remissão”, no mesmo ano, contemplada com a menção de trabalho cearense mais representativo da coletiva Encontros de Agosto. Em 2017, lançou junto ao Descoletivo o fotolivro “Tempo Imperfeito – Uma fotobiografia de Camilly Leycker”, projeto contemplado pelo edital de Cultura LGBT, promovido pela SECULT. Neste ano, expôs a obra Você Mereceu durante a edição de dez anos do Festival de Fotografia de Porto Alegre – FESTFOTO.


Abertura dia 4 de novembro de 2017, às 19h, na Multigaleria. Acesso gratuito. Classificação etária: 18 anos. Em cartaz de 5 a 30 de novembro de 2017. Visitação: de terça a domingo, das 14h às 21h (acesso até as 20h30).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TEMPORADA DE ARTE CEARENSE – PROGRAMA LEITURAS NO DRAGÃO
FANTÁSTICO LITERÁRIO DE MURILO RUBIÃO
Carlinhos Perdigão

 

 

Analisa a produção de Murilo Rubião a partir do componente fantástico – que se relaciona com a questão social –, e suas nuances estéticas. Assim, o elemento extraordinário na literatura deste escritor assume uma função alegoricamente crítica. A leitura é também uma homenagem a este escritor mineiro que, em 2016, se vivo fosse, completaria 100 anos.

 

Dias 5 e 12 de novembro de 2017, às 17h, no Auditório. Acesso gratuito. Classificação etária: Livre. Duração: 90 minutos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

BIG BAND UFC [música]

 

 

A Big Band da Universidade Federal do Ceará é composta por quatro naipes distintos: saxofones, trombones, trompetes e rítmica. O grupo desenvolve em sua abordagem pedagógica o entrosamento entre os diferentes instrumentos musicais, promovendo a valorização da música brasileira em um repertório que envolve ritmos como frevo, choro, bossa nova e samba.

 

Músicos
Saxofones: Sergio Aquino, Marcelo Loureiro, Ivanildo, Alisson Gaudêncio, Robertinho Santos, Cleisson Bezerra.
Trompetes: Izac Oliveira, Hugo D’Leon (Prof/Coordenador).
Trombones: Daniel Costa, Felipe Giffoni.
Rítmica: Paulinho Santos, Leandro Rodrigues, Egídio de Oliveira, Bruno Silva, Renato Campos.

 

Dia 5 de novembro de 2017, às 18h, no Espaço Rogaciano Leite Filho. Acesso gratuito. Livre.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CINE CAOLHO


O Cine Caolho se propõe a ser um espaço de exibição e reflexão sobre as produções audiovisuais cearenses. Acontecendo mensalmente, sempre na primeira segunda-feira do mês no Cinema do Dragão, o Cineclube exibe filmes cearenses, sempre com a presença de seus realizadores para um debate com o público após as sessões. Nesta edição, confira “Devoração”, de Andréa Bardawil e Nigéria; “Apartes”, de Ernesto Gadelha e Alexandre Veras; “107, 108, Mariana”, de Ariel Volkova; “Atalanta”, de Fernanda Brasileiro e Hylnara Anny; e “A saída da fábrica Cione”, de Virgínia Pinho.


Dia 6 de novembro de 2017, às 19h30, na Sala 2 do Cinema do Dragão. Acesso gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ABERTURA DA 32ª BIENAL DE SÃO PAULO

 

 

Com realização no Museu de Arte Contemporânea do Ceará (MAC-CE), do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, uma nova etapa nacional das itinerâncias da 32ª Bienal de São Paulo – INCERTEZA VIVA acontece de 7 de novembro de 2017 a 28 de janeiro de 2018. Trazendo um recorte de 15 artistas e coletivos, a mostra terá abertura no dia 7 às 18h, com mediação do curador Jochen Volz – responsável pela última edição da Bienal, em 2016. Às 21h, o Dragão do Mar realiza show com o grupo Baião de Dub, no Ateliê dos Museus.


Foram selecionados para integrar a exposição: Antonio Malta Campos (Brasil) Bárbara Wagner (Brasil), Charlotte Johannesson (Suécia), Felipe Mujica (Chile), Gilvan Samico (Brasil), Güneş Terkol (Turquia), Grada Kilomba (Portugal), Jonathas de Andrade (Brasil), Michal Helfman (Israel), Misheck Masamvu (Zimbábue), Mmakgabo Helen Sebidi (África do Sul), Pierre Huyghe (França), Rachel Rose (EUA), Vídeo nas Aldeias (Brasil) e Wilma Martins (Brasil). A curadoria geral de Jochen Volz foi responsável pela última edição da Bienal, em 2016.


Intitulada INCERTEZA VIVA [Live Uncertainty], a 32a Bienal tem como eixo central a noção de incerteza a fim de refletir sobre atuais condições da vida em tempos de mudança contínua e sobre as estratégias oferecidas pela arte contemporânea para acolher ou habitar incertezas. A exposição se propõe a traçar pensamentos cosmológicos, inteligência ambiental e coletiva assim como ecologias naturais e sistêmicas. A mostra foi concebida em torno das obras de 81 artistas e coletivos sob curadoria de Jochen Volz e dos cocuradores Gabi Ngcobo (África do Sul), Júlia Rebouças (Brasil), Lars Bang Larsen (Dinamarca) e Sofía Olascoaga (México).


Em 2017, o programa de mostras itinerantes da 32ª Bienal de São Paulo circula com seleções de obras da 32ª Bienal por doze cidades no Brasil e duas no exterior: Campinas/SP, Belo Horizonte/MG, São José dos Campos/SP, Cuiabá/MT, São José do Rio Preto/SP, Ribeirão Preto/SP, Garanhuns/PE, Palmas/TO, Santos/SP, Itajaí/SC, Fortaleza/CE, Vitória/ES, Bogotá/Colômbia e Porto/Portugal.


Ações educativas


As itinerâncias da Bienal de São Paulo trazem uma série de ações educativas realizadas em parceria com o Núcleo Educativo do MAC-CE e o Porto Iracema das Artes. Em 6 de novembro (segunda-feira), será apresentada a palestra "Incerteza Viva: Conceitos e Artistas", às 19h, no Auditório do Porto, com Regiane Ishii, que é Produtora de Conteúdo do Programa Educativo da Fundação Bienal de São Paulo. A palestra abrange uma breve apresentação da história da Fundação Bienal de São Paulo e o processo de desenvolvimento e conceitos da 32ª Bienal. Também serão abordadas as pesquisas de artistas que integram a itinerância em Fortaleza.


Na mesma semana, serão realizados ainda dois laboratórios, com partida no Porto Iracema. Em 7 de novembro (terça-feira), das 14h às 17h, o laboratório "Narrativas que constroem mundos" debate a relação entre narrativas pessoais e a multiplicidade de existências possíveis, com base nas obras dos artistas da Bienal. Em 8 de novembro (quarta-feira), o laboratório "Processos criativos em educação" propõe aproximar processos criativos de artistas e de professores, relacionando ações educativas e obras da 32ª Bienal.


As inscrições para os laboratórios devem ser realizadas no link http://bienal.org.br/evento.php?i=4377. Ao longo do período da exposição, o Núcleo Educativo do MAC-CE realiza ainda uma série de oficinas gratuitas, aos finais de semana.

 

Abertura dia 7 de novembro de 2017, às 18h, no Museu de Arte Contemporânea do Ceará (MAC-CE). Show Baião de Dub, às 21h, no Ateliê dos Museus. Gratuito. Livre. Exposição em cartaz de 7 de novembro de 2017 a 28 de janeiro de 2018. Visitação de terça a sexta, das 9h às 19h (acesso até as 18h30) e aos sábados, domingos e feriados, das 14h às 21h (acesso até as 20h30).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

VIII FORTALEZA LIBERTA – ESPECIAL MOSTRA DE MÚSICA NEGRA DE FORTALEZA

 

“Fortaleza Liberta”, de acordo com o título, é um projeto pensado e feito exclusivamente para Fortaleza. Teve início em 2011 e tem como focos principais: a) valorização, difusão e promoção da cultura de expressão afro-brasileira presente em Fortaleza, especialmente na área da música de matriz africana; e b) resgate e a preservação da memória com base na abordagem da presença e trajetória sócio-histórico-cultural da população negra nesta capital.


Esta oitava edição do projeto tem como proposta realizar uma ação cultural especialmente dedicada à cena da música de expressão cultural afro-brasileira de Fortaleza, intitulada “Mostra de Música Negra de Fortaleza”, sem caráter competitivo, em que serão apresentados shows com base nos ritmos e gêneros musicais de matriz africana presentes na capital cearense. Ou seja, caracteriza-se como um encontro que vai celebrar a música negra de Fortaleza.


O Projeto “VIII Fortaleza Liberta - Especial Mostra de Música Negra de Fortaleza” acontece no dia 7 de novembro de 2017 (terça-feira), no equipamento do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, comemorando o Mês da Consciência Negra/2017, e tem a seguinte programação:


19h – Praça Almirante Saldanha e entorno do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura: Cortejo com o Grupo Tambores Carnavalescos, abrindo o evento;


20h – Espaço Rogaciano Leite Filho: Shows dos grupos/coletivos Afoxé Acabaca, Caravana Cultural e D’Passagem.


Considerando que a autêntica cultura é feita pelo povo e para o povo e é o reflexo de sua própria identidade, o projeto oportuniza o acesso gratuito ao público/comunidade à sua programação cultural. Como contrapartida sociocultural, oferece ainda uma oficina de música percussiva a ser realizada em local e data a serem definidos.


Dia 7 de novembro de 2017, às 19h, no Espaço Rogaciano Leite Filho. Acesso gratuito. Livre.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

[PALESTRA] DEBATE COM GINGA
Com a palestra “O etnodesenvolvimento cultural dos povos tradicionais de terreiro e a capoeira”

 

 

O Debate com Ginga é realizado uma vez por mês no Auditório do Dragão do Mar, proporcionando discussões de temáticas que se relacionam com a capoeira. Realizado pelo Grupo Capoeira Brasil, promove ainda oficinas e vivências de manifestações afro-brasileiras ou relacionadas com a capoeira. O debate promove a troca de saberes ao convidar pessoas oriundas de diversos setores da sociedade e de campos do saber. Nesta edição, confira a palestra “O etnodesenvolvimento cultural dos povos tradicionais de terreiro e a capoeira”, de OGAN Leno Farias.

 

“O Debate com Ginga é uma proposta de ir além dos espaços mais tradicionais da capoeira, instigando os capoeiristas a buscarem ampliar suas fontes de conhecimento e suas visões das temáticas que atravessam nossa arte”, afirma Luciano Hebert, corda marrom do Grupo Capoeira Brasil e coordenador do projeto.

 

O projeto Debate com Ginga tornou-se Projeto de Extensão da Universidade Federal do Ceará-UFC, pelo Instituto de Educação Física e Esportes – IEFES, desde novembro de 2016. Isto significa que passou a ser reconhecido, conservado e apoiado pela Universidade, como capaz de desenvolver atividades de caráter educativo, social, cultural, científico e tecnológico, envolvendo a Capoeira, cujas diretrizes e escopo de integração com a sociedade, agregam-se às linhas de pesquisa desenvolvidas pelo IEFES-UFC. Deste modo, o projeto será ainda capaz de provocar a investigação científica para alunos da graduação em Educação Física e outras áreas do conhecimento, bem como a socialização destes para quem não tem acesso direto à Universidade, com certificação a todos que dele participarem.

 

Dia 7 de novembro de 2017, às 19h, no Auditório. Acesso gratuito. Classificação etária: Livre.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TEMPORADA DE ARTE CEARENSE – PROGRAMA TEATRO DA TERÇA
QUEM TEM MEDO DE TRAVESTI

Coletivo Artístico As Travestidas

 

 

Um jovem se suicida por não suportar mais um mundo de preconceito e discriminação, crianças que brincam sem medo do desejo, pessoas sem classe social, uma mãe que perde o filho por causa de uma sociedade cruel, seres da noite, vampiras, lobisomens, centauros urbanos, bixas, viados.

 

QTMT é um olhar artístico sobre o “Universo Trans”. Um espetáculo epidérmico-sensível-agressivo sobre questões. Um olhar delicado, e quase cru, sobre o medo daquilo que não se conhece ou que se julga, mesmo sem conhecer. É um trabalho sobre verdade e necessidade de falar, de se ouvir, melhor, de gritar!

 

Dias 7, 14, 21 e 28 de novembro de 2017, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia). Classificação etária: 16 anos. Duração: 110 minutos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

JORNADA DA SUSTENTABILIDADE ORGANIZACIONAL DO TERCEIRO SETOR

 

Em 8 de novembro de 2017, no auditório do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, será realizada a 2ª Jornada de Sustentabilidade Organizacional no Terceiro Setor. O objetivo é promover o intercâmbio de conhecimentos e reunir os setores da sociedade para pensar e articular a atuação do Terceiro Setor por meio das Organizações da Sociedade Civil.

 

A 2ª Jornada contará com a presença de nomes nacionais relacionados à atuação do Terceiro Setor, como o contador, coordenador da Comissão de Contabilidade Aplicada ao Terceiro Setor do CRC-BA e consultor em gestão de convênios em órgãos da administração pública, Nailton Cazumbá; o contabilista e especialista em projetos sociais, Euclides Machado; o especialista em Controle Externo da Administração Pública, Tomáz de Aquino Resende; o contador, auditor e advogado, Ricardo Monello; e o gestor de projetos culturais e sociais, co- autor e responsável pelos tutoriais do Manual para Usuários de Entidades sem Fins Lucrativos sobre o SICONV, Alexandre Rangel. Confira a programação:

 

9h – Solenidade de Abertura: Leo Bossard II (CE)

 

9h30 – Palestra Magna: MROSC e os desafios atuais do Terceiro Setor
Nailton Cazumbá (BA) | Debatedor: Guilherme Sampaio (CE)

 

11h – SICONV: atenção aplicada ao MROSC
Alexandre Rangel (DF) | Debatedor: Guilherme Irffi (CE)

 

13h15 – Apresentação Cultural - Ballet Goretti Quintela

 

14h – Contabilidade e Gestão Legal das OSC
Ricardo Monello (SP) | Debatedor: Heleni Rocha (CE)

 

15h30 – Contabilidade e Tributação no Terceiro Setor
Tomáz de Aquino (MG) | Debatedor: Francisco Coutinho (CE)

 

17h – Certificação CEBAS nas áreas da Saúde, Educação e Assistência Social
Euclides Machado (RS)

 

18h30 – Encerramento

 

Dia 8 de novembro de 2017, a partir das 9h, no Auditório, Espaço Mix e Rogaciano Leite Filho. Acesso gratuito. Classificação: Livre.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TEMPORADA DE ARTE CEARENSE – PROGRAMA DANÇA EXPERIMENTAL

 

O programa apresenta trabalhos inéditos de caráter experimental ou em construção. Em novembro, a mostra apresenta três espetáculos:

 

GINA | Nataly Barbosa

 

 

É um experimento cênico que consiste em uma releitura do espetáculo “Sexa”, criado pela Companhia Ponto em 2007. Discute sobre as influências midiáticas nos corpos das mulheres, levantando questionamentos acerca do olhar das mulheres sobre elas mesmas. Gera indagações sobre a maneira que elas desejam ser vistas, sobre o comportamento exigido delas em sociedade, sobre a dificuldade de algumas mulheres em se adequar aos padrões de beleza. É a invenção de um lugar de criação cênica que verbaliza incômodos através de composições coreográficas colocando em foco a existência da mulher no mundo, tencionando comportamentos femininos ainda hoje impostos pela sociedade.

 

 

+

 

 

PROJETO MARÊ | Omì Cia. de Dança

 

 

Há curvas para desviar, curvas para chegar, curvas para seguir, curvas dentro de si. Todo trajeto é sinuoso e duvidoso. O saber onde ir também faz curva duvidosa no saber onde chegar. O feitiço dos ciclos e o movimento constante fala mais alto no Projeto Marê. Em cena, cinco corpos serpenteiam enfeitiçados por técnicas e sensações encontradas ao indagar: “quais os labirintos possíveis ao trançar dois ou mais corpos que se insinuam?”.

 

 

+

 

 

FOR ALL: PARA TODOS OS RITMOS | Janaína Bento

 

 

Quantos ritmos cabem num movimento? Um movimento cabe em vários ritmos? A influência da música altera o movimento ou a percepção deste? São essas as questões moventes deste espetáculo e que só podem ser respondidas no encontro entre obra e espectador.

 

Dias 8, 15, 22 e 29 de novembro de 2017, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. Acesso gratuito. Livre.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TEMPORADA DE ARTE CEARENSE – PROGRAMA QUINTA COM DANÇA
HOSPITAL DE BONECAS

Rosa Ana Druot de Lima

 

 

O trabalho surge como um lugar de questionamento sobre nossas necessidades de conserto, muitas vezes impostas pelos sistemas normalizadores que regem as sociedades contemporâneas. Imposições disfarçadas em discursos midiáticos que exaltam o bem estar e a singularidade.

 

Nas fronteiras dos modos classificatórios operados por esses sistemas: qual lugar ocupamos? Somos normais? Somos marginais? E se nossos pequenos desequilíbrios fossem grandes abismos necessários à descoberta de si e do outro? Deste lugar, surgiram as pesquisas para o projeto Hospital de Bonecas, buscando estratégias para assumir as fragilidades que nos edificam, que nos tornam, de fato, singulares e, até mesmo, fortes, num eterno processo de reconstrução de si e do mundo que nos cerca.

 

Dias 9, 16, 23 e 30 de novembro de 2017, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia). Classificação etária: Livre. Duração: 50 minutos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

11ª EDIÇÃO DO FOR RAINBOW

 

 

 

 

 

Com o slogan “Amo quem eu quero, faço uma revolução”, o 11º For Rainbow - Festival de Cinema e Cultura da Diversidade Sexual - promove exibições de filmes nacionais e estrangeiros relacionados às vivências e ao cotidiano de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros no Brasil e no mundo. A programação é totalmente gratuita e acontecerá de 9 a 15 de novembro no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.


Na Mostra Competitiva Internacional, os curtas-metragens e longas concorrem em 13 categorias de premiação. Ao todo, foram mais de 1.283 inscritos para esta 11ª edição. Os 32 filmes selecionados representam países como Espanha, Índia, Kosovo, Colômbia, Estados Unidos, Bélgica, França, Alemanha, Finlândia, Croácia e Brasil, com destaque para três longas nacionais: “Meu Corpo é Político”, da diretora Alice Riff, que abrirá a competição, “Lampião da Esquina”, da diretora Lívia Perez, e “Música Para Quando as Luzes se Apagam”, do diretor Ismael Caneppele, que será exibido no último dia da mostra.


Segundo a jornalista e cineasta Verônica Guedes, diretora executiva do For Rainbow, o festival terá um tom explicitamente político em relação às edições anteriores: “É preciso dar voz àqueles grupos sociais que, dentro do recorte LGBT, têm sido os mais penalizados pela onda fascista que atingiu o Brasil. Os LGBTs, as mulheres e a juventude das periferias, principalmente negra e artista”, afirma.


Outras expressões


Além da mostra de filmes, o For Rainbow oferece uma série de eventos paralelos como debates, lançamentos de livros, apresentações de teatro e música. O tom de protesto do hip hop abre o festival, com um show dirigido pelo rapper e produtor cearense Erivan Produtos do Morro. A peça “Histórias compartilhadas”, cuja exibição causou polêmica ao mostrar a discriminação sofrida por homens transexuais, será apresentada pelo ator Ari Areia. O público também poderá conferir o espetáculo carioca “Le Cirque de La Drag”, show humorístico com Deydianne Piaf, festas com DJs convidados e performances de artistas transformistas da icônica boate Divine.


Retrospectiva


Ao longo de 11 anos, o For Rainbow exibiu mais de 750 filmes, apresentados em mais de 600 espaços culturais de todo o Brasil, atingindo um público médio de 100 mil pessoas. Capacitou mais de 800 pessoas e produziu 20 filmes, mobilizando centenas de artistas do mundo inteiro na luta pelos direitos LGBT e no incentivo à cultura de paz. O festival é realizado pelo Cenapop - Centro Popular de Cultura e Eco-cidadania, instituição que atua no fortalecimento das lutas populares e das comunidades historicamente excluídas.


PROGRAMAÇÃO


 

Quinta (09 de Novembro

 

19h – CINEMA DO DRAGÃO SALA 2
ABERTURA DO 11º FOR RAINBOW E FILMES DA MOSTRA COMPETITIVA
Meu Corpo é Político. Alice Riff. 71’. Brasil, 2017 (Debate após a exibição do filme, com Dediane Souza e Heverton Lima) 

 

22h – ARENA DO DRAGÃO DO MAR
Show de Abertura DJ Erivan, Isabel Gueixa, MC Carolina Rebouças, Joy Ariza e Sarah - Convicção Ancestral (CE)

 

 

 

Sexta (10 de Novembro) 

 

19h – CINEMA DO DRAGÃO SALA 2
MOSTRA COMPETITIVA INTERNACIONAL DE CURTA E LONGA-METRAGEM
“Sempre fui Alex” (I Have Always Been Alex). Roberto Ruiz Céspedes. 06’:06”. Espanha, 2017
“Lenny”. Camille Beglin. 13’:57”. França, 2017
“O Chá do General”. Bob Yang. 20’. Brasil, 2016
“Carol”. Krissy Mahan. 06’:31”. EUA, 2016
“O Almanaque das Garotas” (The Ladies Almanack). Daviel Shy. 86’. EUA, 2017 

 

17h30 – TEATRO DRAGÃO DO MAR
Espetáculo "Histórias Compartilhadas", do Outro Grupo de Teatro (CE) 

 

22h – ARENA DO DRAGÃO DO MAR
Performance "Do que Parece Invisível", de Sílvia Moura (CE)
Show Daydianne Convida (CE): Espetáculo Le Cirque de La Drag (RJ)

 


 

Sábado (11 de Novembro)

 

16h – CINEMA DO DRAGÃO SALA 2
EXIBIÇÃO ESPECIAL MOSTRA QUEER
“O porteiro do dia”. Fábio Leal. 25’. Brasil, 2016
“Stanley”. Paulo Roberto. 19’. Brasil, 2016
“Latifundio”. Érica Sarmet. 11’:54”. Brasil, 2017
“Inocentes”. Douglas Soares. 18’:32”. Brasil, 2017
“Baunilha”. Leo Tabosa. 13’:22”. Brasil, 2017 

 

19h – CINEMA DO DRAGÃO SALA 2
MOSTRA COMPETITIVA INTERNACIONAL DE CURTA E LONGA-METRAGEM
“Jéssika”. Emerson Cursino. 18’:44”. Brasil, 2017
“La Tapette:  A ratoeira” (The Mousetrap). Ricky Mastro. 09’. França, 2016
“O Quebra Cabeça de Sara”. Allan Ribeiro. 10’. Brasil, 2017
“Bebê feliz” (Happy Happy Baby). Jan Soldat. 20’. Alemanha, 2016
“Lampião da Esquina”. Lívia Perez. 81’:57”. Brasil, 2016 

 

22h – ARENA DO DRAGÃO DO MAR Show Nayra Costa (CE)

 

 

 

Domingo (12 de Novembro) 

 

16h – CINEMA DO DRAGÃO SALA 2
MOSTRA LILÁS - LUGAR DE MULHER É NO CINEMA
“Assim”. Keila Serruya 14’. Brasil, 2013
“Em Defesa da Família”. Daniella Cronemberger. 21’. Brasil, 2015
“Jessy”. Paula Lice, Rodrigo Luna e Ronei Jorge.15’. Brasil, 2013
“Prepara!”. Muriel Alves.15’. Brasil, 2016 

 

 19h – CINEMA DO DRAGÃO SALA 2
MOSTRA COMPETITIVA INTERNACIONAL DE CURTA E LONGA-METRAGEM
“Tia Mane” (My Aunt Mane). Krissy Mahan. 08’:58”. EUA, 2017
“Tigger!”. Marvin Wayne. 10’:08”. Espanha, 2016
“Ano passado eu morri” (I Died Last Year). Rodrigo de Oliveira. 25’. Brasil, 2017
“Garotas Errantes” (Rambling Girls). Kis Keya. 26’:04”. Bélgica, 2017
“O Tempo feliz que passou”. André da Costa Pinto. 76’:54”. Brasil, 2015 

 

20h30 – TEATRO DO DRAGÃO DO MAR 
Espetáculo “Proibido Dançar” Ricardo Guilherme e Silvia Moura (CE) 

 

22h – ARENA DO DRAGÃO DO MAR
Show Grupo The Crazy (CE)
D
J André da Costa Pinto (CE)

 

 

 

Segunda (13 de Novembro)

 

 16h – AUDITÓRIO DO DRAGÃO DO MAR
Encontro de Agentes de Cultura LGBT 

 

18h – TEATRO DO DRAGÃO DO MAR
Espetáculo Tempo Imperfeito - Descoletivo (CE)

 

18h30 – TEATRO DO DRAGÃO DO MAR
Lançamento do livro “Tempo Imperfeito – Uma fotobiografia”, de Camilly Leycker 

 

19h – CINEMA DO DRAGÃO SALA 2
MOSTRA COMPETITIVA INTERNACIONAL DE CURTA-METRAGEM
“3Guzica INTRO”. Marina Mutak. 56”. Croácia, 2017
“Batidas do coração” (Heartbeats). Laura Rämö. 03’:45”. Finlândia, 2017
“Cartas para Eros”. Herbert Fieni. 30’. Brasil, 2016
“Manifesto Trans”. (Trans Manifest). Viv Bruschz e Matheus Faria. 09’:19”. Brasil, 2017
“Guigo Offline”. René Guerra. 52’.  Brasil, 2017 

 

22h – ARENA DO DRAGÃO DO MAR
Show As Nega (CE)
DJ Tasso Caracas (CE)

 

 

 

Terça (14 de Novembro)

 

19h – CINEMA DO DRAGÃO SALA 2
MOSTRA COMPETITIVA INTERNACIONAL DE CURTA E LONGA-METRAGEM
“Casa” (Home). More Raca. 23’:22”. Kosovo, 2016
“Ninguém Nada Nunca” (No One Nothing Never). Angélica Hoyos. 25’. Colômbia, 2016
“Maria”. Elen Linth. 16’:44”. Brasil, 2017
“Reinicie o amor” (Reboot Love). Laura Rämö & Martin Jäger. 05’:08”. Finlândia, 2017
“Música Para Quando as Luzes se Apagam”. Ismael Caneppele. 70’10”.Brasil, 2017 

 

22h – ARENA DRAGÃO DO MAR
Show Mulher Barbada e os Caixeiros Viajantes (CE)
DJ Convidado

 

 

 

Quarta (15 de Novembro)

 

 19h – CERIMÔNIA DE PREMIAÇÃO E ENTREGA DOS TROFÉUS DO 11º FOR RAINBOW 

 

20h – ARENA DRAGÃO DO MAR
Show Fora Temer, volta Divine! (CE)
DJ Convidado

 

 

De 9 a 15 de novembro de 2017, em vários espaços do Dragão. Gratuito. Site: www.forrainbow.com.br

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TEMPORADA DE ARTE CEARENSE – PROGRAMA DRAGÃO INSTRUMENTAL
MIMI ROCHA [música]
Show Bom de Ouvir

 



 Guitarrista, violonista, arranjador e produtor musical experiente na cena da capital, Mimi Rocha é um dos instrumentistas mais requisitados para trabalhos de palco e de estúdio. Seu talento e seu profissionalismo o levaram a trabalhar com nomes de repercussão nacional, como Dominguinhos, Fagner e Zeca Baleiro, além de grandes expoentes da música cearense, como Lily Alcalay, Kátia Freitas, Humberto Pinho e a banda Marajazz, da qual faz parte ao lado de outros aclamados nomes da música instrumental. Em 2016, lançou o CD "Bom de Ouvir", que dá nome ao show.


 Dias 10 e 17 de novembro de 2017, às 19h, na Arena Dragão do Mar. Acesso gratuito. Classificação livre. Duração: 60 minutos.

 

 

 


 

 

 

 

 

 

4º FESTIVAL DE CIRCO DO CEARÁ – FESTIVAL INTERNACIONAL DE ARTES CIRCENSES 2017 [circo]



O Festival de Circo do Ceará está na quarta edição explorando o universo circense e suas múltiplas possibilidades trazendo para o público cearense grandes espetáculos para todas as idades. Produção: Iluminura Produtora Cultural, apoio Enel e Secretaria da Cultura /Governo do Estado do Ceará. Informações e programação: www.facebook.com/festivaldecircodoceara/


PROGRAMAÇÃO

 

Dia 11 | Sábado

 

18h – Charanga (CE)
18h30 – Mulher Orquestra | Latin Duo (ARG)
18h40 – Barro e Estrela | Gabriela Jardim (CE)
19h – A Trupe do Carrapicho | Grupo Garajal (CE)
19h10 – Duo Trapeze Lovat | Duo Lovat (RJ)
19h20 – Palhaço Pimenta (CE)
20h – Contorção| Shuree (MON)
20h10 – La Risa es Bella – Diego Bruzzone (ARG)

 

 

Dia 12 | Domingo

 

17h – Vagor & Bellavita | Dromocósmicas (BRA/GRE) (excepcionalmente esta atração será na Praça Verde)
18h – Charanga
18h30 – O Virtuoso no Picadeiro do Circo | Circo Escola Canoa Criança (CE)
19h – Ensaio sob Gravidade | Companhia Itinerante de Malabares (CE)
19h20 – H2Boom | El Gran Enano (URU)
20h – Pedra no Sapato | Laguz Circo (BRA/ARG)
20h10 – Argolas Olímpicas | Netinho Calvo (CE)
20h20 – Piccolo Camerino | Adrian Conde (ESP)

 

Dias 11 e 12 de novembro de 2017, a partir das 18h, no Anfiteatro. Acesso gratuito. Livre.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PRA VER A BANDA [música]

 


Criado em 1996, o programa PRA VER A BANDA configura-se como uma das principais ações para a articulação da Rede de Bandas do Ceará. De 1996 a 2014, com cerca de vinte apresentações anuais, no Espaço Rogaciano Leite Filho, o PRA VER A BANDA oportunizou às Bandas de Música de todas as regiões do Ceará um espaço para apresentação onde estas corporações eram as protagonistas, com plateia cativa de pelo menos 200 espectadores sentados, sempre aos domingos, em meses alternados. O programa se propõe a ser um espaço de difusão e fruição da música instrumental, por meio das Bandas de Música do Ceará e tem como objetivo apoiar, promover e fortalecer a Rede Estadual de Bandas de Música do Ceará.

 

Dias 12 e 26 de novembro de 2017, às 18h, no Espaço Rogaciano Leite Filho. Acesso gratuito. Classificação etária: Livre.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TEMPORADA DE ARTE CEARENSE – PROGRAMA DANÇA NO DRAGÃO
LA GITANA
Grupo Teruá

 

 

O trabalho é um conjunto de sequências coreografadas criadas para rua, a partir de uma pesquisa de movimentos e conteúdo sobre a dança e a cultura cigana. O espetáculo enfatiza a relação dança e música, em que o violão conduz a movimentação da bailarina.

 

Dias 17 de novembro de 2017, às 17h, na Arena Dragão do Mar; e 19 de novembro, às 17h, no Espaço Rogaciano Leite. Acesso gratuito. Livre.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CONTOS E CORPOS ANDARILHOS [dança]
Associação Vidança – Companhia de Danças do Ceará




A Associação Vidança – Companhia de Danças do Ceará traz ao Centro Dragão do Mar, o espetáculo “Contos e Corpos Andarilhos” nos dias 17, 18 e 19 de novembro, a partir das 19h, no Teatro Dragão do Mar. A história dos movimentos, trajetórias de mudanças territoriais vividas pelos povos moradores da comunidade Vila Velha, são inspiração para o tema da apresentação que retoma sua circulação este ano.

 

Com espetáculo dirigido por Anália Timbó e coreografado por Edvan Monteiro, Marcos Bento, Anália Timbó, Elisilene Mesquita, Socorro Timbó, Carol Santos, Vanda Januário, os bailarinos da Companhia Vidança compartilham o palco com as crianças alcançadas pelo projeto da Associação situada na comunidade Vila Velha, trazendo a cultura popular, danças dramáticas, ballet clássico e contemporâneo como principais referências. A estreia da apresentação aconteceu em dezembro de 2016, no Theatro José de Alencar e ganha agora o espaço do Teatro Dragão do Mar.

 

“Contos e Corpos Andarilhos” retrata as narrativas das crianças e jovens da comunidade Vila Velha, seus mundos e cotidianos, tendo como referência a memória individual e social do período da conquista de terras localizadas no espaço que hoje chama-se Vila Velha. A mesma Vila que antes fora território de mangue, e depois veio a ser povoada por famílias sem-teto, vindas do interior.

 

A memória guarda lembranças, o corpo fala por meio dos movimentos e, na medida em que estes seguem, desenraizam-se os conceitos, há troca de conhecimentos, se dissolvem as barreiras e se aprende mais com o mar, com o sol, com o mangue. A partilha da cultura se expressa na dança no que ela traz de aconchego, afeto, cuidado e, também, luta e ousadia, amor e gesto maior, transitando pelos contos e corpos da vida.

 

A circulação do espetáculo “Contos e Corpos Andarilhos” faz parte do projeto “Vidança, a dança da Vida” e tem o apoio cultural da Secretaria de Cultura do Estado do Ceará e da Enel Distribuição Ceará, via IX Edital Mecenas do Ceará.

 

Dias 17, 18 e 19 de novembro de 2017, às 19h, no Teatro Dragão do Mar. Gratuito. Livre.

 

 

 

 

#4 FESTIVAL CONCRETO [arte urbana]

 



A paisagem urbana vai muito além de cimento e vidros. Nela cabem texturas, nuances, esculturas e sonhos. À margem, um muro cinza- amarronzado, encardido pelo tempo, transforma-se linda e magicamente ao sabor das tintas. Um lugar inóspito e silencioso, no dia seguinte vira um parque pleno de brinquedos, invadido pelo som de crianças rindo alto. Uma praça antes sem graça, agora conta com uma escultura sonora, conferindo-lhe muito mais charme. Potenciais descobertos e o que era cinza, vazio e frio, vira som cor e vida. Ressurgido, o desprezado vira contemplado. Ressignificado, o que era marginal descobre-se principal.

Essa é a essência do Festival Concreto, descobrir potencialidades e exaltá-las. Emerge uma outra Fortaleza, de paredes plenas de cores a modificações da paisagem com mobiliário urbano e esculturas sonoras. A sensação de mudança é percebida em toda a capital. E isso faz do Concreto um festival querido e aguardado pela cidade e aclamado por tantos. Com apoio do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria de Cultura juntamente com a ENEL Distribuição Ceará, acontece a 4ª edição do Festival Concreto, com início no dia 10 de novembro seguindo até o dia 26, contando com a presença de mais de 100 artistas, entre locais, nacionais e internacionais. Dentre os países confirmados estão Colômbia, Argentina, Uruguai, Chile, Venezuela, Alemanha, Espanha, EUA, Grécia, Itália, México, Rússia, Colômbia e Finlândia.  Serão, desde atividades de formação, residência artística, lançamento de livros e de documentários, até bazar de compra de obras de arte e a já tradicional festa de encerramento. Criatividade é a palavra de ordem. As raízes da autêntica arte de rua em todo seu esplendor peculiar, advindo da sua natureza transgressora, contundente e nada óbvia, estarão presentes, evocando questionamentos e encantando os olhares dos cidadãos da capital alencarina.

Nesta edição o Concreto tem alguns diferenciais. O Festival concentra-se em pontos específicos na cidade e não mais espalhados por ela, como nas edições anteriores. A primeira fase será a pintura de todas as paredes laterais externas do Centro de Eventos do Ceará. A programação de lançamento do evento começa na sexta-feira, 10 de novembro, quando artistas convidados chegam à Fortaleza e iniciam a ação. São quatro paredes, cada uma medindo 90m x 24m. A previsão é de que os artistas finalizem o trabalho até o dia 18, contudo esse prazo pode se estender, tendo em vista o diâmetro dos muros em questão. Uma ousada empreitada que exigirá dedicação dos envolvidos, num trabalho árduo, contudo o resultado será um enorme cartão postal de grafite multicolorido, num dantes monocromático Centro de Eventos no Ceará.

A segunda etapa, não menos ousada e plena de beleza, engloba a parceria do Festival Concreto e Escola de Arte Urbana Amplitude com a SEAS - Superintendência do Sistema Estadual de Atendimento Socioeducativo, cujos Centros Sócio - Educacionais serão contemplados com arte urbana por dentro e por fora, por meio de grafite, oficinas, instalações e mobiliário urbano. A parceria ora estabelecida, visa beneficiar os quatro Centros, todos localizados no Passaré, bem como promover interação com a comunidade local. As atividades têm início no dia 20 de novembro com um “evento de acolhida” no local, no qual visitantes e comunidade local interagem enquanto instalações são montadas.­­­­­ Em seguida começa a pintura dos muros dos Centros. Destaque para a participação de alguns internos nas ações como “ajudantes de pintura”, ensaiando pinceladas com renomados artistas do grafite, com direito a inclusão de suas assinaturas no final juntamente com a do artista auxiliado por eles.

O Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura e a Escola Porto Iracema das Artes também serão agraciados com belos novos murais, pintados por artistas do Festival. E as novidades não param, de uma parceria do Festival Concreto com WAD – World Art Destination, agência mexicana especializada em arte urbana, sediada em Cancun, nasceu a ideia do intercâmbio de residências artísticas.  Nesta edição, o Concreto traz seis artistas mexicanos para Fortaleza e em 2018 enviará artistas daqui para participarem do FIAP -  Festival Internacional de Arte Público, que acontece em fevereiro /março de 2018 em Cancun. Destaque para Libri Gutierrez, pintor e criador de esculturas especialmente para instalações, ele realizará uma residência no Centro Educacional do Passaré, onde desenvolverá um projeto destinado sobretudo ao envolvimento e integração dos jovens internos.

De 19 a 25 de novembro de 2017, em vários espaços do Dragão. Gratuito. Site: www.festivalconcreto.com.br

 

 

 

 

TEMPORADA DE ARTE CEARENSE - PROGRAMA CIRCULA NO PONTO
SINERGIA

Ponto de Cultura Talento Jovem

 

O trabalho apresenta o talento e o potencial protagonista de crianças de 10 a 13 anos, que por meio da Dança de Rua se tornam referência nas comunidades em que vivem, no município de Acopiara. O espetáculo de dança de rua “Sinergia” foi criado pelos próprios educandos e retrata um pouco do cotidiano em que vivem. Surgiu a partir da junção de três coreografias de dança de rua, como fruto de formação teórica oferecida às crianças, que, posteriormente, são incentivadas a colocar em prática seu conhecimento para impulsionar o seu protagonismo.

 

Dia 18 de novembro de 2017, às 19h, no Espaço Rogaciano Leite Filho. Gratuito. Livre.

 

 


 

ENCERRAMENTO XI FESTIVAL PONTO.CE [música]


Supercombo é uma das bandas mais aguardadas do Festival.

É oficial: atendendo aos pedidos do público, o Ponto.CE volta para a Praça Verde para encerrar sua décima primeira edição. Depois de um fim de semana de Anfiteatro do Dragão do Mar lotado e muita música, a festa de despedida fica maior para receber os aguardados shows de Supercombo (ES), Braza (RJ) e muito mais.

Um dos principais nomes da nova safra do rock nacional, Supercombo é garantia de energia em qualquer line-up. Junto com Braza, foram as bandas independentes mais pedidas pelos fãs do festival. Do Rio, vêm Canto Cego, Carranca e Drenna, que estão em turnê pelo Nordeste. De Fortaleza, tocam Rocca Vegas – que está excursionando pelo Brasil em pré-lançamento do álbum "Líquido" e divulgando seu novo single, "O.V.N.I" –, CID, cujo balanço conquistou o público local, e Ghetto Roots, além dos DJs Felipe BK e Giby The Comics.


Já consagrada no Sudeste, abrindo shows de grandes nomes nacionais do rock, Drenna se apresente pela primeira vez em Fortaleza.



Confira a programação completa: Ghetto Roots (CE), Canto Cego (RJ), CID (CE), Carranca (RJ), DJ Felipe BK (CE), Supercombo (ES), Drenna (RJ), Rocca Vegas (CE), DJ Giby The Comics (CE) e Braza (RJ).


Dia 18 de novembro de 2017, a partir das 19h, na Praça Verde. Classificação 16 anos. Ingressos: Pista – R$ 50 (meia), R$ 60 (inteira social, com 2kg de alimento não-perecível), R$ 100 (inteira) Fronstage – R$ 80 (meia), R$ 100 (inteira social, com 2kg de alimento não-perecível), R$ 160 (inteira). Ingressos à venda nas lojas Pranchão, Kangaço e pelo site Ingressando.com.br. Outras informações: 3063 6014

 

 

 

 

KITANDA NO DRAGÃO [feira]
Tema: Zumbi é Força Dandaras Poder

 

A Kitanda no Dragão é uma feira de produtos e serviços dos empreendedores que compõem a Rede Kilofé de Economia de Negras e Negros do Ceará, uma organização para a formação, articulação e promoção de empreendimentos para a interação com o mercado. A programação é composta por palestras, feira e atrações artísticas. Nesta edição, a feira terá como tema: "Zumbi é força: Dandaras Poder".

 

PROGRAMAÇÃO:

9h - Auditório do Dragão do Mar
Roda de Conversa: Mulher Negra - Dandara é Poder

15 às 20h. Arena Dragão do Mar
Feira de Empreendedoras e Empreendedores da Rede Kilofé

18hr - Arena Dragão do Mar
Show Musical Caravana Cultural

 

Dia 19 de novembro de 2017, das 9h às 20h, no Espaço Mix, Auditório e Arena Dragão do Mar. Gratuito. Livre.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

VI FESTIVAL INTERNACIONAL DO FOLCLORE



A 6ª Edição do Festival Internacional de Folclore do Ceará, acontecerá de 16 a 19 de novembro de 2017. De 16 a 18 o Festival acontece na cidade de Pacoti no Polo de Lazer e no dia 19 em Fortaleza, no anfiteatro do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. O evento que sempre foi realizado na capital se estende ao interior tornando-se itinerante com ampla programação gratuita.
 
O público do Festival é contemplado com apresentações de danças folclóricas, musicais, exposição e comercialização de artesanato, literatura de cordel, comida regional, além de ações formativas que vão desde a realização: aulas-show, vivências, exposições e à composição de programas de circulação e/ou de formação de plateia, contribuindo para o fortalecimento e renovação da cultura popular, agora em duas cidades do estado.
 
Consolidado como a maior manifestação cultural do gênero no Norte Nordeste, a sexta edição do Festival Internacional do Folclore apresenta grupos do mais rico e plural folclore cearense, brasileiro e latino-americano. O Festival Internacional do Folclore chega em 2017 recebe atrações de dois países da América Latina, Paraguai e Chile, e os estados do Ceará, Maranhão, São Paulo e o Rio Grande do Sul.
 
Ao longo de todas as edições do Festival, já passaram pelo evento: 3.000 artistas; 98 Grupos de Projeção Folclórica. Isso demonstra o quão a Cultura e o Folclore têm o seu espaço garantido. Esse projeto é apoiado pela Secretaria da Cultura do Ceará Lei n° 13.811 de 16 de agosto de 2006 (Via financiamento Mecenato Estadual) através da ENEL.
 
O evento movimentará a cultura do Estado, em Pacoti e Fortaleza, oferecendo um intercâmbio e potencializando o turismo cultural com espetáculos de danças folclóricas, gastronomia e música. E tem como proposta dialogar sobre as pesquisas, a mostra de trabalhos através do intercâmbio artístico-cultural de espetáculos e grupos locais, nacionais e internacionais.
 
Como já é tradição na programação do Festival Internacional do Folclore, a organização sempre privilegia um espaço para realizar homenagens a grandes personalidades e grupos de relevância que fazem a história do folclore local ou nacional. Este ano, o grupo homenageado será Grupo de Dança Tablado (Fortaleza, Ceará-BR) que recebera uma menção honrosa; e as personalidades são Graça Martins e Clerton Vieira.
 
“Este é um grande momento para nós que planejamos e sonhamos este projeto. É o resgate da história, do legado da dança, que muitas vezes se perde entre versões e suposições, mas que continua viva e fiel à tradição. Além de a gente testar nossa sabedoria resgatamos o que durante muitos anos nos foi transmitido e é repassado”, explica Sheila Fernandes, coordenadora geral do festival.


 
Parceiros do Festival
 
Nesta edição, o Festival tem como Apoiadores Institucionais a Secretaria de Cultura do Estado do Ceará (Secult), Comissão Nacional de Folclore, Comissão Cearense de Folclore, Associação Txai Cultura e Arte, Os Parceiros são o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, Instituto Dragão do Mar, Ernantur.Ene. Apoio Cultural: Esse projeto é apoiado pela Secretaria da Cultura do Ceará Lei n° 13.811 de 16 de agosto de 2006 (Via financiamento Mecenato Estadual) através da ENEL, Realização Instituto União de Arte, Educação e Culturas Populares com a Promoção da Encena Produções.
 
 
Grupos participantes

 
Internacionais
Paraguay Ete (Paraguai)
Conjunto Folklorico Raices de Mi Chile (Chile)


Nacionais
Grupo Apolo de Danças Gregas(São Paulo-SP)
C.T.G Fagundes dos Reis (Passo Fundo - Rio Grande do Sul-BR)
Grupo Folclórico Beneficente Bumba-Meu- Boi de Axixá (São Luís, Maranhão-BR)


Locais
Cia de Dança Estrelas da Rua (Fortaleza, Ceará-BR)
Grupo de Tradições Cearenses (Fortaleza, Ceará-BR)
Grupo de Tradições Folclóricas Raízes Nordestinas (Fortaleza, Ceará-BR)
Grupo Miraira – IFCE (Fortaleza, Ceará-BR)
TXAI Cia de Danças Populares (Fortaleza, Ceará-BR)
Grupo Homenageado
Grupo de Dança Tablado (Fortaleza, Ceará-BR)

 

Dia 19 de novembro de 2017, às 18h, no Anfiteatro. Acesso gratuito. Livre. Mais informações: www.festivaldefolcloredoceara.com.br

 

 

 

 

 

 

 

 

 

IX ENCONTRO NIETZSCHE-SCHOPENHAUER [seminário]

 

Os Encontros Nietzsche-Schopenhauer de Filosofia ocorrem desde 2009 e são organizados pelo Apoena – Grupo de Estudos em Schopenhauer e Nietzsche, contando com o apoio da Universidade Federal do Ceará e da Universidade Estadual do Ceará, além do Centro Dragão do Mar.

 

Dias 22, 23 e 24 de novembro de 2017, das 8h às 19h, no Auditório. Gratuito. Incrições: apoenafilosofia.org.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SHOW ZÉ RAMALHO – 40 ANOS [música] [INGRESSOS ESGOTADOS]

 

 

O cantor e compositor brasileiro Zé Ramalho traz turnê de 40 anos de carreira, tocando as canções mais emblemáticas dessa trajetória. Suas influências musicais são uma mistura de elementos da cultura nordestina (cantadores, repentistas e rabequeiros), da Jovem Guarda, a sonoridade dos Beatles e a rebeldia de The Rolling Stones, Pink Floyd, Raul Seixas e, principalmente, Bob Dylan.

 

Dia 25 de novembro de 2017, às 20h30, na Praça Verde. Ingressos: Frontstage R$ 180,00 (inteira) e R$ 90,00 (meia) | Pista R$ 120,00 (inteira) e R$ 60,00 (meia). 16 anos.

 

 

 

 

 

 

TEMPORADA DE ARTE CEARENSE – PROGRAMA ENTRE PERFORMANCE


ESPEZINHAR | Artur Dória




Um espaço escritório|ateliê invade o espaço público. O íntimo-privado adentra o público (privado?) produzindo público. O espaço íntimo, tido primordialmente como lugar de resguardo e isolamento não se contém e se aproxima, introduzindo intimidade com o espaço público; o espaço dito íntimo escorre sobre espaços dos quais não está acostumado. No meio termo desta relação intrincada, produz-se um ritual de escrita conjurado através de fragmentos - restos, dejetos - conjugados. Um experimento analógico|anacrônico que pratica a pulsão da escrita no espaço multidão em tensão|confronto com a melancolia do espaço solidão.

Gavetas dispostas no chão delimitam um percurso. Cada qual apresenta em aberto um conteúdo corpo|cidade específico: pedras, areia, garrafas de água, lixo, folhas secas. Ao final desta breve geografia de texturas sensíveis, uma máquina de escrever solitária, funcionando, aguarda. Para chegar à máquina, o performer, escritor caminhante, percorre cada uma estas gavetas, descalço, lentamente, a se deixar levar pela incidência de seus conteúdos com os pés, como a se preparar para a escrita. O experimento com os pés ricocheteia nas mãos? A ação é contínua e se repete, produzindo alterações, diversas vezes, quantas vezes o performer achar necessário, e qualquer um, se assim desejar, poderá também tomar espaço para participar, experimentar, caminhar, sentar, escrever...

Todos estes objetos (a máquina, inclusa) que compõe este espaço limite foram encontrados e recolhidos (a sua maioria) nas ruas da cidade de Fortaleza, em um acaso de percurso qualquer. Foram reunidos de modo sistemático. Trazidos a um lugar comum. Um quarto, o quarto daquele que se diz “escritor caminhante”. Ambiente estrito a uma pessoalidade, a uma intimidade especializada e, de certa forma, protegido, vedado de determinadas perturbações externas, longe das confusões metropolitanas.

Aglomerados, cada qual com seu sentido singular, estes objetos começaram, após espaço-tempo, - e muito timidamente - a revoar, tomar o quarto em si. Uma gaveta transformou-se em caixa de areia para massagear os pés; outra tornou-se carrinho de passeio para plantas. Surge a necessidade de ampliar a escala desta micro experiência. Empreender o deslocamento compartilhado deste gesto íntimo poético. Prática que transborda o seu encarceramento, a sua característica privativa. A evasão do recinto, extrapolar o gesto de sua possessão, alongá-lo, ampliá-lo coletivamente em um trabalho de exposição conjugada. Necessidade dileta de despir-se dos segredos. Produção de testemunhas do processo de criação de si.

 

Às 19h, na Arena Dragão do Mar. Duração: 120min. Acesso gratuito. Livre.

 

+

 

BODE QUER | Evan Teixeira





O Bode Quer visa reviver situações na qual Bode Ioiô protagonizou no começo do século XX em Fortaleza, Ceará. Impulsionado pelo universo dessa figura emblemática, Evan Teixeira propõe a presente performance, que encontra nas dimensões da cultura popular, da memória e da rua, sua principal base.

Às 20h, ação itinerante que parte do Espaço Rogaciano Leite Filho. Duração: 60min. Acesso gratuito. Livre.

 


+

 


DE CARA NÃO DÁ - PISCINÃO SIM!|
Coletivo Os Pícaros Incorrigíveis




 

A performance "De cara não dá - PisciNÃO SIM!"; visa intervir poeticamente nos espaços públicos da cidade e provocar aos transeuntes questionamentos sobre qual relação se tem com esses espaços e traz ainda questionamentos sobre o cotidiano e a relação entre os habitantes e as instituições em suas várias instancias. Com picardia, desbunde e deboche lança o questionamento sobre o que de fato é e o que torna-se meramente ilustrativo.


Às 20h30, ação itinerante que parte do Espaço Rogaciano Leite Filho. Duração: 100min. Acesso gratuito. Livre.

 


Dias 25 e 26 de novembro, em espaços diversos do Dragão do Mar. Acesso gratuito. Livre.

 

 

 

 

 

 

 

 

TEMPORADA DE ARTE CEARENSE – PROGRAMA QUINTA COM DANÇA
HOSPITAL DE BONECAS

Rosa Ana Druot de Lima

 

 

O trabalho surge como um lugar de questionamento sobre nossas necessidades de conserto, muitas vezes impostas pelos sistemas normalizadores que regem as sociedades contemporâneas. Imposições disfarçadas em discursos midiáticos que exaltam o bem estar e a singularidade.

 

Nas fronteiras dos modos classificatórios operados por esses sistemas: qual lugar ocupamos? Somos normais? Somos marginais? E se nossos pequenos desequilíbrios fossem grandes abismos necessários à descoberta de si e do outro? Deste lugar, surgiram as pesquisas para o projeto Hospital de Bonecas, buscando estratégias para assumir as fragilidades que nos edificam, que nos tornam, de fato, singulares e, até mesmo, fortes, num eterno processo de reconstrução de si e do mundo que nos cerca.

 

 


Dias 23 e 30 de novembro de 2017, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia). Classificação etária: Livre. Duração: 50 minutos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

►AGENDA POTÊNCIAS
 Show Rashid e Lançamento do CD Nova Safra

http://www.dragaodomar.org.br/images/zeramalho17_g.jpg

O Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura firmou parceria com a Central Única de Favelas do Ceará – CUFA-CE – ­­, e agora receberá parte da “Potências”, uma agenda colaborativa que promove ações sociais, culturais e atividades ligadas ao empreendedorismo e aos direitos civis e políticos, em toda a cidade. No Dragão, a programação acontecerá nesta quinta-feira (23), a partir das 20h, no Anfiteatro, com show do rapper paulista Rashid e lançamento da coletânea Nova Safra: Instinto de Vida, disco que destaca a nova geração de talentosos rappers cearenses. O acesso é gratuito. A produção pede ao público a doação de um galão de 5L de água mineral. A arrecadação será encaminhada pela Cufa a projetos sociais da Associação de Moradores das Quadras.

 

Dia 23 de novembro de 2017, às 20h, no Anfiteatro do Dragão do Mar. Acesso gratuito. A produção pede ao público a doação de um galão de 5L. A arrecadação será encaminhada a projetos da Associação de Moradores das Quadras. Classificação: 16 anos. Evento no facebook: https://www.facebook.com/events/174956866421818 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

► PRA VER A BANDA
Banda Municipal Eduardo Gurgel Valente

http://www.dragaodomar.org.br/images/zeramalho17_g.jpg

A Banda Municipal Eduardo Gurgel Valente foi fundada em 20 de setembro de 1984, em Acopiara. Hoje, sob a batuta do Maestro Washington, a banda vive seu grande momento. Com um vasto calendário de apresentações em toda a região, conta com um elenco composto por jovens e adolescentes e tem sua própria escola de música, onde são oferecidas aulas semanais abertas a qualquer interessado.

  

Sobre o Programa

Criado em 1996, o programa PRA VER A BANDA configura-se como uma das principais ações para a articulação da Rede de Bandas do Ceará.

Entre 1996 e 2014, com cerca de vinte apresentações anuais, no Espaço Rogaciano Leite Filho, o PRA VER A BANDA oportunizou às Bandas de Música de todas as regiões do Ceará um espaço para apresentação onde estas corporações eram as protagonistas, com plateia cativa de pelo menos 200 espectadores sentados, sempre aos domingos, em meses alternados.

O programa se propõe a se um espaço de difusão e fruição da música instrumental, por maio das Bandas de Música do Ceará e tem como objetivo apoiar, promover e fortalecer a Rede Estadual de Bandas de Música do Ceará.

Banda: Orquestra de sopros de pindoretama

 

 

  Dia 26 de novembro de 2017, às 18h, no Espaço Rogaciano Leite Filho. Acesso gratuito. Livre.

 

 

 

 

NOITE DAS ESTRELAS [astronomia]

 

 

Todos os meses, sempre nas noites de Quarto Crescente Lunar, o planetário disponibiliza telescópios ao público em geral para observação astronômica de Crateras da Lua, Planetas, Nebulosas etc.

 

Dias 28 e 29 de novembro de 2017, das 19h às 21h, em frente ao Planetário. Acesso gratuito. Em caso de céu nublado, a atividade poderá ser interrompida ou cancelada.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TANGO NA PRAÇA [dança]

 

 

Venha trocar ideias e dançar junto de admiradores do tango argentino. O projeto mensal traz a prática do tango ao alcance de todos.

 

Dia 29 de novembro de 2017, das 19h às 21h, na Arena Dragão do Mar. Gratuito. Livre.

 



 

 

 

 

 

 

 

 

// TODA SEMANA NO DRAGÃO DO MAR

 

Feira Dragão Arte
Feira de artesanato fruto da parceria com Sebrae-CE e Siara-CE.
Sempre de sexta a domingo, das 17h às 22h, ao lado do Espelho d'Água. Acesso gratuito.

 

Planeta Hip Hop
Grupos promovem exibições de dança e música hip hop.
Todos os sábados, às 19h, na Arena Dragão do Mar. Gratuito.

 

Brincando e Pintando no Dragão do Mar
Brincadeiras e atividades infantis orientadas por monitores animam a criançada na Praça Verde.
Todos os domingos, das 16h às 19h, no Ateliê dos Museus (Praça Verde). Gratuito.

 

Fuxico no Dragão
Atrações artísticas e uma feirinha com vinte expositores de produtos criativos em design, moda e gastronomia agitam as tardes de domingo.
Todos os domingos, das 16h às 20h, na Arena Dragão do Mar. Gratuito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PLANETÁRIO RUBENS DE AZEVEDO [FECHADO PARA MANUTENÇÃO]




Foto: Marina Cavalcante

 

 

O Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura informa que o Planetário Rubens de Azevedo passa por modernização tecnológica. Está, portanto, temporariamente fechado para atendimento ao público amplo, funcionando apenas para escolas agendadas. Informações: 3488.8639 ou aqui.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CINEMA DO DRAGÃO


 

A programação regular do Cinema do Dragão é definida semanalmente, sob a curadoria de Pedro Azevedo.

 

Informações: 3219.5899 
www.dragaodomar.org.br
programacaocinema@dragaodomar.org.br
Twitter: @cinemadodragao
Facebook: Cinema do Dragão


 Ingressos na Bilheteria do Cinema do Dragão: R$ 14,00 (inteira) e R$ 7,00 (meia). A bilheteria funciona de terça a domingo, das 14h às 22h.

 

Atenção! Em cumprimento à orientação da Prefeitura de Fortaleza, foram encerradas as ações promocionais MEIA PARA TODOS e MEIA DA MEIA-ENTRADA, esta última direcionada para estudantes de audiovisual e dos demais equipamentos do Instituto Dragão do Mar.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MULTIGALERIA

 

 

► TEMPORADA DE ARTE CEARENSE
Exposição Você Mereceu

Marília Oliveira

 

 

A partir das rasuras e destroços de uma vingança, elaborar um processo de catarse. Abordando a autonomia sobre o próprio corpo e a divulgação online de conteúdo íntimo sem permissão, a exposição Você Mereceu, de autoria da fotógrafa e educadora Marília Oliveira, está em cartaz até o dia 30 de novembro, na Multigaleria do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. Composta por fotografias, textos e uma série de objetos, a obra sugere profunda imersão na narrativa proposta pela artista.

 

Para a autora da exposição, transformar as memórias de uma violação em obra artística e partilhá-la com espectadores é partir do autobiográfico para discutir a narrativa de outras mulheres. “Contar a história de um corpo destruído por uma vingança traz a necessidade de deslocar a fotografia para um sentido relacional”, explica Marília, fazendo referência aos diversos materiais que preenchem as três salas da Multigaleria.

 

No espaço das salas, a artista costura o sensível a partir de fotografias íntimas do próprio corpo clicadas por outra pessoa, imagens de casas em demolição, objetos quebrados, lingeries rasgadas e bilhetes escritos à mão. São pedaços do vivido que se sobrepõem a variadas materialidades e formam um só corpo. “Essa obra é um eterno jogo entre a tentativa de autonomia e como isso volta como pedras que derrubam a todas nós, mulheres”, pontua Marília.

 

Selecionada pelos Editais Culturais 2016/2017, do Instituto Dragão do Mar, que compõem a Temporada de Arte Cearense (TAC), a exposição Você Mereceu tem classificação indicativa de 18 anos.

 

 

Pornografia de vingança

 

Para Marília, a exposição reflete acerca de clichês que se abatem sobre o corpo das mulheres em forma de amarra. “Essa também é uma história de como a autonomia é negada à mulher. A autonomia de sair de relações, de expor o corpo quando quiser, para quem quiser, no contexto que quiser e isso não ser usado contra ela depois”, enfatiza. Uma das práticas questionadas pela artista é a chamada “pornografia de vingança”, termo que evidencia a violação de privacidade a partir da gravação ou compartilhamento de conteúdo íntimo sem autorização.

 

Você Mereceu reorganiza as reminiscências de uma violência na tentativa de subverter uma prática de dominação. “Essa história é minha e de outras mulheres, que ainda que não vivenciem a exposição de suas fotos íntimas, lidam com uma série de vinganças e implosões e desapropriações de seus corpos, memórias e trajetórias”, sublinha Marília.

 

 

Marília Oliveira

 

Educadora, fotógrafa e mestranda em Comunicação pela Universidade Federal do Ceará. Membro fundadora do Descoletivo, coletivo de fotógrafos que realiza ações de intervenção urbana. Ex-diretora do IFOTO – Instituto de Fotografia do Ceará. Junto ao Descoletivo, integrou a mostra coletiva de cearenses no festival “Encontros da Imagem”, em Braga, Portugal. Participou, nos últimos 4 anos, da mostra coletiva “Encontros de Agosto”, na capital cearense. Em 2015, contemplada pelo Centro Cultural dos Correios, realizou a exposição Afetos Urbanos em parceria com Régis Amora, do Descoletivo, com lançamento de livro homônimo. Em 2016, lançou a publicação “Séries sobre o sutil”, contemplada pelo edital do Instituto Bela Vista em parceria com a SECULTFOR. Teve a obra “Remissão”, no mesmo ano, contemplada com a menção de trabalho cearense mais representativo da coletiva Encontros de Agosto. Em 2017, lançou junto ao Descoletivo o fotolivro “Tempo Imperfeito – Uma fotobiografia de Camilly Leycker”, projeto contemplado pelo edital de Cultura LGBT, promovido pela SECULT. Neste ano, expôs a obra Você Mereceu durante a edição de dez anos do Festival de Fotografia de Porto Alegre – FESTFOTO.

 

  Em cartaz de 5 a 30 de novembro de 2017, na Multigaleria. Visitação: de terça a domingo, das 14h às 21h (acesso até as 20h30). Gratuito. Classificação etária: 18 anos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA DO CEARÁ – MAC-CE

 

 

 

► 32ª Bienal de São Paulo – INCERTEZA VIVA

 

 

Com realização no Museu de Arte Contemporânea do Ceará (MAC-CE), do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, uma nova etapa nacional das itinerâncias da 32ª Bienal de São Paulo – INCERTEZA VIVA acontece de 7 de novembro de 2017 a 28 de janeiro de 2018. Trazendo um recorte de 15 artistas e coletivos, a mostra terá abertura no dia 7 às 18h, com mediação do curador Jochen Volz – responsável pela última edição da Bienal, em 2016. Às 21h, o Dragão do Mar realiza show com o grupo Baião de Dub, no Ateliê dos Museus.


Foram selecionados para integrar a exposição: Antonio Malta Campos (Brasil) Bárbara Wagner (Brasil), Charlotte Johannesson (Suécia), Felipe Mujica (Chile), Francis Alÿs (Bélgica), Gilvan Samico (Brasil), Güneş Terkol (Turquia), Grada Kilomba (Portugal), Jonathas de Andrade (Brasil), Michal Helfman (Israel), Misheck Masamvu (Zimbábue), Mmakgabo Helen Sebidi (África do Sul), Pierre Huyghe (França), Rachel Rose (EUA), Vídeo nas Aldeias (Brasil) e Wilma Martins (Brasil). A curadoria geral de Jochen Volz foi responsável pela última edição da Bienal, em 2016.

 


Bárbara Wagner (Brasil)


Intitulada INCERTEZA VIVA [Live Uncertainty], a 32a Bienal tem como eixo central a noção de incerteza a fim de refletir sobre atuais condições da vida em tempos de mudança contínua e sobre as estratégias oferecidas pela arte contemporânea para acolher ou habitar incertezas. A exposição se propõe a traçar pensamentos cosmológicos, inteligência ambiental e coletiva assim como ecologias naturais e sistêmicas. A mostra foi concebida em torno das obras de 81 artistas e coletivos sob curadoria de Jochen Volz e dos cocuradores Gabi Ngcobo (África do Sul), Júlia Rebouças (Brasil), Lars Bang Larsen (Dinamarca) e Sofía Olascoaga (México).


Em 2017, o programa de mostras itinerantes da 32ª Bienal de São Paulo circula com seleções de obras da 32ª Bienal por doze cidades no Brasil e duas no exterior: Campinas/SP, Belo Horizonte/MG, São José dos Campos/SP, Cuiabá/MT, São José do Rio Preto/SP, Ribeirão Preto/SP, Garanhuns/PE, Palmas/TO, Santos/SP, Itajaí/SC, Fortaleza/CE, Vitória/ES, Bogotá/Colômbia e Porto/Portugal.


Ações educativas


As itinerâncias da Bienal de São Paulo trazem uma série de ações educativas realizadas em parceria com o Núcleo Educativo do MAC-CE e o Porto Iracema das Artes. Em 6 de novembro (segunda-feira), será apresentada a palestra "Incerteza Viva: Conceitos e Artistas", às 19h, no Auditório do Porto, com Regiane Ishii, que é Produtora de Conteúdo do Programa Educativo da Fundação Bienal de São Paulo. A palestra abrange uma breve apresentação da história da Fundação Bienal de São Paulo e o processo de desenvolvimento e conceitos da 32ª Bienal. Também serão abordadas as pesquisas de artistas que integram a itinerância em Fortaleza.


Na mesma semana, serão realizados ainda dois laboratórios, com partida no Porto Iracema. Em 7 de novembro (terça-feira), das 14h às 17h, o laboratório "Narrativas que constroem mundos" debate a relação entre narrativas pessoais e a multiplicidade de existências possíveis, com base nas obras dos artistas da Bienal. Em 8 de novembro (quarta-feira), o laboratório "Processos criativos em educação" propõe aproximar processos criativos de artistas e de professores, relacionando ações educativas e obras da 32ª Bienal.


As inscrições para os laboratórios devem ser realizadas no link http://bienal.org.br/evento.php?i=4377. Ao longo do período da exposição, o Núcleo Educativo do MAC-CE realiza ainda uma série de oficinas gratuitas, aos finais de semana.

 

Abertura dia 7 de novembro de 2017, às 18h, no Museu de Arte Contemporânea do Ceará (MAC-CE). Show Baião de Dub, às 21h, no Ateliê dos Museus. Gratuito. Livre. Exposição em cartaz de 7 de novembro de 2017 a 28 de janeiro de 2018. Visitação de terça a sexta, das 9h às 19h (acesso até as 18h30) e aos sábados, domingos e feriados, das 14h às 21h (acesso até as 20h30).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MUSEU DA CULTURA CEARENSE – MCC 


Museu da Cultura Cearense é um museu etnográfico que tem como proposta promover a difusão, a fruição e a apropriação do Patrimônio Cultural do Estado do Ceará, aplicando ações museológicas de pesquisa, preservação e comunicação, visando à inclusão e ao desenvolvimento sociocultural.

 

 

 

 

 

TEMPORADA DE ARTE CEARENSE [artes visuais]
Exposição Memórias do Futuro em Ruínas
Mariana Smith

 


A Exposição Memórias do Futuro em Ruínas é uma investigação sobre a Praia do Futuro em Fortaleza, a partir das contradições entre um sonho utópico de um futuro hoje falido e as forças naturais que trazem como resistência seus processos corrosivos. Quais são as perspectivas de futuro num mundo em que as esperanças de crescimento e melhoria de condições de vida se esvaem?


A partir dessa perspectiva, os trabalhos apresentados apontam para uma construção de paisagens distópicas em que o homem é vencido pelas forças da natureza, ali passado e futuro se entremeiam, numa proposta de desconstrução dos sonhos de um futurismo tecnológico, para uma possível realidade de um futuro devastado.


A partir de recortes dessa paisagem, vemos uma construção de possíveis ficções de um futuro para esse local em uma instalação com vídeos, fotografias e desenhos. O projeto é resultado da pesquisa em andamento no mestrado de Artes Visuais da Universidade Estadual do Rio de Janeiro e foi selecionado pelos Editais Culturais 2016/2017, do Instituto Dragão do Mar, compondo assim nossa Temporada de Arte Cearense.


 Em cartaz de 27 de outubro a 25 de novembro de 2017, de terça a sexta, das 9h às 19h (com acesso até as 18h30) e aos sábados, domingos e feriados, das 14h às 21h (acesso até as 20h30). Acesso gratuito. Classificação etária: Livre.

 

 

 

 

 

 

 

Exposição Vaqueiros

 

 

Exposição lúdica, de caráter didático, percorre o universo do vaqueiro a partir da ocupação do território cearense pela pecuária até a atualidade. Utiliza cenografia, imagens e objetos ligados ao cotidiano do vaqueiro.

 

 Exposição de longa duração, em cartaz no Piso Inferior do Museu da Cultura Cearense. Visitação de terça a domingo, das 9h às 19h (acesso até as 18h30) e aos sábados, domingos e feriados, das 14h às 21h (acesso até as 20h30). Acesso gratuito. Classificação etária: Livre.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

OFICINAS PROMOVIDAS PELO NÚCLEO EDUCATIVO DOS MUSEUS


Todo mês, os museus do Dragão do Mar oferecem uma série de oficinas relacionadas às exposições em cartaz. Confira a programação de novembro. O acesso é gratuito.

 


MAC-CE


Oficina "O Imaginário de Cordel"
Inspirada em Gilvan Samico, cujas gravuras se baseiam em lendas e narrativas, a oficina propõe mesclar o imaginário popular coletivo com o individual através da criação de cordéis. Ao final, os cordéis ficarão expostos em um varal para que possam ser compartilhados com outros visitantes.
Dia 11 de novembro > 16h > MAC > Livre

 

 

Oficina "Cubo Performático"
A oficina propõe uma videoperformance colaborativa feita pelos próprios visitantes do museu, com o tema livre e de até 1 minuto de duração, que será gravada no decorrer da exposição. Os vídeos gravados ficarão expostos no MAC durante a mostra.
Dia 12 de novembro > 16h > MAC > Livre

 

 

Oficina "Quem não pode com a formiga não assanha o formigueiro"*
Visa fomentar um debate sobre os conflitos indígenas levantados na obra “Vídeo nas Aldeias”, fazendo um paralelo cultural e social com as tribos indígenas do Ceará. Contará com as convidadas Sulamita Link e Izaura Lila para o diálogo entre educadores e visitantes.
Dia 18 de novembro > 16h > MAC > Livre
*Com intérprete de Libras

 

 

Oficina "1, 2, 3 Gravando!"
Inspirada na artista Grada Kilomba, que dispõe em suas obras a leitura encenada, a oficina tem o objetivo de explorar a percepção e a criação artística por meio desse tipo de leitura. Livros infantis serão entregues às crianças e, juntamente com o mediador, serão gravadas cenas nas quais elas reinventam a história dos livros.
Dia 19 de novembro > 16h > MAC > Infantil

 

 

Oficina Real/Digital
Tomando como base o trabalho de Charlotte Johannesson, a oficina busca pensar a identidade a partir de interferências no mundo real sobre projeções digitais de autorretratos. Dessa forma, serão criadas obras híbridas, que existem mutuamente no meio digital e no real.
Dia 25 de novembro > 16h > MAC > Livre

 

 

Oficina Histórias de Pescadores
Tendo como referência o trabalho “O Peixe” (2016), do artista Jonathas de Andrade, a oficina tem como principal objetivo promover o contato dos participantes com o universo da pesca, buscando desenvolver um pensamento crítico acerca do trabalho e da profissão de pescador ou pescadora. Além disso, será construído um pequeno ambiente aquático.
Dia 26 de novembro > 16h > MAC > Infantil




MCC

 


Minicurso “Montagem de Exposições”
Nesta atividade, transitaremos entre os percursos dos objetos até chegarmos nas exposições e aprenderemos sobre processos de execução de montagem.
Dia 10 de novembro > 10h e 14h > Público-alvo: educadores de museus

 


Oficina de Braille
A equipe do projeto Acesso oferece oficina gratuita de leitura e escrita do sistema Braille para o público interessado.
De 27 de novembro a 1º de dezembro > das 8h30 às 12h30 > Miniauditório do MCC
Inscrição de 1º a 24 de novembro pelo e-mail lara.ufc@gmail.com ou (85) 3488.8621

 


Diálogos sobre Acessibilidade
No intuito de colaborar para formação de cidadãos sensíveis e solidários, a equipe do projeto Acesso abre espaço semanal para troca de conhecimento, experiências e questionamentos sobre acessibilidade.
Às terças e quintas-feiras > das 10h às 11h e das 15h às 16h > Miniauditório do MCC > Público alvo: visitantes do MCC

 


Visita vendada à exposição Vaqueiros
Que tal uma mediação à exposição Vaqueiros conduzida por pessoas cegas? Agende uma visita e vivencie também como seria a visita de uma pessoa cega a uma exposição.
Às sextas-feiras, a partir do dia 10/11 > das 10h às 11h > Para grupos agendados > MCC
Agendamentos: (85) 3488.8621 ou agendamentomuseus@gmail.com

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 NÚCLEO DE AÇÃO EDUCATIVA DO MCC

 

 

O Museu da Cultura Cearense se caracteriza por ser um museu etnográfico, cuja proposta educativa fundamenta-se nos princípios da Nova Museologia e numa mediação de base freireana, isto é, Ação-Reflexão como norteadores para o seu Projeto Pedagógico. O museu é compreendido como um lugar de reflexão e produção de conhecimento, ao mesmo tempo em que valoriza as vivências e particularidades de seu público.

 

Ancorado na tríade: pesquisa, conservação e comunicação, é um lugar de debate, sem contudo, perder o encanto e a ludicidade. O MCC valoriza a pluralidade, como elemento enriquecedor para a mediação no espaço expositivo. Essa é uma das razões pela qual o Núcleo Educativo é composto por uma equipe de profissionais e estagiários com formação multidisciplinar.

 

O Projeto Educativo do MCC fundamenta-se também na metodologia da Pesquisa-Ação, que segundo René Barbier, trata-se de uma atividade que compreende e elucida a práxis pelos próprios atores sociais que constituem o grupo, com ou sem especialistas em ciências humanas e sociais práticas, objetivando o avanço dessa práxis.

 

O Museu da Cultura Cearense buscará desenvolver, no decorrer de suas ações educativas, atividades pedagógicas que contemplem a diversidade de público e fomentem a construção e execução de um Projeto Pedagógico colaborativo, com o intuito de fortalecer a mediação cultural e social através da dialogicidade, bem como dos objetos-sígnos que compõem suas exposições.

 

 

Mediações

 

O termo mediação, no universo museal, define o conjunto de práticas que são realizadas, geralmente pela área pedagógica, para promover ações educativas a partir das coleções expostas. Uma visita mediada propõe metodologias nas quais o público possa contribuir com suas próprias experiências e referências sócio-culturais na “leitura” das obras e dos conjuntos que formam as mostras.

 

Classificando as visitas pelo tempo de duração, o Núcleo Educativo do MCC promove as seguintes mediações:

 

 Mediação simples: mediação rápida, mais orientadora, destinada ao público não agendado e espontâneo. Duração de até 15 a 20 min. O visitante deve solicitar aos educadores do museu esta mediação.

 

 Mediação ampliada: mediação problematizadora, formadora, que instiga o visitante a refletir de forma crítica sobre a exposição. Duração de até 01h30min. Direcionada principalmente a grupos previamente agendados, pois precisa de planejamento.

 

 Mediação com oficina: mediação mais prolongada, pois além de ter como ponto central a reflexão, nesta visita atividades de arte-educação são vivenciadas. Por exemplo: teatro de fantoche, desenho, contação de história, roda de conversa e oficinas de acordo com a exposição em cartaz. Duração de até 2hs. Deve ser agendada com mínimo de 15 dias de antecedência para preparação.

 


AGENDAMENTOS

 

Escolas, universidades, ONG’s, companhias de turismo e demais grupos devem agendar previamente a visita aos museus. O agendamento pode ser feito de segunda a sexta, das 9h às 17 h.
  Contato: (85) 3488-8621 E-mail: agendamentomuseus@gmail.com. 

 

 

 

 

 

 

 

 

CENTRO DRAGÃO DO MAR DE ARTE E CULTURA

Rua Dragão do Mar 81, Praia de Iracema - CEP: 60060-390 - Fortaleza/CE - CNPJ: 02.455.125/0001-31
Informações gerais: 55 (85) 3488 8600 / 55 (85) 3488 8608